Folclore político conquistense: A injeção da verdade