Prefeito eleito de Ereré, no Ceará, morre vítima de coronavírus

O prefeito eleito de Ereré, Otoni Queiroz (PDT), faleceu aos 42 anos por conta do coronavírus. Ele não chegou a comparecer à cerimônia de posse toni Queiroz, prefeito eleito de Ereré, morre com Covid-19. (Foto: TV Jaguar/Reprodução) 247 – Internado desde dezembro, o prefeito eleito de Ereré, Otoni Queiroz (PDT), faleceu, nesta quarta-feira (20), aos 42 … Leia Mais




Anvisa aprova o uso emergencial das vacinas de Oxford e Coronavac

  Anvisa e CoronaVac (Foto: Divulgação) A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial das vacinas contra a Covid-19 da Oxford/AstraZeneca e da chinesa Sinovac (CoronaVac), cujos pedidos foram feitos, respectivamente, pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelo Instituto Butantan. Dentre os cinco diretores da agência, cinco  votaram a favor do uso … Leia Mais


“Pai da cloroquina”, médico francês volta atrás e reconhece que medicamento não tem eficácia contra Covid

O médico francês Didier Raoult afirmou que “a necessidade de oxigenoterapia, transferência para UTI e óbito não diferiu significativamente entre os pacientes que receberam hidroxicloroquina com ou sem azitromicina” (Foto: Divulgação) 247 – O médico francês Didier Raoult, responsável pelo estudo sobre a utilização da cloroquina no tratamento à Covid-19, voltou atrás de sua conclusão, em … Leia Mais


Ministério da Saúde tenta confiscar seis milhões de doses da CoronaVac do Butantan


A pasta pediu a imediata entrega do imunizante armazenado no Butantan após ver a Índia se negar a enviar ao Brasil os dois milhões de doses da vacina Oxford/AstraZeneca que o governo federal esperava ter em mãos para iniciar a imunização

CoronaVac e PazuelloCoronaVac e Pazuello (Foto: Reuters)

O Ministério da Saúde enviou um ofício ao Instituto Butantan na tarde desta sexta-feira (15) requisitando a entrega imediata das seis milhões de doses da CoronaVac que foram importadas e alvo de pedido à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial.

“Solicitamos os bons préstimos para disponibilizara a entrega imediata das 6 milhões de doses importadas e que foram objeto do pedido de autorização de uso emergencial pera a Anvisa”, diz o documento assinado pelo diretor do departamento de logística em Saúde, Roberto Ferreira Dias e endereçado ao diretor-geral do Butantan, Dimas Covas.

“Ressaltamos a urgência na imediata entrega do quantitativo contratado e acima mencionado, tendo em vista que este Ministério precisa fazer o devido loteamento para iniciar a logística de distribuição para todos os estados da federação de maneira simultânea e equitativa, conforme cronograma previsto no Plano Nacional de Operacionalização da vacinação contra a Covid-19, tão logo seja concedido a autorização pela agência reguladora, cuja decisão está prevista para domingo, dia 17 de janeiro de 2021”, complementa.


Saúde confirma caso de reinfecção por nova cepa da Covid-19


Até momento foram notificados dois casos de reinfecção por nova variante do SARS-CoV-2. Um foi confirmado no estado do Amazonas e outro na Bahia segue em investigação
Coronavirus-Covid-19 – Movimentação de ambulâncias, pacientes, enfermeiros, bombeiros e socorristas no Hospital Regional da Asa Norte, local de referência para paciebtes com a Covid-19. Sérgio Lima/Poder360 04.04.2020

OMinistério da Saúde foi notificado nesta quarta-feira (13/01), pelo estado do Amazonas, sobre caso confirmado de reinfecção por nova cepa variante do SARS-CoV-2. No dia 12 de janeiro, a Fiocruz do estado do Amazonas identificou uma variante do coronavírus em uma mulher de 29 anos de idade, com sintomas leves da doença.

A mulher foi diagnosticada com a infecção, pela primeira vez, em 24/03/2020 e, em 30/12/2020 (nove meses depois), obteve o segundo diagnóstico positivo para Covid-19 por RT-PCR. A segunda análise realizada mostrou um padrão de mutações, compatível com a variante do vírus SARS-CoV-2, identificada recentemente pelo Ministério da Saúde do Japão, mas de origem no Amazonas.

A informação foi compartilhada, como parte da rotina da vigilância epidemiológica, com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS) e com toda a Rede do Centro de Informações Estratégicas e Resposta em Vigilância em Saúde (Cievs). O Ministério da Saúde recomendou aos estados, Distrito Federal e municípios o contínuo fortalecimento das atividades de controle da Covid-19, a ampliação do sequenciamento de rotina dos vírus SARS-CoV-2, a investigação de surtos e o rastreamento de contatos de todo caso de Covid-19.

No Brasil, foram notificados até o momento, dois casos de reinfecção por nova variante do SARS-CoV-2, um no estado da Bahia com a mutação identificado originalmente na África do Sul que segue em investigação, e outro já confirmado no estado do Amazonas com variante Amazônica identificada inicialmente no Japão. Os casos são monitorados pelas equipes do Ministério da Saúde e da Opas/OMS.

(mais…)


COVID-19 Brasil registra 7.316.944 milhões de pessoas recuperadas; mortos ; 206 mil mortos


Número é superior à quantidade de casos ativos, ou seja, pessoas que estão em acompanhamento médico. Informações foram atualizadas às 16h dessa quarta-feira (13/01)

Brasil já registra 7.316.944 milhões de pessoas curadas da Covid-19. No mundo, estima-se que pelo menos 29 milhões de pessoas diagnosticadas com Covid-19 já se recuperaram. O número de pessoas curadas no Brasil é superior à quantidade de casos ativos (733.628) que são os pacientes em acompanhamento médico. O registro de pessoas curadas já representa a grande maioria do total de casos acumulados (88,6%). As informações foram atualizadas às 16h desta quarta-feira (13/01) e enviadas pelas secretarias estaduais e municipais de Saúde.

A doença está presente em 100% dos municípios brasileiros. Contudo, mais da metade das cidades (3.569) possuem entre 2 e 100 casos. Em relação aos óbitos, 5.033 municípios tiveram registros (90,4%), sendo que 791 deles apresentaram apenas um óbito confirmado.

O Governo do Brasil mantém esforço contínuo para garantir o atendimento em saúde à população, em parceria com estados e municípios, desde o início da pandemia. O objetivo é cuidar da saúde de todos e salvar vidas, além de promover e prevenir a saúde da população.

Dessa forma, a pasta tem repassado verbas extras e fortalecido a rede de atendimento do Sistema Único de Saúde (SUS), com envio de recursos humanos (médicos e profissionais de saúde), insumos, medicamentos, ventiladores pulmonares, testes de diagnóstico, habilitações de leitos de UTI para casos graves e gravíssimos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIS) para os profissionais de saúde.

O Ministério da Saúde já destinou aos 26 estados e o Distrito Federal R$ 198,1 bilhões, sendo que desse total foram R$ 134 bilhões para serviços de rotina do SUS, e outros R$ 64,2 bilhões para a Covid-19. Também já foram comprados e distribuídos 27,9 milhões de unidades de medicamentos para auxiliar no tratamento do coronavírus, 306,8 milhões de EPI, mais de 20,6 milhões de testes de diagnóstico para Covid-19 e 79,9 milhões de doses da vacina contra a gripe, que ajuda a diminuir casos de influenza e demais síndromes respiratórias no meio dos casos de coronavírus.

O Ministério da Saúde, em apoio a estados e municípios, também tem ajudado os gestores locais do SUS na compra e distribuição de ventiladores pulmonares, sendo que já entregou 13.296 equipamentos para todos os estados brasileiros.

As iniciativas e ações estratégicas são desenhadas conforme a realidade e necessidade de cada região, junto com estados e municípios, e têm ajudado os gestores locais do SUS a ampliarem e qualificarem os atendimentos, trazendo respostas mais efetivas às demandas da sociedade. Neste momento, o Brasil registra 8.256.536 milhões de casos confirmados da doença, sendo 60.899 mil registrados nos sistemas nacionais nas últimas 24h.

Em relação aos óbitos, o Brasil tem 205.964 mortes por coronavírus. Nas últimas 24h, foram registrados 1.274 óbitos nos sistemas oficiais, sendo que 636 óbitos ocorreram nos últimos três dias. Outros 2.672 permanecem em investigação.


Após alta de internações por Covid-19, hospital Albert Einstein bloqueia pacientes de outros estados


Há alguns meses, doentes de outras regiões chegaram a ocupar 25% dos leitos de UTI do hospital

O aumento explosivo de internações por Covid-19 levou o hospital Albert Einstein a bloquear pacientes de outros estados.

Há alguns meses, quando os casos baixavam no país todo, doentes de outras regiões chegaram a ocupar 25% dos leitos de UTI do hospital.

“Sempre atendemos pessoas de todo o Brasil. Mas precisamos nos preocupar para que não faltem leitos para a nossa comunidade, que é São Paulo”, diz o presidente do hospital, Sidney Klajner.

Isto indica que chegaria o dia “D” e a hora (H)hospitais de ricos começam a limitar o atendimento à pessoas de outros estados do Brasil, provavelmente o Sírio e Libanês, hospital de referência Internacional, fará a mesma. Assim, pessoas aquinhoadas sentirão a emoção negativa de lutar pela vida e não encontrar conforto, algo comum no meio da população pobre do Brasil.


Bahia registra 2.105 novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas; total de mortes é de 9.480


Na Bahia, nas últimas 24 horas, foram registrados 2.105 casos de Covid-19 (taxa de crescimento de +0,4%) e 1.842 recuperados (+0,4%). De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), dos 515.861 casos confirmados desde o início da pandemia, 499.577 são considerados recuperados, 6.804 encontram-se ativos e 9.480 pessoas foram a óbito. A base de dados completa dos casos suspeitos, descartados, confirmados e mortes relacionadas ao coronavírus está disponível em https://bi.saude.ba.gov.br/transparencia/.

Ainda segundo a Sesab, os casos confirmados ocorreram em 417 municípios baianos, com maior proporção em Salvador (22,35%). As cidades com os maiores coeficientes de incidência por 100.000 habitantes foram: Ibirataia (10.553,81), Muniz Ferreira (8.663,43), Conceição do Coité (8.533,00), Jucuruçu (8.174,45) e Itabuna (8.152,97).

O boletim epidemiológico da secretaria contabiliza ainda 904.662 casos descartados e 122.463 em investigação. Estes dados representam notificações oficiais compiladas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde da Bahia (Cievs-BA), em conjunto com as vigilâncias municipais e as bases de dados do Ministério da Saúde até as 17 horas desta terça-feira (12).

Na Bahia, 37.811 profissionais da saúde foram confirmados para Covid-19.

O boletim epidemiológico de hoje contabiliza 27 óbitos que ocorreram em diversas datas. A existência de registros tardios e/ou acúmulo de casos deve-se a sobrecarga das equipes de investigação, pois há doenças de notificação compulsória para além da Covid-19. Outro motivo é o aprofundamento das investigações epidemiológicas por parte das vigilâncias municipais e estadual a fim de evitar distorções ou equívocos, como desconsiderar a causa do óbito um traumatismo craniano ou um câncer em estágio terminal, ainda que a pessoa esteja infectada pelo coronavírus.


241 mortos, 851 pacientes permanecem em recuperação


Vitória da Conquista já registrou, até a tarde desta terça-feira (12), o total de 15.626 casos de pessoas que se infectaram com a Covid-19, com 14.534 delas já recuperadas. Outros 851 pacientes sintomáticos continuam em processo de recuperação – 60 deles estão em internamento hospitalar em Vitória da Conquista, outros três estão internados em outros municípios e 788 em tratamento domiciliar.

Estão sob investigação da Secretaria de Saúde, 6.043 pacientes com suspeita de infecção pela Covid-19 que aguardam por classificação final. Destes, 5.982 esperam pela investigação laboratorial e 61 pelo resultado do exame RT-PCR – as amostras são encaminhadas para análise no Lacen Estadual.

Foram confirmados hoje, os óbitos de três pacientes que estavam internados e tiveram complicações em decorrência da Covid.

239º óbito – Homem de 76 anos, morador do bairro Candeias, portador de Doença Cardiovascular. Foi internado no dia 1º de dezembro no Hospital Samur, onde faleceu em 10 de dezembro.

240º óbito – Homem de 75 anos, morador da Fazenda Cachoeira do Rio Pardo (Inhobim), sem comorbidades relatadas. Foi internado no dia 6 de janeiro no Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC), onde faleceu em 11 de janeiro.

241º óbito – Homem de 78 anos, morador do bairro Urbis V, portador de Hipertensão. Estava internado desde o dia 7 de dezembro no Hospital São Vicente, onde veio a óbito em 11 de janeiro.

Ocupação de Leitos – Atualmente, a rede hospitalar do SUS no município disponibiliza 153 leitos (70 de UTI e 83 enfermarias) para tratamento de pacientes confirmados ou com suspeita de infecção pela Covid-19. Hoje, estão internados 93 pacientes, que além de Vitória da Conquista, são residentes em outros municípios da macrorregião:

Clique aqui para acessar o Boletim epidemiológico completo.


Após meses de incentivo, Ministério da Saúde recua e diz que vermífugo é ineficaz contra Covid-19


Ministério da Saúde comunicou que a nitazoxanida, vermífugo vendido com nome comercial de Annita, não consta do rol de remédios contra o tratamento da Covid-19. Em outubro, o governo Jair Bolsonaro anunciou que a droga era eficaz. Ministro astronauta Marcos Pontes foi grande incentivador da ideia estapafúrdia e investiu milhões num estudo que fracassou por completo

247 – O Ministério da Saúde comunicou à Câmara dos Deputados que o medicamento nitazoxanida, vermífugo vendido com nome comercial de Annita, não consta do rol de remédios contra o tratamento da Covid-19. A droga, que já foi anunciada pelo próprio governo como eficaz no tratamento precoce da doença, também não aparece na lista de compras e distribuição pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Ministro astronauta Marcos Pontes foi grande incentivador da ideia estapafúrdia e investiu milhões num estudo que fracassou por completo.

“A Nitazoxanida não consta nas orientações deste Ministério da Saúde para o tratamento da Covid-19, e também não se encontra incluída na Relação Nacional de Medicamentos – RENAME 2020, de forma que esse medicamento não é adquirido ou financiado com recursos federais do SUS”, diz trecho do texto do ministério enviado em resposta a um pedido de informações da bancada do PSOL, de acordo com o jornal O Globo.

“Este Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF/SCTIE) e Insumos Estratégicos informa que até o momento, não tem ciência de nenhum processo para aquisição de Nitazoxanida pelo Ministério da Saúde, ou de planos para sua disponibilização na rede pública de saúde”, diz outro trecho do documendos

Em outubro, o governo federal afirmou ter comprovações que o vermífugo reduziria a carga viral nos primeiros dias em que os pacientes infectados pelo coronavírus apresentassem sintomas. O anúncio contou com a presença de Jair Bolsonaro e do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, principal promotor da ideia estapafúrdia.

“Este Departamento de Assistência Farmacêutica (DAF/SCTIE) e Insumos Estratégicos informa que até o momento, não tem ciência de nenhum processo para aquisição de Nitazoxanida pelo Ministério da Saúde, ou de planos para sua disponibilização na rede pública de saúde”, diz o texto encaminhado à Câmara.

A deputada Sâmia Bomfim, avaliou que o Ministério da Ciência e Tecnologia e o próprio Bolsonaro “demonstraram irresponsabilidade e desinformação” ao estimular o uso do medicamento. “O Ministério da Ciência e Tecnologia investiu milhões num estudo sobre a nitazoxanida, mesmo que a comunidade científica internacional já tivesse negado sua eficácia. Insistiram no estímulo ao uso, também através das redes sociais do próprio presidente da República”, disse a parlamentar.