Brasil e Índia têm as maiores médias de mortes por covid-19 no mundo

São os únicos países com médias acima de 1.000 Funcionários de funerárias descarregam caixões com corpos de vítimas da covid-19 em BrasíliaSérgio Lima/Poder360 – 12.mar.2021 SOPHIA LOPES Brasil e Índia têm as maiores médias de mortes por covid-19 no mundo. São os únicos países com médias acima de 1.000. A média do Brasil chegou a 2.025 … Leia Mais


Vitória da Conquista ultrapassa a marca dos 500 mortos por COVID-19

Nas últimas 24 horas, a Secretaria de Municipal de Saúde (SMS) confirmou 212 novos casos de Covid-19 em Vitória da Conquista. O total de casos passa a ser 30.231, dos quais 29.188 estão recuperados, 502 evoluíram para óbito e 541 estão em recuperação (47 estão internados e 494 estão em tratamento domiciliar). Outros 2.668 casos … Leia Mais



R.R Soares é intubado por complicações em quadro de Covid-19

O missionário, de 73 anos, está internado desde sexta-feira (4/6) e precisou passar pelo procedimento por ter dificuldade em respirar Romildo Ribeiro Soares (Foto: Igreja Internacional da Graça de Deus/Reprodução) Metrópoles – O missionário R.R Sores, de 73 anos, precisou ser intubado na tarde deste sábado (5/6), após complicações no quadro de Covid-19. O líder da Igreja … Leia Mais



Bahia recebe mais 37.440 doses de vacina da Pfizer


As vacinas serão distribuídas para os municípios baianos, onde serão destinadas para a primeira aplicação

Foto: Divulgação/Sesab

Foto: Divulgação/Sesab

 

Uma nova remessa com 37.440 doses de vacinas contra Covid-19 foi recebida nesta quinta-feira (3), na Bahia. Os imunizantes foram produzidos pela Pfizer/BioNTech. O voo comercial trazendo a carga pousou no aeroporto de Salvador por volta das 15h. As vacinas serão distribuídas para os municípios baianos, onde serão destinadas para a primeira aplicação.

As vacinas serão conferidas pela equipe da coordenação de imunização do Estados e devem começar a ser distribuídas nesta sexta-feira (04).

Com esta carga, a Bahia chega ao total de 6.813.150 doses de vacinas recebidas, sendo 3.035.800 da Coronavac, 3.566.750 da AstraZeneca/Oxford e 210.600 da Pfizer/BioNTech.


Lesões na pele podem ser indicativo de Covid-19


Erupções cutâneas, urticárias e manchas devem ser analisadas

Agência Brasil
Foto: Instituto Adolfo Luiz

Foto: Instituto Adolfo Luiz

Lesões na pele como púrpura, necrose e lesões vasculares podem ser indicativo de covid-19. É o que aponta a revisão sistemática de estudos científicos feita pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O estudo mostra que manifestações cutâneas podem ser tanto indicativos como consequências da doença. “Algumas são como se fossem manifestações do vírus, com os outros sintomas gerais, como febre, por exemplo, e outras, principalmente as mais tardias, são consequência. São problemas da vascularização, da coagulação, e acabam acarretando sequelas na pele”, disse à Agência Brasil a assessora do Departamento de Medicina Interna da SBD, Camila Seque, responsável pela pesquisa.

Segundo os estudos, esses sintomas aparecem em 6% a 10% dos casos. De acordo com o documento, as lesões de pele podem surgir em até quatro semanas após o início dos sintomas gerais da doença mas, principalmente, no primeiros 15 dias. Os quadros de exantema (manchas vermelhas) e urticária costumam ser mais precoces, com início concomitante aos sintomas gerais ou nos dois primeiros dias. As manifestações vasculares, como pseudo-eritema pérnio (manchas roxas nas extremidades de mãos e pés), púrpura e necrose são tardias, ocorrendo em geral após a segunda semana de infecção. (mais…)


Grupo de 30 a 59 anos passa a ser maioria nas internações em UTI por covid


56% dos internados em maio

Idosos: 40% das internações

É a 1ª vez que isso acontece

Idosos internados por covid são minoria nas UTIs de todos os EstadosDivulgação/Governo do Estado de São Paulo

Maio de 2021 é o 1º mês da pandemia em que a maioria dos internados por covid em UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) não é idosa. O grupo de pessoas com 30 a 59 anos corresponde a 55,8% dos internados em maio. O percentual é recorde. Em abril, a taxa havia sido de 44,9%.

As pessoas com mais de 60 anos foram 39,8% das novas internações realizadas em maio no Brasil. Em abril, haviam sido 51,5%.

Poder360 analisou 402.914 registros de internação no banco de dados do SUS, atualizado pela última vez em 26 de maio de 2021. Os dados de maio (18.132 internações) são parciais e devem ser atualizados nas próximas semanas. Só foram considerados os casos com informações completas sobre faixa etária, mês de internação e local.

Os números acima não se referem à taxa de ocupação de leitos, mas sim à quantidade de novas internações feitas a cada mês no sistema hospitalar.

MENOS INTERNAÇÕES

O gráfico acima mostra percentuais de internações de internados por idade. O número absoluto do total de internados tem caído.

  • março – foi o pior mês da pandemia: 66.872 internados;
  • abril – foram 48.124 internados no Brasil por covid;
  • maio – ainda é cedo para saber se a trajetória se mantém (os dados demoram semanas para serem computados). Por enquanto, o mês já teve 18.132 internados.

(mais…)


OMS aprova uso emergencial da Coronavac


Vacina pode aumentar distribuição pelo consórcio Covax

Frasco com Coronavac, vacina contra Covid-19

Frasco com Coronavac, vacina contra Covid-19

Foto: Vincent Bosson/Fotoarena/Estadão Conteúdo (19.mar.2020)

Organização Mundial da Saúde (OMS) aprovou nesta terça-feira (1º) o uso emergencial da vacina Coronavac, desenvolvida pela empresa chinesa Sinovac Biotech. O imunizante contra a Covid-19 tem sido amplamente utilizado no Brasil, produzido no Instituto Butantan em parceria com laboratório chinês.

Com a aprovação emergencial da OMS, a Coronavac pode passar a ser comprada e incorporada ao consórcio Covax Facility, para distribuição em escala global.

A autorização também abre o questionamento se brasileiros imunizados com a Coronavac passariam a ser aceitos em locais adeptos do “passaporte de vacinação”.

 No início de maio, a OMS concedeu aprovação para uso emergencial da vacina da Sinopharm. O imunizante tornou-se a primeira vacina contra a Covid-19 desenvolvida por um país não ocidental a ganhar o apoio da OMS.

A OMS já deu aprovação para uso de emergência das vacinas contra a Covid-19 desenvolvidas pela Pfizer/BioNTech, Oxford/AstraZeneca, Johnson & Johnson e Moderna.

Estudo de efetividade no Brasil

Um estudo de efetividade da Coronavac, conduzido pelo Instituto Butantan, indica que a pandemia poderia ser controlada no país com 75% da população vacinada, anunciou o governo de São Paulo nesta segunda-feira (31).

Durante a pesquisa, 95% da população adulta da cidade de Serrana, no interior de São Paulo, foi imunizada. Após a aplicação das duas doses da vacina, foi constatada uma queda de 95% nas mortes, 86% nas hospitalizações e 80% nos casos sintomáticos da doença.

“Os resultados demonstram de forma categórica o que poderia estar acontecendo no Brasil inteiro, não fosse o atraso na vacinação”, disse o governador João Doria (PSDB). Ao todo, foram vacinadas 27.150 pessoas na cidade entre fevereiro e abril de 2021.


Brasil tem 13% dos mortos por Covid no Mundo


Até o momento, a pandemia do novo coronavírus já deixou 170.384.848 contaminados e 3.542.587 mortos no mundo. No Brasil são 16.515.120 contaminados e 462.000 mortos.  No município de  Vitória da Conquista são 29.1159 contaminados e 482 mortos Os dados são da Universidade Johns Hopkins.

O número de doses de vacina aplicadas no planeta chegou a 1,86 bilhão. No Brasil são 67.810.393 de unidades administradas. Os dados são da Bloomberg (mundial) e de VEJA (nacional).


Efeitos colaterais da vacina contra Covid-19 podem ser um bom sinal


Saiba quais são as reações mais comuns das vacinas contra a Covid-19 e como manejá-las

Profissional de saúde prepara dose da vacina contra Covid-19 em Suzano, São Paul

Profissional de saúde prepara dose da vacina contra Covid-19 em Suzano, São Paulo

Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

 

Com milhões de norte-americanos sendo vacinados todos os dias, há vários relatos de febre, calafrios e outros incômodos não esperados. Mas, de acordo com os médicos, não é preciso entrar em pânico. Os efeitos colaterais podem ser a prova de que seu sistema imunológico está funcionando como deveria – embora as vacinas sejam muito eficazes mesmo sem efeitos colaterais.

Veja quais são alguns dos efeitos colaterais mais comuns das vacinas contra a Covid-19, como você pode manejá-los, e por que você não deve usá-los como desculpa para não se vacinar:

 Quais são os efeitos colaterais mais comuns?

“O que temos visto são dor no braço, dores no corpo, às vezes fadiga e até febre baixa”, disse o médico Peter Hotez, especialista em vacinologia e reitor da Escola de Medicina Tropical da Baylor College of Medicine.

Depois de tomar a segunda dose da vacina da Pfizer/BioNTech, Hotez disse que teve calafrios por algumas horas. “Sabemos por que isso acontece: a vacina é muito potente em induzir uma resposta imune. Essa é uma das razões pelas quais estamos obtendo níveis tão altos de proteção” contra a Covid-19, de acordo com o médico.

Outros efeitos colaterais podem incluir dor, vermelhidão ou inchaço no local da injeção, e possivelmente dor de cabeça ou náusea, de acordo com o CDC, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA.


CPI: Butantan fez 3 ofertas em 2020, mas Saúde só assinou contrato em janeiro


Dimas Covas diz que ofereceu até 100 milhões de doses ao governo, com parte da entrega até dezembro, mas que não obteve resposta positiva do Ministério

 

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, afirmou nesta quinta-feira (27) à CPI da Pandemia que fez três propostas em 2020 para o fornecimento da Coronavac ao Ministério da Saúde: em julho, agosto e outubro.

De acordo com seu relato ao senadores, em julho foram ofertados 60 milhões de doses, com entregas previstas para o último trimestre de 2020. A quantidade foi mantida também em agosto.

Depois, em outubro, a oferta foi ampliada para 100 milhões de doses, sendo que 45 milhões seriam produzidas no Butantan até dezembro de 2020, 15 milhões até fevereiro de 2021 e o restante até maio.

“Tudo aparentemente estava indo muito bem, tanto que em 20 de outubro fui convidado pelo [ex-]ministro [Eduardo] Pazuello para uma cerimônia no Ministério da Saúde em que a vacina seria anunciada como uma vacina [do PNI], com a incorporação de 46 milhões de doses”, disse Covas.

“A partir desse ponto, é notório que houve uma inflexão. E digo isso porque saímos de lá muito satisfeitos e achávamos que, de fato, teríamos resolvido parte desse problema. No outro dia, de manhã, as conversações adicionais não seguiram porque houve uma manifestação do presidente da República [Jair Bolsonaro] dizendo que a vacina não seria incorporada.”

País poderia ser primeiro a vacinar contra Covid-19

O diretor do Butantan também afirmou que o Brasil poderia ter sido o primeiro país do mundo a começar a imunização contra o novo coronavírus se “houvesse agilidade de todos os atores” envolvidos na questão regulatória e contratual das vacinas. (mais…)