Selo OAB recomenda curso de Direito da UESB


A cada três anos, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) certifica cursos de Direito em todo o país com o Selo de Qualidade OAB Recomenda – “Instrumento em Defesa da Educação Jurídica Brasileira”. Em 2019, a iniciativa chegou à 6ª edição e certificou 161 cursos da área. Dentre eles, está a graduação em Direito da Uesb, que ganha o selo pela terceira vez consecutiva.

Com isso, a Uesb se torna a única instituição de ensino da região Sudoeste a ser certificada em 2019. O curso de Direito, oferecido no campus de Vitória da Conquista desde 1999, tem entre suas perspectivas a formação profissional consciente do valor social da área jurídica. “Os alunos são preparados para um pensar crítico de mundo, razão pela qual direciona seus esforços no processo de ensino-aprendizagem a uma leitura ampla das realidades”, define o coordenador do curso, professor Luciano Tourinho.

Ele destaca que o objetivo é incentivar, de forma interdisciplinar, o estudante para que ele possa contribuir com as demandas da sociedade globalizada, em prol do equilíbrio social. Assim, para o professor, o reconhecimento por meio do Selo OAB Recomenda expressa o resultado do esforço contínuo dos alunos e da construção de conhecimento proporcionada pela equipe pedagógica. “Trata-se de um reconhecimento da qualidade do curso e, sobretudo, do compromisso dos sujeitos que participam de sua construção, com destaque aos protagonistas dessa história – alunos e professores”, destaca.

Para a certificação das instituições de ensino, a OAB se baseia em critérios como a nota do Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade) e o índice de aprovação no Exame da Ordem. Segundo o presidente da OAB Subseção Vitória da Conquista, Ronaldo Soares, é importante ressaltar o papel de destaque da Uesb enquanto universidade pública. “O curso de Direito da Uesb revela-se de inestimável importância para a região Sudoeste da Bahia, primeiro pela excelência e qualidade do ensino; depois por se tratar de uma instituição pública, cujo acesso estende-se a todas as camadas sociais”, conclui.