Empresas brasileiras contrataram, na Espanha, disparos em massa pró-Bolsonaro no Whatsapp

Reportagem da ‘Folha de S.Paulo’ traz declarações de dono da agência ‘Enviawhatsapps’ sobre como sua plataforma foi contratada para fazer “campanha para Bolsonaro” Investigação do escândalo de caixa 2 de empresários em favor Bolsonaro está para há oito meses no TSE São Paulo – O espanhol Luis Novoa, dono da Enviawhatsapps, confirmou que empresários brasileiros contrataram … Leia Mais




Urandi: emenda parlamentar garante trator para associação de Cabeceiras e Raíz

No último sábado, 13, os deputados Waldenor Pereira (federal) e Zé Raimundo (estadual) visitaram o município de Urandi, região da Serra geral Baiana, onde se reuniram com moradores das comunidades rurais de Cabeceira e Raíz, localidades contempladas com um trator e implementos agrícolas destinados através de emenda dos seus mandatos. O equipamento tem beneficiado a … Leia Mais



Governo bloqueia quase R$ 30 bilhões do orçamento; mas o que Pereira tem com isso?


A equipe econômica decidiu contingenciar (bloquear) R$ 29,792 bilhões de despesas discricionárias (não obrigatórias) do Orçamento Geral da União de 2019, segundo o Relatório Bimestral de Avaliação de Receitas e Despesas, divulgado nesta sexta-feira (22) pelo Ministério da Economia.

A cada dois meses, o governo apresenta o relatório com orientações para execução do Orçamento. O documento contém previsões para economia, receita e despesa. Dependendo dos números, o governo corta ou libera recursos para cumprir a meta de déficit primário e o teto de gastos federais.

De acordo com o relatório, o corte de bilhões é necessário para que o Governo Central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) cumpra a meta de déficit primário de R$ R$ 139 bilhões estipulada para 2019. O déficit primário é o resultado negativo das contas do governo sem considerar o pagamento dos juros da dívida pública.

Segundo o prefeito de Vitória da Conquista Herzem Gusmão Pereira,  a barragem teria entrado no orçamento de 2019, infelizmente isso não seria possível porque o orçamento estava fechado, todavia o prefeito de Conquista, entende que o povo de Vitória da Conquista, não conhece administração pública e aí, ele pode dizer o que quiser e valerá como verdade.

Entretanto o mesmo Pereira, voltou à Brasília e de novo solicitou a entrada da construção da barragem ao governo de Bolsonaro e nesse caso para o orçamento de 2020, seria possível, desde que houvesse recurso em torno de meio bilhão de reais, para ser aplicado em Vitória da Conquista, tal recurso não existe, conforme essa matéria informa, o governo acaba de cortar do orçamento, ao menos 60 barragens do Rio Pardo.

“Ao final da reunião, a avaliação é de que a proposta foi muito bem recebida pelo presidente. “O presidente Michel Temer foi muito receptivo a nossa proposta. Na nossa frente ele despachou para o ministro do Planejamento, Esteves Colnago, o projeto da barragem. Ele também apontou a possibilidade de colocar a obra no orçamento de 2019 ou de incluí-la no PAC. Esta última alternativa foi avaliada por todos como a mais viável”, detalhou o prefeito. “Agora temos que continuar trabalhando junto ao deputado Arthur Maia, que foi incumbido pelo presidente Temer para acompanhar o tramite burocrático junto aos ministérios do Planejamento e Integração Nacional, para que estes detalhes sejam resolvidos o mais breve possível”, concluiu.

O fato é que está totalmente inviabilizada a obra para essa quadra administrativa, caso aceite disputar as próximas  eleições o prefeito Guilherme autor do projeto, terá que lutar muito para conseguir a obra.


Preso, Temer é alvo de dez investigações. Veja todas as acusações contra o ex-presidente


Segundo ex-presidente da República preso por corrupção no Brasil, Michel Temer passou a noite em uma sala especial na sede da Polícia Federal do Rio de Janeiro após ter a prisão preventiva cumprida pela força-tarefa da Lava Jato a mando do juiz Marcelo Bretas na manhã dessa quinta (21).

A prisão, porém, não é o único motivo de preocupação para Temer. O ex-presidente é alvo de dez investigações, acusado pelo Ministério Público Federal de receber propina há 40 anos. As denúncias vão de desvios na construção de fóruns, no setor de energia, de portos e até de compra de silêncio do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha, também do MDB, preso em Curitiba há dois anos (veja abaixo todos os inquéritos aos quais o ex-presidente responde).

>> Prisão de Temer deve dificultar aprovação da reforma da Previdência. Veja outros desdobramentos possíveis do fato

Temer é acusado de liderar uma organização criminosa,  que recebeu, em pagamentos efetivados ou promessas de propina pelos próximos 30 anos, um total de R$ 1,8 bilhão de 16 esquemas de corrupção. No pedido de prisão, Bretas fala em envolvimento em licitações irregulares e contratos superfaturados, lavagem de dinheiro e recebimento de vantagens indevidas no Brasil e no exterior.

Em nota, o advogado Eduardo Carnelós disse que não há provas da participação do ex-presidente nas acusações. “Resta evidente a total falta de fundamento para a prisão decretada, a qual serve apenas à exibição do ex-presidente como troféu aos que, a pretexto de combater a corrupção, escarnecem das regras básicas inscritas na Constituição da República e na legislação ordinária”, diz o comunicado.

Para Carnelós, a prisão está baseada apenas em depoimento de um delator sem comprovação. “Os fatos objeto da investigação foram relatados por delator, e remontam ao longínquo 1° semestre de 2014. Dos termos da própria decisão que determinou a prisão, extrai-se a inexistência de nenhum elemento de prova comprobatório da palavra do delator, sendo certo que este próprio nada apresentou que pudesse autorizar a ingerência de Temer naqueles fatos”, destacou o advogado, que também falou que a prisão é um dos “mais graves atentados ao Estado Democrático e de Direito no Brasil”.

>> Veja íntegra da decisão que levou à prisão de Temer

VEJA OS PROCESSOS AOS QUAIS O EX-PRESIDENTE RESPONDE:

1 – Propina de R$ 1 milhão da Engevix

A acusação que motivou a prisão de Temer e se baseia na delação premiada do dono da construtora Engevix, José Antunes Sobrinho. Segundo o empresário, o ex-presidente sabia do pagamento de R$ 1 milhão em propina para a construção de um projeto da usina Angra 3. Os pagamentos ocorreram a pedido do coronel João Baptista Lima Filho, amigo de décadas de Michel Temer.

2 – Reforma para filha

Enviado à Justiça de São Paulo, o inquérito que analisa suposto crime de lavagem de dinheiro na reforma de um imóvel da filha de Temer, Maristela, investiga se a obra foi custeada pela Argeplan. A suspeita é de que o custo teria girado em torno de R$ 1,5 milhão a R$ 2 milhões e de que o dinheiro teria sido entregue por dois funcionários do grupo J&F ao coronel Lima, amigo de décadas do ex-presidente, também preso ontem.

“Pelas provas colhidas, Maristela Temer agiu com consciência e vontade de mascarar a origem dos recursos empregados nas obras da reforma de sua residência, haja vista que existem recibos em seu nome de serviços que não foram por ela custeados”, afirma a denúncia.

3 – Superfaturamento para construção de fóruns 

Há indícios de superfaturamento na contratação da Argeplan/Concremat pelo Tribunal de Justiça de São Paulo por serviços de arquitetura e engenharia para realização de projetos e construção de 36 novos fóruns paulistas num valor de cerca de R$ 100 milhões. Ao colocar Michel Temer na posição de proprietário da Argeplanl, a PGR avalia que ele teria usado o cargo de então presidente da República para influenciar o esquema. O está na Justiça Federal de São Paulo.

>> Veja uma lista de esquemas nos quais o MP acusa Michel Temer de estar envolvido

4 – Contrato fictício no porto de Santos

São suspeitas narradas pelo delator Flávio Calazans e pela auditoria interna da empresa Pérola S/A sobre um possível contrato fictício de prestação de serviço no valor de R$ 375 mil no porto de Santos.  Calazans disse que seu escritório serviu como centro de lavagem de dinheiro para Milton Lyra, apontado como operador do MDB.

Na delação, Calazans contou que se reuniu com um intermediário de Lyra em meados de 2014, quando foram acertadas as operações e que elaborou minutas de contratos com empresas do setor de portos, os quais eram fictícios, mas serviriam para dar suporte aos recebimentos.

5 – Contrato irregular da Argeplan com a Fibria Celulose 

Também na Justiça Federal de São Paulo, o caso de suspeitas de contrato irregular entre a Argeplan Arquitetura e Engenharia e a empresa Fibria Celulose S/A, com valores em torno de R$ 15,5 milhões.

6 – Odebrecht

O delator Cláudio Melo Filho, ex-vice presidente de Relações Institucionais da Odebrecht, disse que foi acertado, em um jantar no Palácio do Jaburu, em 2014, o pagamento de propina de R$ 10 milhões ao MDB. A negociação foi conduzida por Temer, Moreira Franco e Eliseu Padilha, segundo ele.

De acordo com o executivo, as doações eram feitas periodicamente e objetivavam a aprovação de medidas de interesse da Odebrecht no Congresso, numa espécie de “contrapartida institucional entre público e privado”.

7 – Decreto dos Portos (mais…)


Ex-ministro Moreira Franco é preso pela PF


 O ex-ministro Moreira Franco (MDB) foi preso pela Polícia Federal, segundo informa a “GloboNews”. No total, a Operação Lava Jato deve cumprir oito mandados de prisão. Os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.

Com base em delações do empresário José Antunes Sobrinho, ligado à Engevix, as investigações apuram crimes de formação de cartel e prévio ajustamento de licitações, além do pagamento de propina a empregados da Eletronuclear. O inquérito que mira Temer e seus aliados tem como

De acordo com a Polícia Federal, Sobrinho fala em seu acordo sobre “pagamentos indevidos que somam R$ 1,1 milhão, em 2014, solicitados por João Baptista Lima Filho e pelo ministro Moreira Franco, com anuência do Excelentíssimo Senhor Presidente da República Michel Temer, no contexto do contrato da AF Consult Brasil com a Eletronuclear”.

Leia mais sobre a prisão aqui.


Beto Richa, ex-governador do Paraná, é preso pela terceira vez


Operação Quadro Negro investiga esquema de fraude em obras de escolas públicas do estado

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ex-governador do Paraná Beto Richa (PSDB) foi preso nesta terça-feira (19), pela terceira vez, suspeito de desviar recursos do governo do estado. A prisão preventiva decretada pela Justiça Estadual do Paraná foi no âmbito da Operação Quadro Negro, que investiga esquema de fraude em obras de escolas públicas paranaenses.

De acordo como promotor do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), Leonir Batisti, Beto Richa foi preso por obstrução de justiça. Também foram expedidos mandados de busca e apreensão em três propriedades do ex-governador.

Esta é a terceira vez que o tucano é detido desde 2018. Ele já foi preso em desdobramentos da Operação Lava Jato, suspeito de participar de esquema de desvio de recursos em concessões rodoviárias, e outra vez pelo próprio Grupo de Combate ao Crime Organizado, que investigou esquema de corrupção em manutenção de estradas rurais no Paraná.

Além de Beto Richa, também foram presos nesta terça o ex-secretário estadual Ezequias Moreira e o empresário Jorge Altherino, apontado nas investigações como o operador de propinas do ex-governador do Paraná.


Waldenor é eleito coordenador geral do Núcleo de Educação, Cultura e Desporto do PT,no Congresso Nacional


O deputado federal baiano Waldenor Pereira é o novo coordenador geral do Núcleo de Educação, Cultura e Desportos do PT na Câmara e no Senado, eleito hoje, 26, por unanimidade. Ele assume o cargo com a responsabilidade de enfrentar um grande desafio: ” A onda reacionária e conservadora empreendida pelo governo Bolsonaro ameaça de morte a educação brasileira. A conjuntura política desafiadora nos impõe competência e capacidade de organização. Daí a importância de reestruturação do Núcleo enquanto um espaço de elaboração para subsidiar os nossos parlamentares no exercício dos seus mandatos”, afirmou Waldenor.

Também foram escolhidos os sub- coordenadores, de Educação, deputada Rosa Neide (MT); Cultura, deputado Pedro Uczai (SC); e Desportos, senador Jean Paul Prates (RN). O secretário executivo será o assessor parlamentar Lúcio Rodrigues. Além de parlamentares e assessores da Câmara e do Senado, o núcleo também tem entre seus membros dirigentes petistas de entidades ligadas à educação, como a UNE, Fasubra, Andifes, Cnte, Proifes, Contee entre outros.

A eleição de Waldenor Pereira para a coordenação geral ocorreu após avaliação de perfil dos parlamentares, sendo ele historicamente ligado ao setor (professor e ex-reitor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia – UESB) e atuante membro da Comissão de Educação da Câmara. Os parlamentares Pedro Uczai (SC), Margarida Salomão(MG), Rosa Neide (MT), José Ricardo (AM), Paulão (AL), Afonso Florense (BA), Natália Bonavides(RN),Rogério Correia (MG), Frei Anastácio (PR) e Reginaldo Lopes (MG),referendaram o nome de Waldenor para o cargo de Coordenador do Núcleo. (mais…)


Emendas de Waldenor e Zé Raimundo garantem mais de R$ 2 milhões em investimentos para Guajeru


Nesta segunda-feira, 25 de fevereiro, a cidade de Guajeru celebra os seus 34 anos de emancipação política com muito a comemorar, pois os investimentos em importantes obras e no desenvolvimento da saúde pública, da agricultura familiar e da infraestrutura municipal não param.

São mais de R$ 2 milhões em aportes garantidos pelos deputados Waldenor Pereira (federal) e Zé Raimundo (estadual), através de emendas parlamentares, que irão garantir novos equipamentos, veículos e também novas ações em benefício da população.

Em reunião com o prefeito Gil Rocha e o vice-prefeito Galego, na última sexta-feira (22), os parlamentares conversaram sobre os detalhes das emendas destinadas a Guajeru, em atendimento às solicitações do Governo Municipal e aliados. Serão mais de R$ 1 milhão para a Saúde, duas novas ambulâncias, um novo veículo, caixas e tubos para obras de abastecimento de água na zona rural, um novo trator com implementos, barracas de feira, kits de apicultura, além de R$ 700 mil para as obras de revitalização da Lagoa da Igreja e para pavimentação de ruas que serão iniciadas em breve.

“Estamos muito felizes em garantir mais investimentos para o nosso povo no aniversário de 34 anos de emancipação política. O nosso presente é sempre trabalhar cada dia mais por nosso lugar. Em parceria com os nossos deputados Waldenor e Zé Raimundo já temos obras realizadas, obras em andamento, obras que iniciarão em breve”, comentou o prefeito Gil Rocha. (mais…)


Como Satanás a UDN nunca morre: Clã Bolsonaro negocia migrar para nova UDN


A ida para a sigla, ainda em fase de criação, afastaria a família da crise do PSL e abriria caminho para aglutinar lideranças da direita

Com o PSL em crise e sob suspeita de desviar verba pública por meio de candidaturas “laranjas” nas eleições de 2018, os filhos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) negociam migrar para um novo partido, que está em fase final de criação. Trata-se da reedição da antiga UDN (União Democrática Nacional).

Segundo três fontes ouvidas pela reportagem em caráter reservado, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) se reuniu na semana passada em Brasília com dirigentes da sigla para tratar do assunto. Ele tem urgência em levar adiante o projeto. Eleito com 1,8 milhão de votos, Eduardo teria o apoio de seu irmão, o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ). Com esse movimento, a família Bolsonaro buscaria preservar seu capital eleitoral diante do desgaste do partido.

Enquanto ainda estava internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo, Jair Bolsonaro acionou o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, para que determinasse investigações sobre a suspeita de uso de candidaturas laranja para desvio de dinheiro público na campanha eleitoral.

As suspeitas atingiram o presidente da legenda, deputado federal Luciano Bivar (PSL-PE), e foram pano de fundo da crise envolvendo o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gustavo Bebianno, que foi chamado de mentiroso por Carlos Bolsonaro depois de afirmar que tratara com o pai sobre o tema. Após cinco dias de crise, Bebianno deve ser exonerado do cargo nesta segunda-feira, 18, por Bolsonaro.

Além de afastar a família dos problemas do PSL, a nova sigla realizaria o projeto político de aglutinar lideranças da direita nacional identificadas com o liberalismo econômico e com a pauta nacionalista e conservadora, defendida pelo clã Bolsonaro.

No começo do mês, Eduardo foi ungido por Steve Bannon, ex-assessor do presidente americano Donald Trump, como o representante na América do Sul do The Movement, grupo que reúne lideranças nacionalistas antiglobalização.

O projeto do novo partido é tratado com discrição no entorno do presidente. Em 2018, a UDN foi um dos partidos – embora ainda em formação e sem registro no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) – sondados por interlocutores do presidente para que ele disputasse a eleição, mas a articulação não avançou. Depois de anunciar a adesão ao Patriota, Jair Bolsonaro acabou escolhendo o PSL.

Assinaturas

A nova UDN é um dos 75 partidos em fase de criação, conforme o TSE. Segundo seu dirigente, o capixaba Marcus Alves de Souza, apoiadores já reuniram 380 mil assinaturas – são necessárias 497 mil para a homologação da legenda. O partido já tem CNPJ e diretórios em nove Estados, como exige a legislação eleitoral para a homologação. Ela tem em Brasília um de seus principais articuladores, o advogado Marco Vicenzo, que lidera o Movimento Direita Unida e coordena contatos com parlamentares interessados em aderir ao novo partido. A articulação envolveria ainda o senador Major Olímpio (PSL-SP), que nega.

(mais…)