Pastor Everaldo, que “batizou Bolsonaro”, negocia delação premiada; rato abandonando o navio


O político está preso há um mês, em razão dos escândalos de corrupção no governo de Wilson Witzel

(Foto: Reprodução)

O jornalista Lauro Jardim informa em sua coluna deste domingo, no jornal O Globo, que o político conhecido como Pastor Everaldo, do PSC, preso há um mês acusado de liderar esquemas de corrupção no governo de Wilson Witzel, afastado do cargo, negocia uma delação premiada.

Everaldo foi quem “batizou” Jair Bolsonaro no rio Jordão, em Israel, num dos atos de lançamento de sua candidatura presidencial. Witzel foi afastado do cargo pelo STJ e irá responder a um processo de impeachment no Rio de Janeiro.