Pereira mentindo conta nos dedos: Veja o vídeo e preste atenção no áudio


O filósofo alemão Joseph Goebbels, ministro da propaganda de Hitler, entre outros princípios de sua teoria, tinha esse: “Fazer ressonar os boatos até se transformarem em notícias, sendo estas replicadas pela “imprensa oficial’.”  Qualquer semelhança com  a conduta do atual governo de  Vitória da Conquista, não seria mera coincidência, todavia, a distorção parte do princípio  que, os agentes multiplicadores, escolhidos pelo prefeito, dessa teoria bem sucedida na Alemanha nazista, em Vitória da Conquista,  não  possuem inteligência e credibilidade junto à população, mesmo porque lhes faltam gabarito intelectual para interpretar os resultados obtidos, além do fato das redes sociais  presentes, no cotidiano político e social do município.

Ainda assim,  os cabeças dessa ideia, também não conhecem a fundo, a teoria e por isso, tentam mentir religiosamente, só que a mentira é tão absurda que, no mínimo raciocínio se percebe e, com isso, não adianta pagar para divulgar, já que não alcançaria o objetivo desejado, mas o governo divulga, repete e paga.

O prefeito de Vitória da Conquista, logo no começo do seu governo, quis obrigar os proprietários de cavalos, burros, mulas e jumentos a usarem uma fralda para não sujar a cidade, quando a população reagiu, resolver dizer que o projeto não era do atual governo, mas sim do governo que se encerrou em 2008. Tentando passar a responsabilidade para um ex-prefeito. Enfim, tudo que  a população apresentasse reação negativa, o atual governo se eximia de responsabilidade.

Há um sistema na administração pública que se chama REDA- Regime Especial de Direito Administrativo, esse sistema permite a contratação de servidores sem concurso público pelo prazo determinado de dois anos, prorrogáveis por mais dois, nesse sistema vencido esse prazo, os servidores têm que ser demitidos automaticamente, entretanto, fazem jus a rescisão de contrato legal, para que possam receber as parcelas referentes as férias, décimo terceiro salários etc.

O atual gesto Herzem Pereira, em princípio se recusou a pagar essas indenizações legais, alegando que os servidores entraram no governo nos  anos de 2013, 2014, 2015 e 2016, e no seu entendimento teriam que receber da administração anterior, o detalhe,  a administração anterior se encerrou em 31 de dezembro de de 2016, portanto legalmente jamais poderia pagar, ademais, os servidores tiveram seus contratos encerrado em 2017 e 2018,  naturalmente, na atual administração.

“Apois” pense num absurdo, como dizia  Octávio mangabeira, haveria um precedente na Bahia, eu digo, há um precedente em Vitória da Conquista, o atual prefeito e seus asseclas  começaram a dizer na Imprensa, que a atual gestão pagaria apenas as parcelas referentes ao ano de 2017 e que os servidores procurassem o ex-prefeito para receberem  as parcelas referentes aos anos anteriores, se esqueceram que o prefeito passa, mas o governo continua.

Depois de muita celeuma resolveu pagar, todavia, estabeleceu o “enrolechion” , marcou várias datas e não cumpria os pagamentos, uma verdadeira canseira  nos servidores, mas ainda assim, veja e ouça no vídeo, o prefeito mentindo e contando nos dedos, coisa que acontece com qualquer mentiroso acuado, na ânsia de demonstrar credibilidade à sua mentira, apela para gestos que desviem a atenção do interlocutor, e contar nos dedos é clássico, embora nem sempre seja mentira.

Alguém acreditaria que um empregado que deixasse o emprego em 2013, 2014 e 2015 iria reivindicar seus direitos em 2018? pois é , essa mentira que o atual prefeito tenta passar para a sociedade nesse vídeo. Preste atenção.