Conquistense apela por ajuda, nosso amigo Eduardo Torquato


Depois de passar 31 dias internado, dos quais 14 no I.B.R e 16 no hospital São Vicente, volto pra casa com os mesmos sintomas as mesmas dores. É bom ressaltar que não é, NUNCA foi covid. Fiz todos os exames solicitados, coletei quase todo meu sangue, fiquei sem poder receber visitas e depois de 14 dias internado no I.B.R o médico chega pra mim é diz: Torquato, entre sentir dor aqui e sentir dor em casa, é melhor vc sentir em casa. Com isso, meu deu alta. Com a alta $:600,00 de remédios. Vim para casa, só aguentei ficar um dia, tive que retornar e ficar mais um dia. Novamente fui mandado para casa, fiquei mais uns três dias, Lá vou eu novamente pro hospital, dessa vez, o hospital São Vicente. Por lá fiquei mais 15 dias também sem solução para o meu problema. Diagnóstico tinha todos os dias, de todos os médicos que passavam pelo apartamento, cada um diferente do outro. Fato é que continuo sentindo as mesmas dores, os mesmos sintomas, mas remédio e médico que é bom nada. E olha que sem querer desmerecer os demais, não é SUS, é plano de saúde. Continuo em cima da cama, sentindo muitas dores, sem poder movimentar e médico que é bom, nada.
Fui em um neurocirurgiao ESSSA semana e ele me disse que meu problema foi repassado a um grupo de watsap de neurologista, e ninguém sabe o que é.
E olha que moro em Vitória da conquista.
Não estou aquentando mais.
Aproveito essa postagem e peço socorro, se tiver alguém que se disponha a me ajudar, eu agradeço.
Minhas dores começam na virilha, no testículo direito, nas nádegas direita e desce para a perna direita, é como se fosse um formigueiro.
Por favor, me ajudem!

PCdoB quer manter Fabrício Falcão na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa


 

Após a resolução do impasse para a presidência da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), os deputados começam a articular a composição da Mesa Diretora.

Dentro do PCdoB, partido com 4 membros na Casa, já há consenso de que o grupo vai pleitear a manutenção do deputado Fabrício Falcão na Mesa Diretora. Atualmente Falcão é o 3° vice-presidente do Legislativo baiano.

Futuro presidente da AL-BA, Adolfo Menezes afirmou ao Política Livre que só vai interferir na montagem da mesa em último caso, cabendo o acordo pars sua formatação aos partidos.

Ministério da Saúde tenta confiscar seis milhões de doses da CoronaVac do Butantan


A pasta pediu a imediata entrega do imunizante armazenado no Butantan após ver a Índia se negar a enviar ao Brasil os dois milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca que o governo federal esperava ter em mãos para iniciar a imunização

CoronaVac e PazuelloCoronaVac e Pazuello (Foto: Reuters)

O Ministério da Saúde enviou um ofício ao Instituto Butantan na tarde desta sexta-feira (15) requisitando a entrega imediata das seis milhões de doses da CoronaVac que foram importadas e alvo de pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial.

“Solicitamos os bons préstimos para disponibilizara a entrega imediata das 6 milhões de doses importadas e que foram objeto do pedido de autorização de uso emergencial pera a Anvisa”, diz o documento assinado pelo diretor do departamento de logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias e endereçado ao diretor-geral do Butantan, Dimas Covas.

“Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este Ministério precisa fazer o devido loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a Covid-19, tão logo seja concedido a autorização pela agência reguladora, cuja decisão está prevista para domingo, dia 17 de janeiro de 2021”, complementa.

Indústrias vão investir R$ 10 milhões em Brumado e Feira de Santana


Feira de Santana e Brumado serão contemplados com a implantação e reativação de duas unidades industriais, que juntas devem investir aproximadamente R$ 10 milhões em suas fábricas e com a previsão de gerar até 132 novos postos de trabalhos diretos e indiretos. A empresa MSR pretende fabricar chapas diversas, telas metálicas, estruturas metálicas, reservatórios e tanques de ferro ou aço. Já a San Marcus será destinada à produção de vassouras, rodos plásticos e escovas. Os protocolos de intenções foram assinados com o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), nesta sexta-feira (15).

“Os investimentos e os empregos previstos vão fortalecer ainda mais esses municípios e promover oportunidades na região. Atrair investimentos e gerar emprego e renda para o povo baiano tem sido uma meta do Governo do Estado. Para os próximos anos temos um total de 412 empreendimentos que assinaram protocolo sendo acompanhados, com previsão R$ 68,5 bilhões em investimentos e previsão de gerar 52,4 mil vagas de empregos diretos”, destaca o vice-governador João Leão, secretário da SDE.

Com o aporte de R$ 8 milhões em investimentos, a empresa MSR será instalada em Brumado e terá a capacidade de produção estimada em 125 mil toneladas por mês. O empreendimento estima gerar cerca de 90 empregos entre diretos e indiretos. Já a empresa San Marcus vai destinar cerca de R$ 2 milhões para a reativação da sua unidade localizada no município baiano de Feira de Santana. Com a capacidade de produção de até 24,3 mil dúzias por mês, a empresa tem a previsão de gerar 42 novos postos de trabalho.

De acordo com o sócio da empresa MSR, Marley Mark Lobo, as obras já foram iniciadas com previsão de início da operação em outubro deste ano. “Os investimentos que serão realizados irão proporcionar um aquecimento na economia da região, pois serão promovidos diversos empregos diretos e indiretos. Além disso, a maior parte das operações das compras de insumos e vendas dos produtos acabados serão realizadas com contribuintes baianos, o que irá, da mesma forma, gerar um maior aquecimento da economia regional”, explica o sócio da MSR.

Governo baiano planeja chegar ao status de Zona Livre da Aftosa até 2023


Governador Rui Costa enviou ao Ministério da Agricultura uma carta de compromisso detalhando o planejamento

Foto: Divulgação/ADAB
Foto: Divulgação/ADAB

 

O governador Rui Costa enviou ao Ministério da Agricultura uma carta de compromisso detalhando o planejamento para chegar ao status de Zona Livre da Aftosa sem Vacinação. A expectativa é alcançar esse patamar em 2023.

O diretor-geral da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Maurício Bacelar, explicou que o status de Zona Livre da Aftosa sem Vacinação valoriza o rebanho baiano e, consequentemente, aumenta o patrimônio dos pecuaristas.

“(…) uma vez que a garantia de rebanhos imunizados significa que os produtos cárneos aqui produzidos terão segurança sanitária com alcance garantido nos mercados mais exigentes em sanidade do mundo, o que beneficia também os produtos da agricultura baiana, gerando mais emprego e renda”, destacou o diretor da Adab.

A agência é responsável pelas intervenções agropecuárias necessárias para a conquista do status e para a implementação do Plano Nacional de Vigilância da Aftosa, coordenado pelo Ministério da Agricultura. A expectativa é que, uma vez atingindo o status de Zona Livre sem Vacinação, os outros dez estados e compõem o Grupo IV do plano para Erradicação da Febre Aftosa no Brasil também sejam beneficiados. São eles, além da Bahia, Goiás, Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Tocantins e o Distrito Federal.

Em 2020, a Bahia vacinou 93,65% do seu rebanho em maio e 93,99% em novembro. Ao todo, o estado alcançou a nota 1,1, de um total de 5, na avaliação de probabilidade de risco para reintrodução da Febre Aftosa.

Saúde confirma caso de reinfecção por nova cepa da Covid-19


Até momento foram notificados dois casos de reinfecção por nova variante do SARS-CoV-2. Um foi confirmado no estado do Amazonas e outro na Bahia segue em investigação
Coronavirus-Covid-19 – Movimentação de ambulâncias, pacientes, enfermeiros, bombeiros e socorristas no Hospital Regional da Asa Norte, local de referência para paciebtes com a Covid-19. Sérgio Lima/Poder360 04.04.2020

OMinistério da Saúde foi notificado nesta quarta-feira (13/01), pelo estado do Amazonas, sobre caso confirmado de reinfecção por nova cepa variante do SARS-CoV-2. No dia 12 de janeiro, a Fiocruz do estado do Amazonas identificou uma variante do coronavírus em uma mulher de 29 anos de idade, com sintomas leves da doença.

A mulher foi diagnosticada com a infecção, pela primeira vez, em 24/03/2020 e, em 30/12/2020 (nove meses depois), obteve o segundo diagnóstico positivo para Covid-19 por RT-PCR. A segunda análise realizada mostrou um padrão de mutações, compatível com a variante do vírus SARS-CoV-2, identificada recentemente pelo Ministério da Saúde do Japão, mas de origem no Amazonas.

A informação foi compartilhada, como parte da rotina da vigilância epidemiológica, com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e com toda a Rede do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs). O Ministério da Saúde recomendou aos estados, Distrito Federal e municípios o contínuo fortalecimento das atividades de controle da Covid-19, a ampliação do sequenciamento de rotina dos vírus SARS-CoV-2, a investigação de surtos e o rastreamento de contatos de todo caso de Covid-19.

No Brasil, foram notificados até o momento, dois casos de reinfecção por nova variante do SARS-CoV-2, um no estado da Bahia com a mutação identificado originalmente na África do Sul que segue em investigação, e outro já confirmado no estado do Amazonas com variante Amazônica identificada inicialmente no Japão. Os casos são monitorados pelas equipes do Ministério da Saúde e da Opas/OMS.

Prefeitura informa operação do transporte público para Enem


Foto do Blog da Resenha Geral

A Prefeitura Municipal, através da Coordenação de Transportes, informa que nos domingos 17 e 24 de janeiro de 2021, irá operar com os quadros de horários dos dias úteis. A alteração se dará em razão da realização do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

A Coordenação ainda informa que, nos respectivos dias, três ônibus extras serão disponibilizados. Os locais com maior demanda receberão o reforço.

Bancários do BB promovem paralisação contra o sucateamento do banco


Nesta sexta-feira (15), as bancárias e bancários do Banco do Brasil de Vitória da Conquista promoveram uma paralisação, retardando a abertura das agências em uma hora, contra o projeto do governo de sucateamento do banco. A manifestação faz parte de um dia de luta que aconteceu por todo país.

A diretoria do BB anunciou, na última segunda-feira (11), a intenção de fechar mais de cinco mil postos de trabalho por meio do Plano de Demissão Voluntária, o fechamento de 361 unidades em todo país e a retirada de funções, como a de caixa.

Em nossa região, onde os clientes já sofrem com a falta de bancários para atender a população, esta medida deve aumentar o tempo de espera nas filas. A agência BB/Vitória da Conquista, por exemplo, está programada para perder 15 funcionários por meio de remoção.

Outro grande impacto acontecerá nas economias locais. O anúncio do fechamento das unidades de Abaíra, Encruzilhada e Tremedal já preocupa os governos e comerciantes locais, que preveem uma fuga de capital, tendo em vista que aposentados e demais usuários terão que se deslocar para outros municípios para realizar saques.

“Essas reestruturações que vêm passando os bancos públicos são fruto de políticas de sucateamento do sistema bancário do país, promovidas pelo presidente Jair Bolsonaro e pelo ministro Paulo Guedes, e que vão prejudicar tanto os trabalhadores quanto a população. Com o fechamento das agências nessas três cidades, a população terá que se deslocar para sacar dinheiro em outros municípios, promovendo uma escassez de recursos e enfraquecendo o comércio local. Para os trabalhadores bancários, a perda de 5 mil postos de trabalho vai acarretar no acúmulo de funções e o aumento do adoecimento da categoria, que já sofre com os altos índices de LER/Dort e doenças psicológicas. É preciso que o governo federal desista dessa política de ataque aos bancos públicos e promova concursos para ocupar as vagas ociosas nas agências mais distantes, ao invés de transferir os trabalhadores que já estão instalados em seus locais de trabalho, já que sabemos o quanto essas agências são lucrativas”, considera Leonardo Viana, presidente do Sindicato dos Bancários.

Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões


É a maior da série histórica desde 1989
Agência Brasil
Foto: Divulgação/ Agência Brasil
Foto: Divulgação/ Agência Brasil

 

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2020 alcançou R$ 871,3 bilhões, tornando-se o maior da série histórica desde 1989. O crescimento real foi de 17%. O segundo melhor resultado ocorreu em 2015, com R$ 759,6 bilhões. Os dados já incluem as estatísticas de dezembro do ano passado.

As lavouras tiveram faturamento de R$ 580,5 bilhões, alta de 22,2%, e a pecuária, de R$ 290,8 bilhões, incremento de 7,9%. De acordo com nota técnica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, os produtos que mais contribuíram para o resultado foram o milho, com crescimento real de 26,2%, a soja, com 42,8%, a carne bovina, com 15,6%, e a carne suína, com 23,7%.

O faturamento da soja, do milho e da carne bovina foi de R$ 243,7 bilhões, R$ 99,5 bilhões e R$ 126,3 bilhões, respectivamente. Destaca-se ainda a contribuição positiva da produção de ovos em 2020. Segundo a pasta, as variáveis determinantes para os resultados estão relacionadas aos preços dos produtos no mercado interno, às exportações favoráveis para grãos e carnes e à produção da safra de 2020.

Produção
As primeiras estimativas para 2021 indicam crescimento do VBP de 10,1% (R$ 959 bilhões). Os principais destaques são arroz (17,3%), batata inglesa (22,1%), cacau (14,7%), mandioca (10,9%), milho (17,7%) e soja (24,4%). Há ainda boas expectativas para a pecuária, em especial bovinos, suínos, frangos e leite.

O ranking dos principais produtos em 2021 aponta para a soja, o milho, café e algodão, responsáveis por 82,6% do faturamento esperado para as lavouras.

Na pecuária, bovinos, frangos e leite devem liderar os resultados do VBP, com participação de 85,9% no faturamento. A lista dos estados campeões na agropecuária deve permanecer com Mato Grosso, Paraná, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul.

VBP
O Valor Bruto da Produção Agropecuária mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. É calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil.

O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal, com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês.

COVID-19 Brasil registra 7.316.944 milhões de pessoas recuperadas; mortos ; 206 mil mortos


Número é superior à quantidade de casos ativos, ou seja, pessoas que estão em acompanhamento médico. Informações foram atualizadas às 16h dessa quarta-feira (13/01)

Brasil já registra 7.316.944 milhões de pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 29 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (733.628) que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa a grande maioria do total de casos acumulados (88,6%). As informações foram atualizadas às 16h desta quarta-feira (13/01) e enviadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde.

A doença está presente em 100% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.569) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 5.033 municípios tiveram registros (90,4%), sendo que 791 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população.

Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

O Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 198,1 bilhões, sendo que desse total foram R$ 134 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 64,2 bilhões para a Covid-19. Também já foram comprados e distribuídos 27,9 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 306,8 milhões de EPI, mais de 20,6 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 13.296 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil registra 8.256.536 milhões de casos confirmados da doença, sendo 60.899 mil registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Em relação aos óbitos, o Brasil tem 205.964 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registrados 1.274 óbitos nos sistemas oficiais, sendo que 636 óbitos ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.672 permanecem em investigação.

Após alta de internações por Covid-19, hospital Albert Einstein bloqueia pacientes de outros estados


Há alguns meses, doentes de outras regiões chegaram a ocupar 25% dos leitos de UTI do hospital

O aumento explosivo de internações por Covid-19 levou o hospital Albert Einstein a bloquear pacientes de outros estados.

Há alguns meses, quando os casos baixavam no país todo, doentes de outras regiões chegaram a ocupar 25% dos leitos de UTI do hospital.

“Sempre atendemos pessoas de todo o Brasil. Mas precisamos nos preocupar para que não faltem leitos para a nossa comunidade, que é São Paulo”, diz o presidente do hospital, Sidney Klajner.

Isto indica que chegaria o dia “D” e a hora (H)hospitais de ricos começam a limitar o atendimento à pessoas de outros estados do Brasil, provavelmente o Sírio e Libanês, hospital de referência Internacional, fará a mesma. Assim, pessoas aquinhoadas sentirão a emoção negativa de lutar pela vida e não encontrar conforto, algo comum no meio da população pobre do Brasil.

Caminhoneiros convocam assembleia para articular greve em 1º de fevereiro; ajudaram a derrubar Dilma, agora…..


Caminhoneiros autônomos de todo o País se reúnem na noite desta quarta-feira, dia 13, às 20h para tentar angariar apoio e definir as pautas de uma nova greve nacional que vem sendo articulada pela categoria para o dia 1º de fevereiro. A assembleia geral, por videoconferência, foi convocada por Plínio Nestor Dias, presidente do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC). Ele diz que a paralisação será pacífica.

“O que você está achando, meu irmão? O senhor tem condições de rodar com seu caminhão nesse País, com combustível caro, insumo caro, tudo aumenta, tudo sobre e o frete está uma desgraceira. Pessoal, 250 litros de diesel está quase R$ 1 mil. Não tem mais cabimento. De Curitiba para São Paulo sobra R$ 150 no final da viagem e está com o tanque seco, não sobra nada. Quem acha que a situação está ruim, pare dia 1º”, convoca Dias. “Tem pessoas aí que ficam atrás de lideranças que se dizem de caminhoneiros alegando que não precisa parar. Isso é uma afronta. Às vezes essas pessoas não têm problemas, não tem caminhão, não estão nem aí para a categoria que representam. Mas garanto que já estão aparecendo muitas pessoas para o dia 1º”.

As últimas tentativas de greve da categoria não vingaram por rachas entre as diversas entidades representativas no País. O governo federal aposta justamente nessa divisão para tentar desmobilizar a greve. Na Região Sul, caminhoneiros prometem em grupos de WhatsApp bloquear cidades e fábricas de alimentos, o que pode afetar o abastecimento de supermercados.

O interlocutor da categoria no governo tem sido o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas. O ministério questiona a representatividade da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), que mais cedo previu que a greve poderia ser maior que a realizada em 2018. “O Ministério da Infraestrutura (MInfra) esclarece que a Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB) não é entidade de classe representativa para falar em nome do setor do transporte rodoviário de cargas autônomo e que qualquer declaração feita em relação à categoria corresponde apenas à posição isolada de seus dirigentes”, disse a pasta por meio de nota.