Ibovespa despenca 15% em dia com 2 circuit breakers; dólar tem alta recorde


Covid-19 continua a preocupar

Dólar chegou a R$ 5,01

BC interveio no câmbio

Banco Central precisou intervir no mercado para controlar a volatilidade no câmbioSérgio Lima/Poder360

Em dia marcado por 2 circuit breakers, o Ibovespa, principal índice da B3 (Bolsa de Valores de São Paulo), tombou 14,78%, aos 72.582 pontos. Este é o menor patamar desde 28 de junho de 2018, no período pré-eleitoral. O dólar teve alta de 1,38%, cotado aos R$ 4,785, o maior valor nominal da história.

A compra e a venda de ativos na B3 foram interrompidas duas vezes na manhã desta 5ª feira (12.mar.2020) num intervalo de tempo de menos de 45 minutos. O circuit breaker é 1 dispositivo adotado para evitar a alta volatilidade no mercado financeiro. Na semana, a medida emergencial foi adotada 4 vezes.

O mecanismo foi acionado pela 1ª vez no dia às 10h21, quando as ações caíam 11,65%, aos 75.247 pontos. As negociações foram suspensas por 30 minutos. Depois de 43 minutos, às 11h04, as negociações foram interrompidas novamente, dessa vez por uma hora. No momento, a queda era de 15,43%, aos 72.026 pontos.

O principal índice da B3 chegou a cair 19,6%, aos 68.488 pontos. Ao recuar 20%, o 3º circuit breaker seria acionado no dia e a interrupção seria por tempo indeterminado. O percentual, porém, não chegou a esse patamar.

O mercado reagiu positivamente ao anúncio dos Estados Unidos de injetar US$ 1,5 trilhão para aquecer a economia. Mesmo assim, as ações do país também tiveram forte queda. Na Europa, todos os principais índices caíram mais de 10%. Eis 1 infográfico sobre o tema.

A alta na moeda norte-americana foi de 1,38%, cotada aos R$ 4,785. Este é o maior valor nominal da série histórica. O Banco Central precisou intervir no mercado para segurar o valor do câmbio, que chegou a R$ 5,013.

EMPRESAS PERDEM

As empresas listadas na Bolsa perderam R$ 1,52 trilhão em valor de mercado em 2020. Só nesta 5ª feira (12.mar) as perdas somam R$ 489,2 bilhões. É o maior valor perdido na história da B3, segundo a Economatica.

A Petrobras é a empresa com maior queda, com R$ 43,8 bilhões no dia e R$ 240,2 bilhões no ano. A companhia era a que tinha o maior valor de mercado em fevereiro, mas caiu para a 4ª posição, atrás do Itaú, Ambev e Vale.

Autores