AUDIÊNCIA PÚBLICA: Dia do Espiritismo é comemorado na Câmara


 

Aconteceu na noite dessa quarta-feira,17, na Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista, uma Audiência Pública em comemoração ao Dia Municipal e Nacional do Espiritismo. O evento foi solicitado pelo vereador Valdemir Dias (PT), que abriu a audiência relatando um trecho do livro “o que é o espiritismo- Preâmbulo” de Allan Kardec: “O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal.”

Dias acrescentou que “o Espiritismo é o conjunto de princípios e leis, revelados pelos Espíritos Superiores, contidos nas obras de Allan Kardec que constituem a Codificação Espírita: O Livro dos Espíritos, O Livro dos Médiuns, O Evangelho segundo o Espiritismo, O Céu e o Inferno e A Gênese” e finalizou contando que “dos cinco livros fundamentais que compõem a Codificação do Espiritismo, O Livro dos Espíritos foi o primeiro, reunindo os ensinos dos Espíritos Superiores através de médiuns de várias partes do Mundo”.

Enéas Alves fez a prece de abertura da audiência e lembrou que todos que ali estavam reunidos,   deveriam ter a consciência de que “aqui estejamos plenos e Onde estivermos estamos na vida para aprender”. E lembrou que uns devem contribuir para com os outros. “Não nos preocupemos em mudar o mundo e sim aos nossos procedimentos perante a vida”. E encerrou relatando a importância de momentos como esse e demonstrou sua alegria de poder participar das comemorações do dia do espiritismo.

Edvaldo Beline afirmou que é uma satisfação ter uma data que festeja o Dia do Espiritismo, pois se trata de um momento fraterno e de reconhecimento ao trabalho da comunidade espírita. Belino agradeceu à Câmara pela lembrança, uma oportunidade de levar o conhecimento espírita aos corações e mentes das pessoas.

O Coordenador do Conselho Regional Espírita 10 e Diretor da União Espírita de Vitória da Conquista, Cleber Flores aproveitou a oportunidade para agradecer a presença de todos em comemoração ao dia do espiritismo e em especial ao dia Especial ao dia do Livro dos Espíritos. espíritos . Em sua fala Cleber relatou a fundação do primeiro centro espírita em Salvador e contou um pouco da história do Livro dos Espíritos. Por fim, ele, brevemente, lembrou a fundação do primeiro centro espírita de Vitória da Conquista, o Centro Espírita Conquistense e “Hoje temos o centro espírita mais antigo em funcionamento na cidade, que é o Humberto de Campos, com mais de 80 anos de fundação”.

Kleber Braga frisou que Vitória da Conquista possui uma tradição espírita. Ele lembrou que existem centros com atuação longeva, como o Humberto de Campos que completou recentemente 80 anos de trajetória. Braga ressaltou a relevância do livro Sentinela de Amor, ditado por Maria Dagmar e psicografado pelo Leandro Porto Ferraz, pois reverencia a trajetória de Dagmar, nas palavras dele, uma pessoa que deixou um exemplo de simplicidade, trabalho e dedicação.

Além do trabalho em cartório, Dagmar se dedicou às ações na comunidade espírita e à literatura – publicou livros e atuou na Academia Conquistense de Letras, onde ocupou a cadeira Humberto de Campos. Kleber Braga explicou que a renda com a venda dos livros será revertida às ações da comunidade espírita.

Durante o evento, Dr. André Henrique de Siqueira, proferiu uma palesta com o tema “O Livro dos Espíritos e a Renovação da Cultura”.  Tiveram ainda apresentações culturais como leitura de poesia  e apresentação do coral Canto de Luz.

Na oportunidade, também foram entregues as moções de aplauso 44/2018 à União Espírita de Vitória da Conquista pela realização da 65ª Semana Espírita de Vitória da Conquista e a moção 10/2019 ao Centro Espírita Humberto de Campos pelos seus 80 anos de fundação e pela realização da 29ª Jornada Espírita, que teve como tema “Fora da Caridade não há Salvação”.

 

PEDRAL: Resgate de um mandato com 50 anos de atraso


Pedral paulo nunes e Luís fernandes
Zica, Zé Pedral, Paulo Nunes e Luís Fernandes

Vitória da Conquista sempre foi vanguarda na política. Em sua história, elegeu deputados ainda nos primeiros anos do século passado, tradição continuada pelos prefeitos Antonino Pedreira, Edvaldo Flores, (chegou a Vice-Governador), Régis Pacheco (foi Governador da Bahia depois), Jadiel Matos, Raul Ferraz, Guilherme Menezes e José Raimundo Fontes, que também foram deputados saídos dessa terra. Adelmário Pinheiro, Orlando Spínola e Coriolano Sales foram, além de deputados, presidentes da Assembleia Legislativa da Bahia. Crescêncio Lacerda e Crescêncio Silveira chegaram a ser deputados constituintes em 1934. Entretanto, o mais forte dos nomes entre todos que fizeram nossa cidade ser conhecida em todo o país, apesar de ter duas vezes pleiteado o cargo de deputado, ocupou em sua carreira política apenas o cargo de prefeito, foi José Fernandes Pedral Sampaio. Talvez este fato sirva a provocar uma reflexão aos conquistenses que amam essa terra e a sua política. Afinal, sendo apenas prefeito, dedicando-se exclusivamente ao município, Pedral Sampaio conseguiu ser a maior liderança política até a presente data. Ele seria o que quisesse em qualquer lugar do mundo. Culto, inteligente, sábio, valente e corajoso, eis aqui o retrato de um vencedor.

De 1954 a 2000 foi figura obrigatória em qualquer discussão política. Fez campanha nos anos 50, 60 e 70. Como o figurino político da época exigia, empenhava o discurso na voz sem abrir mão da pistola na cintura. Os tempos de hoje são pacíficos na política, mas no passado só os corajosos, dispostos a transformar a cidade e seu povo, sem se negar ao jogo estabelecido da época, é que poderia variar da SUVELA no pneu ou da bala no peito, sem correr da luta jamais. Evidentemente que tal utilização só aconteceria, se necessário fosse, no caso da bala, não aconteceu, restou apenas a SUVELA necessária no pneu

Atenção aos detalhes: erros simples e que fazem diferença na hora da redação


Positivo

Atenção aos detalhes: erros simples e que fazem diferença na hora da redação

Em meio à preparação para as provas, vestibulares e ENEM, os alunos do Ensino Médio já começam a imaginar os conteúdos que podem ser tema da tão temida redação. Mas dominar o assunto central do texto não é a solução para uma escrita perfeita. Além de treinar a Matemática, Física, Química e outras disciplinas, é essencial estar atento à linguagem e seus detalhes.

De acordo com o professor de Língua Portuguesa do Colégio Positivo Master (Ponta Grossa – PR), Claudinei Fernando Lichoveski, erros de acentuação e vírgula são alguns dos mais comuns na hora de fazer a redação. “A desatenção em relação à acentuação provoca problemas como a grafia de palavras inexistentes. Já nos sinais de pontuação, nenhum é tão utilizado e ao mesmo tempo responsável por tanto erros quanto à vírgula”, explica.

Para ajudar na hora de produzir um texto, o professor Claudinei dá algumas dicas:

  • Não confunda “mas” com “mais”

Uma confusão bastante comum é utilizar “mais” (palavra que geralmente indica soma, maior quantidade ou superioridade) no lugar de “mas” (conjunção que indica oposição). “As pessoas precisam prestar mais atenção para não cometerem mais esses erros. Parece difícil, mas é fácil se você ficar atento. Não pega bem trocar um termo por outro, geralmente o leitor vai notar o erro. Pode não ser o deslize mais comum, mas está presente em várias redações escolares. Preste atenção: ‘mas’ é sinônimo de ‘porém, contudo, entretanto, no entanto’. E nunca mais erre seu uso!”, brinca o professor.

  • As terminações “eia” e “oia” não recebem acento

O último Acordo Ortográfico retirou o acento gráfico dos ditongos abertos “éi” e “ói” nas paroxítonas (palavras em que a penúltima sílaba é a tônica). Nesse grupo, estão palavras como “heroico” (herói, uma oxítona, continua acentuada), mas as palavras mais recorrentes são aquelas terminadas em “eia” e “oia” como: Coreia, paranoia, assembleia, joia, ideia, jiboia… não as acentue.

  • “Afim” é uma coisa e “a fim de” é outra

A expressão mais comum é “a fim de”, que significa “com a finalidade de” (trabalhamos muito a fimde deixar tudo pronto hoje, ou seja, com a finalidade de deixar tudo pronto). Ela não deve ser confundida com “afim”, expressão que indica afinidade e geralmente é utilizada no plural (temos ideias afins).

  • Isso ou isto?

Longe de esgotar as possibilidades de uso dos pronomes demonstrativos (isto, isso, aquilo), lembre-se de que utilizamos “isso” para retomar o que já foi dito e “isto” para antecipar algo que ainda será revelado. “Isso é algo aparentemente simples, mas muito importante, e merece a sua atenção. Portanto, use ‘isso’ para o que foi dito e ‘isto’ para o que ainda vai dizer”, reforça.

  • Ele tem, ele vem. Eles têm, eles vêm

O acento diferencial está mantido e de deve ser utilizado nas formas plurais dos verbos ter e vir quando conjugados na terceira pessoa do tempo presente. Ele tem, ele vem. Mas eles têm e eles vêm.

  • Há ou a?

“Há dez dias” ou “A dez dias”? Essa é uma dúvida recorrente na produção de textos, mas para facilitar, basta lembrar que:  (forma do verbo haver) é usado quando indica tempo passado ou como sinônimo de existir, como nas expressões “há muito tempo” e “há vagas de emprego”. Já a expressão daqui a serve para indicar tempo futuro, como em “daqui a cinco minutos”.

  • A vírgula

A primeira dica é não exagerar nas vírgulas. Use apenas quando realmente necessário. Jamais separe o sujeito do seu verbo (é comum problemas como “os países mais ricos do mundo, crescem em ritmo acelerado” – aquela vírgula ali deve ser eliminada) e sempre separe o vocativo (expressão usada para chamar o interlocutor) do resto da frase (“queridos amigos, aonde vocês estão indo?”, “eu te amo, querida”).

Sobre o Colégio Positivo

O Colégio Positivo compreende cinco unidades na cidade de Curitiba, onde nasceu e desenvolveu o modelo de ensino levado a todo o país e ao exterior. O Colégio Positivo Júnior, o Colégio Positivo – Jardim Ambiental, o Colégio Positivo –  Ângelo Sampaio, o Colégio Positivo Hauer e o Colégio Positivo Internacional atendem alunos da Educação Infantil ao Ensino Médio, sempre combinando tecnologia aplicada à educação, material didático atualizado e professores qualificados, com o compromisso de formar cidadãos conscientes e solidários. Os alunos têm à sua disposição atividades complementares esportivas e culturais, incentivo ao empreendedorismo e aulas de Língua Inglesa diferenciadas, além de aprendizado internacional na unidade que leva essa proposta em seu nome. Em 2016, foi incorporada ao Positivo o Colégio Positivo Joinville (SC) e, em 2017, o Positivo – Santa Maria, em Londrina (PR). Em 2018, o Positivo ganhou duas unidades em Ponta Grossa (PR): Colégio Girassol e Positivo Master.

 

Rui entrega recuperação de 47 quilômetros da BA-245 em Marcionílio Souza


 

O turismo, o escoamento da produção rural, a circulação de mercadorias pesadas, como móveis e materiais de construção nos municípios da Chapada Diamantina, estão facilitadas com a recuperação do trecho da BA-245, entregue pelo governador Rui Costa nesta quarta-feira (17), em Marcionílio Souza. O governador diz ter orgulho de inaugurar mais 47 quilômetros de estradas, em um investimento de R$ 13 milhões.

O governador também anunciou investimento em outras estradas da região. “Eu já estou agora atendendo ao pedido do prefeito, a estrada de Itaberaba-Iaçu, vamos licitar mês que vem. O prefeito pediu também a BA-245 para Mucugê, nós vamos publicar a licitação também no mês que vem. Portanto são mais quase R$ 100 milhões em estradas na região”.

Caminhoneiro há 34 anos, Juventino Martiniano Barreto fala da transformação que a recuperação da BA-245, entre Marcionílio Souza e Itaetê, proporcionou para quem passa a vida atrás do volante. “Antes, para ir e voltar entre Marcionílio Souza e Itaetê, demorava um dia inteiro. Hoje, a gente vence o trecho em 40 minutos. Era só buraco, bico de pedra, em 20 minutos os pneus furavam, quebrava mola. Ninguém queria carregar os caminhões nas fazendas aqui. Agora a estrada está um ‘tapetão’”.

Adab realiza campanha de prevenção contra peste suína clássica


A Bahia é considerada zona livre de Peste Suína Clássica (PSC). Mas, recentemente, alguns estados nordestinos registraram casos da doença. Para proteger o rebanho e evitar que o vírus entre na Bahia, a Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Adab) realiza uma campanha de conscientização junto aos criadores. As fiscalizações estão sendo realizadas em todo estado, principalmente em criatórios de subsistência, com campanhas educativas.

“Com os focos recentes no Ceará e no Piauí, nós intensificamos nossas ações de vigilâncias móveis nas regiões de divisa. Também capacitamos o pessoal dos postos de fiscalização e tivemos mais ação de vigilância ativa em toda a região. Nós fazemos sorologia semestral nos municípios que fazem divisa com o Piauí, além de sorologia anual no estado todo para continuar mostrando às organizações internacionais que a Bahia é livre de PSC”, explica o diretor de Defesa Sanitária Animal da Adab, Rui Leal.

Doença viral que acomete suínos domésticos e javalis, a PSC é altamente contagiosa entre os animais, mas sem risco de contaminação a humanos através da carne. Os sintomas são febre alta, conjuntivite, lesões avermelhadas na pele dos animais (hemorrágicas), principalmente nas extremidades do corpo. Ela provoca alta mortalidade, falta de apetite, fraqueza e a tendência de se amontoar.

O vírus é transmitido pelo contato direto com animais doentes; por pessoas, utensílios, veículos, roupas, instrumentos e agulhas com o vírus; por restos de alimentos mal conservados; ou da mãe para o filhote, ainda na placenta.

Democracia ameaçada


Há 55 anos o Brasil foi palco de mais um acontecimento histórico, que começou em 1964/1985, que perdurou durante 21 anos e deixou marcas indeléveis, cicatrizes não curadas dos dois lados confrontados, Forças Armadas e setores da sociedade civil, e que hoje agentes do sistema judiciário e político reacionário da direita parecem querer trazê-la de volta.

No fim do mês de março, o presidente Jair Bolsonaro, ordenou que nos quarteis fossem comemorados os 55 anos do golpe militar, que ele e alguns militares mais retrógados chamavam de revolução e mais recentemente passaram a chamá-la de “Movimento Militar”.  Relembrar a data do golpe, como corrigiu dias depois Jair Bolsonaro, é querer defuntos fétidos, que há muito tempo deveria ser esquecido, e revigorar um desejo revanchista de um passado, que ele, inclusive, ajudou a forjar, quando tentou, com atos terroristas, intimidar o governo Sarney, exigindo no início do primeiro governo depois da ditadura militar, que se não desse o aumento de salário (soldo militar) aos tenentes (a época Jair era o tenente que encabeçava este movimento reivindicatório) ele ameaçava o explodir as adutoras de abastecimento de água do Rio de Janeiro.

Esta reivindicação foi feita na casa de Jair Bolsonaro a revista Veja, pela sua mulher. O tenente não pareceu na reportagem. Não houve aumento exigido e um segundo plano seria á explosão de bombas nos quarteis com a pretensa participação de outros tenentes. Como da primeira vez, não houve aumento. Ocorreram informações que o tenente estava sob inquérito e o processo fora parar no Superior Tribunal Militar (STM).

Como bem podemos ver, o tenente Jair Bolsonaro agiu como um terrorista, segundo na revista Veja, quando estávamos tão perto do fim da ditadura militar, em 1985. Apesar de toda essa movimentação, o tenente terrorista foi absolvido e passou para a reforma, o que lhe rendeu uma promoção a época ao posto seguinte (por isso ele é conhecido hoje como capitão Bolsonaro) com um soldo integral.

Logo na primeira eleição posterior a reforma, Bolsonaro candidatou-se á vereador no Rio de Janeiro e foi eleito com votação maciça dos militares que lhe asseguraram sucessivas vitórias para deputado federal, fazendo-o chegar á presidência graças a defesa que sempre fez ao regime militar.

Como vemos, tivemos uma presidente, Dilma Rousseff, de esquerda, que aos 21 anos militou no grupo Comendo de Libertação Nacional (o Colina), que em seu manifesto de criação dizia que “a luta armada é a única forma de dar consequência à luta do povo brasileiro” e “o terrorismo, como execução (nas cidades e nos campos) de esbirros da reação, deverá obedecer a um rígido critério político”. Hoje temos um presidente, Jair Messias Bolsonaro, de direita, oriundo do sistema militar, que também foi terrorista e nunca foi punido pelos seus atos, ao contrário, foi promovido a capitão.

Portanto o discurso do presidente contra governo ou grupo que pratique atos terroristas não devem ser levados a sério, pois seus atos não foram diferentes do grupo que Dilma pertencia, assim como não foram diferentes de governos ditatoriais da Venezuela, Cuba e da Nicarágua, para ficar apenas nestes três.

Como se já não bastasse o perigo iminente que passa nosso pais, com as frequentes ameaças as nossas instituições democráticas, agora vem o Supremo Tribunal Federal(STF), de forma monocrática e autoritária, ameaçar um dos pilares de nossa democracia que a liberdade de expressão e de imprensa quando instaurou inquérito para calar a imprensa, quando mandou recolher a revista Crusoé, retirar do ar o site O Antagonista, além impetrar oito mandatos de busca e apreensão de pessoas acusadas de divulgar informações nas redes sociais contra um membro da corte, o juiz Dias Toffoli.

Em tempos de paz, de democracia e do livre funcionamento de nossas instituições e sem ameaças de grupos armados de esquerdas ou dos grupos militares usando baionetas, agora somos ameaçados pelos detentores dos pilares da justiça, que ao invés de fazer uso das leis para fazer o que nossa constituição diz que é a defesa do Estado Direito, eles se insurgem contra ela, indo na contra mão daquilo que defendemos que é a democracia plena e sem arroubos autoritários.

No best-seller Como as Democracias Morrem, os professores de Havard Steven Levitsky e Daniel Ziblart identificam alguns pontos comuns para a ascensão de um regime autoritário. Um deles é a “propensão de restringir liberdades civis de oponentes, inclusive á mídia!. “Quando a democracia começa a ser ameaçada, asfixiada, começa com direitos de defesa sendo cassados, jornalistas e opositores sendo censurados, coagidos ou ameaçados”.

No artigo intitulado Liberdade de imprensa e democracia, publicado no jornal Estado de São Paulo, pag A2, 30/03/2019, dos autores Felipe Santa Cruz e Luiz Vianna Queiroz, eles dizem o seguinte “A insatisfação com a imprensa é lícita. E é um traço comum aos mandatários, aqui e alhures. A final é papel da imprensa manter postura crítica e independente em relação a todos os Poderes instituídos. Esse monitoramento do que fazem políticos e autoridades é uma das relevantes contribuições para o debate público e para o fortalecimento da democracia”.

“O arcabouço jurídico constitucional serve para permitir que a liberdade de expressão, incluída a de imprensa, seja exercida de maneira ampla e sem restrições, limitando-a exclusivamente, e por exceção, nos casos raros casos previstos na própria Constituição federal”, conclui os autores.

Vejamos como nossos magistrados estão na contra mão do que diz nossa Constituição Federal, o artigo 220 e em diversos incisos de seu artigo 5º assegura o acesso à informação, resguarda o sigilo da fonte (inciso XIV), assegura o acesso às informações de órgãos públicos (inciso XXX), protege a livre manifestação do pensamento (o inciso IV) e a liberdade de expressão (inciso IX), garante a inviolabilidade da vida privada (inciso X), o direito de resposta (inciso V) e o direito a indenização por dano material ou moral à intimidade à vida privada, à honra e à imagem das pessoas (inciso X).

Dai pode-se entender que se o que está na Constituição não for seguido á risca, principalmente por que tem a obrigação de fazê-la cumprir, estaremos á um passo de ter de volta um governo autoritário, ente democrático e reacionário, onde todos os direitos constitucionais serão subtraídos do povo brasileiro, quando e se isso acontecer ai então não poderemos mais chorar pelo leite derramado.

Juarez Cruz

Escritor e cronista

Salvador-BA

juarez.cruz@uol.com.br

A inquisição do Supremo Tribunal


Jeremias Macário

Há séculos, desde os tempos coloniais, os juízes no Brasil são vistos como deuses intocáveis do Olimpo, como na mitologia grega. Só os sumos sacerdotes e reis, como em outras civilizações antigas, podiam ir ao templo fazer suas oferendas e sacrifícios. Nesses rituais, os humanos eram, na maioria das vezes, os sacrificados vivos.
O povo os venerava de distante, como o nosso que tremia e ainda treme pisar os pés num Fórum e ficar diante de um magistrado. O ritual de tratamento é cerimonioso, e sua toga preta parece simbolizar que ele é um imortal e, por tal condição, não pode ser criticado, e quem se atrever a isso será severamente punido.
Assim está se comportando o Supremo Tribunal Federal com sua pesada inquisição, como o Santo Ofício, contra as veladas críticas da população nas redes sociais e veículos da mídia, isto em pleno século XXI de difíceis tempos em que tanto se clama por democracia e liberdade de expressão, garantidas pela Constituição de 1988. Os desabafos entalados nas gargantas sufocantes são dirigidos a alguns membros da corte que têm tomado posições até então suspeitas diante de evidências de crimes de corrupção, ladroagens e até de tráfico de drogas e armas.
A devassa aos críticos, como se ainda estivéssemos sob o poderio inquisitório do rei de Portugal, ou numa ditadura civil-militar do seu Tribunal Militar, está sendo feita por um ministro, indo de encontro à posição da Procuradora Geral da República, do Ministério Público e até de colegas e associações da classe que estão encarando a atitude como um ato de censura à plena liberdade de expressão.
INVESTIGA E JULGA
Millôr Fernandes já dizia que “jornalismo é oposição, o resto é armazém de secos e molhados”. O mais grave nesse triste episódio é que o próprio Supremo Federal está investigando o que considera como crime e, ao mesmo tempo, está fazendo o julgamento, o que constitui uma aberração jurídica. Quem investiga não pode julgar, como já opinou vários especialistas no assunto.
Pelas afrontas sofridas durante anos, pelas injustiças sociais, pelos desmandos das autoridades, pelas tragédias anunciadas no Brasil com milhares de mortes, pelos privilégios concedidos ao judiciário e ao legislativo, os quais afrontam a todos, pelos avanços das milícias e traficantes nas favelas que não são contidos pelos governantes (muitos políticos estão envolvidos como mafiosos), pela falta de educação e saúde e pelos desvios de conduta dos “homens deuses” das togas, o povo brasileiro tem razão de sobra de gritar e de xingar, até com certos palavrões ofensivos em momentos de raiva, contra membros de instituições que envergonham a nação e roubam a nossa autoestima e esperança de dias melhores e moralizantes.
Basta de se comportar como cordeiros ou gado marcado a ferro, basta de ouvir e aguentar tudo calado, basta de ser comodista e dizer que nada tem a ver, e não vai se meter nisso, basta de tanta alienação, basta de tantos desprezos destas castas que nos esnobam e fecham suas portas ao trabalho na semana santa e nos chamados “feriadões”, basta dos abusos de autoridade onde o cidadãos que paga os impostos têm que baixar a cabeça para não serem presos, Basta de nos tratarem como servos e súditos desses reis nus, basta de tanta opressão e de tantas asneiras e baboseiras!

Toffoli derruba liminar de Fux e autoriza entrevista de Lula a jornal


Em 2018, Ricardo Lewandowski havia autorizado o ex-presidente a falar à ‘Folha de S. Paulo’. Ex-deputado e líder do PT pedem imediato cumprimento

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, autorizou nesta quinta-feira, 18, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a conceder uma entrevista ao jornal Folha de S. Paulo.

Em seu despacho, Toffoli revogou a decisão do ministro Luiz Fux, que, em setembro do ano passado, suspendeu uma liminar concedida pelo ministro Ricardo Lewandowski que autorizava o petista a ser entrevistado. O caso será enviado para Lewandowski, que deverá determinar a autorização para a entrevista.

“Determino o retorno dos autos ao gabinete do relator para as providências cabíveis, uma vez que não há impedimento no cumprimento da decisão proferida pelo eminente relator nesta ação e naquelas apensadas”, afirmou Toffoli.

Com a autorização do presidente da Corte, o ex-deputado Wadih Damous e os deputados federais Paulo Pimenta, líder do PT na Câmara dos Deputados, e Paulo Teixeira, pediram ao STF imediato cumprimento da decisão.

“Acabo de assinar petição ao presidente do STF para imediato cumprimento de decisão do ministro Lewandowski, transitada em julgado, que autoriza o presidente Lula a conceder entrevistas”, diz Damous, em seu Twitter.

Wadih Damous

@wadih_damous
Acabo de assinar petição ao Presidente do STF para imediato cumprimento de decisão do Ministro Lewandowisk, transitada em julgado, que autoriza o Presidente Lula a conceder entrevistas. Pedido feito por mim, Paulo Pimenta e Paulo Teixeira. Proibição de censura vale pra todo mundo

A decisão de Toffoli ocorre após o recuo do ministro Alexandre de Moraes, que revogou a censura à revista Crusoé e ao site O Antagonista, que publicaram reportagem sobre o presidente da Corte.

Preso desde 7 de abril de 2018, o ex-presidente Lula não recebeu jornalistas na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba. No entanto, tem divulgado cartas e artigos em suas redes sociais e jornais. Mesmo quando foi autorizado a comparecer ao velório de seu neto, Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, vítima de infecção generalizada, causada pela bactéria Staphylococcus aureus, o petista não pôde dar nenhuma declaração à imprensa.

Caminhoneiros criticam alta do diesel e ameaçam greve em 10 dias


Grupo de caminhoneiros critica o aumento de dez centavos de real no valor do diesel anunciado nesta quarta feira, 17, pela Petrobras. Há ameaças de paralisação em todo o país em um prazo de, no máximo, dez dias.

“Esse governo está louco”, afirma o caminhoneiro Wanderlei Alves, conhecido como Dedéco, que foi considerado um dos líderes da greve de 2018. Segundo ele, dez centavos não é pouco para a categoria. Ele exemplifica dizendo que gasta 9.000 litros em combustível por mês e, com o aumento de dez centavos, o custo subirá em 900 reais.

“Eu deixei as minhas intenções bem claras para o governo federal. A paralisação estava marcada para o dia 21 de maio, mas, se houvesse aumento no preço do combustível, íamos parar tudo antes”, afirma Dedéco. Ele acrescenta que, se fosse por ele, a paralisação começaria já na segunda-feira, 22, mas, como o grupo precisa decidir em conjunto, o prazo não passaria de dez dias.

A solução defendida pelo caminhoneiro para o problema seria estagnar o preço do diesel até que haja um piso mínimo para o frete. “O preço do combustível sobe e o frete não. A conta não fecha.”

Ele ainda afirma que a liderança dos caminhoneiros que está em contato com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, não representa a classe. “Muitos deles nem têm caminhão. Eles não sabem o que é viver como a gente.”

Reajuste do diesel

Após a interferência da semana passada de Jair Bolsonaro na política de preços da Petrobras, que fez a companhia voltar atrás no reajuste divulgado, o presidente da companhia, Roberto Castello Branco, anunciou nesta quarta-feira, 17, aumento de R$ 0,10 no preço do diesel nas refinarias, para, em média, 2,2470 reais o litro. O novo valor já entra em vigor a partir desta quinta-feira, 18.

O reajuste é de 4,8%, em média, abaixo dos 5,7% que foram anunciados na semana passada e depois cancelados. Naquele dia, o aumento seria de R$ 0,12 –de 2,1432 reais para 2,2662 reais por litro. Segundo Castello Branco, a alta foi menor porque o frete marítimo caiu.

Questionado sobre o reajuste no diesel impactar na decisão dos caminhoneiros de fazer nova greve, Castello Branco afirmou que foi justamente essa preocupação que o fez adiar o ajuste na semana passada. “Todos nós sofremos com a greve dos caminhoneiros no ano passado. Foi com base nisso que sustei o ajuste”, disse.

Entenda o caso

Na quinta-feira, 12, a Petrobras anunciou um reajuste de 5,7% no preço do óleo diesel, mas mudou de ideia horas depois. A alta no preço do combustível seria a maior desde que os presidentes da República, Jair Bolsonaro, e da petroleira, Roberto Castello Branco, assumiram os cargos, e mediante a tensão com os caminhoneiros, Bolsonaro admitiu ter ligado para Castello Branco para conversar sobre o valor. Um dia após o episódio, as ações da Petrobras despencaram e a estatal perdeu 32 bilhões de reais em valor de mercado em apenas um dia.

No mês passado, a Petrobras, a pedido do governo diante de ameaça de greve dos caminhoneiros, estendeu o prazo de reajuste do combustível. A companhia se comprometeu a não fazer reajustes inferiores a 15 dias. Anteriormente, a empresa adotava uma política de mantê-los estáveis por curtos períodos de tempo de até sete dias.

A Petrobras tem informado que sua política de preços busca a paridade de importação, tendo como referência indicadores internacionais como câmbio e petróleo, em busca de rentabilidade. Eventuais perdas com a manutenção dos preços seriam evitadas com hedge.

Morre mais uma vítima dos elementos do Exército que executaram o músico no Rio de janeiro


Luciano Macedo, catador de materiais recicláveis, foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa; ele estava hospitalizado e morreu nesta madrugada; o presidente disse que os elementos não mataram ninguém

Creative Commons BR
Foto meramente ilustrativa

Mais uma vítima morreu em consequência da ação do Exército realizada em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, no último dia 7. O catador de materiais recicláveis Luciano Macedo foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa, alvejada por 80 tiros disparados pelos elementos  militares.

Luciano Macedo foi internado em um hospital da Baixada Fluminense e, após 10 dias, não resistiu aos ferimentos, e faleceu na madrugada desta quinta-feira (18).

No domingo, dia 7 de abril, Evaldo, a esposa, o filho de sete anos, o sogro e uma amiga da família trafegavam de carro por Guadalupe, quando foram surpreendidos por uma guarnição do Exército. Os militares, sem ao menos abordarem o veículo, dispararam mais de 80 tiros de fuzil no carro da família. Evaldo morreu no local. O sogro foi baleado, mas não corre riscos de morte. A esposa, o filho e a amiga, não se feriram. Luciano presenciou a ação, tentou ajudar a família e acabou atingido pelos tiros.

O Titanic e a Liga da Justiça: O governo que afunda na rua e no Tribunal


Rafael Nunes é advogado e empresário

Como o Titanic, em 1912, em mar aberto, o Governo Herzem Gusmão chega a sua segunda metade com água acima do pescoço. Se não bastasse a perda de apoio popular, o que já seria suficiente para o naufrágio eleitoral na eleição vindoura, o Prefeito enfrenta dificuldades com o Poder Judiciário.
Antes de chegar à Prefeitura, Herzem já era um conhecido da Justiça. Foi condenado (com trânsito em julgado) ao pagamento de indenização, ao lado da Rádio Clube, sua fiel parceira, ao então Prefeito, Guilherme Menezes, em razão de exageros cometidos no microfone da rádio, em suas tentativas de bombardear a reputação do então gestor. Nisso, convenhamos, ele tem know how. Clovis Flores, Margarida Oliveira, Pedral Sampaio, Coriolano Sales, Paulo Brito, dentre outros, foram algumas de suas vítimas.
Agora, desde 2017, na condição de Prefeito, Herzem continua recebendo intimações e citações para as provocações que a Justiça tem lhe feito. Desde a visita da Polícia Federal para apuração de dano ao Patrimônio Público (derrubada do muro do Ministério Público do Trabalho) até as decisões da Vara de Fazenda Pública em desfavor do seu Governo carcomido, sem esquecer dos inúmeros eventos nos quais o Ministério Público precisou intervir como fiscal da Lei.
Nos últimos dias, o Governo foi surpreendido com a decisão judicial de afastamento dos procuradores do município. Segundo o despacho interlocutório do Juízo, o referido afastamento deveria ocorrer no prazo de 120 dias, de modo que os nomeados fossem substituídos por concursados. Isso provocaria a demissão do Advogado Ademir Ismerin, que foi seu advogado na campanha eleitoral e trata dos seus processos pessoais. Ademir já prestou serviços advocatícios ao município via contrato, entretanto, houve recomendação do Ministério Público para reduzir o gasto nos referidos contratos. Herzem, sabido, driblou o Tribunal e o nomeou em cargo em comissão. Fez o mesmo com o Sr. Ricardo Ávila, esse, ligado à famosa PJ, outra consultoria do Governo Robinson Crusoé.

Viviane diz que prefeitura é inerte com relação ao caos do transporte público


Na Sessão Ordinária desta segunda-feira, 15, a líder da Bancada de Oposição, Viviane Sampaio (PT), começou sua fala parafraseando seu colega Cícero Custódio (PSL), dizendo que a Câmara não pode fazer as coisas de forma superficial, em referência à situação do transporte público.

Viviane também parabenizou o vereador Prof. Cori (PT) pela sua explanação de forma técnica sobre o caos do transporte em Vitória da Conquista e também parabenizou a lisura do governo do PT nos 20 anos em que ficou no poder na cidade e que durante esse período não houve qualquer tipo de condenação ou processo indicando corrupção dos ex-prefeitos Guilherme Menezes e Zé Raimundo.

A parlamentar também criticou o vereador Bibia (MDB) por este ter afirmado que o ex-prefeito Guilherme Menezes e a Viação Cidade Verde foram condenados na justiça. Segundo a vereadora, o processo judicial citado concluiu que não há indicação de ilicitude e que é reconhecido que o processo foi feito com transparência baseado na moralidade e legalidade, tendo decidido a Justiça que o ex-prefeito Guilherme e a empresa pagassem os honorários advocatícios.

A líder da Oposição ainda salientou que a sentença foi dada em maio de 2018, e no documento o juiz já determinava a necessidade de uma nova licitação e até o momento Herzem não a cumpriu. “Está vivendo de contratos emergenciais”, comentou Viviane.

A vereadora ainda afirmou que não adianta isentar a Cidade Verde do ISS se o problema não for cortado pela raiz e que o novo estudo encomendado pela Prefeitura só estará pronto em 40 dias, qualificando o Executivo Municipal como “inerte”.