A ignorância é a raiz do preconceito


*Lucas Nunes

O país assistiu estupefato, em um programa televisivo, que tenta decalcar um roteiro norte-americano, uma suposta jornalista, que deveria reunir conhecimentos mínimos para apresentar um programa culinário, afirmar que carne de bode é um alimento consumido por pessoas que “possuem pouco”.
O programa “Mastercheff, pelo próprio nome, demonstra a falta de identidade cultural. Em um país de idioma tão rico, a utilização de estrangeirismo para dar nome ao programa de uma grande rede de televisão, por si só já revela a total dominação cultural.
É inequívoco que conhecer músicas, culinária, a arquitetura de outros países que estejam do outro lado do mundo, com extrema facilidade e com custo baixíssimo é uma maravilha.
Todavia, não podemos perder de vista que a humanidade se constituiu com a dispersão sobre terras emersas, com formação diferenciada de língua, costumes e culinária em cada sociedade.
Infelizmente, não causa espanto que um humorista opaco, sem brilho algum, em fragorosa decadência tenha dito que carne de bode não parece comestível. De outro modo, esperava-se que uma suposta jornalista que durante anos ocupou cadeiras de destaque nas maiores redes de televisão do país tivesse um mínimo de conhecimento sobre a formação cultural e histórica deste país.
Não, Dona Ana Paula Padrão! O bode não é um animal dos que “possuem pouco”. A carne de bode é muito apreciada pela alta gastronomia, e apresentadora de um programa culinário deveria ter esse conhecimento básico.
O bode é um animal extremamente resistente e perfeitamente adaptado ao semi-árido. São animais de uma carne saborosíssima e absolutamente sadia (a carne vermelha mais saudável que existe), um couro festejado no mundo inteiro. As cabras produzem leites de composição nutricional riquíssima, queijos aplaudidos nos maiores concursos mundiais. A caprinocultura foi e continua sendo essencial para a formação do Nordeste. São animais de uma beleza e altivez impar.
Lamentavelmente, a imensa maioria da população, assim como o humorista decadente e a apresentadora preconceituosa ignora completamente a maravilhosa culinária regional de todas as regiões brasileiras, inclusive a fantástica carne de bode, ao passo que festejam os temakes, shushis, cupcakes e palhas italianas como se fossem manjar celestiais.
Não. A carne de bode não é alimento dos que “possuem pouco”. Em hipótese alguma. Pelo contrário, as pessoas que fizeram as afirmações abjetas é que revelam possuir muito pouco. Pouquíssima cultura, nenhum respeito, identidade cultural nula. Mas, muitíssima ignorância e preconceito transbordante.
As declarações escancaram que não podemos confundir riqueza com dinheiro, conhecimento com letramento. Pessoas que certamente possuem contas bancárias com soma vultosas demonstraram uma pobreza cultural e de espírito de dar pena. Indivíduos que tiveram todas as oportunidades e acesso às melhores escolas revelaram uma ignorância abissal.
O bode é rico, forte, inteligente e bonito. Miserável e ignorante é o preconceituoso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *