EMURC atrasa dois meses de salário e servidores param


Os prestadores de serviço para a EMURC- Empresa Municipal de Urbanização Conquista, apesar de ter recebido da Prefeitura Municipal , 6 milhões de reais para ajustar suas contas, vem se mantendo inadimplente perante aos credores, que alugam máquinas e equipamento para à EMURC, assim como aqueles que fornecem insumos como os materiais usados na fabricação de asfalto, assim como o serviço prestados por empresas, que efetuam o asfaltamento das ruas de Vitória da Conquista.
A atual administração herdou da administração anterior cerca de 111 milhões em obras, tais como creches, escolas, quadra poliesportivas, como também os contratos e o dinheiro para pagamento de pavimentação de 13 dos corredores principais de ônibus, reforma total do Terminal de ônibus Urbano da Lauro de Freitas, como também a pavimentação de 15 quilômetros da Avenida Perimetral.
Essa queixa foi feita no passado e a EMURC funciona assim, paga um mês, fica devendo dois. Agora, são os servidores que estão com dois meses de salários atrasados e resolveram paralisar as atividades hoje. A  Prefeitura tem emprestado máquinas e funcionários para dar continuidade às poucas obras executadas pela administração Pereira, mesmo assim a EMURC  está sofrendo dificuldades financeiras e operacionais desde janeiro de 2017.

Cabide de emprego

Obstante a reforma praticada por Pereira e Claudiana na EMURC, transferindo  os funcionários de remunerações mais altas para à Prefeitura, a EMURC se transformou num cabide de emprego para apadrinhados de vereadores, assim como amigos do prefeito, uma empresa deve atuar com critérios técnicos, os critérios políticos não funcionam bem em empresas, mesmo porque, esses empregos, geralmente são concedidos para agradar políticos e o empregado não se obriga a trabalhar.  A EMURC emprega pessoas que jamais tiveram uma carteira assinada,  as vezes copiando a própria   Prefeitura, logo, não há como o serviço prosperar,  a empresa tem até enfermeira no seu quadro de servidores,

Cumprimento do TAC

Segundo informações de um blogueiro da cidade, o presidente da EMURC Marcelo Guerra,   disse a ele que os pagamentos seriam realizados amanhã.  Esses pagamentos foram pactuados com o Ministério Público do Trabalho, para garantir um mínimo de responsabilidade da Prefeitura, para com os servidores, já que a EMURC, é uma empresa da Prefeitura, todavia, a Prefeitura , acreditamos que por retaliação, mandou seus jagunços derrubarem o muro do MPT. Como Fernando Henrique Cardoso fala: ” Assim não pode, assim não dá Pereira”