MP vai apurar conduta de prefeito de Candiba que se vacinou antes de grupo prioritário; gestor justificou que ato foi para incentivar população


 

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) informou que vai apurar o caso do prefeito de Candiba, Reginaldo Martins Prado (PSD), que fez postagem no perfil da Prefeitura, na terça-feira (19), mostrando ele sendo vacinado contra a Covid-19.

O problema, de acordo com informações do G1, é que ele não está incluído nos grupos prioritários, determinados no plano do governo estadual. São prioridade neste primeiro lote da vacina: trabalhadores da saúde, pessoas de 60 anos ou mais que vivem em abrigos, pessoas com deficiência institucionalizadas, população indígena vivendo em terras indígenas.

Em nota, o MP-BA disse que tomou conhecimento do fato e informou que “tomará as medidas cabíveis para apuração do mesmo, que, a princípio, pode se configurar como crime de prevaricação e ato de improbidade administrativa”.

Reginaldo contou ao G1 que tomou a iniciativa para incentivar a vacinação da população, que não compareceu ao posto de saúde, porque estaria com receio de receber o imunizante. Segundo ele, a cidade recebeu 100 doses da CoronaVac.