Luiz Viana rebate acusações sobre aluguel pago pela OAB em Brasília


“Fui eleito para a diretoria do Conselho Federal e fui o único dos diretores que se disponibilizou a residir em Brasília”, disse Viana em nota

Foto: Rodrigo Daniel Silva/bahia.ba

Foto: Rodrigo Daniel Silva/bahia.ba

O vice-presidente da OAB Nacional e candidato a conselheiro federal na chapa União pela Advocacia, Luiz Viana, rebateu nesta segunda-feira (22) acusações feitas por adversários políticos a respeito de aluguel em Brasília. Viana explicou que, quando eleito para a diretoria do Conselho Federal, foi o único dos diretores que se disponibilizou a residir em Brasília e, por isso, o órgão arcou com suas despesas de residência na capital federal.

Segundo ele, o custeio de moradia de diretores na capital federal é uma prática comum nas gestões da OAB nacional. Neste triênio, a diretoria do Conselho Federal determinou, em ata do dia 9 de abril de 2019, o custeio de residência fixa de todos os diretores em Brasília.

Diz o documento que “tendo em vista as atribuições de gestão, que demandam a permanência contínua da Diretoria na sede da Entidade, bem como o custo-benefício em face dos gastos de hospedagem, decidiu o colegiado, por unanimidade, determinar o custeio de residência fixa de seus membros em Brasília/DF, contemplando todas as despesas correspondentes”

“Fui eleito para a diretoria do Conselho Federal e fui o único dos diretores que se disponibilizou a residir em Brasília. Nada mais justo portanto que o Conselho Federal deva arcar com as despesas do aluguel na capital federal. Até porque o aluguel de um apartamento em Brasilia é bem mais barato do que o custo mensal do hotel onde os diretores e os conselheiros federais se hospedam”, afirmou.

Luiz Viana também criticou a postura da candidata Ana Patrícia, que atacou o ex-aliado durante debate realizado na TV Band nesta segunda-feira (22). “Só posso lamentar que Ana Patricia tenha chegado num nível tão baixo em sua campanha, tentando distorcer fatos e informações de forma tão desonesta. Lamento mais ainda esse comportamento de uma pessoa a quem tanto ajudei, um comportamento ofensivo com objetivo meramente eleitoreiro”, disse.

Ele esclareceu ainda que não está lotado no gabinete da representação do governador da Bahia na capital federal. Ele continua lotado na procuradoria judicial do Estado, estando em exercício cumulativo em Brasília.

O vice-presidente da OAB Nacional apontou que adversários que bancam a campanha da candidata têm a intenção de impedir um projeto de uma Ordem “livre, independente, e que não sirva aos donos do poder”. “Esses adversários bancam uma campanha milionária, com festas e um comitê suntuoso”.

Luiz Viana disse também que a advocacia não vai aceitar esse tipo de comportamento e vai responder nas urnas no dia 24 de novembro. “As acusações levianas que levantam contra mim falam na verdade muito mais do caráter de quem me acusa. A advocacia jamais vai aceitar esse tipo de comportamento numa campanha eleitoral. E vai responder nas urnas no dia 24 de novembro votando em Dani e Chris, votando 86, para construirmos um novo tempo na advocacia baiana”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *