Transporte Coletivo: Relação incestuosa entre Prefeitura, Sindicato, Vanzeiros e Viação Vitória ( Parte 29)


No dia 12 de junho a Prefeitura de Vitória da Conquista colocou para circular na área urbana de Vitória da Conquista
veículos que segundo a Prefeitura passaram por vistorias da equipe técnica da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (Semob) e são adaptados para os cadeirantes. Todavia, não havia nenhum veículo novo, cinco dias após a pseudo vistoria efetuada pela prefeitura, um dos ônibus quebrou no terminal de ônibus principal da cidade. veja aqui parte 28

O veículo da Viação Rosa, empresa recém-chegada ao município para operar no emergencial apresentou problemas, não se sabe se mecânico ou elétrico e precisou ser empurrado pelos funcionários. veja o vídeo

Já no dia 22 de agosto, outro veículo vistoriado pela Secretaria de Mobilidade Urban de Vitória da Conquista, perde freio e colide com um muro;

Moradores do bairro Nossa Senhora Aparecida, Zona Norte de Vitória da Conquista, queixam-se das condições dos ônibus da empresa Rosa, que foi contratada pela Prefeitura para assumir linhas que eram da Cidade Verde.

De acordo com informações de moradores, em menos de um mês, dois veículos teriam perdido os freios após atingir duas casas. O mais recente aconteceu na noite da segunda-feira (19) quando um ônibus invadiu a calçada na Rua Santa Ana. A empresa foi notificada pela prefeitura, que prometeu apurar as causas do acidente.

Em nota, a Rosa lamentou o fato e disse que “todas as medidas já foram tomadas a fim de reparar integralmente os danos de infraestrutura na localidade”. veja o vídeo

Essas falhas podem ser consideradas pontuais, entretanto a Prefeitura Municipal contratou a Viação rosa para operar parte do transporte coletivo de Vitória da Conquista, pagando uma quantia superior a 2, 6 milhões de reais, poderia no mínimo verificar a situação dos empregados, preocupado com isso, o vereador Coriolano Moraes fez uma série de denúncias no Ministério Público do Trabalho contra a empresa contratada pelo município, notadamente na questão trabalhista, como mostra a reportagem de Celino Souza:

VIAÇÃO ROSA (Vídeo) | Vereador Cori protocola denúncias no Ministério Público contra empresa de ônibus

O vereador Coriolano Moraes (Professor Cori) protocolou denúncias nos ministérios público estadual (MPe) e do Trabalho (MPT) contra a Viação Rosa por práticas de irregularidades trabalhistas desde 12 de junho deste ano, data da sua entrada em operação em Vitória da Conquista.

De acordo com as denúncias, apresentadas oficialmente nesta terça-feira, 20, até a presente data as obrigações trabalhistas não se encontram regularizadas, como determina o artigo 29 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). O lote emergencial (Lote 1) é operado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Mobilidade Urbana (Semob).

“Fomos informados que os trabalhadores se encontram, ainda, sem carteira assinada, (pois) conforme a legislação trabalhista, o funcionário deve ser admitido um dia antes de inciar suas atividades e 48 horas (ter a) devolução da carteira de trabalho com o devido registro”, reportou o vereador.

Cori sustenta que nada disso ocorreu, conforme denúncias que ele recebeu em seu gabinete.

“Desde 24 de maio deste ano foi publicada ata da dispensa de licitação para contratar a Viação Rosa, vigente a partir de 1º de junho do ano em curso, pelo qual a empresa receberá R$505.480,25 por mês, totalizando R$1010.960,50 pelo período de dois meses”, explica.


Na segunda ata de dispensa de licitação, datada de 12 de julho, consta como valor R$2. 210.727,50 mensais referente ao aluguel de 1 veículos.

Para sustentar as denúncias, o vereador anexou cópias do Diário Oficial do Município com as referidas informações. A reportagem do Sudoeste Digital tenta contato com a Prefeitura e a Viação Rosa.

ENTREVISTA / PROFESSOR CORI