Folclore Político

Opinião

Informativo

14 conquistenses estão na UTI, 328 morreram de COVID, mas você não se importa


Até esta sexta-feira (5), o município contabilizou 20.688 casos de pessoas infectadas pela Covid-19, de acordo com a atualização do boletim epidemiológico diário. Destas, 19.771 estão recuperadas e 589 seguem em recuperação – 46 estão internados em Vitória da Conquista; seis, em outros municípios; e 537 em tratamento domiciliar.

Outros 3.337 casos notificados por suspeita de infecção pela Covid aguardam classificação final por investigação clínico-epidemiológico e/ou laboratorial. Além disso, 14.995 casos foram descartados para a doença.

Hoje, a Secretaria Municipal de Saúde, divulgou os falecimentos de quatro moradores do município por complicações em decorrência da Covid-19.

325º óbito – Mulher de 67 anos, moradora do bairro Santa Cruz, portadora de Hipertensão, Doença Cardiovascular e com histórico de AVC. Estava internada desde o dia 22 de fevereiro no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 4 de março.

326º óbito – Homem de 51 anos, morador do bairro Guarani, portador de Hipertensão e Diabetes Melito. Desde o dia 14 de fevereiro estava internado no Hospital São Vicente, onde faleceu em 4 de março.

327º óbito – Homem de 74 anos, morador do bairro Brasil, sem comorbidades relatadas. Estava internado desde o dia 22 de fevereiro no IBR Hospital, onde faleceu em 5 de março.

328º óbito – Homem de 81 anos, morador do bairro Lagoa da Flores, portador de Hipertensão e Doença Renal Crônica. Estava internado desde o dia 9 de fevereiro no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 5 de março.

Ocupação de Leitos – Neste momento, 90 pacientes estão internados em parte dos 148 leitos disponíveis (78 enfermarias e 70 leitos de UTI) na rede SUS para tratamento de pacientes confirmados ou com suspeita de infecção pelo novo Coronavírus. Além de moradores de Vitória da Conquista, também estão internados residentes em outros  municípios:

Nasce no Sertão da Conquista o maior museu contemporâneo do Norte e Nordeste


Entre a transição da caatinga com a mata de cipó, em direção ao oeste e à Chapada Diamantina, na BA-262, num portal de entrada e saída para várias partes do Brasil, ergue no ameno clima de Vitória da Conquista, numa área de aproximadamente meio milhão de metros quadrados, o maior museu contemporâneo do Nordeste. Quem passa pela via sertaneja, num percurso de 1,6 quilômetros, logo se depara com os 366 guardiões do tempo, e muitos são logo atraídos a visitar seus encantadores monumentos a céu aberto.
Trata-se do Museu Kard, com suas imponentes obras metafóricas e até mesmo mitológicas que falam da vida, de poesia, de sonhos, de lendas, de parábolas e do tempo passado, presente e futuro, concentrando os elementos da ciência, da filosofia, da religião e da arte. Seu artista idealizador, Allan Kardec Cardoso Lessa, o “Allan Kard”, é uma pessoa simples de visão futurística espiritual, que aprendeu a conviver com as críticas e as polêmicas em torno do seu incansável trabalho.
A ARARA CANIDÉ E A ASCENSÃO
Como diz o poeta cancioneiro, “o tempo não para”, e “Allan de Kard” sabe disso, tanto que o seu desejo, enquanto estiver em seu mandato espiritual, como costuma afirmar, é ampliar o museu que já ocupa 10% do total da área. Logo na entrada do portão de ferro, o visitante é recebido pela imagem majestosa da Arara Canidé e, à sua frente, é recebido pela Pirâmide Ascensão. No mais, você faz uma viagem cultural, e sai com sua alma bem mais leve e alimentada de conhecimento e saber. Não há dúvida que o conjunto da obra é um grande legado para as furas gerações.
Como já atestaram visitantes (o museu deverá ser aberto, oficialmente, ainda neste ano, com ingressos pagos), o lugar é mágico, tanto pela sua beleza plástica e paisagística, como pela sua energia. Conta com duas galerias, a da Pirâmide que abrigará o acervo permanente com cerca de 750 obras do artista construtor, e outra Mix que receberá peças dos artistas Alex Emmanuel, Valéria Vidigal e Romeu Ferreira.
No projeto já está instalada a obra do escultor Mário Cravo, de título “Flor do Cacau”, que o próprio doou ao museu. Fazem ainda parte da estrutura, mais de 20 esculturas do artista Allan Kard, entre as quais, Mon Solei, Desejos e Dever, Mater (figura masculina e feminina em estado de gravidez), Resistência, Tributo a Mondrian (holandês), Monumento ao Gráfico, Labore per Vitae, o Vento, Lápis na Mão (depósito), Sala de Estar, Diversidade Fenotípica, Xadrez Nordestino (personagens do cangaço e da cultura da região), Monumento aos Heróis da Saúde, Quo Vadere (Aonde Fostes, conhecido como labirinto, de 150 metros quadrados e 80 toneladas de cinzas no piso, com fotos de crianças desaparecidas), Jogo da Velha, Zigoto (ovo estrelado), Tukurê, Sonho de Menino (24 obras), Ode ao Amor, Transbordo, Sem Rumos e Pramix.

Eleição de igreja evangélica tem bate-boca e aglomeração; polícia é chamada; homens de Deus, ou do dinheiro?


 

Daniel César

A eleição da nova diretoria na Igreja Assembleia de Deus Missões, na cidade de Campo Grande (MS), prevista para acontecer ontem, terminou em confusão e virou caso de polícia com várias denúncias.

Segundo apurou o UOL, o evento foi marcado por acusações da oposição ao pastor líder da congregação, Antônio Dionízio, de 70 anos, de tentativa de manipulação e censura pelo direito ao voto por parte dos membros.

Antônio Dionízio é acusado de tentar manipular e censurar o direito ao voto por parte dos membros - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
Antônio Dionízio é acusado de tentar manipular e censurar o direito ao voto por parte dos membros

Imagem: Reprodução/Facebook

Mas a história que teve aglomeração, xingamentos e até seguranças não começou ontem. Em outubro de 2020, o pastor estava recém-separado da esposa e engatou uma nova relação com outra mulher da igreja. Ele foi filmado dando um tapa no bumbum dela e o vídeo viralizou nas redes sociais.

A partir daí, a vida da igreja virou de cabeça para baixo e uma intensa disputa por poder se iniciou pela primeira vez em 22 anos. Dionízio sofreu uma tentativa de afastamento do cargo por outros ministros com a alegação de que o Estatuto da Igreja proíbe adultérios. A manobra acabou não surtindo efeitos.

Como o mesmo estatuto prevê eleições para a diretoria da congregação periodicamente, um grupo de oposição ao pastor se uniu para registrar a chapa, comandada pelo pastor Rudi Carlos, ex-parceiro do líder e agora rival.

O pastor Rudi Carlos comanda a chapa de oposição ao atual líder - Reprodução/Facebook - Reprodução/Facebook
O pastor Rudi Carlos comanda a chapa de oposição ao atual líder

Imagem: Reprodução/Facebook

O grupo de oposição acusa Dionízio de mudar o estatuto para se beneficiar, já que as regras foram alteradas para permitir a votação de menos de 5% dos mais de 8 mil membros que a igreja possui em Campo Grande.

No processo eleitoral, que começou em janeiro, o pastor líder da igreja chegou a indicar outro nome para representar sua chapa, mas mudou de ideia no meio do caminho e assumiu a cabeça das eleições, no que a oposição acusa novamente de golpe.

O que aconteceu ontem

Com as eleições marcadas para ontem, os membros da igreja foram surpreendidos com a presença de diversos seguranças que impediam a entrada das pessoas. Foram distribuídas pulseiras coloridas apenas para quem constava na lista de eleitores aptos a participar do processo eleitoral.

Ao UOL, o pastor opositor se revolta. “A reunião começou às 19h e meia hora depois tinha terminado. Tinham 300 pessoas ligadas ao pastor Dionízio lá dentro e outra 500, que estavam com a gente, do lado de fora”, protesta Rudi Carlos.

Ele lembra a situação ocorrida ontem à noite. “Ele [Dionízio] distribuiu pulseiras para só gente dele entrar, mas conseguimos as pulseiras com pastores que não concordam com isso e nem assim entramos. Os seguranças estavam orientados a impedir a entrada da chapa”, conta.

Membros da igreja que foram até à frente da sede acabaram formando uma grande aglomeração e houve empurra-empurra e xingamentos. Um pastor, identificado como Miguel Quevedo, opositor a Dionízio, passou mal e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado. Ele foi levado para a Santa Casa e identificou-se que o pastor havia sofrido um AVC (Acidente Vascular Cerebral).

Fontes ligadas ao grupo de oposição confirmaram que Quevedo está estável, mas que ele teria chegado a desmaiar e perder movimento de parte do corpo. O hospital confirmou a internação, mas informou que não dá detalhes sobre o estado de saúde dos pacientes.

Jovem de 21 é intubada em Araraquara e prefeito adverte sobre nova onda da Covid: “tsunami que causará um genocídio”


O prefeito da cidade, Edinho Araújo (PT-SP), diz que a nova cepa do coronavírus que passou a circular na cidade segue alcançando cada vez mais pessoas jovens

(Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

247 – O Brasil vive uma situação dramática com a propagação das novas variantes da Covid-19. A Prefeitura de Araraquara (SP) registrou nesta quinta (4) a internação de uma mulher de 21 anos e de um outro homem, de 26 anos, por causa da Covid-19. Os dois estavam em estado grave e foram intubados. A informação é da jornalista Mônica Bergamo, em sua coluna no portal UOL.

O prefeito da cidade, Edinho Araújo (PT-SP), diz que a nova cepa do coronavírus que passou a circular na cidade segue alcançando cada vez mais pessoas jovens, em uma situação dramática que não era comum no ano passado.

Segundo ele, em 2020 apenas uma pessoa de menos de 40 anos morreu em Araraquara vítima da Covid-19. Só em fevereiro e março, já foram registrados os óbitos de dez pessoas nessa faixa etária até agora.

Salvador: II Jornada de Mulheres do Sinjorba terá roda de conversa e lives com jornalistas


Cartaz anuncia II Jornada de Mulheres do Sinjorba.

Cartaz anuncia II Jornada de Mulheres do Sinjorba.

Começa na segunda-feira (08/03/2021) – Dia Internacional da Mulher – a II Jornada de Mulheres do  Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado da Bahia (SINJORBA). A programação especial terá início às 20h com a Roda de Conversa  Jornalismo em Tempos de Pandemia, realizada através da plataforma Zoom e  transmitida no canal do Youtube do Sindicato.

O evento, organizado pela Comissão de Mulheres Sinjorba, tem como objetivo discutir como a pandemia afetou a prática jornalística e os impactos causados no exercício profissional das convidadas. A roda de conversa contará com a participação de jornalistas baianas, de diversos segmentos da profissão, como Carla Araújo, Cleidiana Ramos, Carmela Talento, Mariluce Moura, Malu Fontes, Evanice Santos, Heloísa Sampaio, Patrícia França, Mara Campos, Suzana Barbosa, Cíntia Kally, Jeane Borges, Margarida Neide e  Flávia Vasconcelos.

Para a coordenadora da Comissão de Mulheres Sinjorba, Isabel Santos, o debate sobre os problemas enfrentados pelas jornalistas no exercício da profissão, é necessário. “Nos momentos de turbilhão, é que devemos buscar a ampliação da  consciência e agir, não deixando arrefecer a nossa garra, muito menos, nos paralisar. E é com este pensamento, que a Comissão construiu o evento para marcar o Dia Internacional da Mulher, apesar do período difícil que toda a humanidade vivencia atualmente”, explica Isabel.

Lute como uma jornalista

Ainda como parte da II Jornada de Mulheres do Sinjorba, será realizada de 9 a 15 de março, a série de lives “Lute como uma jornalista”, transmitida às 20h, no Instagram oficial da entidade. As lives terão diversos temas e convidadas, que dividirão suas experiências profissionais no jornalismo.

“Ano passado a diretoria do sindicato preparou, junto com a Comissão de Mulheres, uma programação especial para o mês de março. Mas, infelizmente com a pandemia, tivemos que cancelar. Neste ano, resolvemos realizar a programação online, para que todas possam participar e contribuir com os debates sobre a atual conjuntura política e social do país”, ressalta Fernanda Gama, vice-presidente do Sinjorba e integrante da Comissão de Mulheres da Fenaj.

A programação terá a participação da representante da Comissão de Mulheres da Fenaj, Samira Castro, que abordará os desafios da mulher no jornalismo. “A programação do 8 de Março construída nos estados é um exemplo do empenho das direções sindicais em procurar acolher melhor as mulheres jornalistas e suas demandas, já que somos vítimas principais de assédios moral e sexual, de ataques no ambiente virtual e da desigualdade agravada pela pandemia de Covid-19”, ressalta Samira.

Calendário das lives – Lute como uma jornalista

 09/03 – Mulher negra no jornalismo

Convidada: Silvana Oliveira – gerente de jornalismo da rádio Sociedade da Bahia

Apresentação: Jaciara Santos – Comissão de Mulheres Sinjorba

10/03 – Mulher no jornalismo esportivo

Convidada: Ayana Simões – apresentadora do Cartão Verde Bahia/TVE

Apresentação: Carmen Vasconcelos – diretora do Sinjorba

11/03 – Mulher Trans no jornalismo

Convidada: Alana Rocha – apresentadora do Programa Gazeta Alerta/ Gazeta FM

Apresentação: Lucimeire Oliveira – diretora do Sinjorba

12/03 – Mulher empreendedora no jornalismo

Convidada: Suely Temporal – diretora da Atcom/Comunicação Coorporativa

Apresentação: Regina Ferreira – Conselho Fiscal Sinjorba

15/03 – Mulheres no jornalismo em tempos de pandemia

Convidada: Samira de Castro – Comissão de Mulheres Fenaj

Apresentação: Fernanda Gama – vice-presidente do Sinjorba

16/03 – Equilíbrio emocional para a mulher jornalista na segunda onda

Convidada: Ayeska Azevedo – proprietária da empresa “A Vida em Flor”

Apresentação: Gabriela de Paula – diretora do Sinjorba

Empresários da Bahia estão entre os melhores da mineração em 2020


.Eleição feita pela Revista Brasil Mineral teve quase 18 mil votos
Foto: Divulgação/CBPM
Foto: Divulgação/CBPM

A revista Brasil Mineral anunciou no último domingo, 28, três representantes de empresas na Bahia como personalidades da mineração em 2020. Paulo Castellari, CEO da Atlantic Nickel, venceu pela categoria Minerais Não-Ferrosos, João Cavalcanti, presidente da Companhia Vale do Paramirim, pela categoria Exploração Mineral e também foi eleito, in memoriam, o ex-presidente da Mineração Caraíba Sérgio Fráguas, na categoria Pioneiros da Mineração.

Seis nomes baianos figuravam entre os 24 indicados para votação. Dentre os indicados em cada categoria estavam também os líderes de empresas baianas Eduardo Ledshan (Bamin) e Paulo Misk (Largo Resources) na categoria Minerais Ferrosos e Manuel Valério (Mineração Caraíba) em Minerais Não-Ferrosos.

Todos os candidatos foram escolhidos pelo Conselho Consultivo da Brasil Mineral, considerando as atuações nos seus respectivos setores. A votação ocorreu pelo site da revista, com total de 17.796 votos em todas as categorias. Em dezembro, a Mineração Caraíba e seu diretor, Manoel Valério, receberam os Prêmios CBPM de Mineração e personalidade 2020, também em votação online.

A impressionante recuperação econômica da empresa nos últimos anos e a forte presença socioambiental na comunidade foram tidos como diferenciais. O presidente da Companhia Baiana de Pesquisa Mineral (CBPM), Antonio Carlos Tramm, comemorou a expressiva presença baiana entre as indicações.

“Ver tantas lideranças do nosso estado entre as melhores só reforça como a nossa mineração é forte e inovadora. Queria parabenizar os seis indicados pelo primoroso trabalho que desenvolveram no ano passado e tenho certeza que a Bahia também estará entre os melhores de 2021”, disse Tramm.

O título Personalidades do Ano do Setor Mineral será entregue em cerimônia virtual no dia 17 de março, quando também será realizado o Fórum Brasil Mineral, com a participação dos eleitos. No evento, serão discutidos os desafios do setor em cada uma de suas categorias e as previsões para 2021 ainda num contexto de combate à pandemia Covid-19.

São 324 conquistenses mortos pela COVID-19


Em Conquista, a Secretaria Municipal de Saúde já confirmou 20.554 casos da Covid-19 em Conquista, até esta quinta-feira (4), de acordo com a atualização do boletim epidemiológico diário. Desse total, 19.641 estão recuperadas e 589 seguem em recuperação – 46 estão internados em Vitória da Conquista; seis, em outros municípios; e 537 em tratamento domiciliar.

Ainda há 3.340 pacientes notificados por suspeita de infecção pela Covid que aguardam classificação final por investigação clínico-epidemiológico e/ou laboratorial. Além disso, 14.964 casos foram descartados para a doença.

Foram confirmados, ainda nesta quinta (4), os óbitos de três moradores do município por complicações causadas pela Covid.

322º óbito – Mulher de 64 anos, moradora do bairro Senhorinha Cairo, portadora de Hipertensão e Doença Cardiovascular. Foi internada no dia 1º de março no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 2 de março.

323º óbito – Homem de 79 anos, morador do bairro Ibirapuera, portador de Hipertensão e Diabetes Melito. Foi internado no dia 25 de fevereiro no Hospital São Vicente, onde faleceu em 28 de fevereiro.

324º óbito – Mulher de 91 anos, moradora do bairro Brasil, sem comorbidades relatadas. Estava internada desde o dia 24 de fevereiro no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 3 de março.

Ocupação de Leitos – Hoje, 92 pacientes estão internados em parte dos 148 leitos disponíveis (78 enfermarias e 70 leitos de UTI) na rede SUS para tratamento de pacientes confirmados ou com suspeita de infecção pelo novo Coronavírus. Além de moradores de Vitória da Conquista, também estão internados residentes em outros  municípios:

Clique aqui para acessar o Boletim epidemiológico completo.

Encruzilhada: Acesso ao distrito de Boa Vista da Tapera será pavimentado


Mais obras como a recuperação de rodovias e a construção de ponte também são realizadas na região

O aviso de licitação para a pavimentação do acesso ao distrito de Boa Vista da Tapera, em Encruzilhada, foi publicado no Diário Oficial do Estado (D.O.E.) desta sexta-feira (05). O trecho com 20,3 km de extensão faz a ligação da localidade baiana até chegar ao entroncamento da BA-270. A obra na rodovia será realizada pela Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra).

A via pavimentada beneficiará o escoamento da produção de café na região do Sudoeste do estado. A abertura dos envelopes com as propostas das empresas interessadas está prevista para 07 de abril. Na região, a Seinfra já está executando importantes obras como a recuperação e a manutenção de rodovias estaduais e a construção de ponte a fim de contribuir no desenvolvimento econômico local.

“A restauração em 22 km da BA-270, entre Maiquinique e Mangerona, se encontra em fase inicial. A construção da ponte sobre o Rio Novo, que liga Ibicui a Ibitupã, está com 58% de execução e deve ser concluída no mês de junho. Os serviços de manutenção na BA-263, de Itambé até Itapetinga, na BA-636, entre Itarantim e Salto da Divisa, e na BA-130, que liga Ibicuí até Ibitupã, também estão em andamento na região” destaca Marcus Cavalcanti, secretário de Infraestrutura.

Ouça áudio de Dallagnol relatando a outra procuradora conversa conspiratória com juíza Gabriela Hardt


Áudio divulgado pela defesa de Lula mostra o procurador Deltan Dallagnol, então coordenador da Lava Jato, relatando a outra procuradora, identificada como Isabel, um diálogo com a juíza Gabriela Hardt, demonstrando pressão para que ela sentenciasse o caso do sítio de Atibaia

Deltan Dallagnol e Gabriela Hardt
Deltan Dallagnol e Gabriela Hardt (Foto: ABr | Divulgação)

Do Conjur – Ao copiar parte da sentença que condenou Lula no caso do tríplex do Guarujá e usá-la na condenação do processo sobre o sítio de Atibaia, a juíza substituta Gabriela Hardt atendeu a pressão dos procuradores lavajatistas de Curitiba para apressar o andamento do processo.

Essa é a tese encampada pela defesa do petista, em petição enviada ao Supremo Tribunal Federal nesta quinta-feira (4/3), no âmbito do processo que garantiu à defesa do ex-presidente o acesso à troca de mensagens entre autoridades, apreendida pela Polícia Federal.

Os diálogos mostram que o grupo de procuradores tinha receio de que o posto de titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, deixado por Sergio Moro, fosse assumido por algum juiz não alinhado à causa lavajatista. Assim, buscaram apressar o trabalho da juíza substituta, Gabriela Hardt.

Foi nesse contexto que os procuradores prepararam uma planilha de prioridades, que permitiria que ela julgasse primeiro o que mais interessasse ao grupo, como mostrou a ConJur. As conversas incluem mensagem de áudio em que o procurador Deltan Dallagnol relata uma visita ao gabinete da juíza que, segundo a defesa, serviu para pressioná-la Clique abaixo para ouvir.

Inscreva-se na TV 247, seja membro(a) e ouça o áudio-bomba de Deltan Dallagnol

A visita ocorreu em 10 de janeiro de 2019, três dias depois de a defesa de Lula entregar 1,6 mil páginas de alegações finais no processo sobre o sítio de Atibaia — que, por si só, contava com 110,2 mil folhas.

O caso do sítio foi apurado pelo grupo de procuradores junto do caso do tríplex do Guarujá desde o princípio, com instrução simultânea conduzida por Sérgio Moro. 27 dias depois de receber Deltan em seu gabinete, Hardt condenou Lula a 12 anos e 11 meses em sentença que copiava trechos da condenação do caso do tríplex, feita ainda por Moro.

Para a defesa de Lula, que defende no Supremo Tribunal Federal a suspeição do juiz Moro no caso do tríplex do Guarujá, essas mesmas irregularidades estão presentes no caso do sítio de Atibaia. Assim, precisam ser compreendidas dentro de um único cenário: o resultado dos dois processos estava pré-definido, sem a hipótese de julgamento justo e isento.

Os procuradores que atuaram na “lava jato” do Paraná na época divulgaram manifestação (íntegra ao final da notícia) afirmando que é “legítimo e legal que membros do Ministério Público despachem com juízes, como advogados fazem”. Além disso, destacaram que a força-tarefa se preocupava mais com o processo sobre o Instituto Lula, que corria risco de prescrição, do que com o do sítio de Atibaia. Acrescentaram, ainda, que Hardt era a responsável pela sentença porque tinha atuado na fase de instrução; por isso, apenas cumpriu seu papel no caso do sítio. Por fim, reafirmam que não reconhecem a autenticidade do material divulgado.

Juiz coringa

PIB brasileiro tem a maior queda desde 1990 e encolhe 4,1% em 2020


Ano de pandemia registra maior retração econômica desde o confisco do Governo Collor

Não apenas os setores mencionados, mas também toda a cadeia produtiva que organiza uma das maiores festas culturais do Brasil foi prejudicada.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira o número do total acumulado do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020.

Segundo os dados registrados, o PIB, que representa a soma de todos os bens e serviços finais produzidos no paí teve uma queda de 4,1% apesar da melhoria de 3,2% na economia durante o último trimestre de 2020, o que representa a maior retração desde 1990, ano no qual houve o confisco do governo Collor.

O encolhimento da economia também representa a interrupção do crescimento econômico registrado durante três anos consecutivos, de 2017 a 2019, período no qual o PIB acumulou alta de 4,6%.

De acordo com o IBGE, o PIB per capita (ou por habitante) também foi impactado em 2020, com uma retração de 4,8% em comparação com 2019. Em valores correntes, o PIB totalizou R$7,4 trilhões no ano passado.

“Os dados divulgados refletem os impactos da pandemia de covid-19 no país no último ano, já que muitas atividades econômicas foram totalmente ou parcialmente interrompidas para evitar a contaminação”, avalia Thomas Carlsen, co-fundador e COO da mywork, startup especializada em controle de ponto online e gestão de Departamento Pessoal para pequenas e médias empresas.

“A instabilidade de funcionamento de diversos setores infelizmente trouxe essas consequências para a economia do país. Por conta de nosso sistema de ponto, vimos muitas empresas parando suas atividades, reduzindo as jornadas de trabalho e até mesmo demitindo funcionários”, comenta o executivo.

Entre os principais setores da pesquisa, apenas a Agropecuária registrou alta (2%), enquanto os Serviços e a Indústria apresentaram queda de 4,5% e 3,5% respectivamente. Também sofreram quedas os setores de investimentos (-0,8%), exportação (-1,8%), importação (-10%) e construção civil (-7%). Quando analisada a demanda, o consumo das famílias também despencou, com uma retração de 5,5%.

“A redução do consumo das famílias também é uma consequência direta de fatores sociais e econômicos gerados pela pandemia. Com o aumento da taxa de desemprego ao longo do ano e a redução da renda de milhares de trabalhadores, a consequência direta é a redução do consumo. Mas muitos brasileiros também deixaram de consumir também durante os períodos de flexibilização do isolamento social, justamente pelo receio da contaminação pelo vírus”, acrescenta Thomas.

Assinatura: Beatriz Candido Di Paolo

Museu Geológico da Bahia completa 46 anos com acervo que revela mundo mágico e descobertas fantásticas


Vinte e sete mil peças, fragmentos de um mundo fabuloso e provas concretas de descobertas fantásticas, foram se juntando ao longo dos últimos 46 anos e dão vida hoje ao acervo do Museu Geológico da Bahia (MGB), que celebra mais um ano de fundação nesta quinta-feira (04). Desde 1975, o museu, que pertence à Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE) e abriga resquícios meteorológicos, geológicos, minerais e arqueológicos do território baiano, recebe visitantes curiosos em conhecer fósseis e réplicas gigantes de animais pré-históricos, corpos celestiais, cristais preciosos e a origem do Universo. O cenário precisou mudar ano passado, com a chegada da pandemia da Covid-19, quando o MGB fechou as portas para visitações presenciais, mas abriu uma importante conexão com o público via web: o “tour virtual”, acessível no site oficial do museu (www.mgb.ba.gov.br).

“Olhares curiosos! É essa a reação das inúmeras pessoas que visitam o MGB, principalmente crianças e adolescentes. Mesmo na versão pela internet, a visita é encantadora. O Museu Geológico é um importante ativo para o estado, por salvaguardar toda a história das nossas riquezas minerais, origem da exploração do petróleo, meteoros que rasgaram o céu da Bahia e caíram em nosso território, fósseis de animais primitivos incríveis, que só vemos em filmes do cinema. Celebramos esses 46 anos do MGB trabalhando e torcendo para que essa pandemia passe logo, todo nosso povo seja vacinado, que vençamos esse momento mais crítico e possamos reabrir ao público as portas deste importantíssimo equipamento”, destaca o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

História

A inauguração do Museu foi marcada pela primeira exposição com a temática sobre Gemas e Rochas da Bahia, no dia 4 de março de 1975, no hall da antiga sede da Secretaria de Minas e Energia. Com o intuito de entregar um espaço mais confortável para o visitante e acolher reuniões científicas, dinamizar e qualificar as atividades dos serviços educativos do Museu, em 1985, foi criado um anexo com auditório, mezanino e salão de rochas ornamentais. Em parceria com a Secretaria de Cultura e Turismo, através da Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB). Com o propósito de agregar ao MGB mais um espaço cultural e alternativo para a sociedade foi inserido o Cinema do Museu.

Já o programa Exposição Itinerante teve início em 1986, com a primeira amostra de exposição no Município de Morro do Chapéu. Exposições como: “Bahia – 500 mil anos antes de Cabral”, no Salão de Fósseis, “Otto Billian” e “Energia dos Cristais”, marcam a história do Museu.

Bancada baiana defende recursos no Orçamento para adutora de Bom Jesus da Lapa a Riacho de Santana e Igaporã


A bancada federal baiana já protocolou junto à Comissão Mista de Orçamento(CMO) um conjunto de 18 emendas à lei orçamentária de 2021, dentre elas a que trata da construção da Adutora Bom Jesus da Lapa/Riacho de Santana/Igaporã, no valor de R$ 49,6 milhões,com o objetivo de resolver definitivamente o problema da escassez de Água nessas localidades. A inclusão deste pleito está sendo comemorada pelo deputado federal Waldenor Pereira (PT-BA), que foi o autor da indicação à bancada.

“Esta é mais uma importante conquista que obtivemos. Agora vamos lutar junto à CMO pela sua aprovação no orçamento da União para 2021”, anima-se o deputado Waldenor, que lembra de suas investidas anteriores na defesa da adutora. Em 2018 ele conseguiu garantir a sua indicação na bancada baiana destinando no orçamento daquele ano recursos no valor de R$8 milhões para a obra, mas um remanejamento do presidente Bolsonaro retirou R$ 6 milhões do montante.

O que sobrou dos recursos da emenda resultou na elaboração do projeto executivo da obra da adutora, realizado pela Codesvasf – Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba. Agora, com o projeto executivo pronto, a bancada está prestes a assegurar os recursos necessários para a sua realização. “Essa é uma luta antiga e prioritária do nosso mandato para atender à população de Bom Jesus da Lapa,Riacho de Santana e parte de Igaporã e resolver de uma vez por todas o problema da falta de água”. reforçou Waldenor Pereira.