Gabinete de Carlos Bolsonaro recebeu investigados na rachadinha pouco antes de seus depoimentos


Reportagem bombástica do jornal O Globo revela que ex-assessores do bolsonarismo investigados no esquema da rachadinha, que consiste no desvio de salários para pagamento de despesas da família presidencial, foram recebidos pelo gabinete de Carlos Bolsonaro

Carlos Bolsonaro
Carlos Bolsonaro (Foto: Renan Olaz/CMRJ)

Uma reportagem que acaba de ser publicada pelo jornal O Globo revela que Carlos Bolsonaro pode ter orientado os depoimetos de quatro ex-assessores investigados no esquema da rachadinha. “Imagens da portaria e documentos da Câmara Municipal do Rio obtidos pelo GLOBO via Lei de Acesso à Informação revelam que quatro ex-assessores do vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) investigados pelo Ministério Público do Rio (MP-RJ) estiveram no gabinete do parlamentar no Palácio Pedro Ernesto, em 30 de outubro do ano passado. Esses ex-funcionários prestaram, no mesmo período, depoimentos no âmbito do procedimento de investigação sobre as suspeitas de rachadinha ligadas ao gabinete de Carlos, que estava na Câmara no dia das visitas. Um ex-auxiliar do hoje senador e ex-deputado estadual Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), também investigado, esteve no gabinete de Carlos no mesmo dia. Nenhum deles frequentava mais a Câmara regularmente”, aponta reportagem do jornal.

“Flávio, Carlos e os ex-assessores são alvos do MP-RJ em procedimentos sobre suspeitas de uso de funcionários fantasmas para devolução de salários, a prática conhecida como rachadinha. As visitas desses ex-auxiliares do vereador, filho do presidente Jair Bolsonaro, são incomuns. Dois deles, que são irmãos, constaram como assessores de Carlos entre 2001 e 2008, e a Câmara não tem registro de visita dos dois ao gabinete desde 2015. Eles entraram no Palácio Pedro Ernesto junto com a mãe no dia 30. Ela foi exonerada no início do ano passado e também não tinha mais retornado ao local”, aponta ainda a reportagem. “Os dados e fotografias da Câmara Municipal mostram que, em 30 de outubro, Carlos Bolsonaro registrou presença no plenário da Casa às 14h15m. No entanto, a sessão daquele dia ficou suspensa até as 15h40m. Ele só surgiu nas imagens da sessão no plenário às 16h12m quando votou pela primeira vez. Carlos esteve no plenário até as 17h36m, quando votou pela última vez naquela tarde. Depois disso, não foi mais visto no plenário.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *