Se o eleitor quer mudança ele deve fazer política

O início de setembro, será a data limite para que os partidos políticos realizassem as convenções eleitorais, definindo os seus candidatos para o executivo municipal e para o legislativo. Um fato novo nesta eleição diz respeito as formas de fazer política, devido à crise sanitária que passa o país. Desta forma, as convenções poderão ser … Leia Mais



Saneamento aqui e acolá

Luiz Pladevall (*) As demandas de saneamento básico estão por todas as regiões do território brasileiro, em pequenos e grandes municípios. A falta de abastecimento de água potável para 35 milhões de brasileiros e de esgotamento sanitário para outros 100 milhões parecem ser a face mais visível do problema. Sem sombra de dúvida, essas são … Leia Mais


Bahia chega a 105 mil casos e 2483 mortes por coronavírus nesse domingo

Foto: Paula Fróes / GOVBA Com mais 1.575 casos confirmados neste domingo (12), a Bahia chega a marca de 105.763 pessoas já infectadas pelo novo coronavírus. Desse total, 73.730 se recuperaram enquanto 29.550 ainda apresentam sintomas, os chamados “casos ativos”. Outras 2.483 pessoas morreram em decorrência da Covid-19, 47 delas confirmadas no boletim divulgado hoje … Leia Mais


Einstein esclarece que afastou médica bolsonarista por declaração de cunho nazista

Nise Yamaguchi disse que os nazistas “conseguiram controlar aquela MASSA DE REBANHO de judeus famintos” Nise Yamaguchi (Foto: Reprodução) “Atenção: hospital Albert Einstein esclarece que Nise Yamagushi NÃO foi afastada por causa da hidroxicloroquina, mas sim por dizer que nazistas ‘conseguiram controlar aquela MASSA DE REBANHO de judeus famintos’. O hospital, que é israelita, considerou … Leia Mais


Contraprova de teste de Geddel Vieira Lima dá negativo para Covid-19


Contraprova de teste de Geddel Vieira Lima dá negativo para Covid-19 

Foto: Agência Brasil

Após teste rápido dar positivo para o novo coronavírus (clique aqui e saiba mais), uma contraprova atestou que o ex-ministro Geddel Vieira Lima não contraiu a Covid-19. Segundo o jornal Correio, a informação foi confirmada pela Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização do Estado da Bahia (Seap), neste sábado (11).

“O resultado do exame do interno Geddel Quadros Vieira Lima para o Covid-19 deu negativo. Na última quarta-feira (08), ele havia testado positivo no teste rápido. A contraprova foi feita na modalidade Swab nasal”, informou a Seap.

Preso após a descoberta de um bunker com R$ 51 milhões na capital baiana, em setembro de 2018,  o político cumpre pena no Complexo Penitenciário de Salvador, no bairro da Mata Escura.


Brasil registra mais 1.071 mortes e 39 mil casos de coronavírus, nas últimas 24 horas


Com a atualização deste sábado (11), do Ministério da Saúde, total de pessoas infectadas no país chegou a 1.839.850

Foto: Cacalos Garrastazu/Fotos Públicas
Foto: Cacalos Garrastazu/Fotos Públicas

 

O Brasil registrou neste sábado (11), mais 1.071 mortes provocadas pelo novo coronavírus, de acordo com último balanço divulgado pelo Ministério da Saúde. Além dos novos óbitos registrados nas últimas 24 horas, que elevaram o total a 71.469, o país também confirmou mais 39.023 novos casos da doença. Com isso, o total de infectados no país chegou a 1.839.850.

O número de mortes informado pelo Ministério da Saúde quebrou uma sequência de quatro dias consecutivos com mais de 1.200 vítimas fatais contabilizadas pela pasta.

Os estados com maior número de mortes são: São Paulo (17.442), Rio de Janeiro (11.406), Ceará (6.853), Pernambuco (5.556) e Pará (5.274). As unidades da Federação com menos óbitos pela pandemia são: Mato Grosso do Sul (153), Tocantins (251), Roraima (396), Acre (419) e Santa Catarina (485).

São Paulo também lidera entre os estados com maior número de casos confirmados, com 366.890, seguido por Ceará (133.945), Rio de Janeiro (129.675), Pará (122.934) e Bahia (104.188). As unidades da Federação com menos pessoas infectadas registradas são Mato Grosso do Sul (12.969), Tocantins (14.939), Acre (16.080), Roraima (21.849) e Rondônia (26.496)


Bolsonaro lamenta a morte de pastor por Covid


Apesar de afirmar que não pode fazer nada quando questionado sobre as mortes pela Covid no país, Jair Bolsonaro lamentou nesta quarta-feira (8) a morte do pastor Sebastião Rodrigues de Souza, da Assembleia de Deus, que morreu na manhã desta quarta, vítima do coronavírus, cinco dias depois do filho ter falecido vítima da doença.

Bolsonaro, que diz que foi contaminado pela doença, mas voltou a minimizar os riscos que o vírus, lamentou a morte do religioso.

“A terra [sic] perde valoroso obreiro, mas o Senhor abraça um filho que venceu! Meus sinceros sentimentos a toda comunidade cristã e à família do querido pastor Sebastião!”, disse Bolsonaro, em nota divulgada pelo Palácio do Planalto.

O pastor estava internado com coronavírus, em Cuiabá (MT). Ele morreu cinco dias depois do filho dele, Rubens Siro de Souza, também ter sido vítima da doença. Ele também era pastor da mesma igreja. Os dois estavam na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) desde o final de junho.


Prisão domiciliar para Queiroz é imoral, mas para esposa foragida beira o escárnio


Prisão domiciliar para Queiroz é imoral, mas para esposa foragida beira o escárnioFoto: Reprodução/ TV Globo

A ida de Fabrício Queiroz para prisão domiciliar é imoral. Ele foi encontrado escondido na casa do ex-advogado do clã Bolsonaro, Frederick Wassef. Ele estava em um endereço desconhecido da Justiça, mesmo não estando foragido. Então, frisando, Queiroz estava escondido. Agora é mais imoral ainda que o benefício seja concedido à esposa dele, Márcia Aguiar, que segue foragida desde o dia 18 de junho, quando o ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro foi preso em Atibaia (SP). Só para frisar: Márcia está foragida! É um atentado à sanidade do brasileiro. É um escárnio. É um resumo de adjetivos impronunciáveis.

Não quero entrar no mérito de Queiroz merecer ou não ser preso. Em minha opinião, ele deveria permanecer preso enquanto houvesse uma investigação em curso e o risco de interferência dele fosse mantido. O pedido de prisão do Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) e a própria sentença que concedeu o cárcere temporário trazia elementos que sinalizavam as tentativas do ex-assessor atrapalhar a apuração das “rachadinhas”. Porém, para o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha, a saúde de Queiroz era mais importante. Com certeza, o ilustre ministro pensa diferente de mim.

Sinceramente, nessas horas eu não estou preocupado se a decisão é legal ou não. Até prefiro acreditar que o presidente do STJ não iria incorrer em uma ilegalidade para manter a tradição de ter decisões favoráveis ao governo federal. Eu só estou indignado com o fato de Fabrício Queiroz ter tido a prisão convertida para domiciliar junto com a esposa foragida, enquanto a ministra Rosa Weber deixou na cadeia um jovem que roubou dois shampoos. Só para frisar: dois shampoos. Mas uma mulher que está foragida há mais de 20 dias tem o direito de ficar presa em casa para cuidar do marido supostamente moribundo, mas que não se furtou em fazer comemorações enquanto estava escondido no falso escritório de advocacia em um endereço desconhecido da Justiça.

Façam todo o malabarismo retórico para defender esse direito de Queiroz. Só não me venha defender que o cara que roubou dois shampoos não tenha esse direito. Ou que Geddel Vieira Lima, que testou positivo para Covid-19 na prisão, também não possa ir para prisão domiciliar. Ou a ex-presidente do Tribunal de Justiça da Bahia, Maria do Socorro Barreto Santiago, que já teve inúmeros pedidos de conversão de prisão negados até mesmo pelo STJ. Se a lei é para todos, por que Queiroz e Márcia são melhores?

 

Bata-me uma vitamina de abacate. Odeio a ideia de bebê-la, mas é melhor do que sentir essa náusea que a prisão domiciliar de um cara que ficou escondido e de uma foragida me causam.

 

Este texto integra o comentário desta sexta-feira (10) para a RBN Digital, veiculado às 7h e às 12h30, e para as rádios A Tarde FM, Irecê Líder FM, Clube FM, RB FM, Alternativa FM Nazaré, Valença FM e Candeias FM. O comentário pode ser acompanhado também nas principais plataformas de streaming: SpotifyDeezerApple PodcastsGoogle Podcasts e TuneIn.


A ditadura militar exposta e o golpe atual


Assim como na ditadura de 1964, o golpe perpetrado em 2016 também persegue e mata seus opositores

João Daniel
Brasil de Fato | Brasília (DF) |
"A ditadura no País não foi menos cruel que qualquer outra ocorrida na América Latina, sob a orientação ou mesmo comando dos Estados Unidos"
“A ditadura no País não foi menos cruel que qualquer outra ocorrida na América Latina, sob a orientação ou mesmo comando dos Estados Unidos” – CP Memória

É no mínimo perturbadora a divulgação de documentos secretos da agência de inteligência americana – CIA, sobre a execução de “subversivos” no Brasil. Isso é uma demonstração de que a ditadura no país não foi menos cruel que qualquer outra ocorrida na América Latina, sob a orientação ou mesmo comando dos Estados Unidos.

Segundo os documentos, Ernesto Geisel, novo presidente escolhido pelos militares (1974-1979), recebe o relato do Serviço Nacional de Informações (SNI) da execução sumária de 104 pessoas no Centro de Informações do Exército (CIE) durante o Governo Médici, ao tempo em que pede autorização para continuar a política de assassinatos no novo Governo.

Em princípio, o relutante Geisel pede tempo para pensar. Passadas 24 horas, ele decide que a política de execução deve continuar, cabendo ao General Figueiredo, então chefe do SNI e que viria a ser presidente sucedendo ao Geisel, a aprovação de cada execução. Ou seja, os assassinatos da ditadura teriam que ser autorizados pelo Palácio do Planalto. O relato da CIA foi endereçado a Henry Kissinger, então secretário de Estado Americano que manteve a política intervencionista no novo governo.

Na época, o AI-5 tornara as funções do STF de coadjuvante da ditadura civil militar, uma vez que seu poder para defender garantias e direitos fundamentais era inteiramente limitado e o tribunal tornou-se um enfeite institucional, inteiramente subserviente ao poder, fechando os olhos aos assassinatos que continuaram acontecendo.

(mais…)


Operação da polícia contra o MBL prende Luciano Ayan, que apoiou o golpe e hoje é critico de Bolsonaro


O ex-ativista bolsonarista Carlos Augusto de Moraes Afonso, que se apresenta na rede como Luciano Ayan, foi preso nesta manhã, em São Paulo. Ele é suspeito de lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio

Luciano Ayan
Luciano Ayan (Foto: Reprodução)

DCM – O ativista Carlos Augusto de Moraes Afonso, que se apresenta na rede como Luciano Ayan, foi preso na manhã desta sexta-feira (10), em São Paulo.

Ele tem uma trajetória antiga na rede social. Já apoiou as causas de Jair Bolsonaro, inclusive teve atuação destacada na campanha de difamação contra Marielle Franco.

Mas, desde o ano passado, é um dos fortes críticos de Jair Bolsonaro. Pode ser considerado até um militante antibolsonarista.Segundo o MP e a Polícia Civil de São Paulo, que realizam a operação nesta manhã, ele é suspeito de lavagem de dinheiro e ocultação de patrimônio.


Com mais 1.220 vítimas fatais, Brasil ultrapassa 69 mil mortes


Em 24 horas, país registrou 42.619 novos casos; número total de infectados pelo coronavírus chegou a 1.755.779

Foto: Hélia Scheppa/ SEI/ Fotos Públicas
Foto: Hélia Scheppa/ SEI/ Fotos Públicas

 

O Brasil registrou em 24 horas mais 42.619 casos de Covid-19, e o número total de infectados pelo coronavírus chegou a 1.755.779. Os dados foram atualizados nesta quinta-feira (9) pelo Ministério da Saúde. Foram notificadas 1.220 mortes desde o dia anterior. O total subiu para 69.184.

De acordo com o Ministério da Saúde, 1.054.043 pessoas já se recuperaram da doença no Brasil. Outras 632,5 mil estão em acompanhamento.

O Brasil é o segundo país do mundo com mais mortes e mais casos de Covid-19. Apenas os Estados Unidos, com 3,2 milhões de infectados e 135,6 mil mortes, têm números maiores.