Milton Ribeiro é o quarto ministro da Educação de Bolsonaro em 18 meses

Por Flávia Said Em 10 jul, 2020 – 17:38 Última Atualização 10 jul, 2020 – 18:35 Reprodução/Mackenzie O presidente Jair Bolsonaro anunciou nesta sexta-feira (10) o pastor Milton Ribeiro para o comando do Ministério da Educação (MEC). Ribeiro assume a cadeira depois da saída conturbada do professor Carlos Alberto Decotelli, que foi nomeado mas não chegou a tomar posse e acabou deixando o posto apenas cinco … Leia Mais


Exatamente no mês de julho Herzem Pereira divulgava pesquisa

20 de julho de 2016 Pesquisa exclusiva de intenção de votos realizada pelo instituto NA FONTE sobre as eleições na cidade de Vitória da Conquista aponta o ex-deputado estadual Herzém Gusmão (PMDB) na liderança, com 34%, seguido do petista Zé Raimundo, com 17%, de Jean Fabrício (PCdoB), com 5%, Arlindo Rebouças (PSDB) e Josias Meira (PSB), … Leia Mais


Seminário debate políticas públicas para mulheres em tempos de pandemia

A secretária de Políticas para Mulheres do Governo do Estado da Bahia, Julieta Palmeira, e a pré-candidata a prefeita de Salvador, Major Denice (PT), ex-coordenadora do premiado projeto estadual Ronda Maria da Penha, foram as estrelas do 16º seminário virtual dos mandados dos deputados Waldenor Pereira (federal) e Zé Raimundo (estadual). O encontro realizado na … Leia Mais



Governo dá liderança ao Centrão e irrita deputado bolsonarista


 

O presidente Jair Bolsonaro vai trocar alguns dos deputados que são vice-líderes do governo na Câmara. Um dos que devem sair do posto é Daniel Silveira (PSL-RJ), alvo dos inquéritos das fake news e de incitação a atos pró-ditadura.

Aliados do presidente disseram ao Congresso em Foco que a ideia é que as vice-lideranças passem por um rodízio. Daniel Silveira comentou, por meio do Twitter, a movimentação de troca de vice-líderes e criticou o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, responsável pela articulação política do governo.

Daniel Silveira escreveu em outra mensagem na rede social que a decisão “não incomoda pelo cargo” e centrou as críticas ao ministro enquanto disse que continua apoiando Bolsonaro.

“Em tempo, deixo claro que a saída não me incomoda pelo cargo, afinal, nada tem nele senão o poder da fala para defender como líder. Quem pensar que estamos brigando pela posição, está enganado. Estamos lutando para blindar o presidente”.

A intenção é que sejam nomeados deputados do Centrão, bloco informal de centro e direita que o presidente tem se aproximado. O bloco já tem alguns representantes como Evair de Melo (PP-ES).

Um deputado do grupo ouvido pelo site disse que também há negociações para a troca do líder do governo na Câmara, Major Vítor Hugo (PSL-GO). As discussões sobre isso acontecem há pelo menos 30 dias, mas não foram concretizadas.

Já foi indicado o nome do deputado Ricardo Barros (PP-PR), vice-líder do governo no Congresso. Ele contava com o aval do presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), mas divergências dentro da sigla acabaram pela retirada de seu nome. O principal insatisfeito foi o líder do PP, deputado Arthur Lira (AL), que é rival de Barros dentro do partido.


Em reunião com Pazzuello, Bahia assegura mais de R$ 43 milhões em recursos federais para o coronavírus


O secretário da Saúde do Estado da Bahia, Fábio Vilas-Boas, conseguiu nesta quarta-feira (8), em Brasília, que o Ministério da Saúde ampliasse em R$ 43 milhões, o custeio de serviços já em funcionamento no estado, como as UTIs Covid de hospitais na capital e no interior. Na reunião com o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello e os principais secretários do ministério, também ficou assegurado o envio de novos ventiladores pulmonares e até 500 mil kits de amplificação do RT-PCR, o que corresponde a mais de 70% do custo do exame molecular para Covid19.

enviarão medicamentos anestésicos para pacientes entubados, que estão escassos em todo o Brasil”, afirma Vilas-Boas.

WhatsApp Audio 2020-07-08 at 17.44.41

Os leitos de Terapia Intensiva que serão habilitados pelo Ministério da Saúde estão localizados nos municípios de Salvador, Feira de Santana, Jequié e Ilhéus. São unidades de referência para o tratamento de pacientes graves com o diagnóstico de coronavírus: Hospital de Campanha Arena Fonte Nova, Hospital Espanhol, Instituto Couto Maia, Hospital Geral Ernesto Simões Filho, Prohope, Hospital Estadual da Criança, Hospital Costa do Cacau e Hospital Geral Prado Valadares.

Também foram realizadas reuniões com os secretários Luiz Duarte (Atenção Especializada à Saúde) e Arnaldo Medeiros (Vigilância em Saúde) ambos do Ministério da Saúde. Os deputados federais Jonga Bacelar e Paulo Magalhães acompanharam as agendas em Brasília.


Rodovia atribuída à gestão de Bolsonaro é de 2013; uma mentira repetida mil vezes, é mentira


Em fevereiro de 2020, Bolsonaro inaugurou a pavimentação de um trecho de 51 quilômetros da BR-163

Nesta sexta-feira (3), circula nas redes sociais uma postagem que compara fotos supostamente tiradas na BR-163, que é a rodovia que liga o Rio Grande do Sul ao Pará, passando por quatro estados: Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul e Mato Grosso.

A imagem de cima, com um atoleiro, é referente ao período do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). A debaixo, com uma estrada pavimentada e sinalizada, é atribuída ao governo do presidente Jair Bolsonaro.

A montagem das duas imagens foi publicada originalmente pelo deputado federal Coronel Armando (PSL-SC). “BR-163: Lula, antes. BR-163: Bolsonaro, depois”, diz a legenda da postagem.

Fotografia da Rodovia foi tirada em 2013, mas os bolsonaristas dizem que foi feita no atual governo que começou em 2019

A informação é falsa. A foto que supõe ser de um trecho da BR-163 depois de o presidente Bolsonaro assumir o governo, na realidade, mostra a rodovia SP-351. A imagem está disponível na internet desde 7 de maio de 2013 e não tem relação com a atual gestão.

De acordo com a página oficial do governo de São Paulo no Flickr, a foto foi tirada em Nuporanga, cerca de 340 quilômetros da capital paulista, pelo fotógrafo Guilherme Lara Campos.

As Obras para a pavimentação e duplicação entre no Mato Grosso e no Pará, estão sendo realizadas desde 2013. A estrada possui mais de 3 mil quilômetros de extensão, ligando Tenente Portela (RS) a Santarém (PA). Ademais, uma estrada entre Flexal (distrito de Óbidos, PA) e Oriximiná (PA), localizada na margem norte do rio Amazonas, também é considerada parte da BR-163.


Pré-candidatos já podem, mas não devem lançar vaquinhas virtuais


A modalidade de arrecadação a partir das plataformas digitais foi adotada pela primeira vez no pleito de 2018. Na ocasião, candidatos captaram R$ 20 milhões no país. Ainda que o valor tenha sido baixo em relação ao fundo eleitoral — R$ 1,7 bilhão naquele ano —, a alternativa se mostrou promissora.

Agora, apesar do cenário de indefinições, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu repetir a fórmula, praticamente no mesmo formato. Como não houve modificação nas regras, que funcionaram com precisão em 2018, esse formato se tornará uma alternativa mais promissora agora.

Embora seja uma forma de doação que não faz parte da cultura política em nosso país, deverá ter, neste ano, importância bem maior da que teve em 2018, não só pelo fato de a politica de distanciamento social imposta pela pandemia estar jogando as campanhas quase que exclusivamente para as redes, mas também pelo fato de que as pessoas estão mais integradas do que nunca nas redes sociais.

A única questão que se imporá é se, neste clima péssimo de insegurança gerado por este momento triste da humanidade, com forte reflexo econômico, as pessoas vão se sentir atraídas para este tipo de participação política.

Em tempos de distanciamento social, o uso das ferramentas on-line tende a aumentar, mas os partidos vivem agora um impasse. Além de aguardar definição sobre a votação, que deverá ser adiada, há dúvidas se existe clima para desenvolver campanhas publicitárias para pedir dinheiro aos eleitores em um contexto tão sombrio. É. Também há pesadas dúvidas se haverá engajamento em meio ao agravamento da crise econômica, que vem se agravando.

Na minha opinião, os políticos serão mal interpretados se levarem a questão adiante. As pessoas estão muito angustiadas e inseguras e ainda tem todo o problema financeiro envolvido. Sem contar que, com a cifra bilionária disponibilizada pelo fundo público eleitoral, haverá provavelmente um ambiente propício para fortes questionamentos por parte da população. É triste dizer, mas, em relação ao regramento eleitoral no Brasil, parece que nada dá certo.
A orientação que tenho dado a amigos e clientes é para que esperem. É cedo para dar início às campanhas de financiamento coletivo. Enfim, se eu viver, verei! revela o publicitário João Miras

 


Pastor Ariovaldo Ramos: caso Queiroz-Wassef pode abalar relação de Bolsonaro com evangélicos


“Para os evangélicos de modo geral, começa a ficar complicado entender o que um clã que jura que vai fazer do Brasil um País cristão está fazendo envolvido com um sujeito de passado macabro”, diso pastor em entrevista à TV 247. Assista

Pastor Ariovaldo Ramos, Jair Bolsonaro e Frederick Wassef
Pastor Ariovaldo Ramos, Jair Bolsonaro e Frederick Wassef (Foto: Brasil247 | Reuters)

 O pastor Ariovaldo Ramos explicou em detalhes à TV 247, durante participação no programa Giro das 11, as relações que se estabeleceram ao longo do tempo entre as igrejas evangélicas e Jair Bolsonaro e como esta relação está em risco agora, pela presença do advogado Frederick Wassef como uma figura-chave na direção bolsonarista.

Segundo o pastor, a comunidade evangélica que até agora esteve apoiando Bolsonaro passará a questionar os aspectos mafiosos que envolvem o clã. “A entrada desse moço, o Wassef, que é um negócio meio macabro, isso vai causar problemas no arraial evangélico. Não sei se o clã Bolsonaro já se deu conta disso, mas isso vai causar problemas porque esse moço chamado de ‘anjo’ está mais para anjo caído do que para qualquer ação positiva em relação aos anjos de luz. Para os evangélicos de modo geral, começa a ficar complicado entender o que um clã que jura que vai fazer do Brasil um País cristão está fazendo envolvido com um sujeito de passado macabro. Nós estamos sendo governados por uma máfia”.


Após adiamento de eleição, TSE posterga prazos eleitorais de julho em 42 dias


Após adiamento de eleição, TSE posterga prazos eleitorais de julho em 42 dias

Foto: Divulgação

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) anunciou nessa sexta-feira (3) que todos os prazos previstos no calendário eleitoral para o mês de julho serão prorrogados em 42 dias.

A medida foi feita para adequar as datas com as mudanças provocadas pela aprovação da emenda constitucional que adiou as eleições municipais para novembro em função da pandemia da Covid-19. As informações são da Agência Brasil.

Os 36 prazos que foram postergados para agosto envolvem restrições que impedem agentes públicos de fazerem contratações, aumentar despesas públicas, inaugurar obras, além das datas para o eleitor com deficiência pedir atendimento especial e para as convenções partidárias dos candidatos a prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Em agosto, após o fim do recesso no Judiciário, novas alterações nos prazos dos meses seguintes do calendário eleitoral serão divulgadas pelo TSE.

Nesta quinta-feira (2), o Congresso Nacional promulgou a Emenda Constitucional 107, que adia as eleições municipais de outubro para novembro deste ano. Dessa forma, os dois turnos eleitorais, inicialmente previstos para os dias 4 e 25 de outubro, serão realizados nos dias 15 e 29 de novembro. O adiamento contou com o aval do TSE.


#Verificamos: É antigo vídeo de construção de ferrovia atribuída ao governo Bolsonaro


porCHICO MARÉS
Repórter | Rio de Janeiro | lupa@lupa.news
13.MAIO.2019 | 21H37 |

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra um trilho de trem sendo construído por máquinas. Na legenda, é informado que essas máquinas foram um “golaço” do presidente Jair Bolsonaro (PSL). Por meio do projeto de verificação de notícias, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“Golaço do presidente [Bolsonaro]. Se você não compartilhar ninguém ficará sabendo. A Globo não mostra”
Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 21h do dia 13 de maio, já tinha sido compartilhado mais de mil vezes

FALSO

O vídeo analisado pela Lupa já está na internet desde, pelo menos, 16 de janeiro de 2018, quando foi publicado por uma conta pessoal no YouTube. Portanto, a obra mostrada no vídeo já estava sendo realizada antes de o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ser eleito.

No próprio vídeo é dito que a ferrovia liga Marabá, no Pará, a São Luís, no Maranhão. É possível reparar, também, que há símbolos da mineradora Vale no maquinário. Ao que tudo indica, a cena foi registrada durante a expansão da Estrada de Ferro dos Carajás, obra concluída pela empresa em agosto de 2018.

Nota: esta reportagem faz parte do projeto de verificação de notícias no Facebook. Dúvidas sobre o projeto? Entre em contato direto com o Facebook./lupa@lupa

Editado por: Natália Leal