Policlínica emite nota e confirma denuncia da Imprensa responsável; infelizmente mais uma vez Pereira mentiu


O papel da IMPRENSA é informar a verdade à população, seja como notícia ou como opinião, infelizmente alguns veículos de mídia pensam de forma diferente, todo veículo tem o direito de selecionar as notícias que considere prioridade para exibição nos veículos de comunicação. Todavia, jamais pode ocultar a verdade, seja lá por quaisquer motivos, não pode proteger quem tendo o dever de prestar contas para a sociedade, a escamoteia. A Imprensa não pode ser refém de governo ou de quem quer que seja, se assim for não pode ser considerada Imprensa, mas sim um armazém de secos e molhados, transformar mentiras em verdades, por certo não é papel da Imprensa, pode até ser da PROPAGANDA, porém, propaganda não é notícia é apelo e nem sempre se obriga a dizer a verdade.
Os jornalista Frarley Nascimento, com o qual mantemos uma parceria jornalistica descobriu o fato de que a Prefeitura de Vitória da Conquista estava inadimplente para com o CISVITA- Consórcio Público de Saúde da Região Sudoeste de Vitória da Conquista e Itapetinga, comentou com esse jornalista que utilizando sua fontes, como sempre fidedignas confirmou absolutamente tudo relatado pelo jornalista do Blitz Conquista.
A notícia foi passada para a população de forma escrita pelo BLITZ CONQUISTA e de forma comentada pelo BLOG DO PAULO NUNES, entretanto alguns veículos de mídia, sem qualquer checagem deu luz a escuridão de uma nota lacônica e mentirosa expedida pela Prefeitura de Vitória da Conquista, não checaram a veracidade da nota, meso sendo fácil perceber a qualquer leigo em jornalismo que a nota, escrevia o nada, multiplicado pelo coisa nenhuma. Qualquer “FOCA” perceberia na nota que em momento algum a Prefeitura atacou o objeto essencial da notícia, tergiversou da segunda palavra do texto até a última. Isso porque transforma uma mentira em verdade é algo muito difícil.

Infelizmente, não é a primeira vez que o prefeito Pereira mente e, infelizmente conta com a colaboração de parte da mídia conquistense: Denunciamos que havia lixo hospitalar contaminado armazenado no Posto de saúde Régis Pacheco, a Prefeitura afirmou não ser verdade; denunciamos a invasão da Secretaria de Finanças, a Prefeitura disse que não era verdade.

enfim foi tudo verdade e parte da mídia preferiu esconder os fatos, ambos confirmados, o primeiro pela Comissão de Saúde da Câmara Municipal e o segundo pela confissão do prefeito em seu programa de rádio, mesmo assim parte da mídia preferiu simplesmente não entender como prioridade noticiar à população que um governo irresponsável estava armazenado lixo hospitalar contaminado em local onde qualquer um poderia ser atingido, como também que um prefeito ordenara a invasão de computadores na calada da noite em uma secretaria sem comunicar ao titular da pasta, entendeu como importante mentir ao dizer que opositores do prefeito lançou lixo de forma proposital na ” Feirinha” do bairro Brasil com a intenção de prejudicar o governo, como também apontou como crime político o famigerado tiro na parede da Prefeitura do bairro Brasil, algo que se assemelha as mentiras pregadas pelo prefeito nesse quase 3 anos de governo. Por fim, até banco de jardim o prefeito retira das praças as escondidas, denunciado por moradores, prefere mentir e diz: retiramos para consertar, mas na verdade estava remanejando para inauguração de uma nova praça…


NOTA EXPLICATIVA DO CISVITA

O Consórcio Público de Saúde da Região de Vitória da Conquista e Itapetinga na pessoa do Seu Presidente Sr José Henrique Tigre vem a público esclarecer os fatos veiculados em Blogs da Região, como também a Nota expedida pela Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista:

Veiculou em blogs da cidade e região notícia dando conta da inadimplência da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista. Esclarecemos que em momento algum este Consórcio ou qualquer membro da sua Diretoria relatou a qualquer blog a situação de inadimplência do referido Município. A situação e tratativa sobre este assunto vinham sendo tratado de forma republicana entre a Diretoria do Consórcio e Membros da Secretaria Municipal de Saúde e Secretaria de Finanças da Prefeitura.

Assim como as Prefeituras Municipais e Câmara de Vereadores, os Consórcios de Saúde também tem todas as suas contas disponibilizadas na Internet, cumprindo o quanto estabelece a Lei nº 133 de 27 de maio de 2009. (Conhecida como Lei da Transparência) cujo acesso está disponível a qualquer cidadão brasileiro.

A Prefeitura de Vitória da Conquista, por sua vez, através do seu Secretário de Saúde emitiu nota, também divulgada em blogs da região onde atesta que se trata apenas de atraso nos repasses por preservação aos preceitos legais e que esta informação fora usada de forma “POLITIQUEIRA”.

Posteriormente no Blog da Resenha Geral, reproduzidos por outros Blogs, noticia uma outra nota onde atesta que a Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista não tem atraso com a Policlínica Regional como também que, a Policlínica não tem ofertado os serviços pactuados e as consultas, o que vem trazendo problemas para a população que não estão tendo acesso aos serviços pactuados.

Sobre estes assuntos temos a esclarecer o seguinte:

A Prefeitura Municipal de Vitória está sim em débito com o Consorcio de Saúde, contudo tal situação está sendo tratada de forma profissional e interna, sem qualquer tipo de exposição, pelo que se reitera que, eventuais publicidades sobre o fato, não são oficiais e nem partiram da administração do consórcio de saúde.

Quanto a suposta falta de atendimento, a Policlínica informa que tem prezado pela excelência no atendimento, todavia, recebeu reclamações de usuários, no sentido de dificuldades impostas na Secretaria de Saúde do Munícipio de Vitória da Conquista, para agendamento das consultas, ou seja, se há problemas na marcação de consultas, tal fato não é da responsabilidade da Policlínica e sim o ente consorciado.

Nos dois últimos meses o Município de Vitória da Conquista teria direito à 3.600 consultas especializadas e exames, contudo não atingiu através do agendamento da sua Secretaria sequer a 1.000 atendimentos, o que denota falta de interesse ou demanda do Município.

Sempre estivemos e continuamos a disposição da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista para as tratativas necessárias ao bom funcionamento da Policlínica e atendimento na sua pactuação total aos moradores do Município, que realmente necessitam de atendimento.”