Haroldo Lima


Ruy Medeiros

Não deixo passar o dia de hoje sem uma homenagem a Haroldo Lima.

Falecido ontem, aos oitenta e um anos de idade, Haroldo Lima teve percurso de vida memorável: ainda estudante secundarista, militou na JEC – Juventude Estudantil Católica, que desenvolvia atividade de formação e de atuação de acordo com a doutrina social da Igreja. Universitário, esteve na JUC – Juventude Universitária Católica e, depois, na Ação Popular, expressivo grupo político, nascido do avanço do socialismo entre católicos e alguns protestantes.

Quando da cisão da Ação Popular, Haroldo Lima ficou com aqueles que aderiram ao PCdoB. Lutou clandestinamente contra a ditadura militar (1964-1985), tendo sido preso e julgado em auditoria militar. Algum tempo na prisão, apoiou com outros presos, a fuga de Theodomiro Romeiro, que se sentia ameaçado de morte quando da Anistia, a qual, apesar de recíproca, não era aceita por alguns círculos militares. Teve ampla circulação o Comunicado de Haroldo sobre a fuga de Theodomiro: “Porque Theodomiro Fugiu”.

Haroldo foi parlamentar de partido, mas não se furtava ao diálogo. Sua atuação, após mandato de Deputado Federal, na Agência Nacional do Petróleo, foi considerada produtiva e correta.

Haroldo deixou livro escrito sobre JUC/AP, que é uma das fontes de conhecimento da atuação de jovens que contribuíram – e muito – pela liberdade em nosso País. Êle, sertanejo de Caetité, Bahia, Inclusive.

Fui seu amigo. Sinto seu desaparecimento. Fica a memória de sua luta.