Uesb disponibiliza 600 vagas no Sisu 2020.1

De 21 a 24 de janeiro, estarão abertas as inscrições para quem deseja ingressar na Uesb pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) no primeiro período letivo de 2020. De acordo com o Edital 240/2019, serão ofertadas 600 vagas para 37 cursos de graduação nos campi de Itapetinga, Jequié e Vitória da Conquista. Entre as vagas disponíveis, … Leia Mais


Vestibular Uesb 2020 encerra as inscrições dia 9 de janeiro

No próximo dia 9 de janeiro, encerram as inscrições para o Vestibular Uesb 2020. Os interessados poderão realizar as inscrições, somente pela internet, acessando aqui. As provas acontecerão nos dias 2 e 3 de fevereiro, nas cidade de Itapetinga, Jequié e Vitória da Conquista.  A Uesb está oferecendo 1.186 vagas para seus cursos de graduação, … Leia Mais


Mulher indígena é a primeira professora doutora em Antropologia pela UNB

Educação e Direitos Humanos  Flores e Poesias Do povo Umutina, a Eliane Boroponepa Monzilar, de 40 anos é a primeira mulher indígena doutora em Antropologia pela UnB, Universidade de Brasília. Ela não cresceu tendo como oportunidade os estudos numa escola indígena durante a infância e cresceu em meio a referências escolares de vivências que não … Leia Mais


Uesb abre inscrições para vestibular de 2020

As inscrições começam no próximo dia 16 e devem ser feitas pela internet Foto: Divulgação/ Uesb   A partir do dia 16 de dezembro, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) irá abrir as inscrições para o vestibular 2020. A universidade oferece 907 vagas para os 47 cursos de graduação, no primeiro período letivo … Leia Mais


Brasil cai em ranking mundial de matemática e ciências

Foto: Reprodução / Agência Brasil O Brasil registrou queda no desempenho dos estudantes em matemática e ciências, de acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês). Esse é o ranking mundial mais importante na área de educação. Aplicado no ano passado, o exame é realizado pela Organização para Cooperação … Leia Mais


Ato na Câmara dos deputados defende o FUNDEB


Em ato de ampla representatividade denominado “Todos Pelo Novo Fundeb”, realizado hoje (27) no Salão Verde da Câmara Federal, o deputado Waldenor Pereira falou em nome da bancada e do Núcleo de Educação do PT no Congresso Nacional, reforçando a necessidade da manutenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação.

“O Núcleo de Educação do PT tem priorizado o debate a respeito da aprovação da permanência e manutenção do Fundeb, sem o qual não haverá educação pública no país”, disse Waldenor Pereira, em seu pronunciamento durante o evento realizado por parlamentares e representantes de entidades de educação como: UNE, UBES, ANPG, CNTE, CONTEE, Campanha Nacional Pelo Direito à Educação, FNPE, Frente Parlamentar Mista da Educação, FENET, SINASEFE e FASUBRA

O ato foi seguido de reunião com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), quando Waldenor Pereira esteve presente, ao lado do senador Jaques Wagner, e vários parlamentares que foram solicitar apoio para a aprovação da PEC 15/2015 (Proposta de Emenda Constitucional), que torna permanente a manutenção do Fundeb.

Rodrigo Maia se comprometeu a ajudar na negociação para um entendimento e votação da proposta, que segundo Waldenor foi um resultado positivo à iniciativa para pressionar o Congresso Nacional. O objetivo é evitar a queda da legislação que financia, desde 2006, mais de 60% dos gastos na educação básica, da creche ao ensino médio. O modelo atual validade até 2020 e, segundo os manifestantes, corre risco de não ser renovado ou ser precarizado pelo governo Bolsonaro.

“Vamos ampliar o enfrentamento à possibilidade de extinção da Lei do Fundeb, hoje uma das principais fontes de custeio da educação básica no país”, defendeu Waldenor, que em seu pronunciamento no Salão Verde fez duras críticas ao Governo Bolsonaro, cuja política tem como alvo principal atacar a rede pública de ensino.

Atualmente, três propostas de PECs que tratam da permanência do Fundeb tramitam no Legislativo, dentre as quais a PEC 15/2015, cuja relatora é a deputada federal Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), presente no ato e na reunião com Maia, como também o presidente da Comissão Especial do tema, o deputado baiano Bacelar (PODEMOS). A PEC 15 é defendida pelas entidades e determina a ampliação da participação da União no financiamento do Fundeb para 15% em 2021 – hoje essa cota é de 10% –, até chegar a 40% em 2031. O projeto é contestado pelo governo que, até o momento, não apresentou nenhuma proposta concreta sobre o tema, omissão que pode provocar dificuldades orçamentárias para os municípios.


Colômbia ultrapassa Brasil em ranking de educação com foco em professores e avaliação de aprendizagem


Série especial sobre educação mostra os avanços da Colômbia

Série especial sobre educação mostra os avanços da Colômbia

A Colômbia ultrapassou o Brasil no ranking de avaliação internacional de educação com ações que estimulam o avanço da carreira dos professores baseado em mérito, provas de avaliação de aprendizagem, programas de trocas de experiência entre os docentes e o estímulo à autonomia em sala de aula. A política de ensino do país faz parte da série “Educação: nosso lugar no mundo”, do Bom Dia Brasil.

Na última edição do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), de 2015, a Colômbia ficou em 57º lugar e o Brasil, em 63º. A prova foi aplicada em 70 países para estudantes a partir do 7º ano do ensino fundamental, com média de 15 anos (idade em que a maioria dos alunos de todos os países concluem o ensino médio).

O melhor resultado veio com menor custo. O gasto por aluno da Colômbia é mais barato do que o do Brasil: nosso vizinho destina US$ 2.459 por estudante, enquanto o Brasil aplica US$ 3.824 por aluno.

Para chegar a estes resultados, uma das medidas adotadas pela Colômbia é premiar o professor com base em suas experiências: o avanço de carreira é avaliado conforme o mérito do docente, e não por tempo de ensino.

Um dos exemplos é o professor Luis Miguel Bermúdez, um dos finalistas do Global Teacher Prize, considerado o Oscar da Educação. Bermúdez criou a disciplina de cidadania sexual e, com isso, conseguiu reduzir a zero o número de adolescentes gestantes. A média anterior era de 70 alunas grávidas todos os anos.

O avanço também foi percebido na educação infantil. Na última década, a Colômbia conseguiu dobrar o número de matrículas de alunos de 0 a 5 anos. Outra medida apontada como responsável pelos avanços são as provas que avaliam o processo de aprendizagem, como as que ocorrem no Brasil. Os resultados servem para melhorar o ensino.

“Os colégios veem os resultados e querem melhorar. Isso leva tempo. O que realmente aconteceu foi uma melhora contínua”, diz Cecília María Vélez, ex-ministra da Educação da Colômbia.

A distância de qualidade entre as melhores escolas e as piores foi reduzida com o programa Todos a Aprender, em que as piores escolas recebem livros didáticos e ajuda dos melhores professores do país.

O diretor Miguel Celín diz que no início houve resistência. “Muitos professores não aceitavam que alguém ia dizer como eles deveriam dar a aula. Mas então fomos neste processo, melhorando, e já estamos na metade da tabela. Falando de futebol, viemos da série B e já estamos na série A neste momento”, diz.

O estímulo à autonomia pode ser visto no Escola Nova, modelo que existe em mais de 20 mil escolas rurais da Colômbia e que estimula a educação participativa.

Neste modelo, não há quadro-negro ou salas separadas por nível. Alunos de vários anos ficam em uma mesma sala. As mesas são circulares e os alunos decidem em grupo o que vão estudar.


UESB-Seleção pública para professor substituto


A Uesb, por meio do Edital 219/2019, divulga abertura das inscrições para candidatos interessados em realizar seleção pública para Professor Substituto. As vagas são destinadas para Departamentos de Geografia e Ciências Tecnológicas, para os campi de Jequié e Vitória da Conquista.

As inscrições podem ser realizadas entre os dias 22 e 28 de novembro, via internet. Os documentos deverão ser entregues presencialmente ou encaminhados via Sedex,  até o dia 29 de novembro, na Assessoria  Acadêmica, em Jequié, e na Gerência de Acesso e Acompanhamento (GAA), em Vitória da Conquista, em horário comercial. A descrição das disciplinas estão disponíveis no Anexo Único do Edital.

Para outras informações, entre em contato com a GAA pelo e-mail concursos@uesb.edu.br ou pelo telefone (77) 3424-8721 ou acesse o site.


Pesquisa da Uesb sobre crianças com câncer é premiada


O Grupo de Pesquisa Espia (CNPq-UESB), coordenado pelo professor Nilton Cesar Nogueira, do curso de Odontologia da Uesb, campus de Jequié, e pela psicóloga Ielma Alves Soares, do Hospital Estadual da Criança de Feira de Santana, apresentou um trabalho de pesquisa científica que culminou em Menção Honrosa, na 2ª Mostra de Pesquisa, do Hospital Estadual da Criança. Classificado em 1º lugar na categoria Pôster, a pesquisa “Percepção da criança com câncer em relação ao tratamento odontológico e oncológico” foi realizada, nesta primeira fase, com a participação de Victória Souza Reis, Isabele Tavares e Felipe Lemos, todos discentes de Odontologia e pesquisadores de Iniciação Científica da Universidade.

O objetivo da pesquisa, num primeiro momento, foi conhecer a percepção da criança com câncer em relação aos tratamentos oncológico e odontológico. No evento, os primeiros resultados foram apresentados. “Notamos que, a despeito do sofrimento pelo qual passa, a criança aceita o tratamento e mantém uma relação amistosa com a equipe médica. Em relação à Odontologia, há desconhecimento e medo associado a esses profissionais, principalmente por eles não estarem presentes na equipe multidisciplinar do hospital”, salientou o professor.

Ainda de acordo com o docente, os resultados “contribuirão para reorientar as práticas em saúde bucal no Hospital Estadual da Criança, bem como ratificam a necessidade de se contar com profissionais de saúde bucal nas unidades hospitalares”. Com isso, os pacientes estariam preparados para a terapia antineoplástica, assim como para a prevenção e intervenção de complicações decorrentes do tratamento, que se apresentam com maior gravidade na faixa etária da infância e adolescência.

“A chance de participar de um projeto dessa complexidade e com essa grandeza nos permite, como alunos, um crescimento profissional muito bacana. É um orgulho ter nosso trabalho premiado. Essa menção é mérito de toda equipe e foi, realmente, um trabalho coletivo”, comemora Vitória Reis, uma das discentes envolvidas na pesquisa.

A segunda etapa da pesquisa será com os responsáveis pelas crianças (pais, mães, avós) e com os profissionais de saúde (técnicos de níveis médio e superior). Estarão envolvidos, ainda, bolsistas voluntários, discentes de Odontologia da Uesb, psicólogos e professores de outras instituições de Ensino Superior.

http://www.uesb.br/noticias/pesquisa-da-uesb-sobre-criancas-com-cancer-e-premiada/


Pela 1ª vez, pretos e pardos são mais da metade dos universitários da rede pública, diz IBGE


Pela primeira vez, a população que se declara de cor preta ou parda passou a representar 50,3% dos estudantes de ensino superior da rede pública. É o que aponta a pesquisa Desigualdades Sociais por Cor ou Raça Brasil, divulgada pelo IBGE

Pela primeira vez, a população que se declara de cor preta ou parda passou a representar 50,3% dos estudantes de ensino superior da rede pública. É o que aponta a pesquisa Desigualdades Sociais por Cor ou Raça Brasil, divulgada nesta quarta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A população de cor preta ou parda representa 55,8% da população brasileira.

Segundo Luanda Botelho, “com democratização do acesso ao ensino superior e também com mais jovens se declarando de cor preta ou parda, atingiu-se pela primeira vez essa proporção, de mais da metade”. “A pesquisa mostra melhoras em geral na educação, mas existe ainda desigualdade grande”, disse.

O maior acesso de pretos ou pardos na educação também ocorre nos primeiros anos de estudos. A frequência das crianças de até 5 anos na creche ou escola aumentou de 49,1% em 2016 para 53% em 2018.

A taxa de analfabetismo das pessoas de 15 anos ou mais de idade passou de 9,8% em 2016 para 9,1% em 2018.

Essa melhoria na queda das desigualdades no Brasil garantida pelos governos dos últimos 20 anos, foi uma das razões do golpe  parlamentar aplicado no Brasil em 2016, a classe branca se sentiu ameaçada com a chegada de tanta gente bronzeada nos cursos chamados de ponta, como:Direito,medicina,engenharia, arquitetura,esses profissionais trabalham co cerca de 70% do PIB- Produto Interno Bruto do país.

A divisão de parte dessa renda chegou aos mais pobres e o país caminhava para a paz social e isso,infelizmente a elite brasileira não admite,tem em seu DNA o rança escravista,é dona do estado,das terras,da água, não consegue perceber que de gente não mais.

A educação é o elo libertador e por isso, o ataque atual as universidades, a cultura  começou e não vai parar.

Apenas 18% dos médicos são negros

 Criada no governo Lula há 12 anos, a Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) forma a sua primeira turma de Medicina. Hoje, sob o governo Jair Bolsonaro, a universidade enfrenta o corte de verbas que ameaçam o funcionamento pleno da instituição.

“A UFRB é parte do legado do governo Lula. É o que quem está no poder agora quer destruir. Porque um jovem negro se formando em medicina é um ato de resistência. Parabéns pela vitória!”, diz a mensagem publicada na página do ex-presidente Lula no Twitter.

A universidade pública, que é a segunda maior da Bahia e a mais negra do Brasil, com mais de 80% de alunos autodeclarados negros. Um legado dos governos progressistas que mudou a vida da população da região.

Um dos instrumentos de inclusão social dos governo Lula e Dilma foi a educação. Na Bahia, antes de Lula, o estado com mais de 15 milhões de pessoas em 417 municípios só tinha uma universidade federal, localizada na capital, Salvador.

Após a eleição de Lula, foram criadas mais cinco – Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB),  Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab), Universidade Federal do Oeste da Bahia, Universidade Federal do Sul da Bahia, Universidade Federal do Vale do São Francisco, sendo criados 18 campi universitários interiorizados em toda a Bahia.


Uesb leva informações sobre o solo para escolas da região


Mãos na terra, olhos e ouvidos atentos para aprender mais sobre a Ciência do Solo. É assim a descrição dos encontros realizados pelo projeto de extensão “Solos na escola” da Uesb, que promove intercâmbio de conhecimento com estudantes de Ensino Fundamental e Médio de Vitória da Conquista e região, desde junho deste ano.

Desenvolvido pelos professores Caroline Valverde e Eliel Ferreira, ambos do Departamento de Engenharia Agrícola e Solos (Deas), a ação já passou por dez escolas. Cerca de 300 estudantes participaram das atividades do projeto, que realizou, também, capacitação com 50 professores, buscando aprimorar o trabalho de ensino de conteúdos relacionados ao solo.

Nos encontros, é possível conhecer mais sobre a formação do solo, as questões de fertilização, a relação com a produção alimentar, bem como os cuidado de uso e manejo. Com muita informação em mãos, os alunos participam ainda de plantios, criação de hortas e, até mesmo, de uma oficina de geotinta, na qual é possível produzir tinta utilizando solo, cola e um pouco de água.

Para as crianças, a didática envolve também apresentações musicais e contação de histórias com Bela, uma boneca cheia de informações para passar. “Tudo que a gente fala para criança chama atenção. Ela é como um vetor de informação para a sociedade. Nosso intuito é passar para a criança a importância do solo, do seu uso e do seu manejo sustentável, de uma forma que essas crianças transmitam isso para a comunidade dela”, explica Valverde.

“Solos na escola” conta ainda com a participação de estudantes de graduação e pós-graduação dos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal e Ciências Florestais da Uesb. Mais informações sobre o projeto podem ser conferidas no Instagram ou pelo telefone (77) 3424-8785.


FAINOR tem vaga para professor de Direito


Inscrições para processo seletivo vão de 18 a 20 de novembro

Acaba de ser lançado o Edital do processo seletivo de docentes para o curso de Direito, da FAINOR. As inscrições poderão ser feitas entre os dias 18 e 20 de novembro de 2019.

O Edital com todas as informações sobre o processo seletivo está disponível no site da FAINOR, no endereço http://www.fainor.com.br/v2/?p=88013

Após ler o edital, o interessado deve fazer a inscrição exclusivamente via e-mail, para o endereço direito@fainor.com.br. A seleção será feita em duas etapas: a primeira, classificatória, terá análise do currículo Lattes; e a segunda, eliminatória e classificatória, será feita por meio de aula pública.

As informações de classificação e resultado serão publicadas no site da FAINOR (www.fainor.com.br) e enviadas por e-mail aos candidatos.