Ricos brasileiros têm quarta maior fortuna do mundo em paraísos fiscais

Os super-ricos brasileiros detêm o equivalente a um terço do Produto Interno Bruto, a soma de todas as riquezas produzidas do país em um ano, em contas em paraísos fiscais, livres de tributação. Trata-se da quarta maior quantia do mundo depositada nesta modalidade de conta bancária. A informação foi revelada este este domingo por um … Leia Mais




Aumento de casos de Covid-19 faz Nova Iorque entrar em estado de emergência

Declaração de “emergência de desastre” foi feita pela governadora Kathy Hochul. Ela também assinou uma ordem executiva permitindo que o departamento de saúde limite a realização de procedimentos não essenciais e não urgentes em hospitais.. Kathy Hochul (Foto: CINDY SCHULTZ/REUTERS) A governadora de Nova York, Kathy Hochul, emitiu uma declaração de “emergência de desastre” nesta … Leia Mais


Austríaco morre de Covid-19 após ir a uma “festa da Covid”


Nesses eventos, pelo menos um dos convidados já testou positivo para Covid-19 e os outros se aproximam dele para compartilhar drinques e abraços

(Foto: Myke Sena/MS)

De acordo com o jornal italiano Il Dolomiti, o homem queria obter o chamado “passe verde”.

O “passe verde” é cobrado por vários países na Europa, que permitem aos cidadãos trabalharem ou acessarem áreas de lazer desde que estes tenham um certificado de vacinação completa ou provem que se recuperaram da Covid-19 nos últimos seis meses.

O médico Patrick Franzoni, coordenador da unidade anti-Covid de Bolzano, explica que as “festas da covid” são cada vez mais comuns. Nesses eventos, ele explica, pelo menos um dos convidados está com Covid-19 e, sabendo quem essa pessoa é, os outros se aproximam dela para compartilhar drinques ou abraços. “Eles fazem isso para desenvolver anticorpos e obter o ‘passe verde’ sem vacinação. Existem consequências a longo prazo e até mesmo pessoas jovens podem parar no hospital”.

 Um homem de 55 anos que se infectou com o coronavírus de propósito morreu na Áustria. Ele foi a uma “festa da Covid” na cidade de Bolzano, no norte da Itália, com o objetivo de contrair a doença.


“Conversa antiga de quem só faz espuma e desconhece a Bahia” responde Presidente do PT a ACM Neto


O presidente do Partido dos Trabalhadores da Bahia, Éden Valadares, afirmou que falta informação ao ex-prefeito de Salvador ACM Neto, que anunciou a criação de núcleos descentralizados na Bahia, quando, na verdade, foram as administrações do PT, com início na gestão de Jaques Wagner, que promoveram a desconcentração e modernização do estado, adotando um novo conceito de investimento público. Antes das gestões petistas, havia concentração de investimentos somente nas áreas próximas a Salvador.

“Wagner herdou do Carlismo uma Bahia extremamente desigual do ponto de vista territorial. Havia uma concentração de investimentos na Região Metropolitana e no Litoral. O Semiárido foi tratado historicamente como um fardo sem solução”, disse Éden, para quem a afirmação de ACM Neto não passa de “conversa antiga de quem só faz espuma e desconhece a Bahia”.

As administrações do PT realizam há quase 16 anos um grande esforço para modernizar o estado. Assim, foram criados os 27 territórios de identidade a partir de sua cultura identitária e suas variações produtivas. Com isso, os investimentos e negócios foram viabilizados em diferentes escalas a partir da presença do Estado em todas as regiões da Bahia, onde foram implantados projetos estruturantes. (mais…)


A evolução do extremismo de Direita e a volta das trevas


Jeremias Macário

Talvez os espíritas e as religiões afros, mais que os historiadores e cientistas, possam dar uma explicação mais plausível sobre o que vem ocorrendo com a volta avassaladora das ideologias extremistas e negacionistas no planeta terra, inclusive em nações mais desenvolvidas que sempre defenderam a liberdade e a democracia, consideradas mais avançadas em termos civilizatórios.
É um fenômeno inexplicável essa volta às trevas e ao obscurantismo como numa repetição maldita da história. Alguns intelectuais da África, como Soyinka, na passagem entre o colonialismo e o pós-independência de países do continente, falam muito dos males ancestrais que se arrastam para o presente. É o passado replicando o presente. É a Idade Média se incorporando em pleno século XXI.
Na Europa, nas Américas e outros continentes, as ideias fascistas, nazistas, de supremacia da raça, do preconceito, da discriminação e retrógradas negacionistas da ciência estão retornando com força através das eleições de líderes de extrema. Esse quadro se tornou mais visível nesse período pandêmico da Covid-19 onde milhões se recusam a vacinar como forma de negar a ciência.
Entre as democracias em retrocesso, Brasil e Estados Unidos estão na lista do relatório anual da Organização Internacional IDEA, com sede em Estocolmo. Os principais motivos são do presidente-capitão e do ex-Donald Trump. Mais de um quarto da população mundial estão nesse rol. Seriam cerca de 70% se forem somados os regimes autoritários, ou com tendência à degradação. Desde 2016 a lista já incluía Índia, Filipinas, Polônia, Hungria e agora, a Eslovênia.
Voltamos ao tempo das inquisições do pensamento, faltando apenas montar as fogueiras, como está acontecendo, particularmente em nosso Brasil de hoje. Confesso que tenho ficado chocado e angustiado com fatos absurdos, como o mais recente de uma professora de filosofia, em Salvador, que foi vítima de um processo numa delegacia só porque estava cumprindo seu dever de lecionar sua matéria, sem intenção de inocular ideologia em seus alunos. Ela falava sobre a Semana da Consciência Negra e foi denunciada como esquerdista, comunista e macumbeira. Isso remete à ditadura civil-militar no seu pior momento do AI-5.
A cada dia cresce mais e mais o fundamentalismo evangélico, com intolerância religiosa e ódio homofóbico. Aumentam a violência contra a mulher, o feminicídio e o racismo ao negro, com brutal agressão. A polícia executa os cidadãos, e o capitão-presidente incentiva cada vez mais o uso de armas. Foi aberta a porteira para a boiada da destruição das nossas florestas. O meio ambiente padece. (mais…)


Vereadores destacam necessidade de ações de igualdade racial no município


Imagem Vereadores destacam necessidade de ações de igualdade racial no município

Nesta quarta-feira (24), a Câmara de Vitória da Conquista realizou a Sessão Especial em comemoração ao Dia da Consciência Negra, comemorado no último dia 20 de novembro. Com discursos de reafirmação da igualdade entre os povos e a necessidade de ações para que o povo negro, em especial, os adeptos das religiões de matriz africana, não fiquem à margem das políticas públicas no município.

Em suas falas, os vereadores também afirmaram que o poder público deve combater todas as formas de preconceito racial e caminhar em direção a uma sociedade mais humanitária e mais igualitária.

População miscigenada – O vereador Subtenente Muniz (Avante) destacou que a Polícia Militar da Bahia é formada majoritariamente por pessoas negras. “Sou pobre, negro e policial militar. 30 anos de Polícia Militar. 80% da tropa da Polícia Militar é negra”, detalhou. Muniz ainda lamentou a falta de maior diversidade na Mesa da Sessão Especial. “Queria ver na mesa, policiais negros, juízes negros, vereadores negros, servidores negros. Nós somos uma população negra. O Brasil é formado por uma miscigenação”, disse ele, destacando a miscigenação que caracteriza a população brasileira.

O combate ao racismo estrutural – O vereador Valdemir Dias (PT) destacou a importância e discussões que tratam sobre a reflexão do racismo estrutural, que existe no país desde 1532, quando chegaram os primeiros negros no país. “Tradicionalmente, o 20 de novembro, como o Dia da Consciência Negra, remonta à história e à contribuição de negras e negros para a formação da nação brasileira, nas inúmeras trincheiras de resistência ao escravismo e aos processos excludentes que nos caracterizam como país”, lembrou o vereador. Valdemir destacou também que Dia da Consciência Negra não é apenas uma data comemorativa, é um baluarte à memória de todas e de todos àqueles que viveram e que vivem na luta pela construção da igualdade, da dignidade e pela conquista de direitos.

O cristianismo prega o respeito e a igualdade entre povos – O vereador Nildo Freitas (PSC) iniciou a fala citando a passagem bíblica de Tiago 2:8 e 9, que fala sobre a acepção de pessoas e declarou que não devemos alimentar nenhum sentimento de preconceito e racismo porque todos vêm do mesmo Deus. Nildo declarou que todos são iguais perante a lei, portanto, não deve haver distinções e que a família tem o papel de instruir as crianças a respeitarem todas as religiões e raças. Por fim, o parlamentar citou o pastor norte-americano e militante do movimento negro, morto em 1968, Martin Luther King: “a dignidade de um ser humano não está na cor de sua pele, mas no seu caráter”.

Políticas públicas –  O vereador Andreson Ribeiro (PCdoB) defendeu a definição de políticas públicas para garantir melhores condições de vida à população. “Tudo perpassa por uma estruturação de políticas públicas. Não bastasse o racismo, convivemos também com um problema seríssimo que é o problema da desigualdade”, argumentou. “A história os deu condições adversas e por isso precisamos encarar e lutar por politicas públicas que viabilizem uma vida digna a todos”, emendou.

(mais…)


Novembro Negro: Políticas das gestões do PT reforçaram combate ao racismo e luta pela igualdade racial na Bahia


Em dezesseis anos das administrações petistas, foram implementadas mudanças efetivas na vida da população negra na Bahia, com campanhas de conscientização e garantia de acesso à saúde e moradia

 

As gestões petistas na Bahia, em seus quase 16 anos, reforçaram o combate ao racismo e a luta pela igualdade racial no estado. O primeiro passo foi dado por Jaques Wagner que, na transição de seu governo, de 2006 a 2007, criou a Secretaria de Promoção da Igualdade (Sepromi) em atendimento às reivindicações do movimentos negros e inspirado em leis e atos administrativos do governo Lula. O órgão foi decisivo para implementar as políticas públicas e ações que possibilitaram mudanças efetivas na vida da população negra em toda a Bahia e tentam reverter uma triste realidade refletida em números: 75% de mais de 50 mil vítimas de assassinatos no Brasil, em 2018 são negras, e, entre os feminicídios, 61,8% são de mulheres negras, segundo o Atlas da Violência, do Fórum de Segurança Pública. A Bahia é o único estado que possui uma Secretaria específica para tratar da questão racial.

Na esteira das iniciativas dos governos do PT, foi criado o Estatuto da Igualdade Racial e Combate à Intolerância Religiosa, sancionado por Wagner, um instrumento fundamental para instituir políticas de Estado por meio das Secretarias do Governo, articuladas pela Sepromi. Exemplos dessas políticas são a Rede de Combate ao Racismo e à Intolerância Religiosa, o Centro de Referência Nelson Mandela, Conselho de Desenvolvimento para a Comunidade Negra, Fórum Estadual de Gestores e a Coordenação de Políticas para Povos e Comunidades Tradicionais, que possibilitam acesso à saúde, moradia, estimulam o empreendedorismo e garantem a segurança alimentar da população negra, povos indígenas, tradicionais e remanescentes de quilombolas, além de outros benefícios. No total, o Estatuto prevê que 10% do Fundo de Combate à Pobreza deve ser destinado ao combate ao racismo e igualdade racial na Bahia, ao qual já foram investidos 439 milhões através do Fundo de Combate à Pobreza (Funcep). (mais…)


General Heleno tenta apagar sua relação com Sara Winter acusando imprensa e políticos de esquerda


General citou portais como o Brasil 247 e Fórum para dizer que acusações da extremista são falsas

(Foto: Reprodução/Facebook | Marcos Corrêa/PR)

Para isso, Heleno atacou a imprensa e partidos políticos de esquerda.

“Calúnias e acusações falsas da Sra Sara Winter, sobre mim, foram divulgadas pela ISTO É, Fórum, Brasil 247 e vários sites “isentos”. Bancaram tb essas mentiras, sem me consultar: a Jorn Mônica Bergamo, os Dep I. Valente, P. Teixeira e outros ‘democratas de peso’. Triste papel”, disse o general bolsonarista.

Saiba mais

A bolsonarista arrependida Sara Winter, em entrevista à Istoé, contou que os deputados Daniel Silveira (PTB), Carla Zambelli (PSL), Sargento Fahur (PSL) e Bia Kicis (PSL), assim como o ministro-chefe do Gabinete de Segurança, general Augusto Heleno, foram muito presentes na organização do “Acampamento dos 300”, que ela organizou em Brasília com o blogueiro Oswaldo Eustáquio.

O acampamento fez parte das manifestações bolsonaristas contra as instituições da República. Segundo Winter, Kicis “ensinou a gente como chamar atenção da imprensa” e “cedeu o assessor Evandro Araújo e colocou um advogado de seu gabinete para acompanhar reuniões com a Secretaria de Segurança do Distrito Federal”.

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança, General Heleno, resolveu rebater a bolsonarista arrependida Sara Winter, após ela contar que os deputados, assim como ele, foram muito presentes na organização do “Acampamento dos 300”, que atacou as instituições da República.


Outra chacina da polícia do Rio: moradores retiram oito corpos de manguezal no Complexo do Salgueiro


A chacina segue o roteiro de quase todas as chacinas, como a que trucidou 24 pessoas no Jacarezinho, no Rio, em maio passado. Moradores relatam que mães “estão desesperadas” buscando pelos corpos dos filhos no manguezal localizado no Complexo do Salgueiro, em São Gonçalo. Pessoas foram mortas durante o final de semana por policiais e os oito têm marcas de tortura

(Foto: Reprodulção/TV Globo)

A chacina do Complexo do Sagueiro segue o roteiro de quase todas as chacinas, como a que trucidou 24 pessoas no Jacarezinho, no Rio, em maio passado: um policial é morto em um confronto e a seguir é realizada uma chacina como vingança sobre os moradores da região do assassinato.

No sábado (20), um policial militar morreu em atuação na região do Salgueiro. O sargento foi identificado como Leandro Rumbelsperger da Silva, de 38 anos. Após a ação, os policiais ocuparam o bairro.

“É chacina”, denunciam moradores

Moradores afirmaram ao portal G1 que a ação “foi uma chacina” em represália à morte do agente.

“Os corpos estão todos jogados no mangue, com sinais de tortura. As pessoas, uma jogada por cima da outra. Estava com sinal totalmente de chacina mesmo”, relatou um morador.

“Muito conhecido da gente aqui morreu. A gente estava gritando no mangue para ver se consegue tirar, mas todos mortos”, relatou uma moradora, que não teve a identidade revelada.

(mais…)