Mostra Cinema Conquista oferece programação musical na Praça da Normal



​Mostra Cinema Conquista oferece programação musical na Praça da Normal

A 12ª edição da Mostra Cinema Conquista, que começa a partir deste domingo (19), em Vitória da Conquista, vai oferecer ao público uma programação de shows gratuitos na Praça da Normal. As apresentações acontecerão sempre após as exibições no Instituto Educacional Euclides Dantas (IEED/ Escola Normal), às 22h30, entre os dias 19 e 23 de novembro.

Confira a programação:

19/11: (Abertura): Divina Valéria

20/11: Marlua

21/11: Balaio

22/11: Papalo Monteiro

23/11: Ayam Ubráis Barco & O Bando do Mar

Mostra Cinema Conquista – Ano 12 tem o apoio cultural do Canal Brasil, TVE Bahia, TV Sudoeste, Sistema Uesb de Rádio e TV Educativas e Schin. Conta com o apoio institucional da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Curso de Cinema e Audiovisual da Uesb, Programa Janela Indiscreta, Instituto de Radiodifusão do Estado da Bahia e Diretoria Audivisual do Estado. A Mostra Cinema Conquista é uma realização do Instituto Mandacaru de Inclusão Sociocultural. Tem o apoio financeiro da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista e do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia.

 Programa da UESB irá divulgar IPCA de Vitória da Conquist


por Juliana Silva

O Programa de Indicadores Econômicos de Vitória da Conquista, desenvolvido por docentes do curso de Ciências Econômicas, vinculado ao Departamento de Ciências Sociais Aplicadas, agora, está desenvolvendo mais uma atividade. O Programa, que já realiza, desde 2014, o cálculo do custo da Cesta Básica Mensal da cidade, agora, também irá divulgar o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Considerado o índice oficial de inflação do país, o IPCA tem o objetivo de oferecer a variação dos preços de um conjunto mais abrangente de mercadorias e serviços que são mais representativos para a maioria da população. No entanto, esse índice, calculado, normalmente, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só leva em consideração a realidade das capitais das principais regiões metropolitanas do país. “Vitória da Conquista passa a ser o segundo município do interior do Brasil a ter o cálculo do IPCA divulgado”, explica a professora Delza Carvalho, coordenadora do Programa.

De acordo com a docente, a produção mensal desses índices de preços em nível municipal, a partir da agregação de resultados locais, tem a finalidade de fornecer subsídios à execução e avaliação da política econômica, associando a sua importância à renda familiar. Por meio do IPCA, será possível avaliar o poder de compra do consumidor conquistense, indicando a evolução/involução da inflação. “Esse índice econômico produzido mensalmente caracteriza-se como um parâmetro para que a população conquistense possa avaliar seus ganhos, perdas e necessidades futuras de aumento de rendimento para manter seu padrão de vida”, ressalta a professora.

Delza Carvalho destaca ainda que os boletins mensais do IPCA que serão publicados pelo Programa de Extensão da UESB terão grande importância para a sociedade, pois permitirá o acompanhamento do processo inflacionário periodicamente. “Com esses dados, criaremos uma série histórica que possibilitará o desenvolvimento das políticas públicas, pesquisas acadêmicas, acesso ao público em geral e, também, o direcionamento para novos investimentos no município”, esclarece a professora.

De acordo com a coordenação do Programa Indicadores Econômicos, a metodologia adotada para o cálculo do IPCA em Vitória da Conquista será semelhante à utilizada pelo IBGE. O Índice será calculado com base nas despesas de consumo das famílias com os bens e serviços que integram os seguintes grupos: Alimentação e Bebidas, Habitação, Artigos de Residência, Vestuário, Transportes, Saúde e Cuidados Pessoais, Despesas Pessoais, Educação e Comunicação.

A divulgação do IPCA de Conquista está prevista para dezembro deste ano, no site do Programa, e será realizada por meio de informações na forma de tendências de mercado, boletins mensais e anuais. Para mais informações, clique aqui.

Assessoria de Comunicação

 Variedade de mandioca será lançada oficialmente na UESB


por Juliana Silva

No dia 22 de novembro, será realizado no campus de Vitória da Conquista o evento “Extensão de recomendação da mandioca BRS Poti Branca”. A atividade é uma realização da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) em parceria com a Uesb, por meio do Laboratório de Melhoramento e Produção Vegetal.

Voltado para agricultores, agentes multiplicadores e técnicos que trabalham com a cultura da mandioca, o evento tem como objetivo divulgar a variedade da raiz, que está sendo recomendada para o Sudoeste da Bahia. Assim, faz parte da programação da atividade uma palestra sobre o desempenho da mandioca BRS Poti Branca na região.

O evento acontecerá na área experimental da Uesb, das 9 às 11 horas. Para mais informações, entre em contato com o Laboratório de Melhoramento e Produção Vegetal pelo telefone (77) 3424-8727 ou pelo endereço eletrônico impv@uesb.edu.br.

Leia também: 
UESB e Embrapa lançam nova variedade de mandioca

Mais de 100 municípios baianos participam do 1º Encontro Estadual de Proteção e Defesa Civil


A Superintendência de Proteção e Defesa Civil – SUDEC, promoveu, em 13 e 14 de novembro, no auditório da Secretaria de Agricultura – SEAGRI, o I Encontro Estadual de Proteção e Defesa Civil com o tema “Construindo uma Bahia Resiliente” cujo objetivo foi de preparar os gestores municipais (Prefeitos, Coordenadores e Agentes Municipais de Proteção e Defesa Civil) para fazerem frente às providências necessárias às ações de prevenção, preparação, mitigação, resposta e reconstrução inerentes aos desastres que afetam os municípios.
O evento contou com a participação de representantes de mais de 100 municípios baianos, demonstrando o grande prestígio e confiança depositados na Defesa Civil do Estado, fruto do trabalho que está sendo desenvolvido pelo órgão voltado para o fortalecimento das Coordenadorias Municipais. O encontro visou, também, despertar o aumento da resiliência local a fim de diminuir os efeitos adversos dos desastres.
A cerimônia de abertura foi presidida pelo Superintendente da SUDEC, Paulo Sérgio Luz e contou com a presença do Diretor do Departamento de Operações de Socorro em Desastres da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil – SEDEC, Armin Braun, do Prefeito de Dom Basílio, Roberval Meira, das Deputadas Estaduais, Fabíola Mansur e Fátima Nunes, do Chefe do 4º Distrito do Instituto Nacional de Meteorologia – INMET, Itajacy Diniz e do coordenador da Defesa Civil de Teofilândia, Fernando Lucas.
De acordo com Paulo Sérgio Luz, Defesa Civil não é um órgão, mas um Sistema, e tem como principal escopo a Bahia se tornar resiliente. E isso, segundo o Superintendente, só será possível se houver uma gestão adequada dos riscos de desastres.
Paulo Luz aproveitou também a oportunidade para anunciar que os encontros de Proteção e Defesa Civil acontecerão a cada seis meses, e que o próximo está previsto para ocorrer em maio de 2018.

Dos Sumérios a Babel (1)


Jeremias Macário

A MESOPOTÂMIA – HISTÓRIA, CIVILIZAÇÃO E CULTURA
As versões dão conta de que esses povos vieram das montanhas do Cáucaso, da Índia e de várias partes da Europa, alguns bárbaros como refugiados escorraçados por tribos inimigas, que se espalharam pelas terras da Mesopotâmia entre os rios Tigre e Eufrates (o Crescente Fértil), hoje a Turquia, Iraque, Irã, Líbano, Síria e até na Jordânia e Israel.
Essas tribos se tornaram guerreiras, se destacando depois os Assírios-Babilônios que conquistaram toda região, denominada de Quatro Partes do Mundo, durante quatro milênios Antes de Cristo, batendo nas portas dos reinos de Judá e Israel destruindo tudo que encontravam pela frente, inclusive seus tempos sagrados.
Mas, eles não apenas tiveram reis sanguinários. Foram exímios na técnica da irrigação, cujos métodos até hoje adotamos, abriram canais, construíram grandes cidades e torres, criaram a escrita e deixaram suas histórias em milhares de tabuinhas de barro, sem contar a arte da escultura e da arquitetura.
O autor do livro “Dos Sumérios a Babel”, Federico A. Arborio Mella diz, em seu prefácio, dedicar a obra para os apaixonados pela história antiga dos grandes reis e generais Sargão II, Teglatfalassar, Assarhaddon, Senaquerib, Assurbanipal, Hammurabi, Ciro, Nabucodonosor e para quem a palavra “Mesopotâmia” evoca a “soberba Nínive” e a “Torre de Babel”.
Apesar da escassez de documentos, aqui o autor faz um belo passeio narrativo sobre a epopeia suméria, a revolução dos acádicos, as venturas e desventuras dos babilônios, dos assírios e de todos os povos que se instalaram nas férteis terras entre o Tigre e o Eufrates.
A Sagrada Escritura que extraiu muitas passagens bíblicas desses antigos povos, inclusive delas fazendo suas próprias versões dos seus patriarcas e profetas, ( Isaias, Jeremias, Ezequiel) fala muito dos caldeus, de Babel, dos Assírios, citando os nomes de Ur, Erek, Acad e outros. O historiador, na época repórter viajante Heródoto, o grego, descreve a Babilônia com precisão.
Como a obra tem como base central as descobertas arqueológicas a partir do século XIX, o escritor oferece, na abertura, uma visão geral sobre os achados das grandes cidades, as inscrições deixadas pelos reis e seus feitos, lendas, deuses e grandes nomes dos estudiosos do assunto.
Como toda aquela civilização prosperava e girava em torno dos dois grandes rios, um dos maiores feitos da arqueologia foi protagonizado pelo nativo de Mossul (Iraque) Hormuzd Rassam que desenterrou, em 1854, documentos da Biblioteca de Assurbanipal. Conta que o grande rei, admirador da cultura, deu ordens aos seus enviados de comprar todas as obras científicas, literárias e históricas que pudessem encontrar. Trata-se de uma coleção de mais de 30 mil tabuinhas de argila.

Com galerias vazias, deputados livram Picciani da cadeia


A decisão contempla também Paulo Melo e Edson Albertassi; o trio ficou menos de 24h preso e pode voltar a ocupar seus cargos

Redação

Foto: Marcio Alves/Agência O Globo
Foto: Marcio Alves/Agência O Globo

 

Depois de votada aceleradamente, na sexta-feira (17), a retirada dos parlamentares Jorge Picciani, presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), o ex-presidente da Casa, Paulo Melo, e o líder do governo, Edson Albertassi – todos do PMDB –, foram soltos da cadeia. O placar, que ficou em 39 votos a 19, foi decidido em apenas vinte minutos.

Os três deputados federais deixaram o presídio, em carro oficial, por volta das 18h, menos de duas horas depois de decidido o pleito.

Os peemedebistas ficaram menos de 24 horas presos, já que chegaram ao presídio por volta das 19h de quinta (16). O mesmo parecer garante aos três a permanência no mandato e desfaz a decisão da segunda instância do Judiciário do Rio.

O desembargador Abel Gomes, responsável pela prisão dos congressistas, não foi avisado da decisão tomada pela Assembleia. No fim da tarde, ele já não se encontrava no gabinete. Pela rotina, caberia a ele expedir um mandado de soltura.

Governo convoca segunda turma para o programa Partiu Estágio


O Governo do Estado publicou, nesta sexta-feira (17), a segunda convocação para universitários inscritos no segundo edital do Programa Partiu Estágio. De acordo com a nova lista, 1.471 mil estudantes deverão se apresentar ao órgão ou entidade em que irão estagiar, dentro do prazo de dez dias úteis.

Desde o lançamento do projeto, em abril deste ano, já foram contratados mais de 3,5 mil jovens para estagiarem no serviço público. A lista da nova turma ficará disponível no site da Secretaria da Administração (Saeb).

Os 1,4 mil estudantes serão convocados por meio do e-mail cadastrado no momento de sua inscrição no programa. Para assegurar o estágio no Governo do Estado, é preciso que eles apresentem a documentação. De acordo com o edital do programa, aquele que não apresentar a documentação exigida, ou não se apresentar ao órgão ou entidade no prazo estipulado, perderá a vaga de estágio.

O Partiu Estágio está em seu segundo edital. Um total de 43.513 mil candidatos se inscreveu para os dois editais – o primeiro alcançou 20.108 inscritos e o segundo, publicado em agosto, teve 23.405 interessados.

15 de novembro de 1889 – Proclamação da República


* Gilson Alberto Novaes

O feriado de 15 de novembro não é valorizado como devia. Todos gostam de um feriadinho, mesmo que caia numa quarta-feira como nesse ano. O problema é que grande parte dos nossos escolares, de todos os níveis, desconhecem sua importância no contexto histórico.

Na época da proclamação da República – 1889, o Brasil era o único país independente do continente americano, ainda governado por um monarca, uma vez que em 7 de setembro de 1822, D. Pedro I proclamara nossa independência. Éramos independentes de Portugal, mas todas as decisões eram tomadas de forma pessoal e unilateral pelo imperador D. Pedro II.

No final da década de 1880, D. Pedro II estava sendo duramente criticado pelos oficiais do exército que, além de observarem a corrupção existente na corte, também estavam insatisfeitos com o Imperador pelo fato de que eles eram proibidos de se manifestarem pela imprensa. A interferência do Imperador nos assuntos religiosos desagradava a Igreja Católica; a classe média, entenda-se funcionários públicos, jornalistas, profissionais liberais, comerciantes, estudantes, artistas, todos identificavam-se muito mais com os ideais republicanos e apoiavam o fim do Império. Também os cafeicultores da região oeste de São Paulo queriam maior poder político, pois o poder econômico eles já tinham.

O império perdera também o significativo apoio dos escravocratas com o fim da escravidão. Os republicanos compartilhavam os mesmos ideais dos abolicionistas.

Todas essas questões aliadas à falta de apoio popular e as constantes críticas da sociedade deixavam o Imperador e o seu governo muito fragilizado. D. Pedro II, que estava doente, já andava afastado das decisões políticas, ao mesmo tempo em que o movimento republicano ganhava forças.

Obras de requalificação do Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima são iniciadas


Intervenções garantem mais segurança e acessibilidade arquitetônica ao público

 

Toda a cena artístico-cultural do território do Sudoeste Baiano está em comemoração. No dia 7 de novembro, o Governo do Estado iniciou as obras de serviços de reforma do Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima – espaço cultural administrado pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (SecultBA) na cidade de Vitória da Conquista.

Com um investimento superior a R$ 1 milhão, a reforma segue o Projeto de Segurança, Combate a Incêndio, Pânico e Acessibilidade, o que significa que o Centro de Cultura poderá receber artistas, parceiros e público com maior segurança e conforto, além de possibilitar arquitetonicamente o acesso autônomo de pessoas com deficiência em suas dependências.

Além disso, estão previstas pintura, recuperação do piso, reforma da cobertura e do forro, como também melhorias na caixa cênica e a implantação de paisagismo, o que permitirá uma melhor integração entre o espaço cultural e a paisagem local. O espaço contará ainda com novos equipamentos, como: poltronas para a sala principal, mobiliário para o foyer, equipamentos de iluminação e vestimentas cênicas. A reabertura está prevista para acontecer já no primeiro quadrimestre de 2018.

O superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura Sandro Magalhães ressalta todo o esforço empregado para a concretização desse projeto. “É com orgulho que muito em breve devolveremos esse importante equipamento cultural para o público e a comunidade artística do Sudoeste Baiano. Trabalhamos bastante para oferecer um espaço que seja local das expressões artísticas e culturais desse território”.

Rui inaugura Policlínica Regional do Extremo Sul e agradece parceria com prefeitos


“Estou arrepiado aqui. É muita emoção. Hoje é a concretização de dois anos e dez meses de trabalho. Desde o começo, de reunir prefeitos, lideranças, explicamos o modelo das policlínicas e a importância da saúde regionalizada, formar os consórcios e começar a construção. Ver tudo pronto para funcionar já na segunda-feira [dia 20], atendendo as pessoas e salvando vidas é emocionante. Obrigado!”, agradeceu o governador Rui Costa, nesta sexta-feira (17), durante evento de inauguração da Policlínica Regional localizada em Teixeira de Freitas, que atenderá municípios de toda a região do extremo sul.

A inauguração conta com a presença de diversas autoridades, como deputados, secretários de Estado e prefeitos das cidades que fazem parte do consórcio de saúde na região.

Cerca de 460 mil moradores de 13 cidades do extremo sul terão acesso aos atendimentos prestados pela policlínica. Até o final do ano, outras três serão entregues aos municípios consorciados das regiões de Guanambi, Irecê e Jequié.

Teixeira de Freitas é um município brasileiro do estado da Bahia. Localiza-se no extremo sul do estado, distante 800 km da capital.[10] Sua população estimada em 2017 é de 161 690 habitantes,[4] sendo a maior cidade da sua microrregião e a décima do estado.[11] O município possui área territorial de 1 165,6 km²[12], elevação de 109 m[13] e temperatura média anual de 24,3 °C.[14]

A cidade foi fundada no ano de 1985, desmembrando-se dos municípios de Alcobaça e Caravelas.[15] Embora seja mais nova que os municípios vizinhos, Teixeira de Freitas consolidou-se como a principal cidade da região.[16] A população do município se expande a uma taxa 2,4 vezes maior que a Bahia e 1,6 maior que o Brasil, tendo aumentado 87% do seu número de habitantes nos últimos 25 anos.[17]

Ministro do TSE é denunciado por lesão corporal contra a esposa


Élida Souza Matos, esposa de Admar Gonzaga, procurou a polícia do DF no fim de junho com um olho roxo

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga. Ele é acusado de agredir a esposa em junho deste ano. O ministro Celso de Mello, relator da ação no Supremo tinha pedido que a PGR manifestasse se havia interesse em dar prosseguimento ao caso ou não.

<< Celso de Mello tira sigilo de queixa de agressão contra Admar e pede manifestação da PGR

A denúncia por lesão corporal foi apresentada por Dodge ontem (terça, 14). O caso corre no STF porque Admar tem foro privilegiado por ser ministro do TSE.

Élida Souza Matos procurou a 1ª Delegacia de Polícia do Distrito Federal no dia 23 de junho com um olho roxo para registrar um boletim de ocorrência pela agressão. Ela passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) à época. Em outro depoimento no mesmo dia, Élida voltou atrás nas acusações, mas o inquérito continuou. De acordo com o Art. 16 da Lei Maria da Penha, “(…) só será admitida a renúncia à representação perante o juiz, em audiência especialmente designada com tal finalidade, antes do recebimento da denúncia e ouvido o Ministério Público.” A Lei Maria da Penha tem esse dispositivo para averiguar a espontaneidade da retratação.

Erica Matos, filha de Élida e enteada do ministro afirmou que ouviu Admar xingar a mãe de “puta”, “vagabunda” e “escrota” durante a briga. Ela também disse que o ministro nunca permitiu que sua mãe estudasse e usava seu cargo para subjugá-la. Admar negou as acusações, que classificou como uma “reação exagerada” de Erica ao ver a mãe machucada.

Admar atribuiu a briga a uma crise de ciúmes de Élida, afirmando ainda que ela escorregou no enxaguante bucal que caiu no chão do banheiro e bateu o rosto na banheira. Ele anexou à sua defesa no caso fotos de arranhões supostamente provocados por Élida e admitiu que a empurrou, mas afirmou que o fez para se defender da esposa.