Suspensão de transporte intermunicipal é estendida a mais cinco cidades

Novo decreto estadual proíbe circulação e saída de veículos em Luís Eduardo Magalhães, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Guanambi e Conquista Redação Foto: Divulgação/ViaBahia   O governador Rui Costa (PT) publicou neste sábado (21) o decreto nº 19.554, que determina a suspensão da circulação e saída de transportes, por 10 dias, em mais cinco cidades baianas. … Leia Mais


Brumado: Policlínica tem início de obras autorizadas pelo governador

O deputado federal Waldenor Pereira esteve ontem (16) ao lado do governador Rui Costa em Brumado, onde Rui assinou a ordem de serviço para a construção de uma Policlínica Regional de Saúde, que vai atender Brumado e outras 17 cidades no entorno. O equipamento de saúde será construído no bairro São José e contará com … Leia Mais


Audiência Pública em defesa da vida

A mobilização do Movimento Itajaí Resistência, em defesa do rio Gongogi, já começa a dar resultados, considerando-se que conquistou da administração do Município o agendamento de uma Audiência Pública para se discutir os impactos ambientais provocados pela exploração de pedras ornamentais (quartzitos) na Serra da Cebola, região das nascentes do Rio Gongogi. O movimento de … Leia Mais


Em Banzaê, Rui inaugura estádio e obras de infraestrutura

O governador Rui Costa visitou o município de Banzaê, no nordeste do estado, onde inaugurou a reforma do Estádio Municipal e a pavimentação de diversas ruas dos povoados Camarão, Tamburil e Campo do Brito, na manhã deste sábado (15). A agenda contemplou também a entrega de ambulâncias para cidades da região e autorizações para novas … Leia Mais


Marinha divulga edital de concurso para Soldado Fuzileiro Naval com 960 vagas


O candidato deve ter nível médio completo e idade entre 18 e 21 anos em 1º de janeiro de 2021

Estarão abertas, no período de 19/02 a 20/03/20, as inscrições para o Concurso Público de Admissão ao Curso de Formação de Soldado do Corpo de Fuzileiros Navais, para 2021.

Além de outros requisitos, o candidato deverá ser brasileiro nato, do sexo masculino, ter mais de 18 anos e menos de 21 anos, em 01/01/2021, e ter concluído o ensino médio.

São 960 vagas, sendo 44 vagas destinadas àqueles que optarem por servir em Salvador, após o curso de formação.

As inscrições poderão ser realizadas no site www.marinha.mil.br/cgcfn/, onde também poderá ser encontrado o edital com as informações completas ou no Grupamento de Fuzileiros Navais de Salvador-Avenida da França nº 1300 – Comércio Salvador-BA, CEP: 40010-000, tel: (71) 3415-2689 ou (71) 3507-3815.

A taxa de inscrição é de R$25,00.

A primeira etapa do concurso consiste em um exame de escolaridade, com provas de Português e Matemática. Os aprovados na etapa inicial passarão ainda por verificação de dados biográficos e documentos, teste psicológico, inspeção de saúde e teste de suficiência física.

O candidato aprovado realizará o Curso de Formação, em regime de internato, com a duração de 17 semanas, no Rio de Janeiro ou Brasília.

Durante o curso, além de serem proporcionadas alimentação, uniforme e assistência médico-odontológica, o candidato perceberá remuneração atinente à sua graduação, como ajuda de custo para suas despesas pessoais.

SERVIÇO:

Concurso Público de Nível Médio: Curso de Formação de Soldado Fuzileiro Naval

Inscrição: a 19/02 a 20/03/20.

Valor: R$ 25,00.

Informações: www.ingressonamarinha.mar.mil.br ou (71) 3507-3825.


Rui: em março, todos os partidos devem colocar o bloco na rua, inclusive o PT


Governador disse ao bahia.ba que continua conversando com os partidos de sua base visando a eleição em Salvador

Foto: Reprodução / Instagram
Foto: Reprodução / Instagram

 

O governador Rui Costa (PT) diz acreditar que a partir de março os pré-candidatos a prefeito de Salvador “devem colocar o bloco da rua”, incluindo o PT.

Escolhida pelo próprio governador, a major Denice Santiago deve ser a postulante petista no pleito municipal de outubro. Rui tem afirmado que sua base deve ter três candidatos ao Palácio Thomé de Souza.

“Eu continuo conversando com os partidos, inclusive com o PT. Acredito que em março todos os partidos devem colocar os pré-candidatos e seus blocos na rua. Isso em Salvador e nas cidades do interior do Estado”, ressaltou em entrevista ao bahia.ba.


Tiros que mataram ‘capitão’ Adriano foram dados a pelo menos 1,5 metro, diz IML


O miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega foi morto por dois tiros de fuzil

O miliciano Adriano Magalhães da Nóbrega foi morto por dois tiros de fuzil, de no mínimo um metro e meio de distância, e chegou ao Instituto Médico Legal de Alagoinhas, a pouco mais de 135 quilômetros de distância de Salvador, com os dois pulmões destruídos e o coração dilacerado. Os detalhes foram divulgados na tarde desta sexta-feira, 14, na sede do Departamento de Polícia Técnica, em Salvador.

Pela primeira vez depois da morte de Adriano, o médico responsável pela autópsia do corpo, Alexandre Silva, perito médico legista, deu detalhes sobre o estado do miliciano. A entrevista coletiva reuniu, também, o diretor do IML, Mário Câmara, e Elson Jefferson Neves da Silva, diretor geral do DPT-BA.

“Eram dois disparos de arma de fogo. Teve um primeiro, que passou por baixo do peito, saiu rasgando o pescoço, e entrou na submandibular. Eu encontrei o projétil na região do pescoço. O segundo foi na região da clavícula. Esse aqui entrou e saiu nas escápulas. Essas foram as lesões provocadas por armas de fogo”, explicou Alexandre.

O caminho das balas

Os tiros foram de fuzil, determinou a autópsia, mas o calibre ainda não foi determinado. O laudo parcial divulgado pela Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) ainda aponta seis fraturas nas costelas.

Os peritos negaram, diversas vezes, que o disparo tenha ocorrido numa distância de menos de um metro e meio. “Se você pega um fuzil calibre 762, por exemplo, bota perto da mandíbula, vai ter mandíbula para tudo que é lugar”, afirmou Mario. Logo depois, comparou: “Assistam ao assassinato de John Kennedy, explodiu a cabeça dele, isso o sujeito [o assassino] lá longe”.

Não se sabe quanto tempo, exatamente, Adriano ainda conseguiu sobreviver depois dos disparos. Mas acredita-se que, pelo menos, de 10 a 15 minutos. “É por isso que muitos policiais atiram até derrubar. O cérebro continua vivo”, tentou justificar Mario. Depois, o corpo do miliciano foi levado para o IML de Alagoinhas, a 72 quilômetros de Esplanada. A liberação aconteceu no dia seguinte e não se sabe, depois da retirada pela família, onde ele está. É o que afirmou a SSP-BA ao Estado. A família tentou autorização para cremar o corpo, mas a Justiça negou, na última terça, 12.

O perito também encontrou uma área de equimose avermelhada no peito e uma lesão “cortocontusa” na testa – atrito que machuca e corta, como quando uma pessoa recebe uma forte cotovelada ou um murro por exemplo. As equimoses são causadas por vasos rompidos, abaixo da derme (camada mais superficial da pele), causada por uma superfície, quando Adriano ainda estava vivo. “Foi de forma passiva ou ativa? Não sei. Isso foi antes dele morrer”, pontuou Mario. “Ele bateu, provavelmente, em alguma quina”, complementou.

‘Suposto perito’

Os peritos evitaram calcular a distância exata do tiro. Disseram que é “impossível” prever a distância, exceto se conseguirem recuperar a arma que fez o disparo, usarem munição similar e disparar contra um alvo repetidas vezes até que se faça uma marca igual na “zona de tatuagem” – causada pela absorção de partículas de pólvora que atingem o corpo da pessoa atingida por um tiro.

No entanto, Mario reforçou, quase em todas as respostas, que a distância está mais para “longa” – de um metro e meio a dois – que “curta”. Foi ele quem respondeu a maior parte das perguntas dos jornalistas. Elson Jefferson Neves da Silva, diretor geral do DPT-BA, disse que peritos não são acostumados – nem devem ser – a dar entrevistas. Mario fez questão de criticar os legistas entrevistados pela Veja.

“Na minha opinião, emitiram opinião de forma leviana. O ideal é ver o corpo, nós fizemos o ideal, o perito fez o ideal, levantou prova material”.

O diretor geral do DPT frisou que a perícia técnica não leva em consideração nenhuma opinião de terceiros, como entrevistas a policiais, quando questionado por jornalistas. Não foram informados outros detalhes além da perícia, como se Adriano foi encontrado com algum pertence ou dinheiro. “Eu analiso o que vejo”, disse Elson. Ainda restam três laudos – como o de balística – serem divulgados, mas nenhum dos peritos estipulou prazo.


Zé Raimundo é reeleito presidente da CCJ na ALBA


A Assembleia Legislativa da Bahia retomou nesta terça-feira, 11, as atividades das Comissões Parlamentares, quando também foram escolhidas as novas direções.

Por unanimidade dos votos, o deputado estadual Zé Raimundo foi reconduzido à presidência da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), tendo como vice-presidente o deputado Paulo Câmara.

Ao reassumir a posição, Zé Raimundo fez uma avaliação dos trabalhos realizados no último ano e ressaltou as suas perspectivas para o futuro.

“Eu avalio que 2019 foi um ano de muitas atividades na CCJ e, naturalmente, esperamos que neste ano os deputados integrantes da comissão continuem como no ano passado, trabalhando, elaborando pareceres e discutindo intensamente. O ano passado, provavelmente, foi o ano que mais se produziu pareceres na Assembleia, e nossa expectativa é que este ano dê continuidade ao mesmo dinamismo. A nossa insistência é a de que a CCJ possa apreciar a maior quantidade de projetos e eles possam ir para o plenário. Naturalmente, espero contar com o apoio de todos os colaboradores, técnicos, assessores e colegas deputados”, afirma o deputado.


PM-BA terá aulas com Marcha do Empoderamento Crespo após caso de racismo


por Lucas Arraz

PM-BA terá aulas com Marcha do Empoderamento Crespo após caso de racismo

Foto: Raul Spinassé / Ag. A TARDE

A Polícia Militar da Bahia (PM-BA) ofertará aulas de formação contra o racismo para a sua tropa. As aulas e visitas a bases comunitárias serão ministradas por organizadores da Marcha do Empoderamento Crespo após um jovem negro de 16 anos ser agredido durante uma abordagem policial no bairro Paripe, Subúrbio Ferroviários de Salvador. O adolescente foi chamado de “ladrão” e “vagabundo” e seu cabelo usado pelo policial como modo de identificação desses perfis (veja aqui).

A formação com aulas “anti-racismo” também será implementada para agentes de segurança que prestam serviços para a CCR, operadora do metrô na capital baiana. Na mesma semana do caso de racismo em Paripe, uma mãe denunciou outro caso cometido por um segurança de metrô contra as filhas gêmeas dela.

Responsável pela capacitação, Naira Gomes, fundadora do Empoderamento Crespo, destacou a importância das medidas adotadas diante dos casos. “Ensinar é importante. Vamos ganhar pessoas contra o racismo e outras questões como intolerância religiosa e LGBTfobia”, falou em entrevista aos jornalistas Jefferson Beltrão e Fernando Duarte no programa “Isso é Bahia”, de A Tarde FM 103.9. 

A ideia é começar as visitas a bases comunitárias antes do Carnaval. “Queremos ter esse contato com os policiais antes do Carnaval, uma festa que por si só tem muita animosidade e muitos episódios de racismo pela polícia”, completou. A ação será implementada pela PM primeiro em Paripe, local em que o jovem negro foi agredido. 


Miliciano Adriano da Nóbrega tinha certeza de que queriam matá-lo em “queima de arquivo”


Morto pela polícia na Bahia, o miliciano Adriano da Nóbrega Silva, ligado à família Bolsonaro, nunca havia falado diretamente com seu advogado, Paulo Emilio Catta Preta, mas, depois de ficar preocupado com os últimos movimentos da polícia, ligou para ele e relatou que tinha “certeza” de que queriam matá-lo para “queimar arquivo”

Miliciano foi encontrado com quatro armas
Miliciano foi encontrado com quatro armas

O ex-capitão do Bope é citado nas duas investigações do Ministério Público (MP-RJ): a da ex-vereadora Marielle Franco e outra que apura o suposto esquema de “rachadinha” no gabinete do senador Flávio Bolsonaro quando ele era deputado estadual.

O ex-militar estava foragido desde a Operação Os Intocáveis, que em janeiro do ano passado membros Escritório do Crime, grupo de matadores profissionais que atua na zona oeste do Rio.

O miliciano morreu na zona rural de Esplanada, município baiano. De acordo com a polícia do estado, ele estava com uma pistola austríaca calibre 9mm; A defesa nega.

Morto na manhã deste domingo, 9, pela polícia da Bahia, o miliciano Adriano da Nóbrega Silva estava convencido de que queriam matá-lo e não apenas prendê-lo. Ele nunca havia falado diretamente com seu advogado, Paulo Emilio Catta Preta, até a quarta-feira passada (5), mas, depois de ficar preocupado com os últimos movimentos da polícia, ligou para ele e relatou que tinha “certeza” de que queriam matá-lo para “queimar arquivo”, de acordo com o jornal O Estado de S.Paulo.


Miliciano morto telefonou a advogado para relatar plano de matá-lo e ‘queimar arquivo’


Miliciano morto telefonou a advogado para relatar plano de matá-lo e 'queimar arquivo'

Foto: Reprodução

Morto em uma ação policial em Esplanada, no agreste baiano, (ver aqui) Adriano Magalhães da Nóbrega, disse ao advogado dele que tinha “certeza” que tramavam a morte dele. Segundo o Estadão, o homem apontado como chefe do “Escritório do Crime”, milícia com atuação no Rio de Janeiro, ligou para o advogado Paulo Emilio Catta Preta. Adriano relatou que tinha certeza que queriam mata-lo para “queimar o arquivo”.

A ligação teria ocorrido na última quarta-feira (5). A viúva do também ex-capitão da PM carioca fez o mesmo relato. Adriano da Nóbrega é suspeito de envolvimento na morte da vereadora Marielle Franco. Ele também estaria incluso em um esquema de “rachadinha” no gabinete do então deputado estadual Flávio Bolsonaro, que chegou a homenagear Adriano na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.