Bahia é líder nacional na produção de 11 bens minerais


A Bahia lidera nacionalmente a produção de 11 bens minerais – Barita, Bentonita, Cromo, Diamante, Magnesita, Níquel, Quartzo, Salgema, Talco, Urânio e Vanádio. O estado encerrou o mês de abril com um aporte de R$ 7,9 milhões na arrecadação da Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM) e R$ 482 milhões arrecadados com a Produção Mineral Baiana Comercializada (PMBC). Estes dados fazem parte do Informe Executivo de Mineração, divulgado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), nesta Segunda-feira (1°).

“Os três principais bens minerais responsáveis por este resultado foram o Ouro, com 36% da exploração, nos municípios de Jacobina e Barrocas; o níquel, com 18% da exploração em Itagibá e; o Cobre, com 12% da exploração em Juazeiro. O nosso estado é uma verdadeira potência em bens minerais e isto tem forte impacto positivo na economia”, destaca o vice-governador João Leão, secretário de Desenvolvimento Econômico.

Um dos destaques, no segmento empresarial, reportado no Informe de Mineração, é a Yamana Gold. A empresa, que possui uma mina subterrânea na cidade de Jacobina e é responsável por cerca de 1,4 mil empregos diretos e mais 700 indiretos no estado, anunciou a fase dois do seu projeto de expansão, com investimentos na ordem de R$ 300 milhões e conclusão prevista para o início de 2023.

Já o destaque entre municípios, Jacobina protagoniza o documento divulgado pela SDE. A cidade tem a lavra legalizada de Ouro e é uma das mais antigas do estado, com operação desde 1880. Além do ouro, o município produz agregados para construção civil, como areia e argila, e rochas ornamentais. No mês de abril, a PMBC do município foi de aproximadamente R$ 134 milhões e a CFEM gerada foi de quase R$ 2 milhões.

Ascom/SDE

Bolsonarista do “taco de beisebol” comemorou morte de Marisa Letícia em frente a hospital em 2017; intempestiva e feia


Maria Cristina Rocha, filmada com uma bandeira dos EUA e segurando um taco de beisebol ameaçando pessoas durante um protesto em São Paulo neste domingo (31), tem histórico de adesão de “pautas” de Jair Bolsonaro e coleciona protestos criminosos em atos vexatórios

Maria Cristina Rocha
Maria Cristina Rocha (Foto: Reprodução)

Plínio Teodoro, Revista Fórum – Escoltada por um policial militar após incitar manifestantes antifascistas na Avenida Paulista, em São Paulo, com um taco de beisebol neste domingo (31), a bolsonarista Maria Cristina Rocha tem um longo histórico de adesão de “pautas” de Jair Bolsonaro e coleciona protestos criminosos em atos vexatórios.

No dia 2 de fevereiro de 2017, Cristina Rocha foi à porta do Hospital Sírio Libanês, na capital paulista, para comemorar a morte da ex-primeira-dama Marisa Letícia. Na ocasião, ela foi hostilizada por amigos e simpatizantes da esposa do ex-presidente Lula.

Segundo a reportagem, “militantes expulsaram a mulher do local aos gritos de “fascista” e “vagabunda” e jogaram água nela, que segurava um celular e supostamente teria feito selfies com a imprensa e com a militância”.

Leia a íntegra na Fórum.

Moro denuncia novo crime de Bolsonaro: ele queria promover rebelião armada contra prefeitos e governadores


O ex-ministro Sergio Moro fez uma denúncia gravíssima contra Jair Bolsonaro. Disse que ele pretendia flexibilizar o porte de armas para proteger milícias e facilitar uma guerra civil no Brasil, com rebeliões armadas contra prefeitos e governadores que defendem medidas de isolamento social

Bolsonaro está tão doido para se livrar de Moro quanto Moro para sair
Bolsonaro está tão doido para se livrar de Moro quanto Moro para sair

O ex-ministro Sergio Moro foi ao Twitter nesta manhã e fez uma denúncia gravíssima contra Jair Bolsonaro. Disse que ele pretendia facilitar o porte de armas para impulsionar rebeliões armadas contra prefeitos e governadores, abrindo espaço para uma guerra civil no Brasil. “Sobre políticas de flexibilização de posse e porte de armas, são medidas que podem ser legitimamente discutidas, mas não se pode pretender, como desejava o presidente, que sejam utilizadas para promover espécie de rebelião armada contra medidas sanitárias impostas por governadores e prefeitos, nem sendo igualmente recomendável que mecanismos de controle e rastreamento do uso dessas armas e munições sejam simplesmente revogados, já que há risco de desvio do armamento destinado à proteção do cidadão comum para beneficiar criminosos”, disse Moro.

Além de indicar a proteção às milícias, Moro afirmou também que “a revogação pura e simples desses mecanismos de controle não é medida responsável”. Confira seu post:

Sergio Moro

@SF_Moro

Algumas verdades necessárias.

Ver imagem no Twitter
6.010 pessoas estão falando sobre isso

Com 30 leitos, Hospital Amec será inaugurado na próxima quinta-feira (4) para atendimento de covid-19 na região sul da Bahia


Para reforçar o combate à pandemia de covid-19 na região sul da Bahia, o Hospital Amec, localizado no município de Camacã, será reaberto na próxima quinta-feira (4). Com estrutura para 30 leitos, a unidade será exclusiva para atendimento a pacientes com quadro suspeito ou infectada pelo novo coronavírus (Covid-19), atendendo o território do Consórcio Intermunicipal da Mata Atlântica (Cima), que abrange os municípios de Arataca, Camacã, Canavieiras, Jussari, Itaju do Colônia, Mascote, Pau Brasil, Santa Luzia, São José da Vitória e Una.

O Amec estava fechado há oito anos e foi 100% recuperado num período de 45 dias para receber os pacientes que precisam de atendimento de média e alta complexidade. “É uma unidade que vai dar uma assistência muito importante para os municípios do território do Cima, funcionando como pronto atendimento para pacientes com suspeita de covid-19 em toda a região. Possui uma estrutura com laboratório, raio-x, eletrocardiograma, câmara de desinfecção, dois ventiladores pulmonares e dois monitores multiparamétricos”, afirma o secretário da Saúde do Estado (Sesab), Fábio Vilas Boas.

Com capacidade para 70 atendimentos por dia, o centro funcionará 24 horas por dia com uma equipe formada por profissionais das áreas de saúde e administração, entre eles enfermeiros, médicos, agentes de higienização, nutricionistas, farmacêuticos e pessoal de almoxarifado. Dos 30 leitos, 12 são de observação, 16 de enfermaria para internamento e duas unidades de urgência com respirador e monitor.

De acordo com o superintendente médico do Amec, Dr. Almir Gonçalves, a unidade irá receber e estabilizar os pacientes com sintomas prioritários e febre, tosse, falta de ar e dor de garganta. “Os que evoluírem para intubação também poderão ser atendidos na unidade e, posteriormente, serão regulados pela Central Integrada de Comando e Controle da Saúde do estado da Bahia para um dos hospitais de referência na capital, após serem estabilizados”, afirmou.

Desde o início da pandemia na Bahia foram abertos mais de 1.700 leitos em todo o estado, sendo a maioria no interior. Ao todo, a estrutura que está sendo implantada pelo Governo do Estado para o enfrentamento ao novo coronavírus conta com 1.428 leitos na capital e 1.257 leitos no interior. Para atender pacientes de baixa complexidade, que não tenham coronavírus, 285 leitos estão sendo instalados e 70 Unidades Pronto Atendimento (UPAs) irão realizar a classificação, manejo clínico, estabilização do paciente e, caso necessário, regulação para unidades de maior complexidade.

Chefe de gabinete de senador é nomeado como presidente do FNDE


Foi publicada também a exoneração da antiga presidente do FNDE, Karine Silva dos Santos

Foto: Divulgação/FNDE
Foto: Divulgação/FNDE

 

O chefe de gabinete do senador Ciro Nogueira (PP-PI), Marcelo Lopes da Ponte, foi nomeado pelo governo de Jair Bolsonaro como novo presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). A nomeação, publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (1º), foi assinada pelo ministro da Casa Civil, Braga Netto.

Segundo o portal G1, foi publicada também a exoneração da antiga presidente do FNDE, Karine Silva dos Santos.

Nas últimas semanas, o presidente Bolsonaro passou a negociar cargos do governo com partidos da Câmara, em especial com os que fazem parte do Centrão. Cargos-chave em órgãos como o FNDE e o Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs) foram entregue a nomes indicados pelo grupo.

Conheça os números do coronavírus no Brasil e no mundo


Acompanhe os números da covid-19 no Poder360Poder360

Poder360 publica diariamente 1 relatório sobre a trajetória do coronavírus no Brasil e no mundo. Eis os dados do início desta 2ª feira (1.jun.2020).

NÚMEROS NO BRASIL

  • casos – 514.849 (+16.409 em 1 dia);
  • mortes – 29.314 (+480 em 1 dia);
  • recuperados – 206.555 (+5.663 em 1 dia).

MÉDIA MÓVEL DOS ÚLTIMOS 7 DIAS

Os 2 gráficos a seguir mostram a média móvel dos últimos 7 dias de mortes e de novos casos diários. As curvas matizam eventuais variações abruptas.

CAUSA MORTIS

A doença covid-19 passou a ser a principal causadora de mortes em 1 maio típico no país, quando considerada a média desse mês no período de 2014 a 2018, últimos 5 anos com dados disponíveis.

COVID-19 NO MUNDO

Até as 22h de domingo, havia 6.262.406 infectados e 373.848 mortes em todo o planeta.

CAUSA MORTIS NOS EUA

País com o maior número de mortes pela pandemia (106.176 até domingo), o coronavírus foi a 3ª maior causa de mortalidade. É uma redução em relação ao número de abril,  58.760, quando a doença foi a maior causa das mortes.

VACINAS

O mundo corre contra o tempo para desenvolver uma vacina contra a covid-19. A previsão é que fique pronta para aplicação em massa só em 2021 (em 2020 pode haver doses em quantidades limitadas).

Conheça as 10 vacinas contra o vírus que iniciaram testes em humanos e quando cada uma das fases foi iniciada.

Saiba quanto tempo demorou para a elaboração da vacina de outras doenças:

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Poder360 destaca fatos sobre o coronavírus nos países onde há maior número de infectados:

Comunicado da Embasa


Serviço de manutenção na rede elétrica suspenderá abastecimento em Planalto, Barra do Choça e localidades rurais

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) informa que, visando atender solicitação da Coelba que realizará manutenção na rede elétrica da região da barragem de Serra Preta, o abastecimento de água em Planalto, Barra do Choça e localidades rurais relacionadas abaixo será suspenso na próxima quarta-feira (03), das 10h às 16h.
O fornecimento de água tratada será restabelecido logo após a conclusão do serviço, sob responsabilidade da Coelba, e regularizado gradativamente em até 48 horas nas áreas afetadas. Até a completa regularização do abastecimento, a Embasa recomenda o uso criterioso da água armazenada nos reservatórios domiciliares, evitando usos que possam ser adiados e todas as formas de desperdício.
Os moradores que possuem reservatório com capacidade de armazenamento suficiente para o atendimento das necessidades diárias de consumo não sentirão os efeitos da interrupção temporária.
Locais afetados – Planalto, Barra do Choça e as localidades rurais José Gonçalves, São Sebastião, São Domingos, Itaipu e Baixa do Cedro.

Assessoria de Comunicação da Embasa

Operação contra venda ilegal de respiradores denunciada pelo Consórcio Nordeste prende três suspeitos


No final da manhã desta segunda-feira (1º), o Governo do Estado apresentou a jornalistas, por meio de coletiva de imprensa virtual, o detalhamento da Operação Ragnork. Deflagrada nas primeiras horas do dia, a ação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) cumpriu 15 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Brasília, Rio de Janeiro e Salvador, e 3 mandados de prisão, sendo 2 no Distrito Federal e 1 no Rio de Janeiro.

O grupo criminoso utilizou uma empresa com sede em São Paulo para negociar com o Consórcio Nordeste a venda de 300 respiradores no valor aproximado de R$ 48 milhões. A empresa se passou por revendedora de uma fabricante chinesa para realizar a venda ilegal e foi denunciada pelo consórcio, que havia feito o pagamento antecipado por meio de contrato assinado em 8 de abril. A antecipação do pagamento visava garantir a efetivação da compra dos equipamentos, que seriam utilizados no enfrentamento da pandemia do novo coronavírus na região.

O Consórcio fez diversas tentativas para reaver o dinheiro e recebeu diversas promessas e novos prazos de entrega, que nunca foram cumpridos. As investigações apontam que as mesmas pessoas tentaram aplicar o golpe em entidades de diversos setores no país.

A operação, coordenada pela SSP-BA através da Superintendência de Inteligência, contou com a participação da Polícia Civil da Bahia, através da Coordenação de Crimes Econômicos e Contra Administração Pública, da Polícia Civil de SP, do Distrito Federal e do Ministério Público da Bahia. Mais de 150 contas bancárias vinculadas ao grupo já foram bloqueadas pela Justiça, a fim de garantir a restituição do montante empregado.

A necessidade de um Novo Constitucionalismo Democrático para impedir o avanço do autoritarismo


*Lucas Nunes

A história das organizações sociais na antiguidade é marcada por estruturas autoritárias. As decisões e as escolhas dos dirigentes eram estabelecidas por castas absolutamente restritas, não se podendo falar em participação social.
Os Estados antigos tiveram como elemento essencial de formação de sua vontade a força. Nem mesmo na Grécia podemos falar verdadeiramente em atuação social, posto que a seletividade era extrema.
John Locke escrevendo sobre política, no Século XVII, traz a tolerância como a possibilidade de atuação de todos, em espaço diverso, com ideias diversas, mas com interesses comuns.
O surgimento do Estado Moderno e, mais à frente, o Estado liberal, pretendiam determinar uma maior liberdade aos indivíduos, e liberdade de participação na tomada de decisões da sociedade. Não estamos a falar de presença popular plena, nem igualitária, apenas maior.
Posteriormente, o embate entre Estado Socialista e o Estado Liberal, naquele momento histórico, onde esses atores que imaginavam e estabeleceram governos centralizadores, com modelo único de pensar e de agir, trouxe-nos de volta o Estado de Opressão.
A partir de então, retomamos a ideia de formação do pensar e agir homogêneo, hegemônico e puro, com a construção da narrativa de que o diferente é o inimigo, que necessita ser aniquilado.
Destaque-se, por oportuno, que ao falar de perseguição, não estamos tratando de “direita” ou de “esquerda”. Afinal, quem é o intolerante de fato? A “esquerda” ou a “direita”? Aqueles que não admitem forma diferente de pensar estão em todos os lugares. A intransigência está em todos os lugares. Aqueles que acham que suas ideias são as únicas que podem existir, que não acreditam na possibilidade do outro ser igual a você, mesmo pensando diferente, são os intolerantes.
Passadas décadas de sectarismo, vencidos os modelos autoritários, que existiam de ambos os lados, floresceram as idéias democráticas com participação popular.
O Regime Democrático traz como pilar central a soberania popular e, por consequência inafastável, o respeito à liberdade de consciência do outro.
Todavia, os escândalos de corrupção, as crises econômicas e as falhas do Estado Social Democrático, abriram margem ao ressurgimento de regimes intolerantes e, frise-se mais uma vez, tanto de “esquerda” quanto de “direita”.
O desrespeito aos que pensam diferente, a construção de gabinetes de ódio, a tentativa de imposição da forma de pensar e agir de maneira hegemônica e pura, com a idéia de que o diferente é um inimigo, que necessita ser aniquilado, disseminou-se por países afora.
Vivenciamos o surgimento de “Democracias de slogans”, onde não há espaço para o diálogo, não há qualquer compromisso com a verdade, apenas com narrativas, não há interesses sociais, os objetivos são sempre “lacrar” ou “mitar”.
No Estado de Intolerância, há o direito de agredir, difamar, vale tuto contra o inimigo. E o inimigo é todo aquele que pensa diferente.
Faz-se necessário um Novo Constitucionalismo Democrático como alternativa político-jurídica às investidas autoritárias do Século XXI. Um modelo que tenha como componente indispensável a tolerância.
As falhas das Democracias constitucionais permitem o seu melhor conhecimento, correção e a consequente adaptação de suas instituições políticas.
Chegou a hora de assumirmos a insinceridade normativa de nossa Constituição Federal. É Necessário confessar que não cumprimos nossas promessas constitucionais. Resta saber, é certo, se por impossibilidade prática, por desinteresse dos representantes periodicamente eleitos ou por aplicação de um verdadeiro estelionato político-constitucional, por mais forte que o termo possa parecer.

Saiba o que foi a “Noite dos Cristais”, marco do nazismo citada por Weintraub


 O ministro da Educação, Abraham Weintraub, comparou a operação da Polícia Federal realizada nesta quarta-feira (27) contra as milícias virtuais bolsonaristas com um episódio em que a Polícia Nazista (SS) invadiu casas e sinagogas durante a Alemanha Nazi.

“Hoje foi o dia da infâmia, VERGONHA NACIONAL, e será lembrado como a Noite dos Cristais brasileira. Profanaram nossos lares e estão nos sufocando. Sabem o que a grande imprensa oligarca/socialista dirá? SIEG HEIL!”, tuitou o ministro.

Saiba o que foi a “Noite dos Cristais”:

 

Na noite do dia 9 para o dia 10 de novembro de 1938, em toda a Alemanha e na Áustria, ocorre o progrom (palavra russa que significa “causar estragos, destruir violentamente”) que ficou conhecido como a “Noite dos Cristais” (Kristallnacht ou Reichspogromnacht), marcado principalmente pela destruição de símbolos judaicos, em que sinagogas, casas comerciais e residências de judeus foram invadidas e seus pertences destruídos. Também chamada de “Noite dos Vidros Quebrados”, indica os vidros estilhaçados nas vitrines das lojas, sinagogas e moradias de judeus.

Isso marca uma onda de violência contra os judeus em todo o Reich (Alemanha). Os ataques foram planejados para parecerem espontâneos, uma revolta natural da população alemã contra o assassinato de um oficial por um adolescente judeu em Paris. Mas, na realidade, foi um plano de Joseph Goebbels, ministro alemão da propaganda, e de outros líderes nazistas, que organizaram meticulosamente outros pogroms

 

A Noite dos Cristais resultou em mais de 250 sinagogas queimadas, e cerca de 7.000 estabelecimentos comerciais judaicos destruídos. Dezenas de judeus foram mortos, cemitérios, hospitais, escolas e casas judias foram saqueadas. A polícia e os bombeiros foram orientados a não atuar nesse dia.

Na manhã seguinte, 30.000 (trinta mil) judeus alemães do sexo masculino foram presos pelo “crime” de serem judeus. Aqui começa o aprisionamento em campos de concentração onde milhares de pessoas vão encontrar a morte. Algumas mulheres judias foram enviadas para prisões locais. Depois disso, estabelecimentos comerciais de propriedade de judeus não poderiam ser reabertos, sem que passassem a ser gerenciados por não-judeus. Estabeleceu-se toques de recolher e os judeus tiveram seus movimentos e horários controlados, não podendo sair de casa livremente.

Depois da “Noite dos Cristais”, as crianças e os adolescentes judeus, tanto na Alemanha quanto na Áustria, tiveram suas vidas e rotinas absolutamente alteradas. Expulsas de escolas públicas, proibidas de entrar em museus, parques e piscinas. A segregação dos jovens judeus tornou-se uma regra. Há muitos casos de suicídio nesse período, assim como tentativas de emigração.

É conhecida a avaliação do Coronel-general Werner Thomas Ludwig Freiherr von Fritsch que, em carta** a sua amiga, a Baronesa Margotvon Schutzbar-Milchling von Schutzbar, datada de 11 de dezembro de 1938, conclui:

” (…) Logo após a guerra, cheguei à conclusão de que temos de ser vitorioso em três batalhas, se a Alemanha quiser ser poderosa:

(1) a batalha contra a classe trabalhadora. Esta Hitler ganhou;

(2) contra a Igreja Católica, talvez melhor expressa como Ultramontanismo e

(3) contra os judeus.

Estamos em meio a essas batalhas, e um contra os judeus é o mais difícil. Espero que todos percebam os meandros desta campanha.”

O Coronel-general Werner Fritsch indicou bem como Hitler se empenhou em derrotar a classe trabalhadora. O Nazismo foi, antes de mais nada, um regime pensado para esmagar as organizações operárias, pois o projeto de poder nazista implicava em não perder tempo com os adversários internos. Assim que conquistou o título de Chanceler da Alemanha, em 1933, uma das primeiras medidas de Hitler foi extinguir os sindicatos, os contratos coletivos e o direito à greve.

Após tentativa de fuga de fiscalização, PRF apreende carro recheado de drogas


Policiais encontraram 14 kg de cocaína, 63 kg de maconha e mais 5 kg de substância com características aparentes de MDMA

Foto: PRF
Foto: PRF

 

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu cocaína, maconha e cristais de MDMA em abordagem a um veículo Chevrolet/Onix, em ação que aconteceu por volta das 20h30 de sábado (30), em Vitória da Conquista (BA). Um homem foi preso.

Os agentes federais realizavam atividades da Operação Tamoio, voltadas para o enfrentamento à criminalidade, quando viram um Ônix realizar uma manobra brusca ao avistar a viatura da PRF. O motorista não obedeceu à ordem de parada dada pelos policiais na BR-116 e fugiu em alta velocidade. Ele foi perseguido até ser interceptado e parar o carro.

O condutor de 36 anos demonstrou descontentamento com a ação policial e de forma agressiva proferiu palavras ofensivas contra a equipe. Para uma fiscalização mais segura, os agentes decidiram se deslocar ao posto da PRF e ao proceder uma revista no automóvel encontraram aproximadamente 14 kg de cocaína, 63 kg de maconha e mais 5 kg de substância com características aparentes de MDMA (abreviação de metilenodioximetanfetamina).

Ao ser questionado, o homem informou que trabalha como motorista por aplicativo e foi contratado para levar as encomendas até a cidade de Araci (BA). Disse ainda que não sabia que se tratava de material ilícito. Diante dos fatos, o condutor foi preso em flagrante delito e encaminhado com os materiais apreendidos para a Delegacia de Polícia local e apresentado à autoridade policial de plantão. Inicialmente, ele responderá pelo crime de tráfico de drogas previsto no art. 33 da Lei 11.343/2006.

(Vídeo) PM de São Paulo dispersa com bombas grupos democráticos e protege manifestantes fascistas


A Polícia Militar reprimiu com violência a manifestação antifascista de várias torcidas organizadas, que acontece neste domingo (31), na Avenida Paulista, em São Paulo. O ato foi convocado por coletivos antifascistas de torcidas organizadas em protestos contra mobilizações pró-golpe estimuladas por Jair Bolsonaro

(Foto: Divulgação – Reprodução)

A Polícia Militar reprimiu com violência a manifestação antifascista de várias torcidas organizadas, que acontece neste domingo (31), na Avenida Paulista, em São Paulo. Participantes do protesto fecharam as ruas, aos gritos de “democracia” e “ô, ô, ô, ditadura acabou”.

O ato foi convocado por coletivos antifascistas da torcida do Corinthians e lideranças da Gaviões da Fiel, mas contou com a presença de outras torcidas organizadas, como do Palmeiras e do Santos.

“Se os partidos não vem pra rua, o Corinthians, o povo, virá”, disse um dos manifestantes no vão do Masp.

Carla Jimenez 🇧🇷🇨🇱

@carlajimenez9

PM avança jogando bombas de gás lacrimogêneo ao longo da av Paulista

Vídeo incorporado

1.185 pessoas estão falando sobre isso

 

Diogo Cabral 🇧🇷🇱🇷@Diogotapuio

Urgente! Protesto antifascista é reprimido violentamente em São Paulo.

Vídeo incorporado

88 pessoas estão falando sobre isso

 

Pedro Ribeiro@draomcqueen

Cerca de 600 manifestantes antifascistas fecham nesse momento a Av. Paulista para se contrapor à manifestação da extrema-direita. Com @paviojor

Vídeo incorporado