A licitação do transporte urbano


José Maria Caires* 

Prestes a ser publicada, a nova licitação pública para concessão do transporte público de nossa cidade merece ser criativa e inovadora, existe espaço para nos tornar a cidade pioneira em priorizar mais sustentabilidade no consumo do combustível para os ônibus do transporte coletivo de Vitória da Conquista.

Em normas gerais as leis de licitação vem beneficiando a promoção da sustentabilidade, inclusive modificando o artigo 3º. da lei 8.666/93, criando inclusive mecanismo que priorize as empresas que utilize produtos provenientes de reciclagem, é notório que todas esferas governamentais tem buscado economizar energia elétrica, trocando por energias limpas, sendo energia solar a que mais cresce no nordeste.
Desde 2010, já existe lei que aplica um percentual de produtos e serviços que atendam às exigências de sustentabilidade e que não seja poluente, desde que atenda as normas técnicas.
No mundo inteiro tem reduzido os veículos movidos a combustão do DIESEL e a substituição gradativa para elétricos. Recentemente a SCANIA fechou contrato com BOGOTÁ para substituir 40% da frota da empresa TRANSMILÊNIO para GAS NATURAL VEICULAR.
Queria aproveitar para sugerir nossa administração que avalie a possibilidade de incluir como requisito de pontuação na qualificação técnica do Edital de licitação do transporte urbano um percentual de ônibus movidos a GAS NATURAL, pois outro modal como VLT além de custoso a implantação dos trilhos, têm outras adequações estruturais.
Portanto seríamos ao primeiro Município Brasileiro com essa inovação: menos poluição, menos ruídos, menos custos, passagens mais baratas e mais preocupação com o meio ambiente.
Consumindo Gás Natural, estaríamos construindo e criando o mercado de consumo do GNV, forçando inclusive a modificação do traçado do GASODUTO de Maracás para Vitória da Conquista.
*Zé Maria Caires: Empresário, Empreendedor,ex-prefeito de Dom Basílio e fundador do movimento “Conquista pode voar mais alto”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *