Em Vitória da Conquista, ato em defesa da educação também teve protestos contra Herzem Pereira e Rui Costa


Considerado o maior protesto desde a eleição do presidente Jair Bolsonaro (PSL), o ato unificado em “Defesa da Educação e contra a Reforma da Previdência” reuniu, por todo o Brasil, milhares de pessoas. Em Vitória da Conquista, a manifestação aconteceu no centro da cidade e os protestos se estenderam ao prefeito Herzem Gusmão (MDB) e ao Governador Rui Costa (PT).

Estudantes, professores e trabalhadores foram às ruas contra o corte de 30% na verba das universidades públicas e institutos federais promovido pelo presidente Bolsonaro. A mobilização também é contra a reforma da previdência, que irá retirar o direito de se aposentar de milhões de trabalhadores.

Em Vitória da Conquista, o Governo Herzem Gusmão foi alvo de críticas durante os protestos. A gestão municipal enfrenta grave crise da educação com várias denúncias de irregularidade no transporte escolar, falta de merenda, falta de manutenção nas escolas, além de fechamentos de unidades de ensino da zona rural. Os manifestantes compararam Herzem ao presidente Bolsonaro.

As palavras de ordem também foram contra o Governador Rui Costa. Os docentes das universidades estaduais da Bahia estão em greve desde o começo do mês de abril revindicando reajuste salarial e cumprimento dos direitos trabalhistas da classe (promoções na carreira, progressões e mudança de regime de trabalho) que não estão sendo cumpridos pelo Estado. Recentemente, o Ruí Costa determinou o corte de salário dos professores grevistas.

A aula foi na rua! – Além da presença de estudantes universitários e da rede municipal de ensino, o ato contou com grande adesão de estudantes das escolas privadas de Conquista. Em algumas escolas particulares que os proprietários não aceitaram a liberação para a manifestação, os professores paralisaram as aulas./Blitzconquista