Folclore Político

Opinião

Informativo

Tiros que mataram ‘capitão’ Adriano foram dados a pelo menos 1,5 metro, diz IML


O miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega foi morto por dois tiros de fuzil

O miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega foi morto por dois tiros de fuzil, de no mínimo um metro e meio de distância, e chegou ao Instituto Médico Legal de Alagoinhas, a pouco mais de 135 quilômetros de distância de Salvador, com os dois pulmões destruídos e o coração dilacerado. Os detalhes foram divulgados na tarde desta sexta-feira, 14, na sede do Departamento de Polícia Técnica, em Salvador.

Pela primeira vez depois da morte de Adriano, o médico responsável pela autópsia do corpo, Alexandre Silva, perito médico legista, deu detalhes sobre o estado do miliciano. A entrevista coletiva reuniu, também, o diretor do IML, Mário Câmara, e Elson Jefferson Neves da Silva, diretor geral do DPT-BA.

“Eram dois disparos de arma de fogo. Teve um primeiro, que passou por baixo do peito, saiu rasgando o pescoço, e entrou na submandibular. Eu encontrei o projétil na região do pescoço. O segundo foi na região da clavícula. Esse aqui entrou e saiu nas escápulas. Essas foram as lesões provocadas por armas de fogo”, explicou Alexandre.

O caminho das balas

Os tiros foram de fuzil, determinou a autópsia, mas o calibre ainda não foi determinado. O laudo parcial divulgado pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) ainda aponta seis fraturas nas costelas.

Os peritos negaram, diversas vezes, que o disparo tenha ocorrido numa distância de menos de um metro e meio. “Se você pega um fuzil calibre 762, por exemplo, bota perto da mandíbula, vai ter mandíbula para tudo que é lugar”, afirmou Mario. Logo depois, comparou: “Assistam ao assassinato de John Kennedy, explodiu a cabeça dele, isso o sujeito [o assassino] lá longe”.

Não se sabe quanto tempo, exatamente, Adriano ainda conseguiu sobreviver depois dos disparos. Mas acredita-se que, pelo menos, de 10 a 15 minutos. “É por isso que muitos policiais atiram até derrubar. O cérebro continua vivo”, tentou justificar Mario. Depois, o corpo do miliciano foi levado para o IML de Alagoinhas, a 72 quilômetros de Esplanada. A liberação aconteceu no dia seguinte e não se sabe, depois da retirada pela família, onde ele está. É o que afirmou a SSP-BA ao Estado. A família tentou autorização para cremar o corpo, mas a Justiça negou, na última terça, 12.

O perito também encontrou uma área de equimose avermelhada no peito e uma lesão “cortocontusa” na testa – atrito que machuca e corta, como quando uma pessoa recebe uma forte cotovelada ou um murro por exemplo. As equimoses são causadas por vasos rompidos, abaixo da derme (camada mais superficial da pele), causada por uma superfície, quando Adriano ainda estava vivo. “Foi de forma passiva ou ativa? Não sei. Isso foi antes dele morrer”, pontuou Mario. “Ele bateu, provavelmente, em alguma quina”, complementou.

‘Suposto perito’

Os peritos evitaram calcular a distância exata do tiro. Disseram que é “impossível” prever a distância, exceto se conseguirem recuperar a arma que fez o disparo, usarem munição similar e disparar contra um alvo repetidas vezes até que se faça uma marca igual na “zona de tatuagem” – causada pela absorção de partículas de pólvora que atingem o corpo da pessoa atingida por um tiro.

No entanto, Mario reforçou, quase em todas as respostas, que a distância está mais para “longa” – de um metro e meio a dois – que “curta”. Foi ele quem respondeu a maior parte das perguntas dos jornalistas. Elson Jefferson Neves da Silva, diretor geral do DPT-BA, disse que peritos não são acostumados – nem devem ser – a dar entrevistas. Mario fez questão de criticar os legistas entrevistados pela Veja.

“Na minha opinião, emitiram opinião de forma leviana. O ideal é ver o corpo, nós fizemos o ideal, o perito fez o ideal, levantou prova material”.

O diretor geral do DPT frisou que a perícia técnica não leva em consideração nenhuma opinião de terceiros, como entrevistas a policiais, quando questionado por jornalistas. Não foram informados outros detalhes além da perícia, como se Adriano foi encontrado com algum pertence ou dinheiro. “Eu analiso o que vejo”, disse Elson. Ainda restam três laudos – como o de balística – serem divulgados, mas nenhum dos peritos estipulou prazo.

Mais um coletivo ‘da prefeitura’ de Vitória da Conquista quebra e passageiro solta o verbo


O fato ocorreu nesta quinta-feira (13). O coletivo que atende a Lagoa das Flores quebrou, deixando os usuários na mão. Segundo o passageiro que gravou o vídeo, essa é a terceira vez nesta semana que um ônibus do mesmo itinerário quebra. Dessa vez o coletivo empacou na BR 116, altura do bairro Nossa Senhora Aparecida.

Vendedor Comercial e Juiz Aposentado Protesta contra Corrupção em Brasília


Protestou em Vitória da Conquista, o Personagem 94 de André Cairo, Presidente do Movimento Contra a Morte Prematura, Dr. Cau Sakurta Sentra Moya, com Placa, “Vendo Produtos de Limpeza e sou Juiz Aposentado contra Corrupção em Brasília”, elogiado por motoristas, pedestres, comerciantes, bem reflexivos!

Final dos anos 80 a 1990, aos 15 anos, Cau Sakurta, vendendo produtos de limpeza em Conquista, acompanhou o escândalo dos Anões do Orçamento, ficou horrorizado, mudou para Brasília, passou no vestibular para Direito, ficando entre os cinco primeiros colocados, concluiu, passando no Concurso para Juiz, é Palestrante por 12 Temas e seguiu em frente.

Como Juiz Criminal, reagiu contra o Mensalão e Petrolão até se aposentar, continua vendedor e 70 % da aposentadoria para Instituições de Caridade, aos pobres com doenças degenerativas e segue a luta, para que o Brasil sem tramóia se transforme numa Singapura, hoje a Oitava Maravilha do Mundo em País! Finaliza Cairo, com Slogan do MCMP, Consciência, Lógica e Razão.

Por: André Barros Cairo – MCMP Foto: Léo Carqueja

“Matei mesmo, mas eram todos bandidos”, diz deputado Éder a Glauber Braga


Em meio à confusão que se transformou a visita do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o deputado Glauber Braga (Psol-RJ) e Éder Mauro (PSD-PA) discutiram e quase se agrediram fisicamente, mas foram separados por colegas. Após a confusão Glauber falou para a imprensa que o deputado Éder havia confessado assassinatos. Procurado pela reportagem, Éder disse que o diálogo realmente aconteceu.

> Deputado confessa assassinatos e Glauber chama Moro de capanga da milícia; veja os vídeos

“Ele me chamou de miliciano e eu disse que já matei muita gente sim, mas eram todos bandidos”, afirmou Éder Mauro. O hoje deputado se refere ao tempo em que atuou como delegado de polícia no Pará.

Câmara festeja Joaquim Correia e aniversário da Lei Orgânica com a exposição “Conquista Republicana”


Imagem Câmara festeja Joaquim Correia e aniversário da Lei Orgânica com a exposição “Conquista Republicana”

A vida de Joaquim Correia de Melo, último intendente conquistense durante a Monarquia (1822-1889) e o primeiro da fase republicana, proclamada em 1889, é tema da exposição “Conquista Republicana”, aberta ao público na noite desta quinta-feira (13). A iniciativa é da Câmara de Vereadores por meio do Memorial Câmara. Além de Joaquim Correia, a exposição também retrata o aniversário de 30 anos da Lei Orgânica de Vitória da Conquista, discutida e aprovada pela Câmara entre o final dos anos 80 e início dos 90, no contexto da redemocratização brasileira e promulgação da Constituição Cidadã, 1988.

Participaram da solenidade de estreia da exposição, o presidente da Casa, Luciano Gomes (PL), o prefeito Herzem Gusmão, os vereadores Luís Carlos Dudé (PTB), Edjaime Rosa Bibia (MDB) e Rodrigo Moreira (PP), além de membros da administração municipal, ex-vereadores das legislaturas que discutiram a Lei Orgânica, parentes de Joaquim Correia, historiadores e memorialistas.

O presidente Luciano Gomes afirmou que retomar as atividades do Memorial é uma grande oportunidade. Ele explicou que em 2019 foram feitos todos os esforços para que o espaço fosse reaberto ao público. Na época, a atividade de reestreia foi uma exposição sobre o político, jornalista e poeta Maneca Grosso. De acordo com Luciano, o saldo é positivo, pois o Memorial recebeu visitantes ao longo de todo o ano. Para o parlamentar, a exposição atual é um reconhecimento merecido a personalidades que têm grande contribuição para o desenvolvimento do município.

Já o prefeito Herzem Gusmão destacou a ação da Câmara e a importância de muitas autoridades ao longo da história conquistense. Ele ainda apoiou a proposta de se criar uma medalha em homenagem a João Gonçalves da Costa, fundador do Arraial da Conquista, núcleo que deu origem a Vitória da Conquista.

A coordenadora do Memorial, Fabiana Prado, ressaltou que a exposição enfatiza a importância da autonomia do município desde a proclamação da República. Ela explicou que Joaquim Correia de Melo foi presidente do Conselho Municipal naquele período e ainda se tornaria o primeiro intendente eleito a se tornar chefe do poder Executivo de Conquista naqueles primeiros anos de República.

Homenagem – Joaquim Correia de Melo foi o primeiro intendente eleito na cidade de Conquista no período republicano. Na época, ele havia sido nomeado intendente interino, já que presidia o Colegiado Municipal, nome dado à Câmara daquele período. Sua administração aconteceu de 1891 a 1896. Intendente era uma figura da administração pública, uma espécie do que viria a ser a função de prefeito.

Muitos foram os serviços prestados por Joaquim Correia. São exemplos:

• Busca pela extinção do banditismo, que assolava o município desde 1895;

• Construção de um barracão para feirantes;

• Iluminação de ruas com lampiões;

• Criação da guarda municipal;

• Também sancionou as primeiras leis municipais, dentre as quais a que obrigava o registro do ferro do gado nos livros de marca de fogo.

Lei Orgânica Municipal – A Constituição Cidadã, promulgada em 1988, é um marco de um dos mais importantes momentos da História do Brasil, a redemocratização. Entre as inovações, a nova Constituição trouxe a obrigatoriedade da Lei Orgânica para os municípios (art. 29). Naquele mesmo ano, cidades de todo o país passaram a discutir as competências das câmaras e prefeituras.

Governo vende mais reservas para tentar segurar o dólar após fala desastrosa de Guedes sobre domésticas na Disney


Mesmo fazendo leilões de US$ 1 bilhão por dia, o governo mal consegue conter a desvalorização do real

(Foto: REUTERS/Marcos Brindicci)

Agência Brasil – A atuação do Banco Central (BC) no mercado futuro de câmbio fez a cotação do dólar norte-americano cair pelo segundo dia seguido. O dólar comercial encerrou esta sexta-feira (14) vendido a R$ 4,301, com queda de R$ 0,034 (-0,79%).

A divisa operou em queda durante toda a sessão. Na mínima do dia, por volta das 16h30, o dólar chegou a ser vendido a R$ 4,294, mas a cotação voltou a ficar acima de R$ 4,30 nos minutos finais de negociação. A divisa encerrou a semana com queda de 0,84%. Esta foi a primeira vez no ano que a moeda registrou queda semanal. Em 2020, o dólar acumula alta de 7,18%.

Assim como ontem (13), o BC vendeu US$ 1 bilhão em contratos de swap cambial, que equivalem à venda de dólares no mercado futuro. O BC não anunciou leilões de novos contratos de swap para segunda-feira (17), apenas a continuação da rolagem (renovação) de US$ 650 milhões diários que está sendo feita desde o início do mês.

O mercado de ações não foi influenciado pelo câmbio e teve a sessão mercada pelo nervosismo. Pelo segundo dia seguido, o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), caiu. O indicador fechou o dia com queda de 1,11%, aos 114.380 pontos. Depois da divulgação pelo Banco Central de que a atividade econômica caiu 0,27% em dezembro, o índice acelerou a queda.

Nas últimas semanas, o dólar tem sido pressionado. Entre os fatores domésticos, está a decisão recente do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central de reduzir a taxa Selic – juros básicos – para 4,25% ao ano, o menor nível da história. Juros mais baixos desestimulam a entrada de capitais estrangeiros no Brasil, também puxando a cotação para cima.

No cenário externo, o receio de que o surto de coronavírus traga impactos para a China planeta prejudica o Brasil. Isso porque uma eventual desaceleração do país asiático, o maior comprador de produtos brasileiros no exterior, pode reduzir as exportações de produtos primários. A queda das vendas externas diminui a entrada de dólares no país, também pressionando o câmbio.

Alunos do 4º ano envenenam professora em sala de aula de escola de São Paulo


Alunos do 4º ano envenenam professora em sala de aula de escola de São Paulo

Foto: Reprodução/Pixabay

Alunos do 4º ano de uma escola da cidade de São Paulo envenenaram uma professora na tarde desta quinta-feira (13). Os estudantes têm idades em torno de 10 e 11 anos e colocaram veneno para insetos na garrafa da professora.

A mulher se sentiu mal e foi encaminhada pela equipe da escola para uma unidade de saúde. A professora foi medicada e recebeu alta no mesmo dia.

Contatada pelo Estadão, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo repudiou o episódio e informou que registrou um boletim de ocorrência. O caso será acompanhado pelo Conselho Tutelar. “Os responsáveis pelos alunos foram chamados e será realizada uma reunião para definir as medidas que serão adotadas aos estudantes”, afirma o órgão em nota.

Paulo Guedes atribui fala sobre empregadas domésticas à profissão de professor


Ministro da Economia voltou a falar sobre polêmica

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, justificou novamente sua fala sobre a alta do dólar, quando afirmou que antes, com o dólar a R$ 1.80, “até empregada doméstica” viajava para a Disney, nos Estados Unidos.

Em evento com empresários nesta sexta-feira (14), Guedes afirmou que, como professor, costuma dar exemplos para ilustrar o que fala e que não houve intenção pejorativa.

Nos últimos dias, tanto o governador Rui Costa (PT) como o prefeito ACM Neto (DEM) criticaram a fala de Paulo Guedes.

Segundo Rui, as declarações do ministro são reflexo da “herança escravocrata” do país. Neto pontuou que, na falta do que falar, Guedes poderia ter ficado calado a dizer bobagens.

Eike mostra contrato da propina a Aécio, que passou por Alexandre Acioly


O repasse seria em troca de favores em atos do governo de Minas, que estava sob influência do deputado Aécio Neves. Eike Batista tenta celebrar um acordo de colaboração premiada com a PGR

Eike Batista e Aécio Neves
Eike Batista e Aécio Neves (Foto: Reuters | Lula Marques)

 O empresário Eike Batista apresentou à Procuradoria Geral da República um contrato celebrado com a empresa Aalu Participações e Investimentos S/A, que pertence a Alexandre Accioly, como prova de que pagou propina de R$ 20 milhões ao deputado Aécio Neves (PSDB-MG) em 2010. O empresário negocia um acordo de delação premiada com procuradores.

Segundo o blog da jornalista Bela Megale, do jornal O Globo, o pagamento de fato ocorreu no mesmo período de um outro aporte feito pela empreiteira mineira Andrade Gutierrez para a mesma empresa de Accioly, no valor de R$ 35 milhões.

Assim como fez Eike, executivos da empreiteira mineira sustentaram que o repasse era propina para Aécio. Eles já prestaram depoimento à Polícia Federal (PF), que está prestes a apresentar relatório final sobre essa investigação.

Gabinete de Carlos Bolsonaro recebeu investigados na rachadinha pouco antes de seus depoimentos


Reportagem bombástica do jornal O Globo revela que ex-assessores do bolsonarismo investigados no esquema da rachadinha, que consiste no desvio de salários para pagamento de despesas da família presidencial, foram recebidos pelo gabinete de Carlos Bolsonaro

Carlos Bolsonaro
Carlos Bolsonaro (Foto: Renan Olaz/CMRJ)

Uma reportagem que acaba de ser publicada pelo jornal O Globo revela que Carlos Bolsonaro pode ter orientado os depoimetos de quatro ex-assessores investigados no esquema da rachadinha. “Imagens da portaria e documentos da Câmara Municipal do Rio obtidos pelo GLOBO via Lei de Acesso à Informação revelam que quatro ex-assessores do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) investigados pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) estiveram no gabinete do parlamentar no Palácio Pedro Ernesto, em 30 de outubro do ano passado. Esses ex-funcionários prestaram, no mesmo período, depoimentos no âmbito do procedimento de investigação sobre as suspeitas de rachadinha ligadas ao gabinete de Carlos, que estava na Câmara no dia das visitas. Um ex-auxiliar do hoje senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), também investigado, esteve no gabinete de Carlos no mesmo dia. Nenhum deles frequentava mais a Câmara regularmente”, aponta reportagem do jornal.

“Flávio, Carlos e os ex-assessores são alvos do MP-RJ em procedimentos sobre suspeitas de uso de funcionários fantasmas para devolução de salários, a prática conhecida como rachadinha. As visitas desses ex-auxiliares do vereador, filho do presidente Jair Bolsonaro, são incomuns. Dois deles, que são irmãos, constaram como assessores de Carlos entre 2001 e 2008, e a Câmara não tem registro de visita dos dois ao gabinete desde 2015. Eles entraram no Palácio Pedro Ernesto junto com a mãe no dia 30. Ela foi exonerada no início do ano passado e também não tinha mais retornado ao local”, aponta ainda a reportagem. “Os dados e fotografias da Câmara Municipal mostram que, em 30 de outubro, Carlos Bolsonaro registrou presença no plenário da Casa às 14h15m. No entanto, a sessão daquele dia ficou suspensa até as 15h40m. Ele só surgiu nas imagens da sessão no plenário às 16h12m quando votou pela primeira vez. Carlos esteve no plenário até as 17h36m, quando votou pela última vez naquela tarde. Depois disso, não foi mais visto no plenário.”

Uesb divulga a lista de espera do Sisu 2020.1


A lista de espera do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para os cursos de graduação da Uesb, com ingresso no primeiro período letivo de 2020, foi publicada. A relação dos candidatos suplentes, por curso, pode ser conferida aqui.

A segunda chamada e futuras convocações serão divulgadas posteriormente, seguindo a ordem de classificação, desde que haja vagas remanescentes. A Universidade informa, ainda, que as vagas para os cursos do segundo semestre serão publicadas por meio de um novo Edital.

Em caso de dúvidas, entre em contato com a Gerência de Acesso e Acompanhamento (GAA) pelo telefone (77) 3424-8721

Vestibular para Medicina da Unesulbahia está com inscrições abertas até quinta-feira (13)


IMG-20200211-WA0014

Processo seletivo acontece em 16 de fevereiro em Vitória da Conquista e mais três cidades da Bahia

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo de Medicina da Unesulbahia. Os interessados em concorrer a uma das vagas têm até 13 de fevereiro para preencher a ficha de inscrição disponível no site www.unesulbahia.com.br. As provas acontecerão no dia 16 de fevereiro em quatro cidades da Bahia – Vitória da Conquista, Eunápolis, Salvador e Itabuna. Mais informações podem ser conferidas no edital disponível no portal.
O vestibular de Medicina da Unesulbahia será composto por 55 questões objetivas sobre Língua Portuguesa, Língua Estrangeira, Matemática, Ciências Humanas e da Natureza, além de uma Redação. O resultado será divulgado no dia 19 de fevereiro e os candidatos deverão se matricular nos dias 20 e 21 de fevereiro pela internet, por meio do site ou presencialmente na faculdade. O início das aulas está previsto para o dia 2 de março.

Serviço| Medicina na Unesulbahia – 2020.1
Inscrições: www.unesulbahia.com.br
Prazo para inscrição no vestibular: 13 de fevereiro
Provas: 16 de fevereiro no Centro Universitário UniFTC de Vitória da Conquista
Início das aulas: 02 de março