Imitando “ Toninho”, Pereira agora é malvadeza


Um governante antes de tudo, é um aplicador e guardião da Lei, por esse princípio, tem a obrigação de estabelecer a isonomia entre os cidadãos contribuintes para os cofres públicos.
Em Vitória da Conquista, existe um prefeito que gera situações hilariantes perante a população do município: depois de ter criado o fraldário cavalar, que não deu certo, o prefeito passou a “surrupiar” bancos das praças e os levar para futuras inaugurações de outras praças. O IBGE, ainda não concluiu o censo que determinaria a diminuição de “bundas” entre os bairros de Vitória da Conquista.
Antes porém determinou o fechamento dos cemitérios aos domingos e nas semanas no horário de almoço, pense num absurdo, pois é, até Octávio Mangabeira iria se surpreender com isso.
Todavia o mais grave ocorreu quando, para sustentar um acordo espúrio com os motoristas de veículos clandestinos, que operam no município, o prefeito, já investido no cargo de chefe do Executivo Municipal, não se deu conta que deveria honrar a liturgia do fardo que pesava sobre os seus ombros, quando pediu aos clandestinos que sustentassem a ilegalidade, não permitindo que outros ilegais, entrassem no fabuloso mercado do transporte coletivo, sem recolhimento de impostos e qualquer obrigação social.
Disse então, ipsis verbis: “ vocês beberam a água suja, agora eu peço a vocês que não deixem mais ninguém entrar”. Pasmem senhoras e senhores, isso é comportamento de um prefeito? No entanto o mandatário municipal não explicou à sociedade conquistense, como um grupo fora da lei, iria impor regulamentação territorial de mercado. Seria uma milícia armada?

Se a ninguém é dado ignorar a lei, por conseqüência, ninguém deve ser privado das benesses, como também do rigor da lei. Lição de direito, que parece que o nosso prefeito bacharel em Direito, não teve tempo de observar.
A verba publicitária constitucional, Pereira distribui para amigos, não respeita critério algum, ademais a publicidade pública não serve para informar à população sobre atos e fatos que a ajude a conviver em paz . Instruções educativas se fazem necessárias, informação sobre os diversos movimentos da administração, infelizmente em dois anos, não foi o que se viu na cidade. Agora conquistenses; o prefeito que gastou 3 milhões de reais em propaganda em 2018, entende que seu governo letárgico, precisa gastar o dobro, ou seja 6 milhões de reais em 2019.
Quanto a saúde da população, Pereira parece não se preocupar com os pobres, aqueles que mais necessitam dos serviços públicos e, ignorando a lei, prefere apoiar a iniciativa privada em detrimento dos hospitais públicos e filantrópicos , como vimos na negativa de participar de um pacto para os serviços da Policlínica de saúde a ser implantada no município, cujo áudio devastador o município tem total conhecimento

Como antes falamos do principio da isonomia : “Isonomia significa igualdade de todos perante a lei. Refere-se ao princípio da igualdade previsto no art. 5º, “caput”, da Constituição Federal, segundo o qual todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza.”, apois, mais um espetáculo que demonstra a qualidade de pensamento mesquinho e arcaico do nosso prefeito, vejamos: zangado com os proprietários da Padaria “ Conquista” e de uma casa lotérica que funciona ao lado, ali, na avenida Brumado. O prefeito deu ordens expressas ao Secretário de Mobilidade Urbana, para que esse destruísse a estrutura de estacionamento feita pelo comerciantes e simplesmente não permitisse, mais nenhum tipo de estacionamento no local.
É sabido que cabe ao prefeito organizar os estacionamentos públicos da cidade, isso é lato sensu , entretanto, não se pode atribuir aos proprietários de estabelecimentos comerciais, a fiscalização do serviço, que cabe exclusivamente a Prefeitura, ou a alguma empresa sob, sua delegação, mas o prefeito resolveu penalizar os dois comerciantes, impedindo que qualquer veículo estacione, ou pare no logradouro, para isso, construiu uma passagem em desnível, tudo isso, por raiva, vingança ou outro sentimento medíocre que nos falta a palavra agora.
Sabemos que quem leu até aqui, está e se perguntar o que quer Paulo Nunes com essa conversa toda, o prefeito tem o dever de arrumar a cidade, é inexorável, concordamos, todavia o princípio da isonomia, garantia constitucional que falamos retro, apois, com as fotos apresentadas por nós, será fácil perceber que apenas a padaria e a lotérica estão proibidas do estacionamento, cinco metros após a padaria é possível se verificar o estacionamento autorizado pela Prefeitura.
Pereira o mínimo que você, como qualquer outro cidadão brasileiro, pode fazer é respeitar a Constituição Federal.