Eduardo Cunha conclui livro sobre o golpe de 2016 e revela: Temer foi o grande conspirador


Livro-bomba “Tchau Querida, O Diário do Impeachment”, do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso pela Lava Jato, aponta Michel Temer como “o grande conspirador” do golpe que resultou no impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, em 2016

Eduardo Cunha e Michel Temer
Eduardo Cunha e Michel Temer (Foto: Lula Marques/Agência PT | Alan Santos/PR)

O ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, preso pela Lava Jato, concluiu o livro que conta os bastidores que levaram ao impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, em 2016. Segundo a Coluna Radar, da revista Veja, “Cunha conta em detalhes como o vice de Dilma atuou ativamente para tomar o lugar da petista e “é pintado como o grande conspirador” responsável pelo golpe parlamentar.

Ainda segundo a reportagem, o livro-bomba “Tchau Querida, O Diário do Impeachment” terá 740 páginas e irá “revelar detalhes aterradores dos conchavos que marcaram a queda da petista”. A obra também traz detalhes sobre a participação de Rodrigo Janot, Sergio Moro, do deputado e atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) no golpe.

No livro, Cunha afirma que Maia era “um personagem desesperado pelos holofotes do impeachment de Dilma” e pleiteava assumir a relatoria da Comissão Especial do Impeachment. Cunha, porém acabou vetando o nome do democrata por achar que ele não teria forças para levar o processo adiante.

Eduardo Bolsonaro encontra nos EUA empresário que defende golpe de Trump
Almirante Othon diz que foi preso na Lava Jato por contrariar interesses internacionais
O livro está em fase final da revisão de texto, apesar da editora que lançará a obra ainda não ter sido definida. As negociações para a publicação estariam mais avançadas com a Matrix Editora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *