Ingerência na Prefeitura de Vitória da Conquista


O blog do Paulo Nunes noticiou que o advogado Pedro Eduardo esteve presente numa reunião em Belo Horizonte, assim descreveu o blog: “Acompanhando os representantes do município integrou a comitiva também o Advogado da Viação Vitória, Sr, Pedro Eduardo, não se sabe nessa reunião, quais interesses o advogado representava”.

Essa informação da participação do advogado Pedro Eduardo na reunião, não é verdadeira, o blog aqui se desculpa com o advogado, assim como com a sociedade conquistense, ao confiar 100% na fonte, o jornalista errou, e neste ato pede as desculpas necessárias e espera que eventuais danos á imagem do advogado sejam reparados.

O blog não colocou na matéria, que o advogado Pedro Eduardo estaria cometendo ingerência na Prefeitura de Vitória a Conquista, mas, o texto poderia induzir os  leitores a pensar assim. não há no blog ou na pessoa   do jornalista Paulo Nunes, com 31 anos de história na profissão, nenhum interesse de macular a honra e a dignidade de quem quer que seja, temos  como meta  a solidariedade e a defesa dos mais fracos, sempre agimos por esse caminho. Natural que  nessa luta, alguns saiam machucados, inclusive nós.  Mas entendemos, que o reconhecimento do erro e o pedido sincero de desculpas é a atitude adequada aos democratas por essência.

Sem procurar justificar o erro, apontando culpados, o blog do Paulo Nunes, que goza de credibilidade na Bahia pela história que tem, apenas esclarece que a grande confusão envolvendo essa matéria, ocorre pelo excesso de sigilo praticado pela Prefeitura e, onde as notícias  oficiais são exclusividade do blog do prefeito, como ocorreu com a divulgação  de uma carta da Empresa Anchieta, dando conta da chegada de 80 ônibus na cidade, esses operariam o lote pertencente a Viação Vitória.

Com isso, alguns jornalistas foram em busca de confirmação, inclusive eu, E apressadamente acabei por errar em dar crédito exclusivo,  a uma fonte que, diga-se de passagem, jamais me passou uma informação falsa, todavia, a fonte não possui culpa alguma, foi induzida ao erro. Veja a íntegra da matéria original