Pereira não paga, Unimec não atende e a população carente saúde sofre


O hospital Unimec anunciou que vai restringir atendimentos pelo SUS. O comunicado foi divulgado nessa quinta-feira (14).

De acordo com o hospital, a prefeitura está com pagamentos em atrasos e os valores são “bastante significativos”, entretanto o comunicado não informa o valor total do débito. Por conta da inadimplência da Prefeitura, a unidade comunicou que não tem como adquirir insumos para realizar atendimentos. Com estoque reduzido, o hospital optou em restringir atendimentos no final de semana prolongado, pois “reservamos o pequeno suprimento que ainda dispomos, para os casos de urgência em obstetrícia”.

Ainda segundo o hospital, a prefeitura tem conhecimento da restrição nos atendimentos e “já sinalizou o encaminhamento da atualização da situação”.  A unidade de saúde esclarece que a situação será normalizada com o recebimento dos pagamentos devidos pela Prefeitura.

Recentemente, Conquistenses tiveram atendimentos suspensos na Policlínica Regional e na emergência e em cirurgias eletivas no Hospital São Vicente. Os motivos foram os mesmos alegados pela Unimec.

No caso da policlínica, a Prefeitura negou existir débitos. A informação foi desmentida pela direção da Policlínica e pelo próprio secretário de Saúde, em reunião do Conselho Municipal de Saúde (Prefeitura de Conquista dá calote na Policlínica Regional; saúde beira o colapso). No caso do São Vicente, a Prefeitura chegou a afirmar que a unidade estava devendo ao Município. Um impasse foi criado, pois técnicos alegaram que os procedimentos adotados pela Prefeitura foram inadequados (Prefeitura atrasa repasse e provoca suspensão de atendimentos e cirurgias no São Vicente). Parte do débito foi pago e a unidade normalizou os atendimentos. Porém, anunciou que irá descontinuar a maternidade até 1º de dezembro (Hospital São Vicente pode fechar maternidade a qualquer momento, em Conquista).

o site  BConquista apurou que  a Prefeitura de Vitória da Conquista está inadimplente com algumas clínicas e também enfrenta dificuldades para honrar compromissos com a Unidade de Oncologia do Hospital Samur, que também atende pelo Sus. Todavia o prefeito Pereira Gusmão gasta o dinheiro público comprando fogos de artifício para comunicar inaugurações de restauração de obras em praças e avenidas, sem demonstrar qualquer preocupação com a saúde  da população mais carente, aquela que não contempla a beleza do ajardinamento de uma praça ou avenida em detrimento de sua saúde.