Danilo Kiribamba critica crise nas unidades de saúde do município

Durante a Sessão Ordinária desta quarta-feira, 18, o vereador Danilo Kiribamba (PCdoB) começou seu pronunciamento cobrando o asfaltamento de três ruas na Vila Oeste, atrás do campus do IFBA, as únicas que ainda não receberam pavimentação. Kiribamba também criticou a prefeitura ao dizer que nas grandes ações do município, que transitam pela Câmara, há uma … Leia Mais


Viviane rebate críticas e diz que Bancada de Oposição trabalha com responsabilidade

Viviane rebate críticas de colega e diz que Bancada de Oposição trabalha com responsabilidade A vereadora Viviane Sampaio (PT) iniciou seu pronunciamento na manhã desta quarta-feira, 17, durante a sessão ordinária realizada na Câmara Municipal, explicando o significado das palavras hipocrisia e responsabilidade, em resposta à fala de um colega vereador: “Trouxe o significado dessas … Leia Mais


Governo Pereira dá calote em fornecedor de quentinha


Somente a Secretaria de Saúde deve R$ 80 mil, diz o empresário.

 

O empresário Jurandy Oliveira esteve na Câmara de Vereadores, na manhã desta quarta-feira (04), denunciando o não pagamento de serviços contratados e não pagos pela Prefeitura de Vitória da Conquista. Ele procurou alguns vereadores para que pudessem interceder junto a prefeitura para que os débitos fossem quitados.

“Muita demanda, muito trabalho e pouco pagamento… Tem caso que desde 2018 eu não recebo do município. Minha empresa é de pequeno porte. Sendo uma empresa de pequeno porte, tomando um desfalque financeiro, deixar de repor sua mercadoria, pra atender até o próprio município, mesmo. Então, não tem condições de trabalhar…”, declarou Jurandy.

Segundo o Jurandy, somente da secretaria de saúde o débito médio é de R$ 80 mil. Ele ainda reclama que está perdendo trabalho por causa do prejuízo, pois perdeu capital de giro. O empresário também revelou que outros empresários enfrentam o mesmo problema.

Jurandy diz que sempre cobra o débito: “Diz que vai pagar, todo dia vai pagar, todo dia muda de secretário”.

O vereador Valdemir Dias denunciou o caso durante pronunciamento na Câmara. O edil afirmou que não falta dinheiro para pagar os grandes e os contratos sem licitação, mas deixa pequenos empresários no prejuízo./ Blitzconquista


“A saúde de Conquista está doente”, diz ex-vereador ao relatar problemas nas UBSs e Hospitais do município


A falta de medicamentos em postos de saúde de bairros como o Ibirapuera e a ausência de recursos para a realização de cirurgias eletivas na Clínica Santa Clara foram algumas das denúncias feitas pelo ex-vereador Antônio Ricardo Babão em sessão ordinária da Câmara Municipal de Vitória da Conquista dessa última quarta-feira, 28. Segundo Babão, que fez uso da tribuna livre, “a saúde de Conquista está doente”.

Foto: CMVC

Apesar de parabenizar a administração municipal por ter alugado uma casa no bairro Ibirapuera para funcionar como posto de saúde, ele ressaltou que o espaço, ainda que ofereça conforto, não tem remédios nas prateleiras e nem mesmo internet para marcar consultas. “Tem quase três meses que não funciona internet por lá. Não tem Ibuprofeno,Amoxicilina, Dipirona, Omeprazol, imagine aí. E eu só estou citando os remédios mais simples que são usados no dia a dia”, disse.

Nova sede do Posto do bairro Ibirapuera

Sobre a denúncia relacionada à Clínica Santa Clara, que, assim como a Unimec, estaria há três meses sem realizar cirurgias eletivas, Babão destacou a necessidade de assinatura de contrato com a Prefeitura Municipal para sanar o problema. O mesmo, segundo ele, vale para a Santa Casa, “que, às vezes, não faz atendimentos por falta de pagamentos”, acrescentou.

Medicamentos vencidos–  Recentemente foi denunciada também, pela Comissão de Saúde da Câmara, a existência de  medicamentos vencidos no almoxarifado central da Prefeitura e a falta de remédios de uso contínuo da população. A denúncia foi feita após fiscalização realizada no dia 22 deste mês pelos vereadores Viviane Sampaio (PT) e Cícero Custódio (PSL), membros da Comissão.

Foto: CMVC

 


Câmara busca intermediação entre sindicatos e prefeitura sobre aumento salarial


No final da manhã desta quarta-feira, 14, representantes do Simmp, Sindacs e Sinserv, estiveram na Câmara para uma conversa com o legislativo sobre o reajuste salarial dos servidores da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista.

Na oportunidade, estiveram presentes os vereadores Nildma Ribeiro (PCdoB), Fernando Jacaré (PT), Viviane Sampaio (PT), Jorge Bezerra (SD) e o presidente do legislativo, Luciano Gomes (PL).

A reunião aconteceu após a audiência pública realizada na Casa do Povo na última terça-feira (13), quando os representantes dos sindicatos puderam mais uma vez manifestar suas reivindicações e pedir aos vereadores para mediar as negociações com a prefeitura, já que os secretários se negam a recebê-los.

Ao final da reunião, ficou acordado que o líder do Governo na Câmara, vereador Jorge Bezerra, entrará em contato diretamente com a Secretaria de Administração e com o Prefeito Herzem Gusmão (MDB) para que as negociações avancem. Até a próxima segunda-feira (19), sindicatos e vereadores devem realizar uma nova rodada de discussões.


Câmara reúne sindicatos municipais para discutir campanha salarial


Imagem Câmara reúne sindicatos municipais para discutir campanha salarial

Na manhã dessa terça-feira, 13, a Câmara Municipal de Vitória da Conquista realizou uma audiência pública que discutiu a campanha salarial dos servidores municipais, proposta pelos vereadores Valdemir Dias e Viviane Sampaio, ambos do PT e aprovado por todos os demais parlamentares. Além deles, o Professor Cori (PT), Fernando Jacaré (PT) e Cícero Custódio (PSL) também se fizeram presente na discussão, junto com representantes do Sindacs, Simmp, Sinserv, OAB e conselho municipal de saúde.

A vereadora Viviane Sampaio (PT) presidiu a audiência e ressaltou a importância desse momento e lembrou que todos precisam estar unidos para lutarem pela valorização do servidor.  Ela agradeceu a presença de todos e colocou a Casa do Povo a disposição das classes para acompanhar todas as discussões a cerca da campanha salarial.

Existe orçamento para o aumento dos servidores – O vereador, Professor Cori (PT) foi o primeiro a fazer uso da tribuna durante a audiência  e aproveitou para apresentar dados sobre o orçamento do governo municipal entre os anos de 2018 e 2019 e explicou que, baseado nos dados do orçamento “o governo só não dá o aumento ao servidor se não quiser”. Lembrou que quando foi secretário de educação foi convidado quatro vezes para participar de discussões salariais e esteve presente em todas e que é preciso participar das discussões e que a valorização do servidor é uma luta permanente. “Falta técnico para fazer a folha do município. Para discutir, olhar contracheque e fazer individualmente de cada servidor”, falou. Completando que “ser secretário não é sentar na cadeira e alisar a cadeira. Não é status é trabalho”. Cori lembrou de todos os atos realizados como secretário de educação do município, como reformas de escolas, valorização e planos de carreira para os professores e servidores da educação: “agora nem a valorização do servidor da educação, que é lei, eles estão cumprindo”. E finalizou lembrando que “ou o orçamento está errado, ai não é culpa da Câmara ou a arrecadação está sendo frustrada e não estão divulgando” e provocou os participantes lembrando que “enfrentei duas greves, tudo que fazíamos tinham um questionamento. Tá todo mundo calado, não tem discussão. Não tem movimento. O silêncio dos bons me preocupa”.

Ausência da Prefeitura – Vice-presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sinserv), José Marcos lamentou a ausência do Governo Municipal na discussão. “A gente chega pensando que o governo iria estar aqui na Mesa e o Governo não tem compromisso nenhum com o servidor municipal”, apontou ele. A ausência de alguns vereadores também chamou a atenção do sindicalista. Ele disse que os parlamentares ausentes demonstraram que não estão preocupados com a situação dos servidores.  Ainda em seu pronunciamento, José Marcos ressaltou que não se trata de campanha político-partidária, mas de uma campanha pela valorização do servidor público. “A gente não está aqui fazendo campanha política. Não dá mais pra aguentar isso”, reclamou ele da falta valorização dos trabalhadores por parte da Prefeitura Municipal.

Servidores estão de “saco cheio” – A representante do Simmp, Ana Cláudia, afirmou que o prefeito ficou nas promessas que fazia quando era apenas radialista. “A maioria acreditou e aí está”, disse. Ela explicou que o secretário de Administração, Kairan Rocha Figueiredo, prometeu participar da audiência e apresentar dados solicitados pelo sindicato, mas nenhum representante da Prefeitura compareceu.  Segundo a sindicalista, os servidores estão de “saco cheio” do tratamento dispensado à categoria pela gestão municipal. Além da falta de reajuste salarial, Cláudia afirmou que os servidores vêm sofrendo ameaças, perseguição e desrespeito. Segundo ela, a prefeitura não repassou reajustes do Governo Federal, concedidos em 2018 e 2019 e se recusa a reconhecer o direito de gratificação por nível de pós-graduação, apesar de existir uma lei que regula essa situação. Ela frisou que culpar a gestão passada ou a crise econômica não resolve a situação dos servidores.

Luta de classe ainda é transformadora de uma sociedade – Rita Suzana representante do Sindicato dos Agente Comunitários de Endemias – Sindacs agradeceu aos vereadores por terem atendido o pedido dos sindicatos e realizarem a audiência. Ela lamentou a falta de vereadores na audiência e lembrou que os agentes comunitários são liderança na comunidade deles. “Estamos em todas as comunidades, até onde a polícia não consegue chegar”. Afirmou que alguns gestores e vereadores não querem ser vistos com sindicalistas. “Somos multiplicadores e formadores de opinião por isso vamos começar mudando nossos representantes”, clamou. Lembrou que o governo municipal está valorizando apenas aqueles que ocupam cargos comissionados: “Nós vamos ficar e só estão valorizando quem vai sair. Nossos gestores estão equivocados com a valorização, isso precisava ser melhor dividido”, lamentou. Rita finalizou dizendo que “não estamos silenciados por falta de coragem, é por estamos sendo perseguidos. Precisamos sustentar nossa família, recebemos entre um salário, um salário e meio e qualquer coisa que tira faz falta” e convocou que os servidores se movimentem. “A luta de classe ainda é transformadora de uma sociedade e vai continuar sendo”.

(mais…)


“Barrigada” Não houve cancelamento de voo por falta de visibilidade no aeroporto Glauber Rocha


 

“Vale ressaltar que desde o início das operações no Aeroporto Glauber Rocha – SBVC, não consta nenhum voo cancelado das empresas aéreas em nosso Banco de Informações de Movimento de Tráfego Aéreo”, disse a Socicam, empresa que administra o aeroporto.

O equívoco teria ocorrido por causa do atraso de um voo da Passaredo. Os passageiros foram informados no aeroporto de Salvador, equivocadamente, que o voo atrasaria por conta do mau tempo em Conquista. Segundo apurou o site Blitz Conquista, o atraso ocorreu por suposto questões técnicas da empresa. Inclusive, a Azul e a Gol realizaram procedimentos durante a madrugada com o tempo desfavorável.

Mesmo com baixa visibilidade, o novo aeroporto tem uma possibilidade maior para realização e procedimentos. De acordo com a Socicam, “atualmente os procedimentos de pouso permitem uma aproximação segura, com nuvens de até 250 (pés), ou seja, 76 (metros) de altura, sendo que no antigo aeroporto de Vitória da Conquista, eram até 700 (pés) / 213 (metros) de altura”.

A instalação do ILS

O contrato firmado entre a Socicam (empresa que administra o aeroporto Glauber Rocha) e o Governo do Estado, realizado após processo licitatório, prevê que a empresa instale o ILS – Instrument Landing System (sistema de pouso ou aterragem por instrumentos) – sistema de aproximação por instrumentos, que dá uma orientação precisa ao avião que esteja na fase de aproximação final duma determinada pista. Com esse sistema, somente em situações críticas procedimentos de pousos e decolagens devem ser suspensos. Entretanto, o contrato prevê que o equipamento seja instalado até o terceiro ano de administração do aeroporto. Portanto, o ILS deve ser instalado até 2022, caso não haja aditivo contratual que acorde a implementação antecipada do equipamento.

Segundo apurou o BLOG DO PAULO NUNES, o veículo de comunicação que originalmente noticiou o bota irá fazer a retratação devida em nome do bom jornalismo.


Noeci Salgado quer presidir o PT de Vitória da Conquista


O que ocorre é que a militância quer tanto quanto ele, a vontade de uma mistura com o querer do outro, e o Partido dos Trabalhadores poderá ter a sua frente, em substituição ao atual presidente, o jovem advogado Rudival Maturano, um nome “raiz”, um filiado que poderíamos dizer “este pegou na enxada e no facão”, participou efetivamente da fundação da sigla no início dos anos 80.

Sem demérito ao Rudival que, diga-se de passagem, é um nome respeitado dentro das diversas correntes. A sua presença como condutor dos filiados durante a gestão que está próxima a findar foi pela necessidade que o staff composto por estrelas de brilho mais intenso sentiu de que precisava renovar, só que agora boa parte dos petistas quer colocar o pé no chão, quer ver o partido caminhando sob nova direção, e enxerga em Noeci um nome que remete a origem, com cheiro de terra, com gosto de zona rural. Percebe-se uma lembrança de Zé Novaes.

Dentro desta análise, uma presença no último sábado quando o partido esteve reunido, foi a do deputado Valmir Assunção, parlamentar bastante ligado ao homem do campo e em especial ao MST. “O nosso partido não para de reunir, somos assim. Nesta reunião não discutimos candidaturas a prefeito, só tratamos da renovação do novo quadro dirigente”, salienta o psicólogo Ricardo Alves, que também é assessor parlamentar do vereador Valdemir Dias. Ele faz parte daqueles que apostam na unidade do partido para as próximas eleições municipais. Ele joga no time de Jânio Freitas e Júlio Oliveira. “O próximo presidente do PT municipal será um dos responsáveis pela escolha do candidato à prefeito de Conquista”, avisa Ricardo.

Lucinha, candidata à presidência do PT estadual, participou do encontro realizado na sede do partido em Vitória da Conquista.


Faltou civilidade e respeito ao povo na inauguração do aeroporto Glauber Rocha


 

Vereador Coriolano Moraes

A inauguração do aeroporto Glauber Rocha foi marcada pela falta de civilidade de homens públicos que deveriam se comportar com espírito republicano em nome do povo que os elegeram. O aeroporto não é um equipamento construído por um só Governo, vários foram os gestores que de alguma forma se empenharam para a realização desta obra: municipal, Pedral Sampaio, Guilherme Menezes e Herzem Gusmão; estadual, Jacques Wagner e Rui Costa; federal: Dilma Rousseff, Michel Temer e Jair Bolsonaro. Mas o que se viu, foi uma inauguração realizada para poucos, apenas com alguns convidados pelo Governo Federal e Municipal, e ficaram de fora os que verdadeiramente lutaram para que essa obra fosse realizada. O exercício da democracia no século XXI requer uma postura de civilidade dos governantes. Não dá para aceitar que a Agência Nacional da Aviação Civil – ANAC, liberasse o pouso do avião do Presidente da República e negasse o pouso do avião do Governador, na mesma pista, como foi divulgado na Imprensa local. É inaceitável que o Prefeito enviasse convite para os vereadores da sua bancada e o presidente da Câmara Municipal, e deixasse de fora os demais Vereadores. A área, a criação do distrito aeroportuário, a realização da audiência pública, entre outras coisas, foram feitos  projetos e aprovados pela Câmara de Vereadores. É inadmissível não pensar Vitória da Conquista como capital regional, deixando de convidar grande parte dos prefeitos dos municípios do sudoeste baiano. Assim como, entende-se que deveria ter sido garantido a proteção do povo pela Polícia Militar. Absurdo, saber que não foram convidados os representantes do “Movimento Conquista pode voar mais alto”, também responsáveis por contribuir na mobilização social para a construção do aeroporto. Não dá para aceitar que o Presidente, o Prefeito e sua comitiva de convidados utilizassem o espaço nobre reservado para inauguração, e que a população que pagou a conta deste projeto ficasse de fora. Foi do suor do povo que foi retirado cada centavo utilizado nas desapropriações das terras, na construção da pista, terminal e vias de acesso, como também nas despesas da inauguração. O fato é que a população ficou longe, isolada e separada por grades, na mira de atiradores de elite, sob o pretexto da “segurança” do presidente. (mais…)