Se PMDB não tiver candidato, ‘sou eleitor do Lula’, diz Eunício

Peemedebista quer se aproximar do PT com a intenção de disputar uma das vagas ao Senado na chapa do governador Camilo Santana Foto: Jane de Araújo/ Agência Senado   O presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), disse que apoiará o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições de 2018, caso o PMDB não … Leia Mais


Governo Temer abafa insatisfação de deputados do PP da Bahia

Presidente deve liberar mais cargos para parlamentes do chamado “centrão” para evitar derrota na votação da segunda denúncia Foto: Alberto Coutinho/GOVBA   Para evitar que a insatisfação de deputados impacte na votação da segunda denúncia, o governo do presidente Michel Temer (PMDB) decidiu liberar dezenas de cargos antes da apreciação da acusação contra o peemedebista. … Leia Mais


CCJ aprova parecer contrário à segunda denúncia contra Temer

O presidente da República, Michel Temer (PMDB) (Ueslei Marcelino/Reuters) A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou nesta quarta-feira, por 39 votos a 26, o relatório do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), contrário à denúncia da Procuradoria-Geral da República (PGR) que acusa o presidente Michel Temer (PMDB) dos crimes de organização criminosa e obstrução de Justiça. Os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco(Secretaria-Geral … Leia Mais



Waldenor Pereira defende Caixa Econômica Federal 100% pública na Câmara dos Deputados


O deputado Waldenor Pereira participou de manifestação promovida pela Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Bancos Públicos, da qual é signatário, ocorrida ontem (17), no Salão Verde da Câmara dos Deputados. A manifestação reuniu parlamentares, representantes da sociedade civil e entidades dos empregados da Caixa. O objetivo foi protestar contra a abertura de capital do banco.

Waldenor criticou as medidas impopulares do governo ilegítimo de Michel Temer e se solidarizou com os companheiros da Caixa Econômica Federal, ressaltando que considera a instituição financeira indispensável para o desenvolvimento nacional.

“A Caixa Econômica Federal é uma Instituição fundamental para a soberania nacional e para o desenvolvimento das políticas públicas, especialmente aquelas que visam distribuir renda e incluir socialmente a nossa população”, defendeu o deputado. (mais…)


Governo Temer reduz 95% de orçamento de programa contra seca nas zonas rurais do Nordeste e Minas


Um dos principais e mais reconhecidos programas federais contra seca no semiárido sofre com cortes de verbas e tem uma previsão de redução de 95% no orçamento do próximo ano, o que ameaça inviabilizar a construção de cisternas nas zonas rurais do Nordeste e norte de Minas Gerais.

A fila de espera por uma cisterna de primeira água –destinada para consumo doméstico–, segundo a ASA (Articulação do Semiárido, entidade que reúne 3.000 organizações sociais dos nove Estados da região semiárida), chega a 350 mil famílias. Nos últimos 15 anos foram construídos mais de 1,2 milhão desses equipamentos.

Já para as cisternas de segunda água –destinada à pequena agricultura e à criação de animais– há uma necessidade de 600 mil equipamentos. (mais…)


Confira a lista da vergonha, com os parlamentares que salvaram Aécio


Na noite desta terça-feira, em sessão no Senado, 44 senadores votaram para manter o mandado de Aécio Neves (PSDB-MG) e anular a sanção do STF que determinava o recolhimento noturno do mineiro; Aécio Neves estava afastado temporariamente do mandato desde 26 de setembro; Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o tucano por corrupção passiva e obstrução de Justiça, com base em delações premiadas do grupo empresarial J&F; clique e veja a lista para guardar bem os nomes e não esquecer na eleição de 2018

Na lista abaixo estão os nomes dos 44 senadores que votaram para manter o mandado de Aécio Neves (PSDB-MG) e anular a sanção do STF que determinava o recolhimento noturno do mineiro.

Aécio Neves estava afastado temporariamente do mandato desde 26 de setembro. A Procuradoria-Geral da República (PGR) denunciou o tucano por corrupção passiva e obstrução de Justiça, com base em delações premiadas do grupo empresarial J&F. Ele foi gravado pedindo R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista.

Veja abaixo a lista e guarde bem os nomes para não esquecer na eleição de 2018: (mais…)


Solução para a crise: Constituinte Exclusiva


*Prof. Gilson Alberto Novaes

Nossa Constituição acaba de completar 29 anos. Uma pessoa com essa idade ainda é considerada jovem, mas um carro do ano 1988 vale pouco comercialmente. Nossa Constituição não é velha. Poderia ser muito mais.

Fruto de uma Assembleia Nacional Constituinte, foi promulgada em outubro de 1988, quando os deputados que a escreveram, após sua promulgação continuaram no cargo pois não eram “constituintes exclusivos”. Uma Constituinte para ter legitimidade deve ser escrita por “deputados constituintes exclusivos”, isto é, após escrevê-la, voltam para casa. Mandato novo, só se disputar outra eleição!

Estamos há menos de um ano da próxima eleição para presidente e, pelo andar da carruagem, parece que os personagens que estarão no palco (ou picadeiro) serão os mesmos, com riscos catastróficos para o país. Algo precisa ser feito. O povo não aguenta mais tanta corrupção, tanta impunidade, tanta safadeza!

Está na hora do povo ser consultado sobre questões fundamentais para nossa sobrevivência. Assaltaram nosso país. Não podemos ficar assistindo tudo e depois lamentando…

Nossa Constituição diz em seu Art. 1º, Parágrafo Único que “todo o poder emana do povo, que exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente…”. A Carta Magna reconhece e respeita a soberania popular. Precisamos saber disso e valer nossos direitos.

A soberania popular é exercida pelo voto, nos termos da lei 9.709/98 e das normas constitucionais: I – plebiscito: II – referendo e III – iniciativa popular. (mais…)


Polícia Federal encontra digitais de secretário de Lúcio em ‘bunker’


Job Ribeiro Brandão também é alvo da ação da PF, que ocorre na manhã desta segunda-feira (16) em Salvador e no gabinete do deputado federal, em Brasília

Polícia Federal achou digitais de Job Ribeiro Brandão, secretário parlamentar do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), nos R$ 51 milhões encontrados em um apartamento ligado ao ex-ministro da Secretaria de Governo e irmão do peemedebista, Geddel Vieira Lima.

A informação foi divulgada pela jornalista da TV Globo, Camila Bonfim. A ação é realizada a pedido da Procuradoria Geral da República e os mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal.

De acordo com a reportagem, Job Ribeiro também é alvo da ação da Polícia Federal, que ocorre na manhã desta segunda-feira (16) em Salvador e no gabinete de Lúcio, em Brasília.

Além do Job, a PF já havia encontrado digitais de Geddel e do ex-diretor-geral da Defesa Civil, Gustavo Ferraz, no dinheiro.


Geddel ‘senador’ faria dobradinha com Cunha no Congresso, diz Funaro


Funaro dá ainda mais detalhes sobre a aproximação do deputado federal Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel, com o ex-presidente da Câmara dos Deputados

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

 

Derrotado na eleição de 2014, quando tentou chegar ao Senado, Geddel Vieira Lima (PMDB) tinha planos para caso conseguisse chegar ao plenário do Congresso Nacional. Segundo Lúcio Funaro – operador de propina do PMDB – o baiano e o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB) planejavam uma “dobradinha”. Cunha concorreria à presidência da Câmara dos Deputados e Geddel concorreria ao Senado.

“Ele [Geddel] se candidatou ao Senado e esperava ser eleito. Ele sendo eleito, queria formar uma dupla com o Eduardo [Cunha] para ele concorrer à presidência do Senado e Cunha da Câmara”, conta, na sua delação premiada.

“Geddel nem se elegeu. Eu nunca vi Geddel ganhar eleição majoritária. Não ganhou para governador e nem para senador”, relata o operador.

Funaro dá ainda mais detalhes sobre a aproximação do deputado federal Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel, com o ex-presidente da Câmara dos Deputados.
“O Lúcio dependia do Eduardo para ter comissão, para ter mais voz ativa no plenário. Isso fez com que os dois [Geddel e Eduardo Cunha] se aproximassem”, diz.


Cunha recebeu R$ 1 mi para ‘comprar’ votos do impeachment de Dilma, diz Funaro


O operador financeiro Lúcio Funaro afirmou em depoimento à Procuradoria-Geral da República que repassou R$ 1 milhão para o ex-deputado Eduardo Cunha “comprar” votos a favor do impeachment de Dilma Rousseff, em 2016.

Funaro disse que recebeu uma mensagem de Cunha, então presidente da Câmara, dias antes da votação no plenário, ocorrida em 17 de abril.

“Ele me pergunta se eu tinha disponibilidade de dinheiro, que ele pudesse ter algum recurso disponível pra comprar algum voto ali favorável ao impeachment da Dilma. E eu falei que ele podia contar com até R$ 1 milhão e que eu liquidaria isso para ele em duas semanas no máximo”, disse.

Folha teve acesso ao depoimento prestado por Funaro à PGR em agosto deste ano. Seu acordo de delação foi homologado pelo ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal).

No depoimento, uma procuradora questiona: “Ele (Cunha) falou expressamente comprar votos?”. Funaro respondeu: “Comprar votos”.

 

O delator disse que o valor de R$ 1 milhão acabou sendo repassado. “Consolidou esse valor?”, perguntou a PGR. “Consolidei o valor”, disse o operador, preso na Papuda.

“Depois de uma semana de aprovado o impeachment, comecei a enviar dinheiro para ele (Cunha) ir pagando os compromissos que ele tinha assumido”, disse Funaro. Segundo ele, o dinheiro foi entregue em Brasília, Rio e São Paulo.

O QUE DIZ FUNARO
Trechos do depoimento à PGR

O delator deu como exemplo de deputado “comprado” o nome de Aníbal Gomes (PMDB-CE), que acabou faltando à sessão de votação do impeachment.

“Tem um caso até hilário, mas um dos deputados que ele (Cunha) comprou e pagou antecipado, pelo que ele me disse, foi o Aníbal Gomes. Ele disse que tinha pago para o Anibal Gomes R$ 200 mil para o Anibal Gomes votar favorável ao impeachment. O que aconteceu? O Anibal Gomes não veio no dia da votação, faltou”, afirmou Funaro. “Aí ele (Cunha) ficou louco (…). O cara deu a volta nele”, disse o delator.

Procurado pela Folha, Aníbal Gomes afirmou que as declarações de Funaro são “uma mentira deslavada”. O deputado disse que não conhece o operador e que “nunca recebeu dinheiro de Eduardo Cunha”. Aníbal afirmou que faltou na votação do impeachment porque estava em São Paulo, “operado da coluna”.

A Câmara aprovou a instauração do processo de impeachment com 367 votos favoráveis. O Senado acabou condenando a petista, que deixou o cargo no segundo semestre do ano passado.

CUNHA

Em nota divulgada neste sábado (14), Eduardo Cunha, que também está preso, rebateu a delação de Funaro, de quem era aliado.

“Repudio com veemência o conteúdo e se trata de mais uma delação sem provas que visa a corroborar outras delações também sem provas, onde o delator relata fatos que inclusive não participou”, afirma Cunha. “As atividades criminosas confessadas pelo sr. Lucio Funaro foram feitas por sua conta e risco.”

Cunha também afirma ser uma “absoluta mentira” as referências de Funaro a outros políticos, como Temer. “Desminto e desafio a provar as supostas referências sobre terceiros a mim atribuídas, incluindo ao presidente Michel Temer, onde tudo que ele atribui declara que ouviu dizer de mim, o que é uma absoluta mentira.”

(mais…)