Operação em Planalto apreende 490 quilos de carnes clandestinas


Fiscalizações apertam o cerco e estabelecimentos irregulares estão sujeitos à multa e até mesmo interdições.

Nesta terça, dia 10, foram apreendidas em torno de 490 quilos de carnes bovina, suína e ovina na cidade de Planalto, sudoeste da Bahia. A ação realizada foi uma operação conjunta entre o Ministério Público, a Vigilância Sanitária do município e contou também com o apoio da  Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB).

De acordo com a ADAB, as carnes eram provenientes de abate sem inspeção e não estavam em condições ideais de refrigeração. A mercadoria estava à venda em estabelecimentos da feira livre local, onde foi identificada como imprópria para consumo humano, assim como é todo e qualquer produto de origem clandestina.

Cinco estabelecimentos foram vistoriados. Entre eles, dois açougues tiveram carcaças apreendidas. Em supermercados também foram identificados produtos de laticínio, como queijos, e embutidos fora da validade.

Os estabelecimentos investigados foram notificados e  as mercadorias, apreendidas e descartadas.

“As ações têm que ser pontuais e é também necessária a conscientização dos consumidores quanto a compra desses produtos”, diz Luiz Eduardo Ribeiro Pedreira, inspetor da ADAB. 

No Brasil existem leis pelas quais os fornecedores de carne precisam seguir quanto ao abate e comercialização do produto. A venda de carne clandestina é crime e põe em risco a  saúde da população.

Você pode ajudar neste combate, denunciando irregularidades aos órgãos públicos. Caso presencie o comércio de carne clandestina, denuncie na Vigilância Sanitária do seu município! Se souber de algum local onde se pratica o abate ilegal de animais, denuncie na ADAB! Não precisa se identificar.

Sobre a campanha:

A campanha “Carne clandestina, Saúde em risco” visa combater a cultura irregular da carne clandestina junto à população e aos comerciantes.