Sarau debate o Império Romano e sua formação


 

O Império Romano foi tema de debate no “Sarau Colaborativo A Estrada”, realizado no último dia 10 (sábado), com a participação de visitantes convidados e pessoas que sempre frequentaram nosso evento que está completando nove anos de atividades, e já produziu o “CD Sarau” com o formato de músicas autorais de artistas locais, causos e declamações de poemas.
Um dos palestrantes do assunto foi o jornalista e escritor Jeremias Macário, que pontuou a fundação de Roma em 753 a.C, numa história carregada de lendas da mitologia grega e realidade, descrita por historiadores. Foi uma grande viagem desde os tempos dos reis, a República, construída pelos Tarquinios etruscos, passando depois pelos imperadores Sila, Pompeu, Caio Júlio César, Otaviano Augusto, Tibério Cláudio Nero, Calígula, Nero, os quatro imperadores do ano 69 d.C. (Galba, Oto, Vitélio e Flávio Vespasiano), Tito, Domiciano, Caio Nerva, Marco Trajano, Públio Adriano, Antonino Pio, Marco Aurélio e seu declínio com Cômodo, Diocleciano e Constantino entre os séculos II e III da nossa era.
Rômulo e Remo
Reza a lenda que quando os gregos Menelau, Ulisses e Aquiles conquistaram Troia, na Ásia Menor, um dos poucos defensores a se salvar foi Enéias, cuja mãe era a deusa Venus-Afrodite. Ele andou perambulando com uma mala ao lombo até alcançar o Lácio, no norte da Itália. Casou-se com Lavínia, filha do rei Latino, onde fundou uma cidade com o mesmo nome da mulher. Dessa descendência, nasceram Rômulo e Remo, os fundadores da cidade.
Lenda ou não, sabe-se que os gregos exerceram grande influência no desenvolvimento político, social e religioso de Roma durante todo seu período de Império, o mais forte daquele mundo que se estendia da Itália a Grã-Bretanha, Egito, Ásia Menor, Oriente e até regiões da África, como Cartago, hoje a Tunísia. No século IV a.C.se deu-se a unificação política italiana, com as conquistas contra os etruscos, équos, volscos e tribos gregas.
Como bem sabemos, o tema é por demais amplo, mas conseguimos resumir falando das guerras púnicas (a primeira durou de 264 a 241 a.C.) e a segunda, de 218 a 201 a.C., quando o grande general Aníbal com seus “tanques de elefantes” encurralou os romanos, chegando às portas da capital Roma, só não acontecendo graças à união e ao orgulho do seu povo. Aníbal com suas estratégias e diplomacias foi considerado pelos historiadores, o maior general da antiguidade, e até de todos os tempos, só comparado com Napoleão.
O grande general Caio Júlio César, que governou o Império com mão de ferro e teve que combater Pompeu para chegar ao trono, foi outro ponto interessante das discussões, sem falar no seu sobrinho, ou filho, Otaviano que recebeu o título de Augusto, o chamado divino pelo povo. Se não foi o maior, foi um dos maiores dos imperadores com suas mudanças de gestão e ordem, estabelecendo um período de 40 anos de paz, e sendo exemplo para muitos outros de seus sucessores. Governou como rei por mais de 40 anos.
O Cristianismo e a Inquisição
Religião e arte, a dinastia Júlio-Cláudia e o despotismo dos Flávios, a evolução do Império nos séculos I e II da era cristã quando atingiu seu auge, as províncias romanas, sangue e miséria no Império do século III, principalmente com Cômodo que massacrou o povo, a escorcha dos impostos nos reinados de Diocleciano e Constantino, que muito contribuiu para seu declínio e a evolução religiosa até o cristianismo foram questões abordadas durante o Sarau.
O tema foi arrematado pelo professor Itamar Aguiar que falou da ascensão do cristianismo no Império já em decadência, e no mundo atual. O povo adorava vários deuses que lhe davam sustentação até meados do século II e início do século III. A nova doutrina conquistou adeptos, cuja população já vivia cansada e não mais acreditava nas promessas terrenas, mas numa felicidade de vida futura.
Depois dos debates, como sempre ocorre, o evento foi animado e ficou mais descontraído com a viola do músico e cantador Walter Lajes, Marta Moreno, com os causos de Jhesús e as declamações de poemas, como de Evandro Gomes, nosso companheiro de academia e frequentador do nosso Sarau, juntamente com Rozânia Brito.
O Sarau contou ainda com as participações de Mano Di Souza, Cleide, Juan Guilherme, professor Jovino, Tânia, Maria Luíza, Aline Kiriaki, Renata Santana, Jaqueline Silva, Kika, Anne Rocha, Calcídia Silva, Maxwell Rocha, Sérgio Viana e a nossa anfitriã Vandilza Silva que a todos atendeu com muita dedicação, nos servindo bebidas e um tira-gosto de pato no final do nosso Sarau, que no próximo terá como tema “A Inquisição na Idade Média”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *