Em vídeo, deputado do PSL diz que “brasileiro só funciona na porrada”: “Tem de odiar o brasileiro”


A visita de uma comitiva de parlamentares eleitos pelo PSL à China continua a render polêmica. Em vídeo publicado nas redes sociais, o deputado eleito Daniel Silveira (RJ) usa palavrões para rebater as críticas feitas por aliados do presidente Jair Bolsonaro à viagem do grupo e diz que o “brasileiro só funciona na porrada” e que é preciso “odiar o brasileiro”.

“Em primeiro lugar, vai pra puta que te pariu. Para quem servir a carapuça, foda-se. Sabe por quê? Eufemismo não funciona com brasileiro. Parece que só funciona na porrada e bandido na bala, parece mais ou menos isso. A gente tem de ser desse jeito, tem de ser puto, falar com raiva, tem de odiar o brasileiro. Todos nós parlamentares aqui na China botamos nossa cara a tapa para enfrentar o sistema comunista que estava sendo implantado no Brasil”, afirma Daniel, em tom de voz alterado.

Veja o vídeo:

O deputado eleito conta que a comitiva foi convidada pela embaixada da China para conhecer um sistema de reconhecimento facial e soluções para os setores do agronegócio, portuário, aeroviário e automobilístico. Daniel ficou conhecido nacionalmente durante a campanha eleitoral ao arrancar e exibir como um troféu uma placa em homenagem à ex-vereadora carioca Marielle Franco (Psol), assassinada ao lado de seu motorista, Anderson Gomes, em março do ano passado.

Viagem de parlamentares eleitos pelo PSL à China provoca conflito entre bolsonaristas

Guerra entre bolsonaristas

 

No vídeo, Daniel também direciona sua artilharia contra o escritor Olavo de Carvalho, referência para os filhos de Bolsonaro e outros aliados de extrema direita do presidente. O deputado eleito chama Olavo de “mestre” para, logo em seguida, atacá-lo. O escritor, que mora nos Estados Unidos, chamou os integrantes da comitiva do PSL de “semianalfabetos caipiras” e os acusou de abrir o país para empresas de espionagem chinesas.

“O Olavo de Carvalho, o guru da sapiência humana, falou um monte de besteira. Vou usar um termo que você mesmo usa quando está com raiva: vá para puta que o pariu. Você não é o limite da sapiência. Você não é a referência intelectual onipresente, onisciente e a mais sábia”, disse Daniel Silveira.

“Hoje todo mundo é de direita, inclusive a esquerda. Hoje, claro, nós deputados que estamos na China somos comunistas”, ironizou. Policial militar e estudante de Direito, Daniel foi eleito para o seu primeiro mandato com 31.789 votos.

A viagem de parlamentares do PSL à China causou um racha no partido e entre os bolsonaristas, que foram às redes sociais protestar contra integrantes da comitiva. Na quinta-feira esse foi um dos assuntos mais comentados do Twitter.

Entre os integrantes da comitiva estão, além de Daniel Silveira, a senadora eleita Soraya Thronicke (MS) e os deputados eleitos Tio Trutis (MS), Junior Bozzella (SP), Felício Laterça (RJ), Bibo Nunes (RS), Charlles Evangelista (MG), Marcelo Freitas (MG) e Sargento Gurgel (RJ) – todos do PSL. Também participam do grupo o deputado Alexandre Serfiotis (PSD-RJ) e o eleito Luís Miranda (DEM-DF).

Flávio Bolsonaro empregou em seu gabinete mãe e mulher de líder de milícia, diz O Globo


O gabinete do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) empregou a mãe e a mulher do ex-capitão da Polícia Militar Adriano Magalhães da Nóbrega, homem-forte de uma organização criminosa. O policial é alvo de um mandado de prisão expedido nesta terça-feira (22) em operação da Polícia Civil que prendeu acusados de integrar o Escritório do Crime. O ex-capitão é considerado foragido. Ele ainda não foi encontrado pelos policiais.

As informações são do jornal O Globo.

Acusado há mais de uma década de envolvimento em homicídios, Adriano e outro integrante do Escritório do Crime foram homenageados em 2003 por Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativo do Rio (Alerj).

O senador eleito diz, em nota (veja a íntegra mais abaixo), que a indicação das duas assessoras foi feita por Fabrício Queiroz e que homenageou o ex-policial por atuar na defesa de agentes de segurança e que já prestou reverência a centenas de outras pessoas. Ele afirma que não pode ser responsabilizado por fatos que eram conhecidos naquele momento.

“Quanto ao parentesco constatado da funcionária, que é mãe de um foragido, já condenado pela Justiça, reafirmo que é mais uma ilação irresponsável daqueles que pretendem me difamar”, afirmou. “Aqueles que cometem erros devem responder por seus atos”, acrescentou.

Flávio Bolsonaro construiu patrimônio antes de virar empresário, mostra Folha

Na época, o deputado estadual propôs moção de louvor e congratulações a Adriano e um major preso hoje por prestar “serviços à sociedade com absoluta presteza e excepcional comportamento nas suas atividades”.

A Operação “Os Intocáveis” prendeu ao menos cinco pessoas. Nascido de um grupo de milicianos em Rio das Pedras, o Escritório do Crime é considerado a falange mais perigosa do Rio. Entre os presos, está o major da ativa da PM Ronald Paulo Alves Pereira, que também foi condecorado por Flávio meses após ter sido apontado como um dos autores de uma chacina que deixou cinco jovens mortos em São João de Meriti.

Filho de Bolsonaro comprou R$ 4,2 milhões em imóveis em três anos, diz Folha

Amigo de Queiroz

O ex-capitão Adriano Magalhães da Nóbrega é amigo de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio suspeito de recolher parte dos salários de servidores do gabinete. De acordo com o Globo, Raimunda Veras Magalhães, mãe de Adriano, e a mulher, Danielle Mendonça da Costa da Nóbrega, trabalharam com o deputado estadual até 13 de novembro de 2018, quando pediram exoneração. Elas recebiam R$ 6.490,35. Raimunda repassou R$ 4,6 mil para a conta de Queiroz, conforme a reportagem.

Adriano já foi preso em uma operação, em 2011, de combate ao jogo do bicho. As acusações levaram à sua expulsão da PM.

Segundo a Receita Federal, Raimunda é sócia de um restaurante em frente ao qual há uma agência do Itaú em que foi registrada a maior parte dos depósitos em dinheiro vivo feitos na conta de Queiroz, informa O Globo.

De acordo com o jornal, foi nas imediações da favela de Rio das Pedras que uma câmera de trânsito flagrou o Cobalt prata dos assassinos da ex-vereadora carioca Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, passando pelo local, antes da emboscada, em 14 de março do ano passado. Segundo a reportagem, é de conhecimento de policiais e do submundo do crime que o grupo tinha como principal atribuição matar sob encomenda.

Veja a íntegra da resposta de Flávio Bolsonaro:

“Continuo a ser vítima de uma campanha difamatória com objetivo de atingir o governo de Jair Bolsonaro.

A funcionária que aparece no relatório do Coaf foi contratada por indicação do ex-assessor Fabrício Queiroz, que era quem supervisionava seu trabalho. Não posso ser responsabilizado por atos que desconheço, só agora revelados com informações desse órgão.

Tenho sido enfático para que tudo seja apurado e os responsáveis sejam julgados na forma da lei.

Vestibular 2019: gabaritos são divulgados


Para quem realizou as provas do Vestibular Uesb 2019, a Comissão Permanente de Vestibular (Copeve) informa que o acesso para os gabaritos já está liberado no site da Consultec/Aietec, empresa que elabora o processo seletivo.

Assim como na última edição do processo, os gabaritos são individualizados. Por isso, o candidato deve informar o número de identificação localizado na capa do seu caderno de provas para ter acesso às respostas corretas. O Sistema disponibiliza o acesso individualizado aos gabaritos das provas aplicadas nos dias 20 e 21 de janeiro.

A Copeve informa ainda que a previsão para divulgação do resultado do Vestibular 2019, como consta no Edital, é a partir do início de fevereiro. Em caso de dúvidas, entre em contato pelo e-mail vestibular@uesb.edu.br ou pelos telefones (77) 3261-8604, em Itapetinga; (73) 3528-9695, em Jequié, e (77) 3424-8757, em Vitória da Conquista.

Na República dos generais


Jeremias Macário

A impressão que ficou evidente na entrevista do vice-presidente general é que somente os militares têm competência e são os honestos e incorruptíveis, e que todos os civis do Brasil não merecem mais confiança em cargos de governança do país, depois das falcatruas generalizadas nos últimos governos, especialmente do PT. Todos são sujos e não sabem como administrar a coisa pública, sem desperdícios.
O mais contraditório nisso é que os “baluartes” contra a corrupção querem o senador Collor de Melo na presidência do Senado, logo ele alvo de um monte de denúncias na força tarefa da Lava Jato. O ex-deputado queridinho do capitão ligado aos produtores rurais (bancada rural) foi nomeado para ser defensor das nossas florestas, e prometeu não haver indicação política. É o mesmo que colocar raposa no galinheiro. Antes o pai do presidente e seu filho disseram dispensar o foro privilegiado, mas agora defendem e até o sigilo. Logo mais pedem a censura.
TANTOS MILITARES NO PODER
Estamos apenas começando, mas já deu para se perceber que nem no período da ditadura civil-militar – para o presidente-capitão não existiu nada disso – houve tantos militares no poder da República, do primeiro ao segundo escalão e até no terceiro. Que seja bem-vinda a moralização, mas que a imprensa seja livre para denunciar os possíveis desvios de conduta, porque no regime de exceção era impedida pela censura.
Como muitos camisas amarelas da seleção pediram nas ruas, e diante do grande contingente de fardados das forças armadas nos ministérios e secretarias, estamos sendo agora submetidos a uma intervenção militar branca, pelo menos por enquanto. A mídia “amarelou” e apenas se limita a noticiar os fatos do dia, sem se aprofundar na questão.
Pode até ser uma visão absurda, mas o povo brasileiro, sempre conservador e subserviente demais aos patrões, não dá muita importância para a liberdade de expressão, com exceções do segmento mais esclarecido que sempre esteve na linha de frente de combate à mordaça e às imposições que vêm do alto.
Durante toda esta história de 500 anos, a maior parte foi de despotismo, de governos autoritários, de 300 anos de escravidão, de subjugação dos mais fracos, do esmagamento do capital sobre o trabalho, do roubo do Estado contra os cidadãos, como até nos dias de hoje onde os direitos só existem na teoria das leis. O povo se acostumou à submissão e desaprendeu a dar valor à liberdade. Raramente mostra sua face de indignação contra os maltratos e as terríveis desigualdades sociais.
A esta altura, nesses poucos dias do novo capitão que sempre aparece nas fotos e imagens ao lado de generais, almirantes, cabos e tenentes, seria temerário dizer que já estamos vivendo na República dos Generais? Pela decepção a que os brasileiros foram submetidos nos últimos anos, principalmente pelos políticos do legislativo, a maioria desesperada está concordando com esta “tomada” dos militares no governo.

Chefe do MP-RJ nega ter pedido quebra de sigilo de Flávio Bolsonaro


O procurador Eduardo Gussem afirmou que não houve nenhuma irregularidade no curso das investigações que envolvem Fabrício Queiroz

O senador Flavio Bolsonaro no enterro do policial militar Daniel Henrique Mariotti, no Cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, na Zona Oeste do Rio de Janeiro (RJ) – 06/01/2019 (jose lucena/Futura Press/Folhapress)

O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, negou nessa segunda-feira, 21, que o Ministério Público fluminense tenha solicitado a quebra do sigilo financeiro e bancário do senador eleito Flavio Bolsonaro (PSL-RJ)durante as investigações das movimentações financeiras de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

“Se alguém cometeu alguma quebra de sigilo não foi o Ministério Público, e sim o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), que encaminhou essa documentação ao MP espontaneamente, de ofício, um relatório produzido no âmbito da Operação Furna da Onça”, afirmou o procurador-geral, que também destacou que não houve nenhuma irregularidade no curso das investigações.

Gussem explicou que o MP-RJ não irá recorrer ao Supremo Tribunal Federal para destravar a investigação sobre Flavio Bolsonaro, suspensa pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Luiz Fux na semana passada. Gussem destacou que foi enviado um ofício para que o senador eleito marcasse um depoimento para dar as explicações solicitadas pelo MP, e que Flavio Bolsonaro não é oficialmente investigado.

Vestibular: Universidade divulga lista de aprovados e boletim de desempenho


 

 

A UNEB divulga o resultado do Vestibular 2019. A relação de candidatos aprovados está disponível no site do processo seletivo. Veja também o boletim de desempenho individual.

Aqueles que optaram pelo sistema de cotas devem ficar atentos ao processo de validação para o acesso às vagas, que acontece entre os dias 23 e 25 de janeiro, de forma escalonada (veja cronograma), no departamento onde funciona o curso escolhido. A lista de documentos solicitados está disponível no site do certame.

Ainda de acordo com o edital de convocação, a matrícula será realizada entre os dias 28 e 30, para todos os aprovados nesta primeira chamada.

 

Vestibular UNEB 2019

Neste ano, a universidade oferece 4.074 vagas em opções de cursos de graduação presenciais, oferecidas nos campi de Salvador e outras 24 cidades baianas, com entrada nos semestres 2019.1 e 2019.2.

As provas do Vestibular UNEB 2018 foram realizadas nos dias 2 e 3 de dezembro, em 89 estabelecimentos de ensino baianos, sendo 25 em Salvador e 64 do interior do estado.

 

Mais informações e fotos em: portal.uneb.br.

Temer perdoou R$ 47,4 bilhões de dívidas de empresas, maior anistia em 10 anos


Valor só foi menor que o de R$ 60,9 bilhões do Refis da Crise, no fim de 2008, depois que as empresas brasileiras foram atingidas pelo impacto da crise financeira internacional

O último grande Refis, concedido pelo governo federal durante a gestão do ex-presidente Michel Temer, perdoou R$ 47,4 bilhões em dívidas de 131 mil contribuintes, de acordo com o balanço final do programa de parcelamento de débitos tributários. O restante — R$ 59,5 bilhões, ou pouco mais da metade da dívida original — foi parcelado em até 175 prestações.

Os parcelamentos especiais permitem que empresas refinanciem dívidas com descontos sobre juros, multas e encargos. Em troca, o governo recebe uma parcela da dívida adiantada, mas abre mão de uma parcela do que ganharia com juros e multas.

Parlamentares, muitos deles inclusive com dívidas com o Fisco, fizeram ao longo de 2017 forte pressão sobre o governo Temer para melhorar as condições do Refis, lançado em janeiro e que acabou virando lei só em outubro do mesmo ano. Em meio às investidas, o governo cedeu de olho num futuro apoio à reforma da Previdência — que acabou sendo engavetada. Os descontos chegaram a até 70% em multas e 90% em juros.

Com os abatimentos, a renúncia do Refis do ano passado — oficialmente chamado de Programa Especial de Regularização Tributária (Pert) — só foi menor que o perdão de R$ 60,9 bilhões do Refis da Crise, lançado no fim de 2008, depois que as empresas brasileiras foram atingidas pelo impacto da crise financeira internacional.

Os dados oficiais já estão nas mãos do secretário especial da Receita Federal, Marcos Cintra, que disse contar com aumento da arrecadação com a certeza dos contribuintes de que na gestão do ministro da Economia, Paulo Guedes, não haverá mais programas de parcelamento de débitos tributários.

Cintra é contrário aos parcelamentos especiais e está à frente da elaboração de um programa de combate ao devedor contumaz. Para ele, os Refis têm sido usados como artifício protelatório por devedores viciados nesse tipo de programa.

— A principal mensagem e missão frente à Receita é fazer todos pagarem, pois assim os atuais contribuintes pagarão menos, e a pressão fiscal poderá diminuir — diz Cintra. —Em princípio, defendo a proibição de novos programas de parcelamentos incentivados — acrescenta.

A justificativa do Congresso para tentar ampliar os descontos do último programa era sempre dar condições aos empresários afetados pela crise para regularizar a situação, voltar a ter capacidade de investir e poder pagar suas obrigações em dia. Mas, segundo os dados da Receita, as empresas optantes dos programas apresentaram crescimento de lucros nos anos de parcelamento e queda no período anterior, em movimento contrário ou de maior proporção ao das companhias que não fizeram a adesão ao programa.

Além de fechar as brechas para novos Refis, o novo governo quer simplificar a legislação e eliminar os pontos de conflito que geram disputas judiciais com os contribuintes.

Vestibular Uesb 2019 chega ao fim com maior participação de inscritos


Depois de dois dias de provas, 85 questões resolvidas e a elaboração de uma redação, chegou ao fim, nesta segunda, 21, mais uma edição do Vestibular Uesb. Uma das poucas universidades que ainda mantém o tradicional Vestibular como forma de ingresso aos cursos de graduação, a Uesb oferece aos interessados uma chance a mais de realizar o sonho de estudar em uma universidade pública, gratuita e de qualidade.

Neste ano, o Vestibular Uesb terminou com uma redução significativa no índice de abstenção na realização de provas. Em 2018, 33% dos candidatos inscritos não comparecem ao exame. Nesta edição, o percentual caiu para 16,58%.
Os gabaritos dos dois dias de provas estarão disponíveis para os candidatos no site da Consultec. Já o resultado do processo seletivo está previsto para ser divulgado no mês de fevereiro.
 
Dados do segundo dia
No segundo dia do Vestibular, 2233 candidatos não compareceram aos locais de provas. Além disso, houve cinco eliminações, devido ao uso indevido do celular. Mais detalhes sobre o processo seletivo podem ser conferidos na edição especial da Revista Eletrônica, que traz conteúdo exclusivo sobre todas as etapas do Vestibular.
Equipe para realização
Nesta edição do processo seletivo, 944 profissionais participaram de forma direta da organização do Vestibular, entre fiscais, ledores, intérpretes, coordenadores, jornalistas, equipe de apoio, além de funcionários da empresa contratada.

Governador visita seis municípios em quatro dias esta semana


O governador Rui Costa inicia a intensa agenda de trabalho desta semana em Salvador e segue, nos próximos dias, para o interior baiano, onde realiza ações em seis municípios. Serão feitas entregas de obras de abastecimento de água, de rodovias estaduais restauradas, urbanização de praças e calçamentos de vias. Serão autorizados ainda convênios do programa Bahia Produtiva com o segmento da agricultura familiar.

Nesta segunda-feira (21), em Salvador, o governador autorizou o início das obras de urbanização das comunidades de Paraíso Azul e Recanto Feliz, no bairro do Costa Azul. De quarta (23) até sábado (26), serão seis cidades visitadas pelo governador em apenas quatro dias. Na quarta, em Água Fria e Irará, Rui entrega obras de pavimentação e abastecimento de água e assina convênios do Bahia Produtiva.

Na quinta, em Itiúba, serão entregues as obras de construção da ponte sobre o Rio Itapicuru Mirim, nas imediações de Itiúba, na Rodovia BA-381, no trecho entre Filadélfia (entroncamento BR-407) e Itiúba; e o Sistema Simplificado de Abastecimento de Água com dessalinizador nas localidades de Fazenda Capoeira Alegre, Mairi I e Cercadinho;
Ainda na quinta, Rui vai a Cansanção onde inaugura a pavimentação da Rodovia BA-381, no trecho Filadélfia (entroncamento BR-407) a Itiúba e Cansanção e contornos; depois, assina convênio Bahia Produtiva na área de quilombolas.

Já na sexta-feira (25), é a vez de Campo Formoso receber a visita do governador Rui Costa, que assina ordem de serviço para início das obras de ampliação do sistema de abastecimento de água da sede; inaugura pavimentação da Rodovia BA-220, no trecho de Campo Formoso ao entroncamento da BA-144 (Poços); e inaugura o sistema simplificado de água nas localidades de Curralinho/Barrocas, Fazenda Nova, Rego do Adão e São Tomé.

Por fim, Rui encerra as atividades da semana no município de Marcionílio Souza, no sábado (26), onde entrega a pavimentação recuperada da Rodovia BA-245, no trecho de Marcionílio Souza, no entroncamento de Iramaia (BA-131) a Itaetê; e entrega a implantação do sistema simplificado de abastecimento de água na localidade de Furado de Espinho.

Novos Personagens de André Cairo, 12 em 1!


Costuma-se dizer, 3 em 1, para aparelhos eletrônicos, mas não se houve falar de 12 em 1, o qual agora, tornou-se realidade, com os 12 Personagens criados por André Cairo, em 1, que é ele próprio, cabelo louro no popular, a pedido de sua linda namorada, ele criou os Personagens nele mesmo!
Tratado por Dé, Deco, Dré, Deca, se olhou no espelho e disse; você é Deca Louro? Não, sou Dé Calouro, surgindo mais 10 Andrés, Dé Calourão, Deca Lourão, Deca Lú, Deco Stódio, Dré Zinho, Dré Camacho, Dreca Macho, Deca Brito, Dé Cabrito e Deca Sola, divertindo pessoas nas ruas, com sorrisos e elogios, prometendo fazer um Filme.
Por: ABC do MCMP – Foto: Mandrak

‘Vamos chamar dois deputados federais’, diz Rui sobre secretariado


Governador afirmou nesta segunda (21) que concluirá minirreforma ainda nesta semana

Foto: Rodrigo Aguiat/bahia.ba
Foto: Rodrigo Aguiat/bahia.ba

O governador Rui Costa (PT) afirmou nesta segunda-feira (21) que chamará dois deputados federais para compor o seu secretariado, cuja minirreforma deverá ser concluída nos próximos dias.

“Sim, vamos chamar, dois deputados”, declarou o petista ao ser questionado pelo bahia.ba se pretende contar com interlocutores em Brasília.

“Estou dialogando sobre nomes. Espero que hoje se intensifique isso. Eu já tinha dito que seria na semana passada, mas, como teve [a Lavagem do] Bonfim e o meu o aniversário, a gente não pôde concluir as conversas. Mas essa semana, com absoluta certeza, eu concluo e anuncio. Eu diria que faltam alguns nomes para algumas pastas”, acrescentou o chefe do Palácio de Ondina.

Filho de Bolsonaro comprou R$ 4,2 mi em imóveis em 3 anos


Registros obtidos em cartórios mostram que o então deputado estadual e hoje senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) adquiriu em três anos, de 2014 a 2017, dois apartamentos em bairros nobres do Rio de Janeiro, ao custo informado de R$ 4,2 milhões.

Em parte das transações, o valor registrado pelos compradores e vendedores é menor do que aquele usado pela prefeitura para cobrança de impostos.

O período da aquisição dos imóveis pelo filho de Jair Bolsonaro é o mesmo em que o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) teria detectado movimentação de R$ 7 milhões nas contas de Fabrício Queiroz, ex-assessor de Flávio, segundo reportagem do jornal O Globo publicada neste domingo (20).

O ex-motorista é investigado sob suspeita de ser o pivô de um esquema ilegal de arrecadação de parte dos salários de servidores do gabinete, prática conhecida como rachadinha.

Flávio começou na vida pública em 2002, tendo como único bem na época um Gol 1.0, segundo sua declaração de bens.

Em outro relatório, divulgado pelo Jornal Nacional, da TV Globo, sobre movimentações atípicas na conta do filho do presidente, o Coaf identificou um pagamento de R$ 1.016.839 de um título bancário da Caixa – a análise considerou movimentações que ocorreram entre junho e julho de 2017. Segundo a reportagem, o órgão não conseguiu identificar a data exata e o beneficiário.

De acordo com os documentos obtidos em cartórios, Flávio registrou em junho de 2017 a quitação de uma dívida com a Caixa no valor aproximado de R$ 1 milhão para aquisição de um dos apartamentos que comprou, no bairro das Laranjeiras. Segundo dados de uma das escrituras, o débito foi pago em 29 de junho daquele ano.

Segundo informações cartoriais, Flávio comprou o imóvel na planta, por valor declarado de R$ 1,753 milhão.

Ele se desfez do bem em 2017, quando fez uma permuta, recebendo em troca uma sala comercial na Barra da Tijuca e um apartamento em na Urca, além de R$ 600 mil em dinheiro para completar o negócio. Na escritura, o imóvel dado por ele tinha passado a valer R$ 2,4 milhões.

O novo bem, na Urca, teve valor registrado de R$ 1,5 milhão.

Outro apartamento adquirido pelo senador eleito entre 2014 e 2017 foi um na Barra da Tijuca, pelo valor de R$ 2,55 milhões.

Para a compra, ele também teve de pegar uma espécie de empréstimo, dessa vez com o banco Itaú, pelo valor de R$ 1,074 milhão.

O apartamento fica em uma das regiões mais nobres do bairro, na avenida Lúcio Costa, de frente para a praia, próximo do condomínio em que o pai tem casa.

Em sintonia com a constante movimentação de imóveis da qual participa, Flávio declarou em 2018 ter só o apartamento da Lúcio Costa e a sala na Barra, o que sinaliza venda ou outro tipo de transação no da Urca.