Olívia, a filha preferida…


*Edwaldo Alves – PT Conquista

Alguns pais, de maneira incompreensível, não conseguem disfarçar a sua preferência e atenção entre uma filha e outra. Não me compete e nem tenho a competência necessária para compreender as intricadas entranhas dos mistérios da mente humana e, muito menos, das difíceis e complicadas relações entre pais e filhos. Me esforço para errar pouco com meus próprios filhos. Mas, pessoalmente, não consigo aceitar tratamento desigual e menos afetivo que alguns pais distribuem entre seus filhos, apesar de saber que não são todos iguais, têm necessidades diferentes e merecerem a atenção paterna individual para se prepararem para o difícil aprendizado de viver.
Ouso fazer essas digressões, porque em sentido puramente figurado, creio que o prefeito H. Pereira, tem na av. Olivia Flores a sua rua preferida em detrimento de outras que merecem mais atenção e cuidado. Passo diariamente nesse lugar e percebo como ficou bonita. Faz lembrar, inclusive, o arco-íris LGBT. Muitas cores: vermelho, azul, amarelo, branco, cinza da calçada, verde da grama (ainda), além do preto do asfalto. Uma festa de cores que mostra muito para os olhos e pouco para a necessidade. E não se pode esquecer que a obra foi realizada com recursos deixados pela administração de Guilherme. No entanto, não posso deixar de comparar a prioridade dada a esta melhoria com a necessária extensão executada no governo de Zé Raimundo da mesma avenida até a UESB, substituindo o precário caminho que anteriormente conduzia à Universidade e àquela região.
Qualquer pessoa que circule na periferia da cidade e nos bairros populares admite que é duvidosa a prioridade/preferência dada à Olivia. O amplo trabalho de drenagem e pavimentação realizado nas regiões populares no período das administrações petistas, não conseguiu resolver totalmente este problema restando ainda muito por fazer nesses bairros. A parte da população mais pobre ainda é vítima da poeira no sol e da lama na chuva. Situação que nos faz duvidar se o embelezamento da Olivia, um logradouro pavimentado, urbanizado com os serviços essenciais seria a obra mais importante a ser realizada neste momento na cidade. Parece que as diretrizes da administração municipal atual é dar mais a quem já tem e não dar nada a quem tem pouco. Ao menos parte do dinheiro gasto na av. Olívia Flores poderia ser aplicado em bairros pouco assistidos pela estranha preferência do prefeito Pereira.
Para dissimular esta distorção, a proposta do governo de H. Pereira é atender algumas localidades populares por meio de empréstimos que poderão, a curto prazo, provocar muitas dificuldades futuras ao equilíbrio financeiro do município, prejudicando os segmentos mais pobres e serviços essenciais como saúde, educação e ações sociais. O projeto de Lei autorizando o empréstimo contou, até agora, com a aprovação unanime dos vereadores, inclusive, de oposicionistas, uma vez que não considero o voto solitário de um vereador como oposicionista porque não há como ser oposição ao que é igual a si mesmo. O vereador solitário que votou contra o projeto tem o pensamento igual e gestos reacionários, bolsonaristas e direitistas do prefeito.
A promessa de endividar a cidade para pavimentar alguns logradouros de alguns poucos bairros cheira mais à busca de instrumentalizar o dinheiro público, fruto de endividamento, para vantagens eleitorais. Não se sabe quais ruas serão beneficiadas permitindo-nos deduzir que serão contempladas aquelas que atendem os interesses eleitorais do momento. A preferência de embelezar a av. Olivia Flores decorre apenas de sua visibilidade, quanto à periferia esquecida o prefeito procura simplesmente esconder.
Ao passar diariamente pela predileta Olivia do prefeito claro que fico contente com a beleza do lugar, mas não consigo deixar de pensar nos bairros abandonados, nos serviços públicos de saúde e educação, no transporte coletivo, nos programas sociais, na zona rural abandonados e no claro interesse eleitoreiro da obra. Concluo que a av. Olivia Flores realmente ficou embelezada mas o preço a pagar é injusto e muito alto.
*Edwaldo Alves Silva – é filiado ao PT.