O isolamento social e os desafios durante o enfrentamento ao Coronavírus


 

É necessário entender que estamos atravessando uma grave crise provocada pelo Coronavírus (Covid-19), que provocou uma situação de emergência sanitária e crise na economia mundial. A Organização Mundial de Saúde (OMS) classificou como pandemia, pois já levou milhares de pessoas à morte, e bilhões de pessoas ao isolamento social em diversos países do mundo. Portanto, é um desafio muito sério a ser enfrentado.
Na Itália o número de pessoas mortas já ultrapassou o da China, (o epicentro da pandemia), e as evidências mostram que isso ocorreu porque o governo italiano não fez o Isolamento social no momento adequado, ou seja, subestimaram a grave crise provocada pela pandemia do Covid-19, o que levou milhares de italianos à morte.

O melhor exemplo dado foi o da Coreia do Sul, onde fizeram o isolamento antes da pandemia se alastrar, e os resultados alcançados foram excelentes, o que reforçou a tese de que fazer o isolamento é o mais correto, porque comprovadamente ajuda a salvar vidas. Por isso, salvar vidas é o primeiro desafio.
O segundo desafio é criar uma rede de assistência e serviços, a exemplo de uma renda social para garantir os direitos básicos da população de baixa renda, dos autônomos, trabalhadores informais e dos trabalhadores que poderão ter seus contratos suspensos, e de todos os que estão desempregados, para que essas pessoas possam alimentar-se, ter acesso ao atendimento de saúde, higienizar-se, ter acesso contínuo aos serviços de fornecimento de água, energia e gás.

O terceiro desafio inclui os Governos Federal, Estaduais e Municipais, que devem criar um programa de recuperação da economia com financiamento público e, envolvendo as empresas, os comerciantes, também geradores de emprego e renda.

Para superar esta grave crise devemos somar esforços, independentemente de posicionamentos ideológicos, político-partidários ou religiosos. Somente assim construiremos uma solução diante de um problema que é mundial, e que os governos ainda estão aprendendo como enfrentá-lo.

Uma possibilidade que já discutem é a quarentena vertical, na qual apenas os grupos de riscos ficarão em casa. São discussões a serem feitas, mas ouvindo antes os especialistas e profissionais da saúde para que se garanta o controle sanitário.
A única certeza no momento é que devemos priorizar vidas e agir com responsabilidade social, fazendo o devido planejamento para recuperar a economia. Entendo que apenas dessa forma iremos atravessar esta grave crise.

Um abraço, Professor Cori. vereador em Vitória da Conquista

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *