Morre mais uma vítima dos elementos do Exército que executaram o músico no Rio de janeiro


Luciano Macedo, catador de materiais recicláveis, foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa; ele estava hospitalizado e morreu nesta madrugada; o presidente disse que os elementos não mataram ninguém

Creative Commons BR
Foto meramente ilustrativa

Mais uma vítima morreu em consequência da ação do Exército realizada em Guadalupe, zona norte do Rio de Janeiro, no último dia 7. O catador de materiais recicláveis Luciano Macedo foi atingido por balas de fuzil no momento em que tentava ajudar a família de Evaldo Santos Rosa, alvejada por 80 tiros disparados pelos elementos  militares.

Luciano Macedo foi internado em um hospital da Baixada Fluminense e, após 10 dias, não resistiu aos ferimentos, e faleceu na madrugada desta quinta-feira (18).

No domingo, dia 7 de abril, Evaldo, a esposa, o filho de sete anos, o sogro e uma amiga da família trafegavam de carro por Guadalupe, quando foram surpreendidos por uma guarnição do Exército. Os militares, sem ao menos abordarem o veículo, dispararam mais de 80 tiros de fuzil no carro da família. Evaldo morreu no local. O sogro foi baleado, mas não corre riscos de morte. A esposa, o filho e a amiga, não se feriram. Luciano presenciou a ação, tentou ajudar a família e acabou atingido pelos tiros.