Família do Sr. Renilto Moreira pede ajuda

Este texto abaixo é da família do Sr. Renilto Moreira de Araújo, ele assa por um momento difícil, no tocante à saúde e está há dois meses aguardando uma vaga para um procedimento cirúrgico na cidade de Salvador. “Eu quero saber quando vai ser que vai surgir a vaga pro meu pai ser transferido pro … Leia Mais


Interligação de nova adutora suspenderá abastecimento em bairros e localidades rurais de Vitória da Conquista e Belo Campo nesta quarta (17)

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) vai colocar em funcionamento nesta quarta (17) o segundo trecho da Adutora do Sudoeste para reforçar o abastecimento em diversos bairros e localidades rurais de Vitória da Conquista. Durante a realização do serviço de interligação da nova adutora ao sistema distribuidor será necessário interromper o fornecimento de … Leia Mais


Chamada Pública de Compra da Agricultura Familiar nº 01/2021


O IFBA campus Vitória da Conquista divulga a Chamada Pública de Compra da Agricultura Familiar nº 01/2021, para aquisição de alimentos produzidos por meio da agricultura familiar ou empreendedor rural. Os produtos serão usados no preparo das refeições servidas aos alunos do instituto no período letivo de 2021, atendendo ao Programa Nacional de Alimentação Escolar – PNAE.

Os fornecedores individuais, grupos formais e/ou informais interessados devem comparecer ao IFBA munidos da documentação de habilitação e o projeto de venda, no dia 06/12/2021, às 9:30. O IFBA fica localizado na Av. Sérgio Vieira de Melo, 3150, Zabelê.

A documentação e mais informações podem ser encontradas no edital.


Câmara concede Moção de Aplauso ao radialista João Melo


Imagem Câmara concede Moção de Aplauso ao radialista João Melo

Durante a Sessão Ordinária dessa quarta-feira, 10, a Câmara de Vereadores de Vitória da Conquista concedeu a Moção de Aplauso nº 137/2021, de autoria do vereador Orlando Filho (PRTB), ao radialista João Melo, do Programa Redação Brasil, da Brasil FM 107,7, pelos importantes serviços prestados à comunidade conquistense.
“Eu divido este prêmio que estou recebendo hoje com os meus colegas do Redação Brasil, eu fiquei fora do rádio por muito tempo, ganhei visibilidade novamente, graças ao programa e à Rádio Brasil FM. Também divido com minha mãe, minha esposa e meus filhos”, comentou.
João Melo é  o mais importante repórter  policial de Vitória da Conquista e como jornalista, excelente redator, tive oportunidade de trabalhar com  João da Rádio Clube de modo que sou testemunho  do bom profissional que ele é.  Cabo Melo, como era chamado no Exército, onde servimos juntos em 1975, também  era um excelente atirador naquela escola militar,  Homenagem justíssima.

Gato desaparecido no Alto Maron, foi encontrado, a família agradece os compartilhamentos


 

Este gato pertence a Norma Oliveira que mora no Alto Maron, ele foi roubado hoje, pela manhã da janela da casa da minha mãe, por alguém desconhecido dela a família está desesperada, pois alguém soltou ele no (SAC) na Rua do Fórum, e uma moça achou, mas não podia ficar com ele, então apareceu um homem de carro e o levou dizendo que iria leva-lo amanhã no pet, pra dar banho, pois estava super sujo, O gato é criado como filho, por minha mãe, ela esta num estado de tristeza grande e, se o gato não aparece, ela morre me ajude por favor, moro em Salvador e estou te pedindo ajuda. 98815 2659 ou 71 98887-2844.

A família agradece, o gatinho já está com a dona


Prefeita sanciona lei que cria programa para distribuição de absorventes na escola municipal


Cercada por uma plateia formada em sua maioria por mulheres, a prefeita Sheila Lemos sancionou a Lei nº 2.539, que institui o Programa Municipal para Distribuição de Absorventes Higiênicos – PDAH em escolas públicas municipais. A lei foi sancionada durante assinatura da Ordem de Serviço para melhorias de equipamentos esportivos da praça Dão Barros, no bairro Ibirapuera.

A prefeita lembrou que muitas alunas de baixa renda abandonam o ano letivo ou deixam de exercer atividades cotidianas por falta de recursos para comprar absorventes. “Esse tema era um tabu, mas isso acabou e é uma questão de dignidade na vida social e de saúde pública, por isso temos que discutir o assunto, levar inclusive para as escolas”. Sheila também mencionou o seu desejo de estender o projeto para mulheres de todas as idades.

O projeto para combate a pobreza menstrual foi apresentado à prefeita pelo vereador Ricardo Babão, acompanhado da tenente Maria Alice Santana, representante da Patrulha Solidária. Emocionada, a tenente, que trabalha diretamente com adolescentes e jovens em risco social e econômico, expressou sua gratidão pela sensibilidade da prefeita em apoiar o combate à pobreza menstrual ao sancionar a lei.


Salve, Vitória da Conquista! Viva Ruy Medeiros, seu historiador


Elton Becker S. Salgado

É a partir do ano de 1997 que o nome de Ruy Medeiros começa a se tornar claro para mim; primeiro, como advogado e, posteriormente, como historiador. É que durante o processo de venda e transição da emissora Rádio Bandeirantes AM, 1210 kHz, para Rádio Canção Nova, eu conheci uns Missionários daquela comunidade que gostavam de repetir uma história que, se não for verdadeira no todo, não deixa de revelar o senso ético de Ruy e, demais, o quanto seu trabalho é proeminente.

Contava-se que, por aquela época, alguém queixou-se ao bispo Dom Celso José Pinto da Silva (1933-2018) que não ficava bem para a Igreja Particular de Vitória da Conquista ter um advogado, digamos, não muito católico. Dizia-se, então, que Dom Celso ouvira silente aquela enfiada e a rematara de um fôlego só: “Tudo bem, podemos substituir o Doutor Ruy; mas, antes me consigam um advogado que nos atenda às 3h00 da manhã de muito boa vontade e como se fosse em pleno horário de expediente”. Assunto terminado!

Pensando em Machado de Assis e, sobretudo, no seu Quincas Borba, posso afiançar que quem ouvisse tal história, aceitaria tudo por verdade, tal é a nota sincera, a meiguice dos termos e a verossimilhança dos pormenores. Basta-nos saber que a história é boa, e, então, já será, na verdade muito mais que isso. Aos poucos, fui descobrindo que Ruy Hermann Araújo Medeiros era o mesmo tio Ruy, de Francis, Fabrício, Ricardo e Wagner Cristiano, ou ainda o pai de Mário — todos meus companheiros.

Aliás, Francis Augusto foi o Medeiros que me fez sair de Macondo, o povoado ficcional criado por Gabriel García Márquez e no qual gerações e gerações coexistiram num mesmo instante e num mesmo centenário de solidões. Inicialmente, foi por estas amizades e, posteriormente, por meu ingresso no curso de História da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB), que fui descobrindo lentamente a estatura daquele homem que eu viria muitas vezes conversando com Kátia Cairo sobre livros, no antigo Cairo Center, onde eu começa a me tornar habitué, tal como ele era.

E foi com muitíssima surpresa e timidez que, eu tantas vezes acabrunhado na angústia das pequenas coisas ridículas e macondense nato, mal lhe respondi quando o encontrei naquela livraria manuseando uma reedição de “O Coronel e o Lobisomem…”, tão logo Ruy me perguntou: “Conhece o José Cândido de Carvalho?”. Eu mal sabia (e menos ainda assistira) a adaptação do texto feita por Guel Arraes, Jorge Furtado e João Falcão para a TV Globo, em 1994, com Marco Nanini, no papel do coronel, Patrícia Pillar, como Esmeraldina, e Paulo Betti, como Pernambuco Nogueira. (mais…)


Vitória da Conquista, 181 anos Comemorando o passado, agindo no presente e construindo o futuro


*Por José Raimundo Fontes
Agradeço a Deus a oportunidade de estar celebrando, com vida, saúde e muita esperança no futuro, os 181 anos de autonomia política da Jóia do Sertão Baiano e reitero a minha solidariedade aos familiares das vítimas do Covid-19. Publicizo os cumprimentos às autoridades civis, religiosas e militares, bem como saúdo as representações das instituições políticas e da sociedade civil organizada. Abraço, de forma especial, os vereadores do PT e os militantes dos movimentos sociais, parabenizando-os pela permanente disposição de luta em defesa dos interesses da maioria dos conquistenses e dos baianos.
Sinto-me orgulhoso de fazer parte da história do terceiro mais importante município da Bahia e de estar contribuindo, como cidadão, educador e ocupante de cargo público, com o seu progresso econômico, social, cultural e político.
Situado em uma região distante de onde começou o processo de colonização portuguesa das terras brasílicas, o sertão da ressaca, como era denominado o território onde hoje nos encontramos, só passou a ser alvo de interesses da coroa lusitana em meados do século XVIII, no contexto da crise das atividades auríferas e da necessidade de desbravamento de novas fronteiras para a produção agropecuária e de implantação de vias de ligação do interior com o litoral.
É então que começam as incursões dos bandeirantes, vindos do Norte de Minas, ocupando as terras entre o Rio Pardo e o Rio de Contas, expulsando e matando os habitantes originários, estabelecendo fazendas e pontos de passagens de tropas e boiadas, coisas e gentes. Essa empreitada iniciada por Pedro Leolino Mariz, João da Silva Guimarães e continuada por João Gonçalves da Costa, a mando da Coroa portuguesa, resultaria na fundação de muitos povoados, vilas e cidades, na região, entre os fins do Século XVIII e meados do Século XIX.
Instaurada em 09 de novembro de 1840 enquanto unidade municipal autônoma, a evolução histórica de Vitória da Conquista, o seu desenvolvimento e a pujança atual tiveram a participação, em diferentes fases desse processo, de muitos grupos sociais, de várias matrizes socioculturais, étnicas, religiosas e políticas. Para tanto, concorreram o trabalho e ações de empresários, trabalhadores, comerciantes, agricultores, funcionários públicos, profissionais liberais, prestadores de serviços, emigrantes, intelectuais, políticos e organizações sociais diversas. Enfim, o nosso passado e nosso presente são resultado de sonhos, labutas e realizações de homens e mulheres, em sua grande maioria anônimos, que constroem diariamente a nossa história.
Mas é inegável a decisiva contribuição que os governos do PT deram para impulsionar o desenvolvimento de Vitória da Conquista nas últimas décadas.
Foi graças aos investimentos, obras, programas e serviços implantados pelos governos petistas, em nível local, nacional e estadual, que transformaram essa que é considerada a capital regional e que hoje é uma das melhores cidades do Brasil para se viver, morar e trabalhar. (mais…)


Minha eterna, Conquista!


 

Eu me lembro da primeira vez em que avistei, do alto da serra, as luzes brilhantes circundando a misteriosa cidade. Parecia um presépio vivo. Tudo era mágico na percepção do meu curioso olhar de menina. O céu, cravejado de brilhantes, aos poucos dava lugar a um nevoeiro denso e frio. Jamais me olvidei desse instante. Fui flechada pelos mistérios dessa terra, por um amor incontido, selado por juras eternas. ​
E, no desabrochar do tempo, conheci dois grandes menestréis: Carlos Jehovah e Esechias Araújo Lima, os guias que me apresentaram aos verdadeiros encantos da, outrora, imperial Vila da Vitória. “Em que escola de belas artes se graduou Cajaíba para tirar, do barro cru, personagens históricos, mendigos, anjos, animais? Quem guiou Elomar Figueira até os átrios medievais das suas soberbas cantigas? Que mão soberana tangeu as cordas da viola quebrada de Camilo?”. Essas eram as inquietações que vagavam nas mentes daqueles parceiros da poesia.
Ao celebrar 181 de história, trago o desejo de que possamos cultivar nossos valores, buscar não deixar morrer o canto de louvor à terra das rosas, rememorando a luta de nossos índios e o trabalho de cada ser humano de bem que passou por esta terra.
Que possamos carregar, nos retalhos da memória, a Conquista da cotidiana neblina, do vento frio, dos casarões coloniais, da noite em seio branco de lua, como bem disse Esechias.
Atenta aos ensinamentos de Jehovah, sempre ouviremos falar do Dr. Régis Pacheco e sua baratinha: o 1º carro que tivemos em nossa cidade, presente de dona Zaza, esposa do tão falado Coronel Gugé. Um presente ao médico mais querido daquela época.
Também nos trouxeram, dos raros arquivos, a vida boêmia do velho Javanês (cabaré com seus poetas e seresteiros) Bruno Bacelar, Laudionor de Andrade Brasil, Camillo, Íris Silveira, todos artífices dos escritos nascidos nas madrugadas atípicas.
Fala-se em Maria Rogaciana e sua passeata seleta em prol dos escravos; Fala-se de uma Conquista nunca vista pelos olhos dos jovens de agora.
​E, ainda povoam as lembranças dos nossos escritores, “as figuras lendária de Lilita, Cafezinho, Fulô da Panela; a educação esmerada do Padre Palmeira; o canto triste das rameiras na rua da Moranga; a líquida magia vital do poço escuro; o sacerdócio e o amor de cuidar-presentes nas mãos do Dr. Crescêncio;a sabedoria e solidariedade de Henriqueta Prates e Laudicéia Gusmão”.
Que jamais deixemos de evocar as tradições, as figuras lendárias, os costumes tão singulares, a evolução e o progresso dessa cidade.
Enfim, que o toque de saudade estampado em cada palavra dita, seja uma fonte do passado, um registro memorável do que fomos e do que somos.

Salve, nossa grandiosa, Vitória da Conquista!!!

Poliana Policarpo