Bota o retrato do velho outra vez, bota no mesmo lugar


Vitória da Conquista cidade de grandes políticos e de grandes homens comuns, quando afirmamos isso, não nos referimos a altura física, que pode ser mesurada com uma fita métrica, nos refirmos a grandeza que não é possível mensurar com as unidades de medidas físicas conhecidas.
Nossa História nos orgulha, conquistenses natos ou agregados são iguais e a cidade os ama, como a mãe ama o filho pródigo. É justo imaginarmos que a nossa mãe a História nossa, tenha que receber essa reciprocidade.

Não respeitar o passado, viver como parvo no presente, por certo não nos levará a futuro algum, são duas ciências que a nossa opção de vida nos leva a contemplação: A História e a Estatística. Cada um de nós pode escolher onde ficar, não que a estatística seja pouco importante, porém essa, não personaliza ninguém. Já a História nos imortaliza. Por isso devemos escrever o presente, entendendo o passado para que possamos projetar o nosso futuro.
A galeria dos prefeitos de Vitória da Conquista, que fica no Memorial Régis Pacheco, é a ilustração do período  em que cada um, que tem sua face estampada ali, governou seu povo e, não nos permite nenhum tipo atitude mesquinha que possa estabelecer juízo depreciativo de valor entre um, ou outro ex-prefeito, cada um escreveu a sua história nas proporções do seu tempo, portanto a nossa ignorância não há de nos permitir o alcance da burrice.


Lamentável episódio ocorreu na última quinta-feira (10) quando de forma sub-reptícia, os quadros pintados pelo artista Orlando Cruz Celino, que retratam os períodos de mandato administrativo do ex-prefeito Guilherme Menezes foram retirados da galeria para que sobrasse espaço para se colocar o quadro do atual prefeito Herzem Pereira.
Até o momento, não há qualquer explicação por parte do governo Pereira em relação ao ato rasteiro, vergonhoso, lastimável a que foi submetida a cidade do Padre Palmeira e de Ruy Medeiros, o primeiro trouxe a luz do ensino médio para nosso município; o segundo nos contou a História de nosso povo, através de suas exaustivas pesquisas e o terceiro que cito agora, levou o primeiro ginásio ao povo da Zona Rural de Vitória da Conquista, que é Guilherme Menezes. Provavelmente, o ignorante ou a ignorante que teve a triste ideia, não saiba o que isso significa, podendo até dizer por exemplo que não houve nada demais no ato.
O grande governador da Bahia Octávio Mangabeira disse: ” qualquer coisa ruim que aconteça no mundo, por certo haverá um precedente na Bahia” . Pois bem, hoje tivemos conhecimento que o mesmo ato medonho, tinha precedente em nosso Município, trata-se da Câmara de Vereadores, essa também, retirou da galeria dos ex-presidentes da Câmara municipal, o quadro do vereador Orisovaldo Pontes, provavelmente alguém a parca inteligência, tal qual o dono da História no governo Pereira. Talvez, no seu pensamento tolo, entenda que tem poder para mudar o passado.

Em 1948 tiraram o retrato de Getúlio e o povo pediu  pra botar outra vez e Francisco Alves imortalizou a história na musiquinha anexa.

Retrato do Velho
Francisco Alves

Bota o retrato do velho outra vez
Bota no mesmo lugar
Bota o retrato do velho outra vez
Bota no mesmo lugar

O sorriso do velhinho faz a gente trabalhar
O sorriso do velhinho faz a gente trabalhar

Eu já botei o meu
E tu não vais botar
Eu já enfeitei o meu
E tu não vais enfeitar

O sorriso do velhinho faz a gente se animar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *