Croácia x Inglaterra – Segunda Semifinal


Lucas Gabriel Cirne

Em um duelo considerado por muitos o “lado B” das semifinais, Croácia e Inglaterra disputam, hoje, um jogo que colocará o vencedor na história.
De um lado, a Inglaterra, que desde 1966 não chega a uma final de Copa do Mundo, mesmo tendo, num passado próximo, uma geração muito melhor que a atual. Do outro, os croatas, inimagináveis nesta fase do torneio e que, até hoje, somente conseguiram alcançar uma semifinal, há vinte anos, muito em função da brilhante fase do centroavante Suker, um dos grandes goleadores da década 90.
Pelas características de ambos os times, o jogo tende a ser “travado”. Não é fácil imaginar qualquer das equipes buscando propor o jogo, em busca do triunfo. Em tese, será uma partida de estudo, com ambas as equipes precavidas, a fim de evitar qualquer erro que venha a custar a classificação.
Tal análise se reforça pelo fato de inexistirem, neste confronto, jogadores que aliem verticalidade/qualidade/velocidade, tornando a partida mais centrada na região do meio de campo.
Do lado croata, as esperanças passam pelos pés da dupla Rakitic/Modric (um dos melhores jogadores da Copa). Talentosos jogadores que tem a indiscutível qualidade de organizar qualquer meio campo do mundo.
Na jovem Inglaterra, a forte marcação dos meio campistas permite que os velozes (mas tecnicamente medianos) Sterling e Lingard tenham espaço para buscar as infiltrações e passes para o seu camisa “9”, legítimo artilheiro, Kane. É nele que os súditos da rainha apostam, até porque, nesta Copa, sem o faro de gol do atacante, não haveria seleção inglesa.
Como visto, muito equilíbrio, jogo estudado, o que significa mais uma oportunidade para a Inglaterra utilizar de sua principal arma, a bola aérea. Presente em sua escola desde o início dos tempos, esta jogada não cansa de ser executada pelos ingleses a cada competição. Foi assim que o time derrotou a Suécia nas quartas de final (dois gols de cabeça). E é assim que poderá derrotar os croatas hoje.
Duas seleções que surpreendem na Copa. A Croácia com o melhor futebol da primeira fase; a Inglaterra com maturidade e “casca” acima do esperado para um time jovem.
Uma semifinal imprevisível, ainda que a Inglaterra, já campeã do mundo, possa pular na frente em face da tradição da sua camisa.
O “lado B” das semifinais mostrará ao mundo, no dia de hoje, qual dos seus representantes entrará para a história.
Palpite: Inglaterra