Porteiro que citou ‘seu Jair’ nega ter sido pressionado


Ele foi o responsável por autorizar a entrada do suspeito de assassinar Marielle Franco ao condomínio onde Jair Bolsonaro tem casa

Foto: Reprodução/TV Globo
Foto: Reprodução/TV Globo

 

O porteiro que disse ter sido autorizado por “seu Jair” a autorizar a entrada do suspeito de assassinar Marielle Franco ao condomínio onde Jair Bolsonaro tem casa, no Rio de Janeiro, segue afastado do trabalho.

Ele tinha tirado 30 dias de férias, que venceram na semana passada, mas não retornou ao posto por uma opção do próprio condomínio, em função da proporção que o seu depoimento à justiça teve.

Segundo o jornal O Globo, o porteiro falou recentemente com um morador do local que não sofreu pressão para dizer o que disse à justiça.