Resumão da Rodada


Lucas Gabriel Cirne

Grupo C
Jogo 1 – Austrália x França
No confronto que iniciou o dia de sábado, a França, grande favorita, passaria, em tese, com facilidade pela Austrália.
Não foi isso, entretanto, que aconteceu, já que a seleção francesa teve dificuldades para ultrapassar a barreira montada pela Austrália, que, por sua vez, pautou o seu jogo nas jogadas aéreas e na força física dos seus jogadores, como de costume.
Ainda assim, o time europeu, aos “trancos e barrancos” conseguiu bater a Austrália pelo placar de 2×1, com todos os gols sendo marcados no segundo tempo.
Esta partida, apesar de não ter tido grandes lances de emoção, foi histórica para o mundo do futebol: pela primeira vez, em uma Copa do Mundo, a tecnologia do VAR (Árbitro de Vídeo) foi utilizada, e não apenas uma vez.
No primeiro gol francês, o juiz, em dúvida sobre a ocorrência da penalidade máxima em cima do atacante Griezmann, solicitou a ajuda do árbitro de vídeo e, após rever o lance, confirmou a infração, o que permitiu que a França assinalasse o tento.
A tecnologia também apareceu na marcação do pênalti que deu origem ao gol de empate dos australianos, já que o árbitro contou com ajuda externa para assinalar a penalidade, cometida pelo zagueiro Umtiti que, inexplicavelmente, colocou a mão na bola dentro da área.
Por fim, o segundo e definitivo gol francês foi confirmado através da tecnologia da “linha do gol”, que permite ao juiz saber, em fração de segundos, se uma bola ultrapassou ou não a linha da meta.
Fim de jogo, 2×1 para os franceses, em uma partida que valeu mais pela demonstração de que o futebol precisa andar lado a lado com a tecnologia, que já se mostra acessível e totalmente aprovada.
Jogo 2 – Dinamarca x Peru
A maior tristeza do dia se abateu sobre o Peru.
Depois de mais de trinta anos sem disputar uma Copa do Mundo, o time fez sua estreia contra a Dinamarca e, apesar de ter sido melhor durante toda a partida, sucumbiu diante dos europeus.
Mesmo tendo deixado a estrela do time, o atacante Guerrero, no banco de reservas, a seleção peruana conseguiu impor um bom ritmo de jogo, orquestrado pelo meia Cueva, o mais habilidoso dos seus jogadores.

Polícia encontra barras de chocolate e pendrives em cela de Geddel


As buscas foram autorizadas pela Justiça e motivadas pela denúncia, feita por um detento, de que os políticos estariam recebendo “regalias” na cadeia
 (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

A Polícia Civil do Distrito Federal fez buscas, neste domingo (17), na cela que abriga o ex-senador Luiz Estevão e o ex-ministro da Articulação Política do governo Michel Temer, Geddel Vieira Lima (MDB), e apreendeu barras de chocolate, anotações que seriam de Geddel e pelo menos cinco pendrives – supostamente, de Estevão.

Os dois dividem um alojamento com outros presos no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

Segundo a polícia, as buscas foram autorizadas pela Justiça e motivadas pela denúncia, feita por um detento, de que os políticos estariam recebendo “regalias” na cadeia.

À TV Globo, o advogado de Geddel Vieira Lima disse que “estranha, mais uma vez, a defesa técnica não saber da operação antes da imprensa”. A defesa de Luiz Estevão também disse desconhecer as buscas, e não quis se pronunciar.

Aluguel de blindado para Cristiane Brasil agora custa R$ 12 mil


Veículo alugado para a segurança da deputada do PTB do Rio é pago pelo contribuinte

A ilustre deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ) aluga, desde fevereiro de 2017, um carro blindado para sua segurança. O serviço, é lógico, é pago pelo contribuinte, através da cota parlamentar.

No princípio, o serviço custava R$ 9 mil reais por mês. Mas, desde maio, esse valor foi reajustado para R$ 12 mil (ver foto abaixo).

Para que Cristiane tenha a máxima segurança no seu ir e vir, nós já pagamos um total de R$ 138 mil.

Segundo Seminário Territorial é realizado em Vitória da Conquista


O II Seminário Territorial – Bahia Produtiva, referente ao Contrato 018/2017, Lote 25, objetiva identificar os principais avanços e resultados ao longo dos trabalhos, avaliando, validando e reorientando as ações desenvolvidas pela equipe de ATER – Assistência Técnica de Extensão Rural da COOPERSUBA (Cooperativa de Trabalho da Região Sudoeste da Bahia – Ltda), instituição contratada pelo Bahia Produtiva. Fundada em 09/12/1997, tendo como objetivo “Fortalecer a assistência técnica e extensão rural visando contribuir para o desenvolvimento sustentável, geração de trabalho, renda, inclusão social e fortalecimento do associativismo e cooperativismo, através do incentivo ao protagonismo dos atores sociais, à adoção de processos produtivos de base ecológica e à atuação dos agricultores familiares nos diversos níveis da cadeia produtiva”.
Neste Seminário serão abordados temas como:
• ATER (Lote 25 – Ano I)
• BAHIATER
• Plano de Negócio;
• Associativismo;
• Economia Solidária;
• Avaliações e troca de experiências.

• Apresentação de Vídeos,
• Dinâmicas.
• Dentre outros.

O desafio para este seminário não é somente de prestar uma ATER de qualidade, e sim alcançar resultados de sustentabilidade nas ações realizadas ao longo do Projeto, deixando uma comunidade fortalecida e em plenas condições de tocar e levar a frente seus anseios, tanto na Unidade Produtiva em si, quanto em suas organizações associativas.

Governo Herzem gusmão: 18 meses de incompetência


Clóvis Carvalho
Boa parte das pessoas que acompanham a política de Vitória da Conquista sabe que rompi como o Sr Guilherme Menezes em 1998 quando eu ainda era Vereador do PT, digo isto porque vejo apoiadores do atual prefeito rebatendo todas as criticas pertinente dizendo que são as viúvas de guigui.
Eu sou funcionário da Prefeitura de Vitória da Conquista desde o dia 03 de setembro de 1984, portando daqui a alguns dias completo 34 anos de casa.
Passei pelos prefeitos Pedral Sampaio, Murilo Mármore, Guilherme Menezes, Prof. Dr. José Raimundo Fontes e agora o radialista Herzem Gusmão.
Até então eu achava que o pior prefeito que Conquista já teve foi Murilo Mármore, mas ao que parece o radialista Herzem Gusmão vai retirar este desonroso titulo do atual Procurador Geral do Município.
Atualmente estou trabalhando no Ginásio de Esportes Raul Ferraz e o quandro que nós temos lá é de total abandono. Mato tomando conta dos campos de futebol e quadras de areia, lâmpadas da quadra queimadas, banheiros fedorentos, ausência do Coordenador e do Gerente de Esporte, que só estão preocupados em receber os seus altos salários.
Damos graças a DEUS quando têm um evento da igreja católica ou protestante que fazem um verdadeiro mutirão para deixar o ginásio em condições de realizarem os seus atos religiosos.
O Ginásio dispõe de bons profissionais que passam dias e dias sem fazerem nada por falta de material tais como bolas e redes.
No entanto a quadra do ginásio Raul Ferraz é cedida a particulares de segunda a sábado pela manhã e a tarde para ensinarem futsal cobrando mensalidades de R$ 50,00 (cinquenta reais). Têm um lá por nome de Alex Santos que tem mais de 100 alunos, calculem o ganho do mesmo as custas de um espaço público.
No mesmo ginásio falta uma GUARDA MUNICIPAL armada e preparada para coibir o uso de drogas em suas depedências, fato que ocorre muito a noite e em finais de semana.
Em nível geral este governo é uma CATÁSTROFE: Começou brigando com duas empresas da cidade por causa de uma parada de ônibus na rua do gancho – FOI VENCIDO.
Fechou a rotatória do SAMUR de forma truculenta – FOMOS VENCIDOS.

Brasil deixou de arrecadar R$ 354,7 bi com renúncias fiscais em 2017


Com meta de déficit primário de R$ 159 bilhões neste ano e com um teto de gastos pelas próximas duas décadas, o governo teria melhores condições de sanear as contas públicas, de acordo com o Tribunal de Contas da União (TCU), concedendo menos incentivos para determinados setores da economia. O relatório do TCU das contas do governo em 2017, aprovadas com ressalvas na última quarta-feira (13), revelou que as renúncias fiscais somaram R$ 354,7 bilhões no ano passado.

O montante equivale a 30% da receita líquida do governo no ano e supera os déficits da Previdência Social e do regime de aposentadorias dos servidores federais, que somaram R$ 268,8 bilhões em 2017. Segundo o TCU, 84% das renúncias têm prazo indeterminado, o que faz a perda de arrecadação ser incorporada às contas do governo.

A Lei de Responsabilidade Fiscal determina que cada renúncia fiscal seja custeada com alguma receita, seja com o aumento de outros tributos ou com a alta da arrecadação gerada pelo desenvolvimento da economia. O TCU, no entanto, constatou que 44% dos incentivos fiscais não são fiscalizados por nenhum órgão, o que levou o ministro Bruno Dantas a recomendar que os ministérios da Fazenda, do Planejamento e da Casa Civil montem um grupo de trabalho para verificar a eficácia das renúncias fiscais.

Segundo a Receita Federal, as desonerações (que compõem uma parte das renúncias fiscais) estão estabilizadas em 2018, depois de caírem levemente em 2017. De janeiro a abril deste ano, segundo os dados mais recentes, somaram R$ 27,577 bilhões, contra R$ 27,631 bilhões no mesmo período do ano passado. Os números da Receita são inferiores aos do TCU porque o Fisco leva em conta apenas as renúncias mais recentes e incorpora ao fluxo normal de arrecadação as perdas com regimes especiais instituídos há bastante tempo.

Ineficácia

Tributarista do escritório Peixoto & Cury Advogados, Renato Faria diz que a equipe econômica precisará, em algum momento, rediscutir as renúncias fiscais para continuar a fornecer serviços públicos num cenário de restrição cada vez maior de recursos. “Um dado importante é que o valor da renúncia fiscal que se estimava ter com desoneração da folha de pagamentos superava o investimento da pasta da saúde. Tudo isso quando temos um SUS [Sistema Único de Saúde] deficitário”, critica.

Além das desonerações, o advogado critica os sucessivos programas de renegociação de dívidas de contribuintes, apelidados de Refis, que representam perda de arrecadação por causa dos descontos nas multas e nos juros aprovados pelo Congresso. “Nos últimos anos, muitas empresas passaram por dificuldades para quitar impostos, mas as renegociações sistemáticas nos últimos 15 anos premiam o sonegador e punem o empresário que paga os tributos em dia e tem a competitividade prejudicada”, reclama.

Tributarista do escritório Simões Advogados, Thiago Taborda Simões defende o aumento na fiscalização de contrapartidas por parte das empresas de setores beneficiados por regimes especiais. “A fiscalização não deveria se restringir ao pagamento de impostos, mas também abranger o cumprimento das condições para receberem o incentivo, como geração de empregos, investimentos em tecnologia”, cita.

Uma vez esquerda


Padre Carlos

Uma das questões que tem me preocupada nestes últimos dias, é a forma como Rui Costa e o ex-governador Jaques Wagner vão explicar para a esquerda brasileira e para a sociedade de forma geral, porque não priorizou a candidatura de Lídice da Mata e favoreceu uma direita que tem se instalado no governo desde o primeiro momento, em nome da governabilidade.
Ficou conhecido na política baiana, as vantagens de fazer parte da base aliada dos governos do PT. Como alguns dizem: \”um negócio da chïna\”. Esta forma de governar com o manual da democracia burguesa, já ficou claro o quanto é caro e perigoso estas alianças. Um exemplo do crescimento espantoso destes partidos é o PSD, fundado em 2011 por um membro do TCM e hoje Senador da República, o Dr. Otto Alencar tem a maior máquina eleitoral do estado, nos seus quadros se encontram, cinco deputados federais (Zé Nunes, Fernando Torres, Sérgio Brito, Antonio Brito e Paulo Magalhães) e sete deputados estaduais, entre eles, o Presidente da Assembléia Legislativa, (Angelo Coronel, ngela Souza, Ivana Bastos, Adolfo Menezes, Alex da Piatã, Mirela Macêdo e Carlos Ubaldino). Além de contar com 87 Prefeituras em todo o estado. Isto representa 25% de todos os municípios baiano.
Estas bases eleitorais se deve ao desmonte da máquina carlista, construídas ao longo dos trintas anos em que o carlismo governou com mão de ferro, este estado. Sendo setores da direita, quando sentiram que os ventos estavam soprando para a esquerda, procuravam o Senador e não o Governador, assim, a estrutura de governo e a máquina administrativa foi colocada a serviço dos aliados para construir uma maioria parlamentar e eleitoral.
Como partido dirigente, o PT tem: sete Dep.Federais ( Afonso Florence, Luiz Caetano, Jorge Solla, Nelson Pelegrino, Valmir Assunção, Waldenor Pereira e Josias Gomes. Já os Mandatos Estaduais, são doze: Joseildo Ramos, Zé Neto, Bira Coroa, Fátima Nunes, Gika, Luiza Maia, Marcelino Galo, Maria Del Carmem, Neusa Cadore, Paulo Rangel, Rosemberg Pinto e Zé Raimundo. O PT (partido do governador) foi a legenda que mais perdeu prefeituras em comparação com a disputa de 2012 (caiu de 93 para 38 neste ano), mas em contrapartida os partidos que integram a base de apoio do governo mantêm a liderança no número de prefeitos.

“Tem que manter isso”: Temer transcreve diálogo com Joesley em nota e diz que frase está descontextualizada; quá


PF: Temer atuou para garantir silêncio de Cunha e Funaro

 

Por meio de nota (íntegra abaixo), o presidente Michel Temer (MDB) voltou a tentar desqualificar nesta quinta-feira (14) o conteúdo do diálogo com o empresário Joesley Batista (J&F), gravado em março de 2017 no subsolo do Palácio do Jaburu. Na conversa, gravada por Joesley sem Temer saber, em encontro secreto, o emedebista ouve o interlocutor dizer que mantém boa relação com o deputado cassado Eduardo Cunha (MDB-RJ), preso e condenado na Operação Lava Jato e de quem se esperava uma delação premiada. Nesse instante da conversa, Temer sugere que Joesley mantenha a situação sob controle, o que foi interpretado como forma de calar o presidiário.

A nota de Temer é uma reação ao teor do relatório final da Operação Cui Bono, como este site mostrou mais cedo, por meio do qual a Polícia Federal afirma haver “indícios suficientes de materialidade e autoria” de que o Temer tentou comprar o silêncio do ex-presidente da Câmara e de Lúcio Funaro – delator da Lava Jato, Funaro é apontado nesta e em outras investigações como operador do PMDB em esquemas de corrupção.

<< Temer avalizou compra de silêncio de Cunha e Funaro, aponta relatório da PF

<< Os áudios em que Temer avaliza compra do silêncio de Cunha e procurador infiltrado na Lava Jato

A acusação é baseada na delação premiada de Joesley Batista, reforçada com a ação coordenada do Ministério Público Federal (MPF) com a própria PF para fazer o flagrante da gravação. Além do áudio, a força-tarefa da Lava Jato flagrou a entrega de uma mala de dinheiro com R$ 500 mil em espécie ao ex-deputado suplente Rodrigo Rocha Loures (MDB-PR), ex-assessor direto de Temer que foi gravado e filmado correndo por uma rua de São Paulo depois de receber a quantia – segundo o MPF, parte de uma mesada milionária a ser paga a Loures e o presidente, a título de propina em troca de apoio aos negócios da J&F.

Resumão da Rodada


Lucas Gabriel Cirne

Grupo A
Jogo 1 – Rússia x Arábia Saudita
A Copa começou! Acabou a espera.
Dessa vez, é verdade, com uma partida não tão atrativa; mas, pouco importa: em Copa do Mundo um jogo não precisa ser maravilhoso para ser ótimo.
Menos mal para os donos da casa, que, apoiados pela torcida, aplicaram uma sonora e histórica goleada de 5×0 sobre os frágeis sauditas, mesmo não tendo uma equipe tão qualificada tecnicamente, para dizer o mínimo.
Com um jogo apoiado na força física, e contando com os gols de Gazinskiy, Dzyuba, Cheryshev (2) e Golovin, a Rússia, construiu o placar com facilidade, e bateu ingênuo time asiático, que mesmo buscando um jogo com mais toque e posse de bola, parou na falta de qualidade de seus atletas.
O placar, entretanto, encobre o baixo nível técnico da equipe anfitriã, mas coloca a Rússia em uma boa condição na busca pela classificação, já que, em um grupo tão equilibrado, que ainda conta com Uruguai e Egito, o saldo de gol poderá definir um dos classificados, ao fim da primeira fase.
Chuva de vodca. Chuva de gols. E celebração vermelha na estreia do mais importante campeonato de futebol do mundo.
PS: Ainda aposto em Uruguai e Egito como classificados neste grupo.
Jogo 2 – Egito x Uruguai
Os egípcios foram bravos. Luta e entrega não faltou. O empate, bom resultado para as pretensões da equipe – considerando ser o Uruguai o melhor time da chave – era visto como um bom resultado. E ele quase veio.
Ocorre que, aos 44 minutos do segundo tempo, o castigo chegou e a equipe africana sucumbiu. Uma cabeçada fulminante do zagueiro Gimenez decretou o triunfo dos portenhos.
Durante a partida ficou clara a maior qualidade técnica do Uruguai, especialmente dos seus atacantes, Cavani e Suarez, que hoje teve uma tarde para esquecer, diga-se.
A Celeste conseguiu ter mais volume e criou as melhores chances do jogo, tendo colocado uma bola na trave e obrigado o goleiro do Egito a praticar duas ótimas defesas.
Ocorre que, isso não foi suficiente para atingir a meta adversária com contundência, tanto que o Uruguai somente consegui marcar “ao seu modo”: bola levantada na área e cabeçada firme do zagueiro.

Nova reitoria da UESB é empossada




Na noite desta sexta, 15, o Teatro Glauber Rocha, no campus de Vitória da Conquista, recebeu integrantes da comunidade acadêmica, representantes de diversas instituições do estado, autoridades dos poderes executivo, legislativo e judiciário e membros da sociedade civil para a cerimônia de posse da reitoria da Universidade para o quadriênio 2018-2022. Os cargos de reitor e vice-reitor foram transmitidos aos professores Luiz Otávio de Magalhães e Marcos Henrique Fernandes, respectivamente.

A solenidade, que contou com apresentações musicais e a presença de servidores, professores e estudantes dos três campi, foi presidida pelo subsecretário de Educação do Estado da Bahia, Nildon Pitombo. Na oportunidade, ele destacou que a função das universidades estaduais vai além de levar o ensino superior para os territórios da Bahia. “A universidade não tem o papel de formar só técnicos e profissionais, mais do que isso, ela aciona um mecanismo gigantesco de confirmar entendimentos, ajudar compreensões, melhorar a qualidade de perfil técnico, de geração de empregos, de produção de renda. E a gente sabe dessa importância e tem clareza que tem que apoiar permanentemente esse processo das universidades estaduais”, ressaltou Pitombo.



O reitor, professor Luiz Otávio de Magalhães, também enfatizou a relevância da Universidade para um cenário que ultrapassa as barreiras da área de educação. “Temos o desafio de fazer da Uesb, cada vez mais, uma Instituição de todo o Sudoeste da Bahia, integrada a essa região. A Universidade é pública e estadual, então ela tem também funções sociais, além de suas funções e metas acadêmicas. Ela deve ser um instrumento condutor de políticas de desenvolvimento, e a gente tem esse interesse”, pontuou o reitor.

Evidenciar o papel de destaque da Uesb enquanto principal instituição de ensino superior da região Sudoeste. Para o vice-reitor, professor Marcos Henrique Fernandes, essa é uma das principais metas dos próximos quatro anos de gestão. Além dela, o professor lotado no campus de Jequié, sublinhou que os três campi terão seu espaço delimitado por uma atuação enérgica de toda a administração. “Umas das principais propostas que tivemos na campanha, e, desde o início da gestão, já estamos trabalhando para de fato implantar, é uma descentralização do ponto de vista acadêmico, administrativo e orçamentário. Com certeza, a descentralização será um ponto forte da nossa gestão”, concluiu.

Ex-colega ameaça falar sobre ação de Bolsonaro em plano de atentado


Em troca de dinheiro, Fábio Passos da Silva, capitão do Exército em 1987, revelaria ideia de usar bombas para pressionar o governo a ceder em negociações

O deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), que lidera as pesquisas nos cenários que excluem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), ainda tem contas a acertar com seu passado. Em 1987, VEJA noticiou que ele e um colega pretendiam explodir bombas em quartéis do Exército para pressionar a cúpula do governo a conceder reajustes salariais para os militares. O colega é coronel reformado Fábio Passos da Silva, que jamais falou publicamente sobre o episódio. VEJA o localizou em Fortaleza (CE). Silva disse à reportagem que, em troca de 250 000 reais, falaria “sobre o que está nos autos e sobre o que ficou de fora”. A revista não paga por informações.

Já a família de Passos da Silva não desiste de conseguir uma boa recompensa pelo segredo que mantém guardado. A mulher de Passos da Silva procurou recentemente Jair Bolsonaro, um de seus filhos, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), e o deputado Marco Feliciano (Podemos-SP), aliado do presidenciável na Câmara. Bolsonaro admite que ela falou em dinheiro, mas assegura que encurtou a conversa porque notou que o pedido cheirava a extorsão. Leia a íntegra da reportagem na edição de VEJA desta semana.

Gilmar solta prefeito paulista flagrado com R$ 80 mil em panela


Ministro do STF converteu prisão preventiva de Átila Jacomussi (PSB), prefeito de Mauá (SP), alvo da Operação Prato Feito, em medidas alternativas

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STFGilmar Mendes mandou soltar o prefeito de Mauá (SP), Átila Jacomussi (PSB), alvo da Operação Prato Feito, deflagrada em maio, que mira supostos desvios em contratos para o fornecimento de merenda escolar. Gilmar determinou que o Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) fixe medidas cautelares diferentes da prisão ao prefeito.

Na casa de Átila Jacomussi, a PF encontrou 87.000 reais em espécie, dos quais 80.000 estavam escondidos na cozinha, dentro de uma panela. Ele foi denunciado por lavagem de dinheiro. Além de Jacomussi, também foi preso preventivamente o secretário de Governo e Transporte de Mauá, João Eduardo Gaspar, este flagrado com 588.417,00 reais, 2.985 euros e 1.300 dólares.

No mesmo dia da prisão de Jacomussi, a Prato Feito também mirou o prefeito de Mongaguá, Artur Parada Prócida (PSDB), que mantinha 4,61 milhões de reais e 217.000 dólares em sua casa, em dinheiro vivo.

Ao soltar o prefeito de Mauá, Gilmar Mendes sustentou que “a prisão provisória continua a ser encarada como única medida eficaz para resguardar o processo penal”.

“Assim, tenho que o risco à ordem pública, conveniência da instrução processual e a garantia da aplicação da lei penal podem ser mitigados por medidas cautelares diversas. Não vejo, no caso, razões a justificar a restrição da liberdade de locomoção do paciente”, anotou.