Os 40 anos do “Cristo Crucificado”

Carlos A. González No meio da terra árida, com pouca vegetação, ergue-se, magnificente, o Monumento ao Cristo Crucificado, a primeira imagem que surge aos olhos do viajante que está chegando a Vitória da Conquista pela BR-116 (Rio-Bahia interiorana). Erguida na Serra de Periperi, ponto mais alto da cidade, a obra do artista plástico Mário Cravo … Leia Mais


Nova Rádio na cidade: Ministério das Comunicações autoriza funcionamento provisório da Rádio Câmara de Vitória da Conquista

Agora é oficial. Foi publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira, 13, pelo Ministério das Comunicações, a Portaria n.º 879 de 08 de Outubro de 2020, que outorga a Rádio Legislativa de Vitória da Conquista, frequência 90,3 FM, a funcionar em caráter provisório. A emissora de rádio terá a função primordial de levar informações … Leia Mais


Vitória da Conquista registra 100 óbitos causados pela Covid-19

Vitória da Conquista atingiu, neste sábado (29), a marca de 100 mortes causadas pela Covid-19, em seis meses de notificações. O falecimento foi de uma paciente de 68 anos, moradora do bairro Nossa Senhora Aparecida, portadora de Doença cardiovascular. Ela estava internada desde o dia 4 de agosto no Hospital de Clínicas de Conquista (HCC), … Leia Mais


Garrafa, cobre e alumínio velho: morre Carcará

O jornalista Anderson Oliveira noticiou através de seu Blog, o passamento de uma das figuras mais conhecidas da cidade, várias gerações conheceram Roberto Gonçalves da Silva e o seu tradicional refrão ” garrafa. cobre e alumínio velho” era assim que ele ganhava a vida, recolhendo esses utensílios , talvez aí o começo da reciclagem de … Leia Mais


PMs presenteiam bebê com berço em Vitória da Conquista

Essa foi a terceira criança atendida pela campanha ‘Amiguinhos da PM’ A bebê Yasmin Vitória foi presenteada, na sexta-feira (31), com um berço por militares da Patrulha Solidária do Comando de Policiamento da Região Sudoeste (CPRSO/Vitória da Conquista). O móvel foi entregue na casa da família, no bairro Bruno Bacelar, em Vitória da Conquista, região … Leia Mais


Uesb 40 anos: conhecimento para uma vida plena


por Juliana Silva – 02.07.2020


O ano de 2020 está diferente. A pandemia da Covid-19 mudou as relações e o distanciamento social passou a ser regra. A Uesb ficou vazia: sem aulas, sem eventos, sem encontros. Apesar dessa nova realidade, em 2020 a Universidade completa quatro décadas de existência. Um marco muito importante para toda a Bahia.

Em 1980, como resultado da política de interiorização do ensino superior, mais precisamente em 30 de dezembro, a Uesb foi criada. Itapetinga, Jequié e Vitória da Conquista recebiam, então, a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia.

De lá para cá, 47 cursos de graduação foram ofertados e 31 cursos de pós-graduação implantados, responsáveis por formar milhares de pessoas. Assim, a Universidade se tornou referência não só para o estado, mas para todo o país.

O momento pode não ser de festa, mas o corpo acadêmico e administrativo da Uesb está empenhado em seguir desenvolvendo o seu papel de agente de transformação social. Para o reitor da Universidade, professor Luís Otávio de Magalhães, a Uesb vai continuar sendo uma instituição capaz de contribuir para a formação profissional e também cidadã. “Ela vai continuar fazendo essa diferença na vida das pessoas daqui a 40, 100 anos. Espero que a Uesb seja uma instituição que faça parte ad infinitum da vida das pessoas do Sudoeste baiano”, declara o reitor.

 


Uma síntese do que falo e escrevo há mais de trinta anos, sobre o grande Sertão da Ressaca


Sertão da Ressaca é uma área no sudoeste da Bahia, entre o Rio Pardo e o Rio das Contas, onde se localiza a cidade de Vitória da Conquista

Vitória da Conquista, fria, porém acolhedora

Profa. Drª. RITA DE CÁSSIA MENDES
———————————————————-
Vitória da Conquista destaca-se no estado da Bahia como centro regional de comércio e serviços e, particularmente, como polo regional de saúde e educação. Conta com, aproximadamente, 350.000 habitantes, mas, em tempos de normalidade, essa população mais do que duplica no dia-a-dia, graças ao afluxo de pessoas de dezenas de municípios do centro-sul e, mesmo, de regiões mais longínquas do estado da Bahia e até do norte de Minas Gerais.
As pessoas “de fora” vêm para a cidade de Vitória da Conquista em busca de estudos, de serviços de saúde, de centros de compra e de lazer. Os grandes atacados, o comércio de rua e os shoppings centers têm nos “forasteiros” uma parte considerável dos consumidores, que para aqui se dirigem com o objetivo de abastecer suas casas e pequenos comércios locais ou, simplesmente, para satisfazer seus desejos de consumo.
Diariamente passam pela cidade centenas de estudantes de municípios vizinhos que, em ônibus e vans, muitas vezes em situação de absoluta precariedade, procuram, nas instituições de ensino públicas e privadas que funcionam na cidade, uma profissão, um caminho para melhoria da condição de sua própria condição de vida e dos seus. Esses estudantes dão vida às faculdades e universidades e contribuem, por conta própria ou por meio de sistemas de financiamento estatais, para manter os ganhos do setor privado da educação superior.
Mal amanhece o dia, as vans e ambulâncias de outros municípios distribuem, em consultórios, clínicas e hospitais, pacientes que vêm em busca de diagnósticos e soluções para os seus problemas de saúde e que aqui deixam papéis ou recursos, muitas vezes subtraídos da pequena renda familiar, com os quais pagam as consultas, exames e tratamentos. Retornam aos seus lugares no fim do dia, não sem antes deixar algum dinheiro nas farmácias e outros pontos comerciais.
A propalada pujança da economia de Conquista está, pois, estreitamente associada à presença das pessoas que moram em outras cidades, mas que passam por aqui diariamente.
Hoje, quando enfrentamos uma grave crise sanitária, social e humanitária em decorrência da pandemia de Covid-19, querem alguns estabelecer distinção, nos números indicativos de uso dos leitos destinados ao serviço público de saúde, entre os que são da cidade e os que vêm de fora. E pretendem sustentar o projeto de retorno à “normalidade” na pequena presença de moradores da cidade nesses leitos. Escondem, para dar sustentação aos seus argumentos, que o número de leitos foi ampliado exatamente por conta da centralidade de Conquista na oferta de equipamentos e profissionais de saúde.
Atribuir a ocupação dos leitos disponíveis a uma ingerência política externa é ignorar a história do município e a contribuição, constante e importante, dos nossos vizinhos para o funcionamento da economia local e para a vida da cidade. Mas é, principalmente, ignorar o princípio da universalidade que orientou a estruturação do Sistema Único de Saúde (SUS) desde a sua criação.
Seria demais esperar outro posicionamento por parte daqueles que apostam no retorno da normalidade como caminho para a retomada das suas atividades lucrativas. Mas a incorporação desse discurso por parte daqueles que nada têm a ganhar e cujas vidas serão colocadas a prêmio só aprofunda a minha descrença na capacidade de autopreservação da humanidade.
………………
Públicado no Facebook da autora.
Possui Licenciatura em História pela Universidade Federal da Bahia (1987), mestrado em História Social pela Universidade de São Paulo (1996), doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo (2003) e Pós-doutorado em História pela Universidade Federal da Bahia (2016). É docente do do Mestrado em Letras: Cultura, Educação e Linguagens da (Uesb) e do Mestrado em Profissional em Ensino de História na Uesb). Tem experiência de pesquisa e ensino nos campos da História Medieval, História, Leitura e Escrita e em História Social do Trabalho. É editora responsável da Revista Politeia: História.

Pedindo antecipadamente a permissão da professora, que tão bem descreve a necessidade de sermos humanos nesse  belo texto, devo avisar, os “ignorantes” que além das verdades, tão bem postas pela professora Rita,  o Grade Sertão da Ressaca tinha 24.732km2 na sua origem e começava onde hoje é o município de Floresta Azul, terminando na antiga Cachoeira, também conhecida como Imbuíra, onde hoje é o município de Manoel Vitorino e onde morreu João Gonçalves da Costa.

No entanto devo lembrar ainda que, como a professora fala, essa cidade foi formada por pessoas que vieram de outras plagas, através da  sua história, já que os natos foram dizimados  pelos portugueses, portanto pouco importa de onde vem o paciente do coronavírus ou  de qualquer doença, o sistema SUS é público e humanitário, não tem reserva de leitos para ninguém. Quando usei a palavra “ignorantes”, não foi em tom ofensivo, mas por entender que quem se coloca contra  a ocupação dos leitos de maneira universal, naturalmente é porque não conhece o sistema  e assim, ignora sua função. 


A história política foi marcada pelo determinismo de seus protagonistas


Escrito originalmente em 2016

Paulo Nunes e Eny Vargens

No mundo, no Brasil e na Bahia. Foram 176 anos de grandes transformações políticas, de idéias, de choques ideológicos, de revoltas, guerras e de duas grandes conflagrações mundiais que modificaram, substancialmente, o mapa geopolítico do planeta.

O Brasil acompanha a inquietude política. Experimentou o auge do Império e as adversidades da República Velha, uma marcante “Revolução” em 1930; a “redemocratização” em 1946 e novo corte institucional em 1964, até voltar à normalidade democrática. A Bahia viveu os traumas e as vitórias dessas transformações, e Conquista, por tabela, foi junto.

 

 

os-coroneis
Esses homens decidiram os destinos políticos, sociais e econômicos de Conquista

O primeiro Intendente Municipal de Conquista foi Luiz Fernandes de Oliveira. Quando no dia 09 de novembro de 1840 foi instalada a Vila e Município, com o nome “Imperial Villa da Vitória”, os conselheiros elegeram-no Presidente do Conselho Municipal (atual Câmara de Vereadores). Na época (do Império) o Presidente do Conselho tinha atribuições administrativas com o título de “Intendente”, que era o chefe do Executivo.

Depois de Luiz Fernandes de Oliveira (pai do coronel José Fernandes de Oliveira Gugé) até 1892, não se sabe quais foram seus sucessores. Embora haja na História um relato da eleição do capitão José Nunes Bahiense como eleito intendente para o período de 1861 a 1865. Uma grande luta política travada, ordens do governo estadual para manter o governo de Bahiense, mas não se sabe se foram obedecidas e também quem o sucedeu. ( mais adiante eu conto essa história)

Intendentes

No Regime Republicano, o primeiro Intendente Municipal foi o Cel. Joaquim Correia de Melo, eleito por um colegiado de cinco membros do Conselho Municipal. Governou de janeiro de 1892 a dezembro de 1895, confirmado no cargo pelo então Governador do estado J.M. Rodrigues Lima.

O segundo Intendente te foi o Cel. José Antônio de Lima Guerra, oficial da Guarda Nacional; era correligionário e seguidor político do Cel. Pompílio Nunes. Foi eleito intendente e governou de janeiro de 1896 a dezembro de 1899 e, nomeado, continuou no cargo durante o período de janeiro de 1900 a dezembro de 1903. O Cel. Gugé fazia-lhe oposição.

O terceiro Intendente foi Estevão José Santos Silva, empossado no cargo em 1904, governando o município no biênio 1904/1906. Sucedeu-lhe o Bacharel em Direito João Diogo de Sá Barreto, que governou de 1906 a 1908. Era genro de Cel. Gugé. Depois dele veio e Cel. José Maximiliano Fernandes de Oliveira, que governou até dezembro de 1911.

Depois de Maximiliano Fernandes, foi eleito pelo povo (em eleição realizada no dia 12 de novembro de 1911), o Cel. José Fernandes de Oliveira Gugé, que governou de janeiro de 1912 a dezembro de 1915. Sucedeu-o o seu genro Leôncio Satyro dos Santos Silva, que assumiu a Intendência em janeiro de 1916. No dia 03 de janeiro de 1919 (antes de completar o mandato de quatro anos) foi compelido a renunciar ao cargo, pela facção política oposicionista (os “Meletes” ), depois da luta Armada entre “Meletes e Peduros”. Substituiu-o o Cel. Francisco da Silva Costa, exercendo o cargo até a nomeação de Ascendino dos Santos Melo. A luta terminou no dia 22 de janeiro de 1919, consolidando a vitória das “Peduros”, nomeando, então, o Cel. Ascendino Melo para o cargo de Intendente, líder da facção, e apoiado pelo Governador Antônio Ferrão Muniz de Aragão, completando o mandato até dezembro de 1919.

Logo em seguida assumiu a Intendência Jesulindo de Oliveira em janeiro de 1920, ficando no cargo menos de um mês, voltando a Cel. Ascendino Melo, que terminou indo até agosto do mesmo ano, quando foi eleito pelo povo (como candidato único) para completar o biênio 1920/1921.

Sucedeu o Cel. Ascendino Melo, outro Cel., Paulino Fonseca, eleito para o cargo no dia 11 de novembro de 1921. Tomou posse em janeiro de 1922, renunciando o cargo meses depois. Substituiu-o Agripino da Silva Borges, para o biênio 1922/1923. Em seu lugar assumiu o Cel. Justino da Silva Gusmão, que dirigiu o município de janeiro de 1924 a dezembro de 1925. Em novembro de 1925 foi eleito o Cel. Paulino Fernandes dos Santos Silva, para o biênio 1926/1927. Em novembro de 1927 foram realizadas eleições municipais em todo o Estado, sendo eleito Intendente de Conquista Otávio José dos Santos Silva, que deveria governar de janeiro de 1928 a dezembro de 1931. Antes, porém, foi deposto pelos “revolucionários” adeptos do Movimento de Outubro de 1930. Assumiu provisoriamente o seu lugar Bruno Bacelar de Oliveira, sendo o último dirigente municipal com o título de “Intendente”. (mais…)


Morre Valdelice Domettino de Castro


É com profundo pesar que comunicamos o falecimento, vítima de infarto, no dia 04 de Julho em Feira de Santana de Valdelice Demettino Castro, 82 anos, que foi professora na Escola Normal até aposentar-se. Era viúva de Gildo Barbosa Castro com quem teve 05 filhos, Zanoni, Magally, Helania, Maione e Liriam e deixou seis netos e dois bisnetos. Pela situação de pandemia, seu corpo será cremado no cemitério Campo Santo em Salvador e futuramente suas cinzas serão depositadas no jazigo da família no Cemitério da Saudade em Vitoria da Conquista.


Morre Valeriano Severino ( ex- gerente do Banco do Nordeste)


Faleceu na manhã desta 6ª feira (3), no Hospital Samur de Vitória da Conquista, Valeriano Severino de Almeida. Ele estava em tratamento de um câncer.

Valeriano, trabalhou no Banco do Nordeste da cidade de Vitória da Conquista e chegou ao cargo de gerente, lá foi colega de trabalho do ex-deputado Coriolano Sales(1943-2018) nos anos dois mil, ambos aposentados do banco, começaram a luta para implantação de cooperativas de crédito na região de Vitória da Conquista, organizaram então a CREDICON, que é o maior sucesso entre as cooperativas implantadas da cidade pelo ex-deputado. A experiência bancária de Valeriano, foi uma das razões do sucesso da cooperativa que hoje, se transformou num grande Banco de fomento ao comércio e a indústria de Vitória da Conquista.

O sucesso da Credicon sob a gerência de Valeriano, foi tão grande que foi possível transformar a cooperativa dos comerciantes em um banco, hoje chamado de CrediConquista
Antecedentes:


No princípio, uma pequena semente atirada à chuva, pouca luz de sol. No chão de sótão da “Street” (Loja de confecções na Travessa Adriano Bernardes, no centro de Vitória da Conquista). Pena assentando meia dúzia de nomes. Numa aldeia de sonhar, é proibido temer. Num oceano de descrença, é preciso coragem para remar.Primeiras mãos estendidas: Falcão, Hernani, Anilton, José Aliomar, entre outros. E os operários da esperança: Valeriano, Belice, Benedito, Marcos Alberto e Thiago. Sobre velhas cadeiras de vime, ao som do tac-tac datilográfico de uma centenária máquina de escrever, assentou-se a certidão de nascimento da cria, batizada de Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Comerciantes de Confecções de Vitória da Conquista, nome pomposo para uma tabuada que não contava mais que R$ 14 mil. Achegaram-se para o batismo mandatários, autoridades e homens do povo. No modesto escritório da Ernesto Dantas, a visão prospectiva do Deputado Coriolano Sales, associativista nato, aninhando no ventre do chão conquistense, a semente robusta do cooperativismo de crédito. Primeiros passos, voo rasante. Arranchou-se na Rua do Triunfo, no Prédio da CDL. Tomou fôlego e se estabeleceu na Rua Monsenhor Olímpio, 1º andar do Edifício Scala Fashion. Ali, cresceu e criou asas, tornou-se referência. “Vamos à CREDICON!”, dizem, orgulhosos, seus donos. Hoje, perto de 400. Um rasgo de sorriso, um viés de conforto, um aceno de cetim. Assim se tecia cada dia, no pronto atendimento. 20, 50, 200, 500 e as cifras se multiplicando, até chegarem perto de R$ 1.500.000,00 de patrimônio.
Hoje:


Hoje, a CREDICONQUISTA já é uma cooperativa de Livre Admissão. Sendo assim, já não faz sentido uma frase do hino à antiga cooperativa que dizia: “CREDICON, CREDICON, tuas asas feito leque acolhem: a modista, o alfaiate, o ambulante, o lojista”. Todos ligados ao segmento de confecções. As portas do SICOOB Crediconquista estão abertas de par em par a todos os que se achegarem, sem acepção de segmento produtivo. Só um verso continua valendo pela sua pertinência: “O que aqui se gera aqui se investe”. Este slogan tem uma extensão sócio-econômica incalculável. Basta que se atente para o alcance da sua afirmação.
Valeriano era nosso amigo pessoal, por várias vezes íamos a sua loja com um cheque de algum cliente da cooperativa, na maioria das vezes fora do horário bancário, ele dizia, vou lhe pagar aqui, depois eu desconto lá, eu dizia e se não tiver fundos, ele dizia, eu perco e pronto, mas não posso deixar de servir, essa amizade contínua, fez com que ele pedisse a nossa participação para a festa de Julho de 2019 quando o Banco e notadamente Valeriano, prestaram uma grande homenagem ao autor intelectual da CREDICON, Coriolano Sales.
No entanto o nosso amigo que se foi hoje, era antes de tudo um trabalhador e narrou a nós a história que lhes contamos agora: ” Paulo Nunes, meu pai não era rico, mas tinha umas 400 cabeças de gado na fazenda em Encruzilhada, porém, não dava moleza para os filhos, nunca aceitou vender uma vaca para nos dar o dinheiro, eu vim para Vitória da Conquista e trabalhava em serviços gerais, fazia tudo que pudesse me render algum dinheiro e aos 16 anos, junto com um irmão, apliquei todo o assoalho da primeira Igreja Batista, trabalhávamos dia e noite, não me arrependo,mas foi um trabalho duro”. completou dizendo:” Sei da sua memória, um dia, quando você for contar a história de Vitória da Conquista sei que vai lembrar de contar essa história que acabei de lhe dizer, pois a considero a maior de todas que vivi”. O livro eu não sei se farei,mas infelizmente conta a história que ele gostava, sem que ele possa vê-la no livro. Enfim meu amigo, descanse em paz.

O funeral acontece nesta sexta-feira (3) com acesso restrito em decorrência do Decreto Municipal durante a Pandemia da COVID-19. Valeriano deixa a mãe, esposa, filhos e milhares de amigos


Com segurança e cuidados com a higiene, avião da Gol acaba de pousar no aeroporto Glauber Rocha


O Nordeste do País é contemplado com o retorno das operações regionais nas cidades de Vitória da Conquista e Barreiras, na Bahia, além da volta de algumas rotas e o aumento da oferta de decolagens em capitais e no interior. Este avião da Gol acabou de pousar no  aeroporto Glauber Rocha em Vitória da Conquista, transportando 180 passageiros,  Os passageiros embarcara em São Paulo, onde passaram por um rigoroso controle de saúde, mesmo fato  ocorre agora em Vitória da Conquista. O empresário José Maria Caires da Maxtour nos informa sobre o controle de qualidade na viagem que reabre o aeroporto de Vitória da Conquista, após três meses do fechamento em virtude da pandemia que assola o país e ceifou  mais de 60 mim, vidas.


Nordeste ganha ampliação na malha aérea de julho da GOL


A GOL retornará  a operação em Vitória da Conquista (BA), nesta quarta-feira (01.07), e o aeroporto promoverá um “batismo” com jatos de água sobre a aeronave, na chegada do voo G3 1752 às 11h30.

Companhia retoma as operações de Vitória da Conquista e Barreiras, na Bahia, restabelece novas rotas e reforça a conectividade do Nordeste com capitais e interior do País

Em resposta ao ligeiro crescimento da demanda por voos no País e à necessidade de atender cidades que dependem do recebimento de cargas de emergência durante a crise do coronavírus, a GOL Linhas Aéreas, maior Companhia aérea doméstica nacional, com quase 20 anos de história, anuncia a ampliação de sua malha aérea para julho. Serão 250 voos diários que atenderão 100 diferentes mercados brasileiros, um importante reforço no poder de conectividade da nova malha, que entra em vigor no dia 1.º e segue até o fim do mês.

O Nordeste do País é contemplado com o retorno das operações regionais nas cidades de Vitória da Conquista e Barreiras, na Bahia, além da volta de algumas rotas e o aumento da oferta de decolagens em capitais e no interior.

Nessa manhã de 1 de julho, a volta da Gol ao Aeroporto de Vitória da Conquista

No hub da GOL, no Aeroporto de Fortaleza, no Ceará, serão retomadas quatro rotas, ligando a capital cearense aos seguintes destinos: Salvador (SSA), Manaus (MAO), Teresina (THE), Belém (BEL) e São Luis (SLZ). O terminal ainda será contemplado com reforço nas decolagens para Brasília (BSB), Guarulhos (GRU), Galeão (GIG) e Recife (REC).

Já o Aeroporto de Brasília volta a ser um dos principais hubs da GOL, passando a se comunicar com seis capitais do Nordeste: Maceió (MCZ), São Luiz (SLZ), Natal (NAT), João Pessoa (JPA), Aracaju (AJU) e Teresina (THE), todas operando com uma decolagem diária, de domingo à sexta.

Destacando sua força no mercado regional, em julho a Companhia ainda volta a atender novas bases no Nordeste. Em Vitória da Conquista (VDC), na Bahia, a empresa retoma as operações com destino para Guarulhos (GRU), em São Paulo, e para Salvador (SSA). E a partir de 13 de julho, a Companhia, em acordo com a VOEPASS, realizará decolagens para Barreiras (BRA), conectando o município baiano à Capital Federal. Além disso, haverá ampliação das ofertas de voos de Juazeiro do Norte (JDO), no Ceará; na base de Petrolina (PNZ), em Pernambuco; Porto Seguro (BPS) e Ilhéus (IOS), na Bahia, todas com destino para Guarulhos.

No Aeroporto Internacional do Recife (REC), em Pernambuco, terá a ampliação nas operações para Fortaleza (FOR), Galeão (GIG), Brasília (BSB) e Salvador (SSA), com dois voos diários. A Companhia também reforça para quatro frequências diárias a rota Recife/São Paulo, com partidas para Guarulhos (GRU) e Congonhas (CGH).

Na Bahia, o Aeroporto de Salvador (SSA) volta a se conectar com João Pessoa (JPA), Fortaleza (FOR), Natal (NAT), Vitória (VIX), Confins (CNF) e Santos Dumont (SDU). A GOL também inicia dois destinos inéditos em Salvador para os aeroportos de Vitória da Conquista (VDC), na Bahia, e de Viracopos (VCP), em Campinas, além de ampliar a oferta na rota Salvador/Recife, com duas saídas diárias.

Em Natal (NAT), no Rio Grande do Norte, e em João Pessoa (JPA), na Paraíba, a GOL restabelece suas rotas para Brasília e Salvador, além de incrementar a oferta de voos para Guarulhos, em São Paulo, e Galeão, no Rio de Janeiro.

Outra novidade de julho é que o Aeroporto de São Luiz (SLZ), no Maranhão e de Teresina (THE), no Piauí, retornam com decolagens para as cidades de Fortaleza e Brasília. E também ganham reforços nas frequências para São Paulo (GRU).

Em comparação com a malha de junho, que abrangia 100 voos diários, a operação de julho representa um aumento de 170% nas decolagens da Companhia – um índice que atende plenamente aos atuais anseios dos Clientes, mas ainda tímido frente à potencialidade da empresa, hoje atuando com apenas 30% de sua capacidade, ou seja, uma retração de 70% frente ao mesmo período no cenário pré-Covid-19.

“O transporte aéreo é um serviço essencial para o País, principalmente em um momento como o atual. Na GOL, a demanda dos Clientes é parte da importante decisão de oferecer o serviço de uma rota, sempre levando em conta as medidas de Segurança, em conformidade com os órgãos competentes tanto no Brasil como no exterior”, afirma Celso Ferrer, vice-presidente de Operações da GOL.”, afirma Celso Ferrer, vice-presidente de Operações da GOL.

Os bilhetes para o mês de julho estão disponíveis e podem ser adquiridos no site www.voegol.com.br, no aplicativo da Companhia, nas lojas GOL nos aeroportos, pelo telefone da Central de Relacionamento, 0300 115 2121, e nas agências de viagem.

Para ter acesso a todos os destinos, dias e horários que compõem a malha aérea de julho da GOL, clique em: https://www.voegol.com.br/pt/informacoes/voos-gol

Medidas de Segurança

A GOL, neste período de pandemia, tem como objetivo maior que todos a bordo tenham uma experiência segura e agradável no espaço compartilhado que caracteriza uma aeronave.

Todos os procedimentos regulares foram reforçados, além dos já rígidos padrões de sanitização da aviação civil estabelecidos pelos órgãos responsáveis, alinhados com as recomendações da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI), Organização Mundial da Saúde (OMS), Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA), Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). (mais…)