Ao completar 42 anos, Polo reafirma ideal de crescimento superando adversidades


Mesmo em cenário tão adverso, como o causado pela pandemia da Covid-19, o Polo Industrial de Camaçari completa 42 anos no dia 29 de junho, mantendo a disposição para superar desafios, ampliando seu horizonte competitivo para continuar como grande vetor de desenvolvimento da Bahia e, especialmente, dos municípios vizinhos de Camaçari e Dias d´Ávila. A atitude dominante entre as empresas que integram o Complexo Industrial – o maior do Hemisfério Sul – é unir esforços para sair deste difícil momento econômico e social da melhor forma possível, atuando com a versatilidade necessária para criar novas oportunidades de investimento, gerar empregos e potencializar mercados.

As empresas do Polo têm demonstrado coesão e efetividade na adoção de medidas que visam a proteção à saúde dos seus trabalhadores, em paralelo a ações de responsabilidade social, incluindo doações que têm contribuído para o enfrentamento da própria pandemia, nas comunidades do entorno. Concentram esforços também para manter as operações industriais de forma segura e atender, com matérias-primas e outros itens essenciais, as cadeias produtivas nas áreas de higiene, saneantes, produtos de uso médico-hospitalar, alimentos, medicamentos, dentre outros, utilizados no combate ao Coronavírus.

Performance
Sempre com o foco na expansão, atraindo empreendimentos em diferentes segmentos industriais e impulsionando o desenvolvimento da Bahia, o Polo de Camaçari tem uma trajetória baseada na competitividade, diversificação industrial, complementação e adensamento de suas cadeias produtivas, padrões de gestão modernos e inovadores.

Manter-se competitivo é o principal desafio do Polo, compartilhado pelas mais de 90 empresas que o integram, representadas pelo Cofic (Comitê de Fomento Industrial de Camaçari). Essas empresas têm trabalhado firme nessa direção, em conjunto com o Governo do Estado, com as prefeituras dos municípios vizinhos de Camaçari e Dias d´Ávila e com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia/Fieb, dentre outros parceiros importantes, por acreditarem na integração operacional, uma das marcas do Complexo Industrial, como modelo empresarial vencedor, que lhe confere um potencial inquestionável de atratividade para novos investimentos.

Os números, que prevaleceram até o início da pandemia no Brasil, ilustram essa boa performance: faturamento anual de aproximadamente US$ 15 bilhões; vendas para o mercado externo correspondentes a cerca de 30% do total das exportações baianas; e contribuição em ICMS para o Estado da Bahia  da ordem de R$ 1 bilhão/ano. O Complexo Industrial responde ainda por mais de 90% da arrecadação tributária dos municípios de Camaçari e Dias D´Ávila e por cerca de 22% do PIB da Indústria de Transformação do Estado da Bahia.

Qualidade e produtividade; qualificação profissional; investimentos em tecnologias limpas; segurança e proteção ao meio ambiente; parceria com universidades, instituições de pesquisa e com a comunidade; programas de responsabilidade social. Estes são diferenciais do Polo de Camaçari que justificam sua trajetória bem-sucedida a ser mantida e ampliada também nas próximas décadas.

Empresas líderes

Atualmente o Polo Camaçari concentra suas atividades nos segmentos químico-petroquímico, de automóveis, liderado pelo Complexo Ford, pneus, metalurgia do cobre, têxtil, bebidas, celulose, fertilizantes, fármacos, energia eólica, bebidas e serviços (incluindo logística). Sua localização estratégica do Polo, no município de Camaçari, a 50 quilômetros de Salvador, permite fácil acesso às indústrias através das rodovias BA-093, BA-535 (Via Parafuso), Canal de Tráfego, ferrovias, portos e aeroportos.

Entre as empresas do Polo, destacam-se organizações líderes em seus segmentos, como a Braskem (líder em resinas termoplásticas na América Latina), a Paranapanema (principal produtor de cobre eletrolítico da América do Sul), a BSC (única indústria que produz celulose solúvel com alto teor de pureza em toda a América Latina), a Deten Química (única produtora no país de LAB – Linear Alquilbenzeno, matéria-prima básica para produção de detergentes biodegradáveis), além da Ford, Continental e a Bridgestone, nos segmentos automotivo e de pneus. No segmento eólico, com forte poder de crescimento, destacam-se indústrias como Siemens-Gamesa e Torrebrás.

Outros empreendimentos também se destacam, a exemplo Oxiteno, Bayer, Unigel e do Complexo Acrílico da Basf, que representa o seu maior desafio empresarial fora da Alemanha, com aportes superiores a R$1,5 bilhão. Em suas três unidades industriais no Polo de Camaçari, produz, em escala global, ácido acrílico, acrilato de butila e polímeros superabsorventes (SAP), utilizando como matéria-prima o propeno, fornecido pela Unidade de Petroquímicos Básicos da Braskem.

Essas novas rotas da produção em Camaçari vêm atraindo também indústrias de transformação como a Kimberly-Clark, que fabrica fraldas descartáveis e produtos de higiene pessoal a partir dos polímeros superabsorventes fornecidos pela Basf. O potencial de atratividade do Polo também fica evidenciado com a presença de empresas como Boticário, Knauf, Votorantim, dentre outras.

O Polo em números:

Início de Atividades: 29.06.1978

Empresas em operação: 90

Principais segmentos:

  • Químico – Petroquímico
  • Química Fina (fármacos)
  • Celulose
  • Têxtil
  • Metalurgia do Cobre
  • Fertilizantes
  • Automotivo
  • Pneus
  • Energia Eólica
  • Bebidas
  • Serviços

Investimento global: superior a US$ 16 bilhões

Empregos: 15 mil diretos / 30 mil indiretos

Faturamento: US$ 15 bilhões/ano

Exportações: mais de 30% do total exportado pelo Estado da Bahia

Impostos: R$ 1 bilhão/ano em ICMS(BA);

                   Mais de 90% da receita tributária de Camaçari e Dias D´Ávila

Participação no PIB da Indústria de Transformação/Bahia: 22%