Para atingir Lula, DEM ataca a UFRB, afirma Marcelino Galo

O deputado estadual Marcelino Galo (PT) condenou a ação popular interposta na Justiça Federal pelo vereador da base do prefeito ACM Neto, Alexandre Aleluia (DEM), contra a concessão de título de doutor honóris causa para o ex-presidente Lula. A honraria foi aprovada pela Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). “Este é mais um atentado … Leia Mais


Waldenor e Zé Raimundo na Caravana de Lula na Bahia

No primeiro dia da Caravana de Lula pelo Nordeste, os deputados petistas Waldenor Pereira (federal) e Zé Raimundo (estadual) marcaram presença na recepção e acompanhando a programação do ex-presidente da República em Salvador. Lula chegou ontem (17), por volta das 16h, quando foi calorosamente recepcionado pela comitiva de autoridades nacionais e parlamentares, liderada pelo governador … Leia Mais



Chefe da Lava Jato critica Temer e diz que o governo derreteu

O procurador Carlos Fernando Lima, um dos coordenadores da Lava Jato, avalia que a impunidade de Michel Temer, que se mantém no poder mesmo denunciado por corrupção e rejeitado por mais de 90% dos brasileiros, amplia o desânimo da população brasileira. “Veja, ele não se fortaleceu. Na verdade o presidente se enfraqueceu. No meu ponto … Leia Mais


Com apetite por cargos no primeiro escalão, centrão articula queda de Imbassahy

Foto: Alexssandro Loyola/ PSDB/ Divulgação Salvo de enfrentar uma denúncia por corrupção passiva no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Michel Temer (PMDB) tem pago a fatura das articulações por votos pró-arquivamento da ação oferecida pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. O centrão tem pressionado o peemedebista pela reorganização dos cargos de primeiro escalão governo. … Leia Mais


Oposição ingressa com queixa-crime e pede prisão de ACM Neto


Para fundamentar a denúncia de obstrução de Justiça, vereador José Trindade se reuniu com o promotor e ex-ministro de Justiça, Wellington César Lima e Silva

Alexandre Galvão
Foto: Reginaldo Ipê/Ascom/CMS
Foto: Reginaldo Ipê/Ascom/CMS

 

O bloco de oposição na Câmara Municipal de Salvador (CMS), liderado pelo vereador José Trindade (PSL), ingressou com uma queixa-crime contra o prefeito da capital, ACM Neto (DEM), em que pede a prisão do democrata.

Na alegação, Trindade argumenta que Neto tentou obstruir a Justiça quando, supostamente, alterou o Diário Oficial do Município para publicar a lei do Revitalizar.

Explica Trindade que, antes de a imprensa veicular decisão liminar que impediria assinatura da lei, o informativo digital não trazia o texto. Com a repercussão negativa, o Palácio Thomé de Souza teria adulterado o documento.

Para fundamentar a denúncia, Trindade se reuniu com o promotor e ex-ministro de Justiça, Wellington César Lima e Silva.

“A Justiça concedeu a liminar na sexta-feira, 19 de maio, às 18h, e a edição da segunda (22) do DOM não constava a sanção do Revitalizar. Após ser publicada uma matéria em um site de notícias que informava sobre a liminar, a prefeitura tirou o Diário Oficial do ar e incluí-o o projeto, agora sancionado, como lei. O prefeito obstruiu a justiça e precisa responder por isso”, afirmou Trindade, sobre a notícia publicada à época pelo bahia.ba.

Entenda o caso aqui, aqui e aqui.

(mais…)


A melhor profissão do Brasil: De pai para filho, as “capitanias hereditárias” do Congresso


Marcos Oliveira/Ag. Senado

Arthur Lira conversa com o pai Benedito de Lira: deputado e senador são alvos de investigação da Operação Lava Jato

 

Na palestra em que criticou as duas principais mudanças tramadas na Câmara para a reforma política – a forma de eleger deputados e vereadores e a criação de um fundo para bancar campanhas – o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também atacou duramente o atual sistema político e eleitoral brasileiro, chamado por ele de “falido”. “O problema desse sistema eleitoral é que renova muito, mas com o mesmo perfil de voto: igrejas num segmento, agronegócio em outro e máquina pública em muitos estados. Renova-se quase 50% da Câmara, mas, efetivamente, há pouca renovação”, declarou na última sexta-feira (11).

Em seu diagnóstico, Maia se esqueceu de apontar o expressivo segmento do qual ele faz parte: o das famílias que se revezam no comando da política do país. Levantamento da Revista Congresso em Foco revela que pelo menos 378 parlamentares têm laços familiares com outros políticos, de menor ou maior envergadura. Entre eles, ao menos 69 são de 33 famílias que ocupam, ao mesmo tempo, mais de uma cadeira na Câmara e no Senado. São pais, filhos, casais, tios, sobrinhos, primos, cunhados, e até ex-cônjuges unidos pelo exercício do mandato. Filho do ex-deputado e ex-prefeito Cesar Maia (DEM-RN), Rodrigo Maia é primo do deputado Felipe Maia (DEM-RN) e do senador

<<Veja a lista das famílias com mais representantes no Congresso

Dia dos Pais

Nas comemorações deste domingo (13), Dia dos Pais, pelo menos 12 parlamentares serão presenteados por colegas que são, também, seus filhos. É o caso dos senadores Antonio Carlos Valadares (PSB-SE), Benedito de Lira (PP-AL), Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), Fernando Coelho Bezerra (PSB-PE), Garibaldi Alves (PMDB-RN), João Alberto Souza (PMDB-MA), José Agripino e Vicentinho Alves (PSD-TO). Pais, respectivamente, dos deputados Valadares Filho (PSB-SE), Arthur Lira (PP-AL), Pedro Cunha Lima (PSDB-PB), Fernando Coelho Filho (PSB-PE) – atual ministro de Minas e Energia – , Walter Alves (PMDB-RN), João Marcelo Souza (PMDB-MA), Felipe Maia e Vicentinho Junior (PSD-TO). (mais…)


Após saco de bondades para políticos, governo prepara saco de maldades para servidores


Alan Santos/PR

Temer e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, na abertura da colheira do algodão, nessa sexta-feira (11), em Mato Grosso

Por um lado, farta liberação de recursos e distribuição de cargos entre os aliados, programas de refinanciamento de dívidas para empresários e produtores rurais e recuo na proposta de elevar o Imposto de Renda para quem ganha mais, como os próprios políticos. Por outro, congelamento de salários, adiamento de reajuste, corte de benefícios e fixação de teto salarial para quem está começando a carreir

Depois do saco de bondades para políticos, às vésperas e após a votação que o livrou da investigação por corrupção no Supremo Tribunal Federal (STF), o presidente Michel Temer prepara o anúncio de um pacote de maldades para o servidor público.

A equipe econômica se debruça neste fim de semana nos últimos cálculos para a revisão da meta do deficit fiscal deste ano e de 2018 e na definição de medidas para cortar gastos e aumentar despesas. O resultado desse trabalho deverá ser anunciado no início da próxima semana. Só com o congelamento de salários dos servidores no ano que vem, o governo espera economizar cerca de R$ 10 bilhões.

Servidores atingidos

Ao todo, 253 mil servidores ativos e inativos, além dos militares, devem ser atingidos pelo adiamento dos reajustes, informa o jornalista Vicente Nunes, do Correio Braziliense. A decisão do governo atinge parte significativa da elite dos servidores federais e pode precipitar uma onda de greves e outras manifestações.

Militares, policiais federais, policiais rodoviários federais, diplomatas, integrantes das carreiras jurídicas, como os advogados da Advocacia-Geral da União (AGU), auditores federais, gestores da União e funcionários do Banco Central e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) deverão ser atingidos com o congelamento salarial em 2018, antecipa o Correio. Já os policiais civis e militares do Distrito Federal, ainda hoje pagos pela União, não tiveram aumento nem terão reajuste.

“Estão na lista: médicos peritos do INSS, auditores-fiscais e analistas tributários da Receita Federal, auditores-fiscais do Trabalho, analistas e especialistas em Infraestrutura, analistas-técnicos de Políticas Sociais, peritos federais agrários, funcionários do Dnit, Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, carreira jurídica, carreira de finanças e controle, CVM, Susep, analistas e técnicos do Banco Central, carreira do ciclo de gestão, carreira de diplomacia, Polícia Civil dos ex-territórios e Suframa”, informa o Correio. (mais…)


TRE do Pará cassa mandato do deputado Wladimir Costa


Parlamentar é acusado de ter recebido dinheiro ‘oriundo de fontes não declaradas’ para a campanha à Câmara dos Deputados, em 2014; decisão não implica em afastamento imediato pois ainda cabe recurso ao TSE

BELÉM – O deputado federal paraense Wladimir Costa (SD-PA) teve o mandato cassado por unanimidade pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) paraense na manhã desta sexta-feira.

A corte eleitoral o acusa de ter recebido dinheiro “oriundo de fontes não declaradas” para a campanha dele à Câmara dos Deputados, em 2014. Ele também teria omitido da Justiça Eleitoral o montante de R$ 410.800 de sua declaração de valores recebidos para a campanha. A decisão, no entanto, não implica no afastamento imediato de Costa da Câmara. Isso só poderá ocorrer se ele perder o recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quando então seria declarado inelegível por oito anos, além de perder do mandato.

O deputado Wladimir Costa (SD-PA)
O deputado Wladimir Costa (SD-PA) Foto: Dida Sampaio|Estadão

O advogado do deputado, Mauro Santos, afirmou ao Estado que acionará o TSE dentro dos próximos 30 dias. “Eu observei alguns erros nessa votação que deixarei para explorar no recurso ao TSE”, disse Santos.

Para ele, contudo, a relatora do processo, a juíza federal Lucyana Daibes Pereira, que também atua no tribunal eleitoral, apresentou um voto que foi capaz de convencer os outros cinco juízes pela cassação do mandato do deputado. “A votação por 6 a 0 sempre representa um problema no julgamento de um recurso ao TSE. Espero que as falhas sejam determinantes para que o deputado seja absolvido”.

Deputado Wladimir Costa (à direita) joga papeis picados durante votação pelo afastamento de Dilma
Deputado Wladimir Costa (à direita) joga papeis picados durante votação pelo afastamento de Dilma Rousseff Foto: Dida Sampaio|Estadão

Recentemente, Costa protagonizou dois episódios inusitados na Câmara: no primeiro, durante a votação para abertura do processo de impeachment contra a presidente afastada Dilma Rousseff, em abril, apareceu na tribuna enrolado na bandeira do Pará, além de explodir no local um bastão de confetes.

O segundo ocorreu no mês passado, durante a votação, na Comissão de Ética da Câmara, pela cassação do mandato do deputado Eduardo Cunha, de quem ele era ferrenho aliado. Depois de encaminhar a votação contrária à cassação, o deputado surpreendeu a todos com seu voto decisivo a favor do afastamento de Cunha.

(mais…)


Erra, rouba mas não faz: Vídeo: PSDB admite que “errou”, mas faz suspense sobre os erros que diz ter cometido


O Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) divulgou nesta terça-feira (8), em redes sociais e de televisão e rádio, um vídeo de 30 segundos em que admite ter cometido erros, mas sem apontar quais foram eles. Enumerando uma série de situações em relação às quais diz ter acertado, o partido provoca a curiosidade de telespectadores e internautas ao convidar o público para, no próximo dia 17, a partir das 20h30, conhecer “as ideia e posições do PSDB diante do futuro do Brasil”.

Veja o filmete:

 

“O PSDB acertou quando criou o Plano Real. Mas agora, errou. Acertou quando lutou pelas ‘Diretas Já’ e anistia [a fatos relativos à ditadura]. Agora, errou. Foi quem implantou os ‘agentes de saúde’. Mas agora, errou. O PSDB errou e tem que fazer uma autocrítica. Não adianta pedir desculpas”, diz o filmete de 30 segundos, entrecortando a narrativa sobre os acertos com declarações de que errou feitas por atores.

Levado a público dias depois da manutenção do senador Tasso Jereissati (CE) como presidente interino do partido, o vídeo levanta especulações sobre que tipo de erro está a se admitir agora. Afastado do comando da legenda em 18 de maio, depois de que foi gravado pedindo R$ 2 milhões a Joesley Batista, delator da Operação Lava Jato, o senador Aécio Neves (PSDB) pode ser um protagonista da tal autocrítica no próximo programa partidário, mas nada foi adiantado pelos tucanos.

 



Centrão avisa a Temer que não vai votar reforma da Previdência ( mais dinheiro)


Líderes dos três principais partidos do grupo – PP, PR e PSD – afirmam que não há condições de aprovar a proposta

Foto: Lúcio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados
Foto: Lúcio Bernardo Junior / Câmara dos Deputados

 

Deputados do Centrão mandaram avisar ao presidente Michel Temer (PMDB) que não irão votar a reforma da Previdência Social, de acordo com o blog do Camarotti, do portal G1.

Líderes dos três principais partidos do eixo – PP, PR e PSD – afirmam que não há condições de aprovar a proposta, ainda mais depois do desgaste de terem votado contra o prosseguimento da denúncia contra Temer.

“Reforma da Previdência se vota no início de mandato. Em final de mandato, é muito perigoso colocarmos uma matéria dessa, ainda mais no momento em que estamos vivendo na Câmara dos Deputados”, disse o líder do PR, José Rocha (BA).

O Centrão quer deixar claro ao governo a insatisfação com o espaço político dado a partidos que não votaram majoritariamente a favor de Temer: PSDB e PSB.

“O momento é muito delicado, não temos unidade na bancada para isso [votar a reforma]. Nós esperamos que o governo tenha um sentimento de reagrupamento e senso de responsabilidade de saber quem realmente é base e quem não é”, contou o líder do PP, Artur Lira (AL).