Parabéns: Comemoração dos 70 anos de Neuton Lima e Silva


 

O Neutão das Caraíbas!!!

O Netão da Caraíbas!!!

O Neutão de Cila e IÔIÔ!!!

 

E como já afirmava Rubem Alves…é preciso

reverenciar a vida….

 Parabéns Neuton!!!

 

A quem com muita maestria, reverencia a vida e as suas origens…

 

Em 23 de Janeiro de 1951, nasceu Neuton!

Filho de Aureo Ribeiro e Silva e Hercilia Lima e Silva.

Avós maternos: Antonio Daniel de Lima e Ana de Souza Lima.

Avós paternos: Manoel Ribeiro e Delmira Ribeiro do Divino.

Irmãos: Ivone, Aurecília, Milton, Noemia, Ione, Alexandre e Ivana.

            

Hercília e Aureo ( Iôiô).

 

Segue aqui um breve texto, para homenagear a quem tem alma de historiador e poeta.

A fama já se faz presente. Neuton, gosta mesmo de registrar, narrar acontecimentos  e relatos  históricos dos familiares e amigos. É com entusiasmo que coleciona fotografias e elabora homenagens. Comprovando assim, a sua grande atenção com a vida e com as pessoas. O que caracteriza a essência de quem percebe a existência,  como uma grande dádiva  de Deus.

Sendo assim, então é válido homenagear o aniversariante, contando também um pouco da sua história, da sua vida.

 

Conhecendo um pouco sobre o  aniversariante….

            

Neutão das Caraíbas ou de Caraíbas…

Nasceu na Vila de Caraíbas ( atualmente cidade). Na época do seu nascimento, Caraíbas, configurava-se como um distrito, pertencente a Tremedal.

 

Casa onde Neuton, nasceu. Na Fazenda Lagoa das Flores, na zona rural de Caraíbas. Proprietários:  Antonio Daniel de Lima e Ana de Souza Lima, avós maternos de Neuton.

 

Cresceu como uma criança do interior,  na companhia de muitos amigos e parentes. Desde pequeno, demonstrava muita  inteligência e alegria , dividindo o seu tempo nas brincadeiras, travessuras, banhos de rio… Sempre em companhia dos  amigos e irmãos. Uma  vivência calma,  em  uma vila,  situada à beira do rio gavião.

 

“Pela sombra do vale do ri Gavião..
Os rebanhos esperam a trovoada chover
Num tem nada não tembém no meu coração…Vô ter relampo e trovão
Minh’alma vai florescer…”

Elomar Figueira

 

 

 

O pequeno professor…..

O menino Neuton, era mesmo muito inteligente e prestativo. Começou a estudar e conseguindo êxito na aprendizagem, se juntou com um amigo, o Joaquim de Fidélis, e começaram a ministrar aulas para pessoas adultas e idosas da Vila. O mais curioso, de tudo isso, é que estes meninos, foram conduzidos  para a delegacia. Sim, na delegacia! A escola improvisada, começou a funcionar em uma sala da delegacia. Neste espaço, as duas crianças, com idade próxima aos dez anos, iniciaram um curso de alfabetização para adultos, tendo como base a cartilha do Mobral.

Empreendendo o seu próprio comércio…

Neuton, desde cedo, era mesmo cheio de vivacidade. Ajudava o seu pai nos afazeres e ainda realizava pequenos trabalhos, em diversos lugares, como na farmácia, no cartório, na Usina de algodão,  a quem precisasse dos serviços de um menino de bom ânimo e coragem, ele estava presente.

E assim  foi crescendo. Com quinze anos, começou a empreender como comerciante. Idealizou e montou a sua primeira barraca de variedades. Os mais diversos produtos eram encontrados em sua barraca, como: perfumes, a exemplo do cashmere bouquet e flor de maçã. Vendia também óleo de babosa, brilhantina, vasilhas de alumínio, linhas, pó, rouge, sandália, sutiã e outros artigos. Comércio este realizado nos dias das feiras e missas.

E assim já um rapazinho, resolveu continuar os estudos, em Vitória da Conquista. Vindo morar na casa dos tios. Na casa da tia Rachel e da tia Naná, em 07 de agosto de 1967.

A vida na cidade, favoreceu alguns encantamentos, entre eles: a beleza da antiga praça Jardim das Borboletas. Este espaço tornou-se um local de refúgio, para amenizar a grande saudade dos irmãos, pais e amigos, que em Caraíbas permaneceram.

Algo surpreendente, também  o ajudou a seguir o novo caminho, a fé e a sua devoção à Nossa Senhora das Vitórias. É com emoção, que constantemente visita à catedral, para realizar  as suas orações  e solicitar à intercessão de Nossa Senhora em sua vida.

A rotina do trabalho….

Assim que chegou, Neuton, começou a trabalhar. Trabalhou em vários lugares, sendo eles: Casa Sufi, Representação de Sr. Geraldo, Distribuidora de remédios, Dilubra, Armarinho Ipiranga, Codisman, Mercan, Eletrônica Quadros, Credilar, Insinuante . Por onde passou deixou a sua marca de comunicador e comerciante.

 

 

Como todo jovem, perseguiu os sonhos de estudar , casar e constituir uma família. Sendo assim, em 19 de Junho de 1976, casou-se com Ornélia Rosa Lima e Silva. Formando uma linda família. Sendo pai de : Thais Lima e Silva, Ian Lima e Silva e Winnie Lima e Silva.                    É também avô de Arthur e Théo.

O ano de 1976, também foi de outra grande realização, em dezembro de 1976, terminou o ensino médio, concluindo o curso de contabilidade. No Colégio Centro Integrado de Educação Navarro de Brito(CIENB).

 

Refletindo com Guimarães Rosa…

https://www.google.com/search?q=guimar%C3%A3es+rosa+frases+travesia+o+real&tbm=isch&ved=2ahUKEwjbrer41qjuAhU8LLkGHZ3HCzIQ2-cCegQIABAA&oq=guimar%C3%A3es+rosa+frases+travesia

 

A frase é propícia para entendermos um pouco do nosso aniversariante. As buscas que realizou, exigiram dele mudanças de curso, reflexão e coragem.

 

 Está presente entre nós, como um grande entusiasta, pela vida, pelos amigos e pela família.

Afirmando a fé e encontrando os caminhos para a felicidade. Deixamos aqui registrado o nosso amor à você, nosso querido e amado Neuton.

Parabéns pelo bom ânimo e coragem, demonstrado no viver!!!

 

 

Samuel e Neuton ( Sobrinho e tio). Aniversariantes do dia 23 de Janeiro. Sempre festejam juntos o aniversário.

Feliz aniversário!!!! Parabenizamos pela sua presença significativa entre nós!

É um ser humano precioso!!

Com todo nosso amor! A nossa homenagem!  Abraços dos Familiares e amigos. Deus te proteja!

 Família Lima e Silva

Texto: Ivana Lima e Silva

 

 

“ Saber envelhecer é sinal de sabedoria,

é superar as limitações da vida terrena, vivendo mentalmente na eternidade.”

 

Neutão das Caraíbas