Vitória da Conquista é a cidade mais transparente em Gestão Pública no Nordeste


Ranking avaliou todos os municípios com mais de 50 mil habitantes, incluindo capitais. Estados e do Distrito Federal também foram analisados.

Vitória da Conquista acaba de se tornar destaque nacional em termos de transparência na gestão pública. De acordo com a Escala Brasil Transparente (EBT) – Avaliação 360°, divulgada nessa quarta-feira (12), a cidade ocupa a primeira colocação em todo o Nordeste. No ranking nacional, a Suíça Baiana está em quarto lugar.

O estudo foi elaborado pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), com a proposta de avaliar o grau de cumprimento de dispositivos da Lei de Acesso à Informação (LAI) e de outros normativos sobre transparência. Considerando os resultados do IBGE no último ano, a pesquisa avaliou os Estados, o Distrito Federal e os municípios com mais de 50 mil habitantes, incluindo as capitais.

Desde 2007, a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista tem tratado a transparência na gestão pública como uma prioridade. Em seu portal online (www.pmvc.ba.gov.br), estão disponíveis informações sobre receitas e despesas, licitações e contratos, estrutura administrativa, obras públicas, lista de servidores, dentre outros. Tudo isso foi avaliado pelo estudo.

Para o prefeito Herzem Pereira, seguir a legalidade e dar ao cidadão ferramentas de acompanhamento e controle da gestão pública são um compromisso de governo. “Eu tenho falado sempre que estamos projetando uma Cidade para o Futuro e uma Cidade para Pessoas. Esse é um dos primeiros resultados de que estamos no caminho certo, modernizando e inovando nas ferramentas de acesso as informações públicas, como também produzindo soluções acertadas para gerar o desenvolvimento sem jamais ferir a lei”, diz.

De acordo com o secretário da Transparência e do Controle, Diêgo Gomes, esse é um grande reconhecimento pelo trabalho e empenho de toda a equipe da Secretaria nos últimos dois anos. “Buscamos atender o que está na legislação federal e municipal. Importante ressaltar ainda que, em 2017, o prefeito Herzem Gusmão regulamentou a lei do município, mostrando seu compromisso com a transparência dos atos realizados pela gestão”, afirma.

Confira o ranking completo da Escala Brasil Transparente.

http://transparencia.gov.br/brasiltransparente?ordenarPor=posicao&direcao=asc

http://www.pmvc.ba.gov.br/conquista-e-a-cidade-mais-transparente-em-gestao-publica-no-nordeste/

UNEB reconhece 25 diplomas de universidades estrangeiras: 14 doutores e 11 mestres


A UNEB aprovou 25 pedidos de reconhecimento de diplomas expedidos por instituições estrangeiras de ensino superior.

Foram reconhecidos 14 títulos de doutor e 11 de mestre emitidos por universidades do Canadá, Portugal, Chile e Paraguai (veja gráfico anexo).

Esse resultado consistente da UNEB foi possível a partir de medidas que institucionalizaram os processos de reconhecimento de diplomas emitidos no exterior, regulamentando os procedimentos no âmbito da universidade, de acordo com normas recentes do Conselho Nacional de Educação (CNE) e do Ministério da Educação (MEC).

“A institucionalização dos processos de reconhecimento de diplomas asseguram maior celeridade, impessoalidade e equanimidade para todos os pedidos que recebemos”, afirma o reitor da UNEB, José Bites.

A pró-reitora de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG), Tânia Hetkowski, destaca que a procura pelo reconhecimento da nossa universidade vem crescendo. “Portadores de diplomas expedidos na Itália, Espanha e Estados Unidos, por exemplo, entraram em contato para obter informações sobre a tramitação e reconhecimento de seus títulos”.

Chanceler de Bolsonaro diz que maduro não será convidado para posse


O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou neste domingo (16), em sua conta no Twitter, que o presidente venezuelano Nicolás Maduro não foi convidado para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no dia 1º de janeiro; a atitude pode antecipar um rompimento de relações diplomáticas, já que é uma demonstração de hostilidade. Os termos da comunicação de Araújo no Twitter são ofensivos e uma provocação

 O futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, afirmou neste domingo (16), em sua conta no Twitter, que o presidente venezuelano Nicolás Maduro não foi convidado para a posse do presidente eleito, Jair Bolsonaro, no dia 1º de janeiro.

A atitude pode antecipar um rompimento de relações diplomáticas, já que é uma demonstração de hostilidade. Os termos da comunicação de Araújo no Twitter são ofensivos e uma provocação.

“Em respeito ao povo venezuelano, não convidamos Nicolás Maduro para a posse do PR Bolsonaro. Não há lugar para Maduro numa celebração da democracia e do triunfo da vontade popular brasileira. Todos os países do mundo devem deixar de apoiá-lo e unir-se para libertar a Venezuela”, escreveu em um post na rede social.

Bolsonaro e Araújo já criticaram o governo do presidente Maduro em outras ocasiões, mas disseram que o Brasil vai continuar a acolher os venezuelanos que entrarem no país.

Sidney comemora avanço na legislação contra violência animal


Imagem Sidney comemora avanço na legislação contra violência animal

Durante a sessão ordinária da Câmara Municipal de Vitória da Conquista (CMVC), na manhã desta sexta-feira, 14, o vereador Sidney Oliveira (PRB) comemorou que o Senado Federal tenha uma lei que busca assegurar o direito dos animais, resguardando-os da violência. Foi aprovado por aquela Casa o Projeto de Lei Nº 470/2018, que amplia a pena para maus-tratos a animais. A matéria vai à Câmara Federal para ser apreciado pelos deputados federais e, uma vez aprovado, será encaminhado para a sanção presidencial.

Sidney destacou que o PL de sua autoria aprovado na Câmara Municipal determina que todo o valor arrecadado com as multas seja canalizado para a castração de animais, serviço que atualmente é realizado pelo Serviço de Controle de Zoonoses do município. “Quando a gente fala dos animais estamos falando de saúde pública”, ressaltou o parlamentar.

5ª Cãominhada – O vereador convidou a todos para participar da 5ª edição da Cãominhada, no próximo domingo, 16, a partir das 9 horas. O evento contará com diversas atrações, como o desfile de cães da Caesg, feira de adoção de animais, pintura facial para crianças, distribuição de brindes e sorteios, além da distribuição gratuita de água e animais para os animais que vão participar da ‘Cãominhada’ e algodão doce, pirulito e pipoca aos participantes.

Prefeitura transparente – Sidney Oliveira parabenizou a Prefeitura Municipal por ter sido classificada como a mais transparente do Nordeste, por estudo elaborado pelo Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União (CGU), com a proposta de avaliar o grau de cumprimento de dispositivos da Lei de Acesso à Informação (LAI) e de outros normativos sobre transparência.

 

 

Professor Cori destaca moções de aplausos: evidenciam trabalhos e profissionais diferenciados


Imagem Professor Cori destaca moções de aplausos: evidenciam trabalhos e profissionais diferenciados

Na sessão ordinária dessa sexta, 14, o vereador Professor Cori (PT) destacou as moções de aplausos concedidas ao professor, advogado e historiador Ruy Medeiros. “Uma história construída com letra maiúscula”, afirmou Cori sobre a trajetória de Ruy. O parlamentar frisou que Medeiros vem contribuindo em diversas áreas para o desenvolvimento do município. Ele também lembrou da homenagem ao Centro Juvenil de Ciência e Cultura de Vitória da Conquista (CJCC), por vencer o Prêmio Nacional de Educação Criativa e Inovadora, na categoria Ensino Médio.
Professor Cori explicou que o CJCC mescla educação e tecnologia e vem alcançando excelentes resultados. O edil propôs à Casa uma visita à escola, uma forma de ver de perto a evolução da educação pública. Em sua fala, Cori frisou o trabalho da professora Elmara Souza, responsável pelo projeto campeão.
O parlamentar ainda defendeu a instalação de uma escola de ensino fundamental I e II no bairro Morada dos Pássaros. Ele lembrou que é uma bandeira também da liderança Zé da Paz. Para Cori, é preciso também ampliar o diálogo com o Estado sobre um projeto de escola de ensino médio para aquela região.

 

Waldenor e Zé Raimundo reúnem lideranças de mais de 30 de municípios em plenária


Os deputados Waldenor Pereira (federal) e Zé Raimundo (estadual) reuniram lideranças de mais de 30 municípios da região Sudoeste, Serra Geral, Bacia do Paramirim, Médio São Francisco e Chapada Diamantina na manhã de hoje (15), no Rotary Clube de Vitória da Conquista.

O evento contou com a participação dos secretários estaduais Jerônimo Teixeira, de Desenvolvimento Rural e Geraldo Reis, de Meio Ambiente, do presidente do Partido dos Trabalhadores de Vitória da Conquista, Rudival Maturano, do reitor da Universidade Estadual do Sudoeste, professor Luiz Otávio, além de prefeitos, vice-prefeitos, vereadores e vereadoras e outras lideranças políticas e comunitárias.

A plenária foi um momento para traçar planos para o ano de 2019, ouvir as lideranças, fazer um balanço das ações em 2018 e ainda de agradecimento pela vitória expressiva dos parlamentares em suas respectivas reeleições.

MPB


Dirlêi Bonfim

O Compositor Dirlêi Andrade Bonfim, inicia seus passos na Música, a partir de 1983, como autodidata, teve como professor inicialmente, um colega de trabalho, que lhe ensinou os primeiros acordes, depois, partir aprender as Cifras Musicais, mas, como estudioso da Literatura e admirador da Palavra Poética, especialmente das Letras, de grandes compositores, tais como, Caetano, Gil, Chico, Tom Jobim, Tom Zé, Alceu, Geraldo Azevedo, Elomar Figueira, Dori Caymmi e Paulo Cesar Pinheiro, João Bosco e Aldir Blanc, Milton Nascimento e Fernando Brant, Lenine, Chico Cesar, Ivan Lins e Vitor Martins, Toquinho e Vinícius, Vila-Lobos, entre outros Mestres da MPB, aos poucos foi desenvolvendo uma forma e um jeito peculiar de tocar e compor as suas canções… Já fazendo parte de Grupo Musical Natureza, ao lado de outros estudantes Universitários, idos de (1985),na UESB, com os parceiros, Pedro Audi, Robério Farias, começa um trabalho de composição, canções autorais para participar das Violadas e Saraus, bem como dos Festivais de MPB, que aconteciam em Vitória da Conquista e região, Vale do Jequitinhonha. Engajado no Movimento Artístico e Cultural de Vitória da Conquista,  participa efetivamente da fundação do MAC – Movimento Artístico e Cultural de Vitória da Conquista (1986), ainda através dos Saraus e Violadas, surgem as parcerias, com outros tantos nomes da MPB em Vitória da Conquista, como Carlos Moreno, Chico Luz,  Edilson Dhio, Flavito Guerra, Robério Farias, Pedro Audi, Paulinho do Bandolim, Dinho Oliveira, Lima Júnior, Luis Dillah,  Marcísio Bahia, Evandro Correia, Gutemberg Vieira, Lúcio Ferraz, Paulo Macedo e Papalo Monteiro.  Em (1988), vai estudar música clássica, no Conservatório Frédéric Chopin, com o Maestro Clériston Cavalcante (Keké), realiza um grande espetáculo no Auditório da UESB, com a participação de grandes músicos, como João Omar, Clériston Cavalcante e Iran, em seguida esse espetáculo vai para apresentação no Teatro do Centro de Cultura, Show Jardins do Canitar… Com canções autorais, poemas, crônicas e versos. Em 1990, em parceria com o parceiro compositor Chico Luz, lidera através do MAC Movimento Artístico e Cultural de Vitória da Conquista um Grupo de Artistas, que apresentam um Projeto Cultural para a Coordenação de Cultura do Município que é transformado no Disco Coletânea Troféu Conquistense de Música, onde grava uma faixa, Recado ao Amor(Dirlêi Bonfim/Lane Bonfim), continua a desenvolver a pesquisa na área cultural, sempre compondo, escrevendo e participante como Ativista Cultural na cena cultural do município de Vitória da Conquista. Além do MAC, participa da ACL-Academia Conquistense de Letras e da Casa da Cultura de V/Conquista.

Alquimia das Palavras

Alquimia  como  uma prática secular que combina elementos físico-químicos, transformação, transmutação, conversão, reforma, metamorfose, redução, transmudação, mutação, compreensão…

Os elementais, o fogo, o ar, a terra e a água (…) combinando harmonias naturais em busca da Pedra Filosofal…

O que me levou a construção  de Alquimia das Palavras e Da Poesia Encantada, Livro e Disco, a inquietação natural dos poetas, de versar contra as injustiças sociais e humanas, além da necessidade de me posicionar acerca desse cotidiano maluco, político, econômico e social, e que nos remete a Alquimia Poética na busca da pedra literária filosofal que está em: Campo Branco de Elomar, Matança de (Jatobá) na interpretação de (Xangai), Segredos Vegetais de Décio Marques, Retiros Espirituais de Gilberto Gil,  Terra de Caetano Veloso, ou Nave terra de Rita-Lee, ou Wave de Tom Jobim, ou o Trenzinho Caipira de Vila-Lobos Ou ainda o Pau de Atiradeira de (Papalo Monteiro), ou ainda Pai Chão de Edilson Dhio e Lima Júnior, ou Gema de Evandro Correia, Ou quem sabe as histórias de Zé Buticão de Rubens Sampaio, ou o Animal Político de Luis Rogério, ou no Canto de Elton Becker, com os solos de Cello de João Omar, ou ainda no Senhor Cidadão de Tom Zé, ou no Clube da Esquina de Milton… Ou ainda singeleza dos versos de Carlos Drummond de Andrade, ou ainda Mário Quintana, ou Fernando Pessoa, Quem sabe, Ferreira Gullar, Vinícius de  Moraes, ou ainda Camões e Maiakovski ou Carolina Maria de Jesus, Cora Coralina, Cecília Meireles ou Clarice Lispector, ou ainda, Machado e Castro Alves, Jorge Amado e João Ubaldo.

Ou seja, cada um de nós, estamos buscando e construindo, cada um a seu jeito a nossa Pedra Filosofal, ou seja, a sua pequena contribuição as Ciências, as Artes, a Filosofia… enfim… No meu caso, o Livro combina elementos e gêneros Literários, poéticos e filosóficos.

O que são os Ensaios Filosóficos e Sociológicos e a Poesia que ora se apresenta nos textos do Livro, ora se apresenta nas Canções do Disco.

O gosto pela Literatura e Poesia e Prosa, devo a minha mãe Dona  Elizete Andrade Bonfim (in memória), Professora, que era uma Leitora contumaz …!!!  Motivadora e incentivadora da Leitura e da Educação, das Artes e Cultura …!!!

Professores da UESB na comissão de criação do Geoparque da Serra do Sincorá


Aula de campo com alunos do curso de Geografia no Rio Piabina, em Mucugê Foto: Eduardo Bernardes

A partir de um conceito novo, o geoparque é a estrutura turística baseada no patrimônio geológico de uma localidade, voltada para a preservação e desenvolvimento sustentável, considerando ainda as vertentes educativa e de pertencimento da comunidade que ali reside. Sob tutela da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), atualmente, existem cerca de 100 geoparques em todo o mundo. O Brasil conta apenas com o Geoparque da Chapada do Araripe, localizada entre os estados do Ceará, Piauí e Pernambuco.

Diversas instituições do país têm apresentado propostas para a implantação de geoparques em outras localidades, como é o caso do Geoparque Serra do Sincorá, na região da Chapada Diamantina, que corresponde aos municípios de Lençóis, Palmeiras, Andaraí e Mucugê. Nesse sentido, os professores Eduardo Bernardes, do Departamento de Ciências Naturais (DCN), e Luciano Leal, do Departamento de Ciências Biológicas (DCB), estão participando da Comissão de Criação desse geoparque, que conta também com representantes de outras universidades da Bahia e de membros do poder público local.

Atuação da Companhia Independente de Policiamento Especializado baseada em Conquista é alvo de honraria na Câmara


O trabalho desenvolvido pela Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) do Sudoeste, recebeu homenagem da Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista. Na sessão desta sexta-feira (14) o comandante da unidade da PM baseada no município, major Édson Ramos Mascarenhas Júnior, recebeu a Moção de Aplauso indicada pelo vereadores Cícero Custódio (PSL) e aprovada por unanimidade. A moção elogia a atuação da companhia nos 14 anos de serviços prestados ao município e região.

Ao agradecer a honraria e o major Mascarenhas frisou que a recebia como um reconhecimento de toda a população. “De todas as moções de aplausos já recebidas pela CAESG [Cipe] e ou por seus integrantes, entendo que a desta Casa deva ter um sabor especial, porque Vitória da Conquista é o berço da unidade”, disse o comandante ao referir-se ao fato de que a base de Conquista atende outros 62 municípios.

Mascarenhas afirmou que a Cipe é composta de bravos homens e mulheres que defendem a sociedade, mesmo arriscando a própria vida. Ele ainda destacou a contribuição de quem passou pela Companhia. “Agradeço assim, a todos os componentes da unidade em todos estes 14 anos, desde o mais antigo combatente ao mais moderno”, disse./blogdegiorlandolima

 

 

Geraldo Vandré: o último show, no dia do AI-5, e a volta silenciosa


Documentos comprovam que artista foi levado ao Dops no mesmo dia em que voltou ao Brasil, em 1973, quatro anos depois de sair do país. Ele declarou que nunca teve filiação e sentia saudade da pátria
REPRODUÇÃO/MPB AS MELHORES – YOUTUBE

Geraldo Vandré

SNI alertou para os aplausos de 30 mil pessoas no Maracanãzinho: risco de “politização e conscientização”

Em 5 de setembro de 1969, a Comissão de Investigação Sumária do Exército (Cisex) aprovou parecer que pedia suspensão dos direitos políticos por 10 anos e demissão do emprego público do servidor Geraldo Pedrosa de Araújo Dias, mais conhecido como Geraldo Vandré, “em virtude de suas atividades nocivas aos princípios moralizadores consagrados pela Revolução de 1964”.

O parecer foi sucintamente aprovado pelo ministro do Exército, Lyra Tavares, que o remeteu ao Ministério da Justiça. Seria mais um funcionário público exonerado depois do Ato Institucional número 5, editado em 13 de dezembro de 1968, abrindo a fase mais dura do regime.

Coincidentemente, nesse mesmo dia Vandré e seu grupo, o Quarteto Livre, faziam em Anápolis (GO) aquele que seria o último show do cantor como artista profissional no Brasil. A apresentação marcada para o dia 14, no Iate Clube de Brasília, não aconteceu. O quarteto era formado simplesmente por Franklin da Flauta, Geraldo Azevedo, Naná Vasconcelos e Nelson Ângelo.

Uma pesquisa no Arquivo Nacional mostra, além da decisão do Cisex, que o misterioso retorno de Geraldo Vandré ao Brasil incluiu um interrogatório no exato dia em que ele tornou a pôr os pés em sua pátria, 16 de julho de 1973. Durante muito tempo, acreditou-se que ele havia voltado em agosto, por causa de uma entrevista exibida pela TV Globo no Jornal Nacional, mostrando o artista como se ele tivesse acabado de desembarcar. Uma entrevista “montada”, com a presença de agentes policiais.

Vandré havia deixado o Brasil durante o carnaval de 1969, depois de um tempo escondido. Seu crime? Compor e cantar Pra não Dizer que não Falei das Flores (Caminhando), consagrada em setembro do ano anterior no Festival Internacional da Canção (FIC), da Globo.

Uma composição cuja letra “é injuriosa às Forças Armadas”, segundo exposição de motivos do Conselho de Segurança Nacional, em documento assinado pelo secretário-geral do órgão, o general João Baptista de Oliveira Figueiredo, que em 1979 se tornaria o último presidente da ditadura civil-militar brasileira.

REPRODUÇÃO/ARTE RBAmemórias
Trechos de documento do SNI sobre declarações de Vandré ao Dops, em 1973: saída do Brasil foi por carro para o Uruguai

Insegurança

Naquele 16 de julho de 1973, uma segunda-feira, vindo do Chile, um abatido Vandré mal chegou ao Galeão, no Rio de Janeiro, e já foi interpelado por agentes. Por tempos, especulou-se para onde teria sido levado.

Conforme arquivo confidencial do Serviço Nacional de Informações (SNI), o destino foi o Dops do Rio, na sede da Coordenação Regional Policial do Departamento de Polícia Federal da Guanabara, na Praça Marechal Âncora, vizinha à Praça XV, centro da capital. Ali também funcionou um centro de tortura, mas não há qualquer registro ou evidência de que Vandré tenha sofrido violência física.

No início do termo de declaração ao Dops, Geraldo Vandré informa que deixou o país “possivelmente no mês de março” pela fronteira com o Uruguai, de automóvel, medida tomada “em face da insegurança existente no País contra a sua pessoa, uma vez que admitiam estar o declarante envolvido em política partidária, quando, na verdade, isso não ocorria”.

Do Uruguai, ele foi para o Chile, onde permaneceu durante seis meses, rumando posteriormente para a Europa – também fez viagens à Argélia e aos Estados Unidos.

Vandré afirma aos policiais que em todos os países em que esteve “nunca fez qualquer comentário desairoso contra as autoridades governamentais do País, limitando-se, unicamente, ao exercício da sua profissão”. Ele “sempre alimentou a esperança de retornar ao Brasil, isto porque, a nostalgia e a tristeza da falta de seus familiares, amigos e do convívio geral faziam com que o declarante sempre pensasse em retornar e, esse estado de ânimo ocasionou um descontrôlo nervoso no declarante”. Na embaixada brasileira no Chile, foi informado que seu visto de retorno era negado.

A tristeza causada pela distância forçada de sua pátria o fez adoecer. Um outro documento sigiloso do SNI mostra que a mãe do cantor, dona Maria Martha, esteve na agência do órgão no Rio em dezembro de 1972 para informar que seu filho estava adoentado, com depressão, e em tratamento no Chile.

Vitória da Conquista: O Progresso existe porque tem um começo, um meio e um fim: não há geração espontânea


 

Paulo Nunes, aluno do Ginásio de Conquista, orgulho do escudo do emblemático colégio da cidade

1973 – Após a cassação do prefeito José Pedral em 1964, finalmente a esquerda volta ao poder político administrativo do município de Vitória da Conquista. As reformas de base iniciadas em 1963 foram atrasadas pela cassação, mas entre 1964 e 1973. Os governos da direita também realizam algo em benefício do município. Afinal, não se pode acusar de descalabro os prefeitos Orlando Leite, Fernando Spínola e Nilton Gonçalves, figuras ilustres, trabalhadoras e preocupadas com o progresso do município. Dentro das possibilidades que dispunham na época, realizaram a construção do centro comercial varejista da Praça da Bandeira, da estação rodoviária municipal, do Centro Integrado Navarro de Brito, entre outras. A subseqüente posse de Jadiel Matos como prefeito, o encaminhamento de Elquisson Soares para a Assembléia Legislativa e de Antônio José Nascimento para a Câmara Federal, assim como a aproximação do governo municipal com o Partidão, favorecia o município nas conquistas de verbas federais, mesmo no governo militar. Com a maioria esmagadora de vereadores apoiando a administração, aliada à competência do secretariado jovem (representado entre outros por Sebastião Castro, Sahid Suffi e Fernando Eleodoro), foi possível estabelecer um grande projeto de crescimento social, econômico e político da comuna conquistense. O município avança na educação com a construção de várias escolas na Zona Rural e implantação de cursos de aperfeiçoamento para professores leigos. Avança na saúde com a aquisição de unidades móveis de saúde para que médicos e dentistas pudessem atender a população nos 11 distritos e nos 280 povoados. Um grande programa de pavimentação beneficia os bairros periféricos Alto Maron, Cruzeiro, Guarani, Jurema. Tem início o sistema de esgotamento sanitário e a implantação da EMBASA, que levaria água tratada para toda a cidade. É inaugurado o primeiro jornal diário no município: Tribuna do Café.

1977– Raul Ferraz dá continuidade ao governo progressista de Vitória da Conquista. A cafeicultura já se consolida e a construção civil dispara. São edificados os conjuntos habitacionais para abrigar as pessoas de pouca renda, surgem as URBIS II, III, IV e V, promove-se o asfaltamento de ruas a partir da aquisição da usina de asfalto de propriedade da Empresa Municipal de Urbanização de Conquista – EMURC – criada para dar maior celeridade ao crescimento vertiginoso da cidade. Neste embalo, Raul inova e duplica a Av. Bartolomeu de Gusmão e começa o sistema de macro-drenagem da Av. Rosa Cruz. São implantados no município o Hospital SAMUR, o hospital UNIMEC e o hospital CUPE. Na infra-estrutura constrói-se o braço oeste do Anel Rodoviário ligando a cidade ao município de Brumado, o viaduto do Guarani abre mais uma via de ligação leste-oeste, constrói-se a estrada Conquista- Brumado e Conquista-Barra do Choça. Vitória da Conquista ganha, ainda, o melhor ginásio de esportes do interior baiano.

1983 – Prossegue o governo de esquerda com o retorno de José Pedral à prefeitura, após vinte anos de direitos políticos cassados. O crescimento do município alcança um sucesso extraordinário. O esgotamento sanitário chega a 40% da cidade, há uma maior oferta de água com a construção da barragem de Água Fria II, são implantadas indústrias no distrito industrial do Imborés, o comércio se expande e começa a pavimentação dos bairros Brasil e Ibirapuera. Acentua-se a melhoria de renda dos pequenos comerciantes das feiras livres, alguns dos quais são hoje grandes comerciantes milionários. Chega então o Centro Comercial Varejista de Alimentos – CEASA – o maior do interior da Bahia e começam as construções das feiras da Patagônia e do Alto Maron, além da ampliação da feira do bairro Brasil. Inaugura-se a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, reconstrói-se a Praça da República (hoje Tancredo Neves), implantam-se as Rádios Clube FM e Rádio Bandeirantes AM e FM, além do Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima e do Teatro Carlos Geová. É erguido o Cristo de Mário cravo Júnior. Nesta época o governo municipal tem apoio político de Coriolano Sales e de Sebastião Castro na Assembléia Legislativa, e de Elquisson Soares e Raul Ferraz na Câmara Federal.

1986 – a cidade que mais cresce no interior da Bahia lança a candidatura vitoriosa de Waldir Pires ao Governo do Estado. Pedral e Waldir, em 1962, eram grandes defensores das “reformas de base” e trazem a mesma linha de pensamento. A expansão urbana continua, há expansão da rede de eletrificação urbana e rural, todos os distritos têm suas estradas vicinais alargadas, o estádio Lomanto Júnior recebe iluminação, a telefonia também se expande. Surge a URBIS VI e também as Vilas Serranas I, II, III, IV, V e VI.

1989 – Murilo Mármore assume o governo e continua o trabalho de expansão urbana com a construção de canais de macro-drenagem no sentido norte-sul. Assiste-se à construção do Mercado coberto das Feiras do Bairro Brasil, Alto Maron e Patagônia. Murilo começa por conta e risco o esgotamento sanitário no Ibirapuera e parte da Patagônia. São construídas as praças Marechal Rondon, Mármore Neto e é entregue à população a biblioteca municipal José de Sá Nunes. Também é implantado o CEFET – Centro Federal de Educação Tecnológica. A cidade tem o apoio do Parlamento estadual através de Leônidas Cardoso, Coriolano Sales, Sebastião Castro, e da Câmara Federal por intermédio de Raul Ferraz.. Ainda na melhoria urbana é construído o canal de macro-drenagem Oeste-Leste, ali no Jurema. Inicia-se o asfaltamento dos bairros Cruzeiro, Alto Maron, complementação do Candeias, Avenida Rosa Cruz, abertura de mais uma via na Rio Bahia ligando a Av. Bartolomeu de Gusmão à Estação Rodoviária, implantação definitiva do terminal rodoviário da Lauro de Freitas com cobertura nos pontos de espera, várias escolas municipais são construídas (notadamente as escolas Lícia Pedral, Lizete Mármore e Ita David de Castro). É inaugurada na cidade mais uma emissora de Rádio, a Rádio 100,1, (hoje Transamérica), a TV Sudoeste e a TV Cabrália. Jornais: Impacto, Radar, Hoje, Tribuna de Conquista, Opinião. E, coroando a administração, Murilo Mármore e Clóvis Flores entregam ao município o Hospital Esaú Matos, localizado na Patagônia.

1993 – Pela terceira vez aclamado pela população, Pedral traz várias conquistas em seu governo. Implanta o hospital regional de Vitória da Conquista e várias clínicas particulares se expandem (SONNAR, IBR, Policlínica Vida, URO, AMIC). Chega também a FTC, ainda com nome de UNYANA, conseqüência de um trabalho orquestrado pelo deputado Coriolano Sales. A cidade se expande com os bairros Senhorinha Cairo, Miro Cairo, Henriqueta Prates e Bruno Bacelar. É construído o Anel Viário Central, melhorando sensivelmente o trânsito no centro da cidade, com intervenções que transformaram as avenidas Crescêncio Silveira e João Pessoa, as Praças Sá Barreto e Barão do Rio Branco, a rua do Gancho e a Fernando Spínola. Todas as agências bancárias fazem reformas e expansões, colégios de primeiro e segundo graus têm vagas suficientes para a população, mais de 45 mil alunos são matriculados, há transporte gratuito para professores e alunos da Zona Rural e chega água tratada ao distrito de José Gonçalves. O comércio emprega oito mil pessoas. Inicia-se a construção da Av. Luís Eduardo Magalhães (inicialmente Av. Contorno), hoje importante corredor, e é construída a estrada Vitória da Conquista – Encruzilhada. Foi este governo de 1993 a 1997 o único alinhado com estado e federação, já que em 1988 havia o alinhamento com Waldir Pires, mas não com Sarney. Infelizmente acabou mal. É fundado o segundo jornal diário na cidade, exatamente 20 anos depois do Tribuna do Café. Nasceu o Diário do Sudoeste.

Em defesa de pleitos de Palmas de Monte Alto


Zé Raimundo e a vereadora Adanúsia defendem pleitos de Palmas de Monte Alto em órgãos estaduais

Comitiva da vereadora Adanúsia Araújo esteve em Salvador, nesta quarta-feira, 12, acompanhando andamento dos pleitos encaminhados através dos mandatos dos deputados Zé Raimundo (estadual) e Waldenor Pereira (federal). São solicitações de ligação de luz elétrica e perfuração de poços artesianos em comunidades rurais e Palmas de Monte Alto.
Integrando o grupo, a presidente da Associação dos Pequenos Produtores da Fazenda Pedro, Iracema e Vizinhança, Simone Malheiros da Silva, pediu atualização da demanda de ligação de luz elétrica para atender a mais de 60 famílias. Na oportunidade, o deputado Zé Raimundo reforçou o pedido junto à Superintendência de Energia da Secretaria Estadual de Infra-Estrutura (Luz Para Todos /Seinfra).
Na Companhia de Engenharia Ambiental (CERB), a vereadora buscou informações sobre o andamento dos pleitos apresentados para abertura de poços artesianos nas comunidades de Café Sem Troco, Riacho do Cambuí, Quebra Serra e Vaquetas.

A agenda da vereadora de visitas aos órgãos estaduais incluiu ainda a Secretaria de Agricultura. Ela esteve acompanhada também de Almir de Almeida e Raimundo Nunes. Tendo articulado e acompanhado parte da agenda, o deputado Zé Raimundo manifestou a satisfação de apoiar os pleitos da edil. “Além de defender as reivindicações das comunidades, queremos fortalecer as lideranças e as práticas que contribuam para o combate às desigualdades e promovam a justiça social em Palmas de Monte Alto”, destacou.