Matrícula na educação infantil cresceu 12,6% nos últimos cinco anos; sementes petistas

O crescimento foi impulsionado pelas matrículas em creches Agência Brasil Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil   O número de matrículas na educação infantil aumentou em 12,6% nos últimos cinco anos. Segundo dados do Censo Escolar 2019, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), no ano passado foram registrados 8.972.778 alunos … Leia Mais


Aluna da Uesb tem conto selecionado em concurso nacional

Aluna do 4º semestre de Letras, Jessika de Oliveira, de 28 anos, tem muito o que contar e comemorar após ter um conto de sua autoria selecionado no Concurso Nacional de Novos Escritores. “Festa de Aniversário” foi selecionado em dezembro de 2019, na categoria “Prosa/Conto”, e será publicado em uma antologia de contos no mês … Leia Mais



Uesb disponibiliza 600 vagas no Sisu 2020.1

De 21 a 24 de janeiro, estarão abertas as inscrições para quem deseja ingressar na Uesb pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) no primeiro período letivo de 2020. De acordo com o Edital 240/2019, serão ofertadas 600 vagas para 37 cursos de graduação nos campi de Itapetinga, Jequié e Vitória da Conquista. Entre as vagas disponíveis, … Leia Mais


Vestibular Uesb 2020 encerra as inscrições dia 9 de janeiro

No próximo dia 9 de janeiro, encerram as inscrições para o Vestibular Uesb 2020. Os interessados poderão realizar as inscrições, somente pela internet, acessando aqui. As provas acontecerão nos dias 2 e 3 de fevereiro, nas cidade de Itapetinga, Jequié e Vitória da Conquista.  A Uesb está oferecendo 1.186 vagas para seus cursos de graduação, … Leia Mais


Mulher indígena é a primeira professora doutora em Antropologia pela UNB


Do povo Umutina, a Eliane Boroponepa Monzilar, de 40 anos é a primeira mulher indígena doutora em Antropologia pela UnB, Universidade de Brasília.

Ela não cresceu tendo como oportunidade os estudos numa escola indígena durante a infância e cresceu em meio a referências escolares de vivências que não eram as suas.

“Só fui me entender enquanto indígena e pertencente a um povo quando ingressei na graduação”, conta.

Ela diz quando percebeu que tinha que lutar pelas causas de sua etnia:

“Durante a formação como professora indígena, não só eu como outros colegas fomos cobrados pela nossa identidade.” disse.

Eliane é professora em uma escola de sua comunidade e, em julho de 2019, tornou-se a primeira mulher indígena a concluir doutorado em Antropologia na Universidade de Brasília.

Em 2011, tomou ciência, por meio de uma amiga, do processo seletivo para o Mestrado Profissional em Sustentabilidade junto a Povos e Terras Tradicionais (Mespt) da UnB. Entusiasmada com a possibilidade de conhecer outras culturas indígenas nas aulas de campo, decidiu se inscrever na seleção e foi aprovada.

professora indigena close e1564840262743 - Mulher indígena é a primeira professora doutora em Antropologia pela UNB

No ambiente acadêmico, percebeu a possibilidade de intensificar a militância em defesa de seu povo e a representatividade de seu lugar de fala.

“Na Universidade, não sou somente a Eliane. Represento um povo e isso é uma grande responsabilidade, não só por ser indígena, mas por ser mulher”, compartilha.

Durante o mestrado, a pesquisadora propôs-se a incentivar a busca de alternativas que contribuam para a sustentabilidade da aldeia e para reavivar os saberes e fazeres dos umutina.

Ela conversou com anciãos e jovens alunos da comunidade para investigar possibilidades de manejo do território que reconstruíssem conhecimentos tradicionais já em esquecimento, como o cuidado da roça.

A dissertação transformou-se em um livro, publicado em 2018.

Mais informações em SÓ NOTICIA BOA


Uesb abre inscrições para vestibular de 2020


As inscrições começam no próximo dia 16 e devem ser feitas pela internet

Foto: Divulgação/ Uesb
Foto: Divulgação/ Uesb

 

A partir do dia 16 de dezembro, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) irá abrir as inscrições para o vestibular 2020. A universidade oferece 907 vagas para os 47 cursos de graduação, no primeiro período letivo de 2020 e 477 para o segundo período. As inscrições podem ser feitas até o dia 9 de janeiro de 2020 pela internet.

A metade das vagas será disputada em ampla concorrência e a outra metade será destinada aos candidatos cotistas. Além disso, a universidade disponibiliza três vagas adicionais para quilombolas, indígenas ou pessoas com deficiência, em cada curso.

Entre as opções, estão 22 licenciaturas e 25 bacharelados, distribuídos nos campi de Itapetinga, Jequié e Vitória da Conquista. A lista completa de graduações disponíveis por campus pode ser conferida no site da Uesb, no qual o edital também está disponível.

As provas serão aplicadas nos dias 2 e 3 de fevereiro, nos três campis. Os candidatos vão fazer provas objetivas e uma redação.

As provas objetivas serão divididas em português (Língua Portuguesa e Literatura Brasileira), língua estrangeira, matemática, ciências humanas (História, Geografia e Conhecimentos Contemporâneos) e ciências da natureza (Física, Química e Biologia). No ato de inscrição, o candidato deve escolher a opção de língua estrangeira: Inglês, Francês ou Espanhol.


Brasil cai em ranking mundial de matemática e ciências


Brasil cai em ranking mundial de matemática e ciências

Foto: Reprodução / Agência Brasil

O Brasil registrou queda no desempenho dos estudantes em matemática e ciências, de acordo com o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês). Esse é o ranking mundial mais importante na área de educação.

Aplicado no ano passado, o exame é realizado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Na última edição, a lista cresceu de 70 para 80 países participantes.

Segundo informações do G1, o resultado mostra um pequeno aumento da nota média dos estudantes brasileiros, mas eles permanecem entre os últimos 10 colocados na prova de matemática, com 384 pontos.

No caso de ciências, o país também caiu algumas posições, agora posicionado abaixo de pelo menos 65 nações, com média de 404 pontos.

Já em leitura, o Brasil conseguiu manter a posição de 2015, com média de 413 pontos, mas continua atrás de 50 países e regiões econômicas.


Ato na Câmara dos deputados defende o FUNDEB


Em ato de ampla representatividade denominado “Todos Pelo Novo Fundeb”, realizado hoje (27) no Salão Verde da Câmara Federal, o deputado Waldenor Pereira falou em nome da bancada e do Núcleo de Educação do PT no Congresso Nacional, reforçando a necessidade da manutenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos Profissionais da Educação.

“O Núcleo de Educação do PT tem priorizado o debate a respeito da aprovação da permanência e manutenção do Fundeb, sem o qual não haverá educação pública no país”, disse Waldenor Pereira, em seu pronunciamento durante o evento realizado por parlamentares e representantes de entidades de educação como: UNE, UBES, ANPG, CNTE, CONTEE, Campanha Nacional Pelo Direito à Educação, FNPE, Frente Parlamentar Mista da Educação, FENET, SINASEFE e FASUBRA

O ato foi seguido de reunião com o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), quando Waldenor Pereira esteve presente, ao lado do senador Jaques Wagner, e vários parlamentares que foram solicitar apoio para a aprovação da PEC 15/2015 (Proposta de Emenda Constitucional), que torna permanente a manutenção do Fundeb.

Rodrigo Maia se comprometeu a ajudar na negociação para um entendimento e votação da proposta, que segundo Waldenor foi um resultado positivo à iniciativa para pressionar o Congresso Nacional. O objetivo é evitar a queda da legislação que financia, desde 2006, mais de 60% dos gastos na educação básica, da creche ao ensino médio. O modelo atual validade até 2020 e, segundo os manifestantes, corre risco de não ser renovado ou ser precarizado pelo governo Bolsonaro.

“Vamos ampliar o enfrentamento à possibilidade de extinção da Lei do Fundeb, hoje uma das principais fontes de custeio da educação básica no país”, defendeu Waldenor, que em seu pronunciamento no Salão Verde fez duras críticas ao Governo Bolsonaro, cuja política tem como alvo principal atacar a rede pública de ensino.

Atualmente, três propostas de PECs que tratam da permanência do Fundeb tramitam no Legislativo, dentre as quais a PEC 15/2015, cuja relatora é a deputada federal Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO), presente no ato e na reunião com Maia, como também o presidente da Comissão Especial do tema, o deputado baiano Bacelar (PODEMOS). A PEC 15 é defendida pelas entidades e determina a ampliação da participação da União no financiamento do Fundeb para 15% em 2021 – hoje essa cota é de 10% –, até chegar a 40% em 2031. O projeto é contestado pelo governo que, até o momento, não apresentou nenhuma proposta concreta sobre o tema, omissão que pode provocar dificuldades orçamentárias para os municípios.


Colômbia ultrapassa Brasil em ranking de educação com foco em professores e avaliação de aprendizagem


Série especial sobre educação mostra os avanços da Colômbia

Série especial sobre educação mostra os avanços da Colômbia

A Colômbia ultrapassou o Brasil no ranking de avaliação internacional de educação com ações que estimulam o avanço da carreira dos professores baseado em mérito, provas de avaliação de aprendizagem, programas de trocas de experiência entre os docentes e o estímulo à autonomia em sala de aula. A política de ensino do país faz parte da série “Educação: nosso lugar no mundo”, do Bom Dia Brasil.

Na última edição do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa, na sigla em inglês), de 2015, a Colômbia ficou em 57º lugar e o Brasil, em 63º. A prova foi aplicada em 70 países para estudantes a partir do 7º ano do ensino fundamental, com média de 15 anos (idade em que a maioria dos alunos de todos os países concluem o ensino médio).

O melhor resultado veio com menor custo. O gasto por aluno da Colômbia é mais barato do que o do Brasil: nosso vizinho destina US$ 2.459 por estudante, enquanto o Brasil aplica US$ 3.824 por aluno.

Para chegar a estes resultados, uma das medidas adotadas pela Colômbia é premiar o professor com base em suas experiências: o avanço de carreira é avaliado conforme o mérito do docente, e não por tempo de ensino.

Um dos exemplos é o professor Luis Miguel Bermúdez, um dos finalistas do Global Teacher Prize, considerado o Oscar da Educação. Bermúdez criou a disciplina de cidadania sexual e, com isso, conseguiu reduzir a zero o número de adolescentes gestantes. A média anterior era de 70 alunas grávidas todos os anos.

O avanço também foi percebido na educação infantil. Na última década, a Colômbia conseguiu dobrar o número de matrículas de alunos de 0 a 5 anos. Outra medida apontada como responsável pelos avanços são as provas que avaliam o processo de aprendizagem, como as que ocorrem no Brasil. Os resultados servem para melhorar o ensino.

“Os colégios veem os resultados e querem melhorar. Isso leva tempo. O que realmente aconteceu foi uma melhora contínua”, diz Cecília María Vélez, ex-ministra da Educação da Colômbia.

A distância de qualidade entre as melhores escolas e as piores foi reduzida com o programa Todos a Aprender, em que as piores escolas recebem livros didáticos e ajuda dos melhores professores do país.

O diretor Miguel Celín diz que no início houve resistência. “Muitos professores não aceitavam que alguém ia dizer como eles deveriam dar a aula. Mas então fomos neste processo, melhorando, e já estamos na metade da tabela. Falando de futebol, viemos da série B e já estamos na série A neste momento”, diz.

O estímulo à autonomia pode ser visto no Escola Nova, modelo que existe em mais de 20 mil escolas rurais da Colômbia e que estimula a educação participativa.

Neste modelo, não há quadro-negro ou salas separadas por nível. Alunos de vários anos ficam em uma mesma sala. As mesas são circulares e os alunos decidem em grupo o que vão estudar.


UESB-Seleção pública para professor substituto


A Uesb, por meio do Edital 219/2019, divulga abertura das inscrições para candidatos interessados em realizar seleção pública para Professor Substituto. As vagas são destinadas para Departamentos de Geografia e Ciências Tecnológicas, para os campi de Jequié e Vitória da Conquista.

As inscrições podem ser realizadas entre os dias 22 e 28 de novembro, via internet. Os documentos deverão ser entregues presencialmente ou encaminhados via Sedex,  até o dia 29 de novembro, na Assessoria  Acadêmica, em Jequié, e na Gerência de Acesso e Acompanhamento (GAA), em Vitória da Conquista, em horário comercial. A descrição das disciplinas estão disponíveis no Anexo Único do Edital.

Para outras informações, entre em contato com a GAA pelo e-mail concursos@uesb.edu.br ou pelo telefone (77) 3424-8721 ou acesse o site.


Pesquisa da Uesb sobre crianças com câncer é premiada


O Grupo de Pesquisa Espia (CNPq-UESB), coordenado pelo professor Nilton Cesar Nogueira, do curso de Odontologia da Uesb, campus de Jequié, e pela psicóloga Ielma Alves Soares, do Hospital Estadual da Criança de Feira de Santana, apresentou um trabalho de pesquisa científica que culminou em Menção Honrosa, na 2ª Mostra de Pesquisa, do Hospital Estadual da Criança. Classificado em 1º lugar na categoria Pôster, a pesquisa “Percepção da criança com câncer em relação ao tratamento odontológico e oncológico” foi realizada, nesta primeira fase, com a participação de Victória Souza Reis, Isabele Tavares e Felipe Lemos, todos discentes de Odontologia e pesquisadores de Iniciação Científica da Universidade.

O objetivo da pesquisa, num primeiro momento, foi conhecer a percepção da criança com câncer em relação aos tratamentos oncológico e odontológico. No evento, os primeiros resultados foram apresentados. “Notamos que, a despeito do sofrimento pelo qual passa, a criança aceita o tratamento e mantém uma relação amistosa com a equipe médica. Em relação à Odontologia, há desconhecimento e medo associado a esses profissionais, principalmente por eles não estarem presentes na equipe multidisciplinar do hospital”, salientou o professor.

Ainda de acordo com o docente, os resultados “contribuirão para reorientar as práticas em saúde bucal no Hospital Estadual da Criança, bem como ratificam a necessidade de se contar com profissionais de saúde bucal nas unidades hospitalares”. Com isso, os pacientes estariam preparados para a terapia antineoplástica, assim como para a prevenção e intervenção de complicações decorrentes do tratamento, que se apresentam com maior gravidade na faixa etária da infância e adolescência.

“A chance de participar de um projeto dessa complexidade e com essa grandeza nos permite, como alunos, um crescimento profissional muito bacana. É um orgulho ter nosso trabalho premiado. Essa menção é mérito de toda equipe e foi, realmente, um trabalho coletivo”, comemora Vitória Reis, uma das discentes envolvidas na pesquisa.

A segunda etapa da pesquisa será com os responsáveis pelas crianças (pais, mães, avós) e com os profissionais de saúde (técnicos de níveis médio e superior). Estarão envolvidos, ainda, bolsistas voluntários, discentes de Odontologia da Uesb, psicólogos e professores de outras instituições de Ensino Superior.

http://www.uesb.br/noticias/pesquisa-da-uesb-sobre-criancas-com-cancer-e-premiada/