Bahia aprova primeiro manifesto “Por Mais Mulheres no Poder”

Um dia histórico para as mulheres baianas e brasileiras. Assim pode ser definida a realização do primeiro Parlamento Feminista do Brasil, que aconteceu na Assembleia Legislativa da Bahia (Alba), nesta quinta-feira (05/12). Com a presença de mulheres brasileiras e de outros países, o encontro teve por objetivo fortalecer a participação feminina na política e aprovar … Leia Mais


Carla Zambelli rebate Joice: até que ponto pode chegar a crueldade de uma pessoa?

Deputada Carla Zambelli rebatia, na CPMI das Fake News, xingamento de ‘abortista’ feito pela também deputada Joice Hasselmann no Twitter (vídeo) (Foto: Reprodução | Gustavo Bezerra)  O embate entre as deputadas federais do PSL paulista Joice Hasselmann e Carla Zambelli durante sessão da CPMI das Fake News nesta quarta-feira 4 continua gerando repercussões. Na noite … Leia Mais



MP abre investigação contra procurador da Lava Jato acusado de receber propina

O Ministério Público Federal abriu investigação para apurar sobre propinas pagas ao procurador Januário Paludo, integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato. Antigo membro da Lava Jato, Pauldo é apontado como conselheiro do procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa, e próximo do ex-juiz Sergio Moro, hoje ministro da Justiça do governo de extrema-direita de Jair … Leia Mais


A desonestidade da Globo: faz escândalo com denúncia do MP sobre “quadrilhão do PT” e esconde notícia da absolvição


Publicado originalmente no site Brasil247.

O jornalista Aquiles Lins, editor do 247, levantou o tempo dedicado pela Globo para tratar da acusação contra os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff sobre o “quadrilhão do PT” e também da absolvição. As descobertas comprovam, mais uma vez, como a Globo faz política – e não jornalismo – contra seus adversários políticos. Confira os tweets e reportagem da Sputinik sobre o caso:

Aquiles Lins@linsaquiles

Tem mais: no outro dia (6 set 2017), o @BomDiaBrasil dedicou 8 minutos e 48 segundos para detalhar o que seria este “Quadrilhão do PT”, com todas as ferramentas de enquadramento disponíveis contra @LulaOficial e @dilmabr (https://bit.ly/2OQ52zN ). Quanto tempo sairá amanhã?

Ver imagem no Twitter
191 pessoas estão falando sobre isso

O juiz Marcus Vinicius Reis Bastos, da 12ª Vara Federal em Brasília, afirmou que a denúncia apresentada contra os membros do PT “traduz uma tentativa de criminalizar a atividade política“.

A ação penal que envolvia os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ex-ministros Antônio Palocci e Guido Mantega, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, apontava uma suspeita de crime de organização criminosa.

De acordo com a decisão do juiz, “a descrição dos fatos vista na denúncia não contém os elementos constitutivos do delito previsto no art. 2º, da Lei nº 12.850/2013 [organização criminosa]”.

“A NARRATIVA QUE ENCERRA NÃO PERMITE CONCLUIR, SEQUER EM TESE, PELA EXISTÊNCIA DE UMA ASSOCIAÇÃO DE QUATRO OU MAIS PESSOAS ESTRUTURALMENTE ORDENADA, COM DIVISÃO DE TAREFAS, ALGUMA FORMA DE HIERARQUIA E ESTABILIDADE”, AFIRMOU O JUIZ.

“A denúncia apresentada, em verdade, traduz tentativa de criminalizar a atividade política. Adota determinada suposição – a da instalação de ‘organização criminosa’ que perdurou até o final do mandato da ex-presidente Dilma Vana Rousseff – apresentando-a como sendo a ‘verdade dos fatos’, sequer se dando ao trabalho de apontar os elementos essenciais à caracterização do crime de organização criminosa”, completou.


Relator no TSE vota para cassar mandato de senadora “Moro de Saias”


Senadora Selma Arruda era uma juíza considerada rigorosa, mas foi acusada de caixa dois na eleição de 2018

Brasília — O ministro Og Fernandes, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), votou nesta terça-feira para cassar o mandato da senadora Selma Arruda (Pode-MT) por abuso de poder econômico e caixa dois durante as eleições de 2018. Ele também se manifestou pela realização de nova eleição para preencher o cargo.

Og é relator do processo na Corte. Para que Selma perca o cargo, é preciso que a maioria dos sete ministros do TSE entenda que ela cometeu irregularidade a ponto de cassar o mandato. O julgamento continuará na próxima terça-feira. A senadora ficou conhecida pelo apelido “Moro de saias”, em razão da época em que foi juíza em Mato Grosso e tinha uma atuação considerada rigorosa. No ano passado, foi eleita senadora pelo PSL, mas depois mudou de partido.

Carlos Fávaro (PSD), que ficou em terceiro lugar na disputa por uma cadeira no Senado em Mato Grosso, acionou o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do estado, que, em abril deste ano, por sete votos a zero, decidiu cassar o mandato de Selma. Ela recorreu ao TSE e, com isso, pôde permanecer no cargo. A defesa nega irregularidades.

Og também votou para confirmar a decisão do TRE de cassar os dois suplentes de Selma. Ela e um deles, Gilberto Possamai, tinham sido declarados inelegíveis por oito anos pelo TRE. A acusação é de que a senadora recebeu R$ 1,2 milhão em transferências bancárias de Possamai, em abril e julho de 2018. O dinheiro não teria sido declarado por ela à Justiça Eleitoral, podendo gastar mais do que os outros candidatos. Para Og, isso foi uma irregularidade contábil e caracterizou a prática de caixa dois.

O ministro criticou a argumentação de Selma Arruda, dizendo que a linha de raciocínio dela pode ser expressa pela frase “todos fazem assim”.

— As movimentações só vieram ao conhecimento desta Justiça especializada (Justiça Eleitoral) por meio de quebra de sigilo bancário dos envolvidos. Ou seja, não houve registro algum desses valores na contabilidade oficial da chapa, demonstrando por evidente a má-fé dos candidatos que tentavam evitar a fiscalização dos órgãos da Justiça Eleitoral — disse Og.

Em setembro, a então procuradora-geral da República e procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, deu parecer defendendo a cassação do mandato da senadora e a realização de novas eleições. O autor da ação, Carlos Fávaro, havia feito um pedido diferente: como foram eleitos dois senadores no ano passado, ele, que ficou em terceiro, gostaria de herdar a vaga.


TSE aceita assinatura digital para criação de partidos, que pode beneficiar Bolsonaro; Marina não conseguiu, por que será?


Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira (3) que a Justiça Eleitoral pode aceitar o uso de assinaturas eletrônicas para a formação de um partido político, iniciativa essa que pode ter repercussão nos esforços do presidente Jair Bolsonaro de criar sua legenda, a Aliança pelo Brasil

 O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu nesta terça-feira (3) que assinaturas eletrônicas poderão ser usadas como apoio de eleitores para a criação de partidos políticos.

O TSE julgou ação apresentada em 2018 pelo deputado federal Jerônimo Goergen (PP-RS) em nome do MBL, grupo que ele integra e que pretende se transformar em partido.

A decisão atende as expectativas de Jair Bolsonaro e seu grupo político para a criação de sua nova legenda, o Aliança para o Brasil. Porém, a medida também é considerada derrota para os planos, porque os ministros da Corte também decidiram que será preciso uma regulamentação para oficializar tal medida, mas não há prazo para isso.

Bolsonaro esperava a liberação das 492 mil assinaturas por meio eletrônico para acelerar a criação da sua nova legenda até março do próximo ano, pronto para disputar as eleições municipais de 2020.

Na votação, foram contra a aceitação das assinaturas os ministros Rosa Weber, Edson Fachin e Og Fernandes e, a favor, Roberto Barroso, Felipe Salomão, Sérgio Banhos e Tarcísio Vieira.

 


Doleiro dos doleiros diz ter pago propinas mensais a procurador da Lava Jato que fazia ataques rasteiros a Lula


O doleiro Dario Messer, conhecido como “doleiro dos doleiros”, contou à namorada ter sido protegido pela Lava Jato paranaense por pagar propinas ao procurador Januário Paludo, que inspirou o grupo “filhos de Januário” e fez vários ataques ao ex-presidente Lula – inclusive após as mortes de seus familiares

(Foto: Divulgação/PRPR | Ricardo Stuckert)

Um relatório a respeito do conteúdo das mensagens foi elaborado pelo órgão em outubro. Nele, a PF diz que o assunto é grave e pede providências sobre o caso.

Nas conversas obtidas pela PF, Messer fala a Myra sobre o andamento dos processos que responde. Ele diz que uma das testemunhas de acusação contra ele teria uma reunião com Januário Paludo. Depois, afirma a namorada: “Sendo que esse Paludo é destinatário de pelo menos parte da propina paga pelos meninos todo mês.” Os meninos seriam os também doleiros Claudio Fernando Barbosa de Souza, o Tony, e Vinicius Claret Vieira Barreto, o Juca. Ambos trabalharam com Messer em operações de lavagem de dinheiro investigadas pela Lava Jato do Rio. Depois que foram presos, viraram delatores.

“Em depoimentos prestados em 2018 à Lava Jato no MPF-RJ (Ministério Público Federal do Rio de Janeiro), Juca e Tony afirmaram ter pago US$ 50 mil (cerca de R$ 200 mil) por mês ao advogado Antonio Figueiredo Basto em troca de proteção a Messer na PF e no Ministério Público. Basto já advogou para o doleiro”, revela a reportagem. Basto sempre foi um dos advogados mais próximos à força-tarefa da Lava Jato.

Paludo inspirou o grupo “filhos de Januário” e fez vários ataques ao ex-presidente Lula – inclusive após as mortes de seus familiares. No dia 24 de janeiro de 2017, a mulher de Lula, Marisa Letícia, sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) e foi internada no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. “Um amigo de um amigo de uma prima disse que Marisa chegou ao atendimento sem resposta, como vegetal”, disse Deltan Dallagnol, às 22h24. Dez minutos depois, Paludo escreveu: “Estão eliminando testemunhas”.

Dois anos depois, com Lula já na prisão, Paludo afirmou que “o safado só queria viajar”, referindo-se ao pedido da defesa do ex-presidente para que ele saísse do cárcere para acompanhar o enterro do irmão Genival Inácio da Silva, o Vavá.

Em nota, a  força-tarefa da Lava Jato do Paraná se posicionou:

Em relação à matéria do UOL divulgada nesta madrugada, os procuradores da força-tarefa da Lava Jato informam que:

1. A ação penal que tramitou contra Dario Messer em Curitiba foi de responsabilidade de outro procurador que atua na procuradoria da República no Paraná, o qual trabalhou no caso com completa independência. Nem o procurador Januário Paludo nem a força-tarefa atuaram nesse processo.

(mais…)


DEM liderou maior esquema de candidatura laranja em 2018, indica investigação da PF; Partido do bem, mas o guarda-chuva sumiu


Foto: Divulgação / Reprodução / Folha
Foto: Divulgação / Reprodução / Folha

 

O Democratas liderou o maior esquema de candidatura laranja da eleição de 2018, segundo uma investigação da Polícia Federal revelada pelo jornal Folha de São Paulo nesta segunda-feira (25).

Uma mulher concorreu a deputada estadual no Acre e recebeu R$ 240 mil do Diretório Nacional do DEM. Ela declarou ter contratado dois coordenadores, alugado 15 automóveis, confeccionado santinhos e anúncios, além de ter 46 funcionários na campanha. Apesar disso, obteve somente seis votos.

A maior parte da receita declarada pela policial militar Sonia de Fátima Silva Alves foi repassada por uma transferência eletrônica assinada em 13 de setembro de 2018 por Romero Azevedo, tesoureiro nacional, e “A Magalhães NT”, o prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto.

A utilização de Sonia como candidata laranja teria sido feita para beneficiar o deputado federal Alan Rick (AC), segundo a PF.

Em nota, o DEM afirmou que “continua acompanhando os desdobramentos das investigações” e citou uma resolução, de 2018, determinando a transferência direta de verbas para a conta bancária de candidaturas mulheres justamente para evitar a utilização indevida.

“Os critérios, fixados após iniciativa do presidente nacional do partido, ACM Neto, foram estabelecidos para impedir quaisquer desvios desses valores por parte dos candidatos homens”, acrescenta o DEM.


Vaza Jato: Moro quebrou seu próprio padrão na Lava Jato ao vazar áudios de Lula



Cori cobra manutenção nos viadutos da Régis Pacheco e do Guarani


O vereador Coriolano Moraes (PT) destacou, em seu pronunciamento na manhã desta sexta-feira, 22, durante a sessão ordinária, a solicitação que fez à prefeitura municipal, juntamente com o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea), para realização de uma vistoria nos viadutos do bairro do Guarani e da Avenida Régis Pacheco, mais conhecido como ‘Bigode de Pedral’. “Conversei com o engenheiro Fernando Gomes, que projetou toda a obra, e ele explicou que havia a concepção de fazer calçamento na lateral (Bigode de Pedral), sistema de drenagem, e tudo que faz parte da mobilidade urbana, mas o projeto foi mudado”.

Cori apresentou fotos das duas estruturas e confirmou que as mesmas precisam de intervenções urgentes. “A estrutura de sustentação está comprometida, não está segura, por isso solicitamos a urgente intervenção nos dois locais”, afirmou.

O vereador falou da Guarda Municipal e citou a importância dela para a cidade, mas lembrou que é preciso cautela. “Vamos nos debruçar sobre esse projeto, estudar, analisar e aprovar da melhor forma. Essa é uma luta que atende aos servidores”, disse.

Por fim, reforçou seu apoio às creches e escolas conveniadas. “Faremos uma reunião na tarde de terça-feira, 26, para tentarmos resolver a situação das instituições conveniadas”.