Primeiro-ministro britânico Boris Johnson diz que está com coronavírus

O primeiro-ministro britânico, Boris JohnsonChatham House O primeiro-ministro do Reino Unido Boris Johnson, de 55 anos, está com covid-19 –doença causada pelo novo coronavírus. É o 1º chefe de Estado das principais economias do mundo a ser infectado com a doença desde o início da crise. O anúncio oficial foi feito em 1 vídeo publicado … Leia Mais


Teste de príncipe Charles para coronavírus dá positivo

Até esta quarta-feira (25), o Reino Unido tinha pouco mais de 8 mil casos confirmados do novo coronavírus e cerca de 420 mortes Príncipe Charles: Charles está no castelo de Balmoral, uma das residências da família real, na Escócia, com sua esposa Camila Shand, (/Getty Images) Herdeiro do trono britânico, o príncipe Charles foi diagosticado com … Leia Mais


Embaixador da China exige pedido de desculpas de Eduardo Bolsonaro

Fake news sobre coronavírus abre crise diplomática Yang Wanming@WanmingYang A parte chinesa repudia veementemente as suas palavras, e exige que as retire imediatamente e peça uma desculpa ao povo chinês. Vou protestar e manifestar a nossa indignação junto ao Itamaraty e a @camaradeputados. @BolsonaroSP @ernestofaraujo @RodrigoMaia 11,9 mil 21:55 – 18 de mar de 2020 Informações … Leia Mais


Papa e Lula: encontro ‘para conversar sobre um mundo mais justo e fraterno’

Ex-presidente foi recebido pelo líder da Igreja Católica, em sua primeira viagem internacional em quatro anos São Paulo – Em sua primeira viagem internacional depois de mais quatro anos, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foi recebido pelo papa Francisco, para discutir o combate à desigualdade. O encontro foi realizado pouco antes das 16h (horário … Leia Mais


Irã reconhece ter derrubado avião de passageiros ucraniano por “erro humano”

“Um dia triste. Conclusões preliminares da investigação interna das Forças Armadas: O erro humano em tempos de crise causado pelo aventureirismo dos EUA levou ao desastre. Nossos profundos arrependimentos, desculpas e condolências ao nosso povo, às famílias de todas as vítimas e a outros afetados”, afirmou o chanceler Mohammad Javad Zarif Local da queda do … Leia Mais


Trump mandou assassinar outro general do Irã, mas operação falhou


Além do general Qassim Suleimani, os EUA tentaram assassinar outro comandante militar iraniano, Abdul Reza Shahlai, mas a operação falhou

Tropas norte-americanas vão se retirar do Iraque
Tropas norte-americanas vão se retirar do Iraque (Foto: Reuters)

Autoridades dos Estados Unidos afirmam que o general Qassim Suleimani não foi o único alvo da ação norte-americana. a mando do presidente Donald Trump, forças militares norte-americanas atacaram outro comandante militar iraniano no Iêmen, Abdul Reza Shahlai.

A operação para assassinar o comandante, no entanto, falhou, disseram autoridades dos Estados Unidos, segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo.

Detalhes sobre a operação contra Shahlai foram mantidos em sigilo. Embora sua morte tenha sido relatada por algumas contas de mídias sociais, oficiais dos EUA disseram que ele ainda está vivo.


“Trump me pediu para mediar com o Irã e depois assassinou meu convidado”, diz Primeiro Ministro do Iraque


A declaração do primeiro-ministro iraquiano em exercício, Abdul-Mahdi, destrói a alegação dos EUA de que eles tomaram “ação defensiva decisiva” para impedir um ataque supostamente orquestrado pelo general iraniano Qasem Soleimani

Primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul Mahdi
Primeiro-ministro do Iraque, Adel Abdul Mahdi (Foto: REUTERS/Khalid al-Mousily)

O primeiro-ministro iraquiano em exercício, Adel Abdul-Mahdi, recomendou que tropas dos Estados Unidos saiam do país. Em discurso ao Parlamento, Abdul-Mahdi afirmou que o general iraniano Qasem Soleimani tinha viajado para Bagdá com o objetivo de entregar uma mensagem do Irã à Arábia Saudita sobre uma proposta para diminuir as tensões na região.

Soleimani deveria se encontrar com o primeiro-ministro na manhã em que foi assassinado. As informações foram publicadas no Et Urbs Magna.

A revelação destrói a alegação dos EUA de que eles tomaram “ação defensiva decisiva” para impedir um ataque supostamente orquestrado por Soleimani.

O assassinato pode gerar conflitos de proporções incalculáveis, até porque o Irã disse que não vai mais respeitar limites para o enriquecimento de urânio.

Por sua vez, o Itamaraty afirmou que é preciso combater o terrorismo, numa clara submissão aos Estados Unidos, do governo Donald Trump. A posição de Jair Bolsonaro pode prejudicar o comércio com o Irã, o principal importador de milho do Brasil.


Demitido do INPE por Bolsonaro está na lista dos 10 cientistas do ano no mundo


O físico brasileiro Ricardo Galvão será premiado como um dos dez melhores cientistas do mundo no ano de 2019. O cientista foi demitido por Jair Bolsonaro por ter revelado dados da devastação da floresta amazônica

 

 
Demitido do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o físico Ricardo Galvão será listado nesta sexta (13) um dos dez cientistas do ano da Nature, uma das mais prestigiosas revistas de ciência do mundo.

Galvão foi afastado do Inpe após Bolsonaro questionar a veracidade dos dados do instituto sobre as queimadas na Amazônia.

A informação é da coluna Painel da Fiolha de S.Paulo.

O cientista Ricardo Galvão foi demitido do Inpe em agosto por Jair Bolsonaro porque denunciou ao mundo dados que mostravam a alta do desmatamento da Amazônia.

Galvão irritou Bolsonaro ao contradizê-lo e ressaltar a intensificação do desmatamento no Brasil. “Isso é uma piada de um garoto de 14 anos que não cabe a um presidente da república fazer”, rebateu Galvão, criticando a fala de Bolsonaro de que “não existe desmatamento no Brasil”.

O INPE detectou aumento de 88% no desmatamento na Amazônia em junho comparado ao mesmo mês no ano passado e de 40% no acumulado dos últimos doze meses (até 31 de julho).

O ex-diretor afirmou que o Bolsonaro tomou uma atitude “pusilânime e covarde”.


Messi leva a Bola de Ouro pela sexta vez e ‘unifica’ prêmio de melhor do mundo


Melhor brasileiro na lista masculina de 2019 foi Alisson; goleiro do Liverpool ficou em 7º na classificação geral e em primeiro entre os goleiros, vencendo o Troféu Yashin

Foto: Wikimedia Commons
Foto: Wikimedia Commons

 

O argentino Lionel Messi venceu a premiação da Bola de Ouro, promovida pela revista France Football, pela sétima vez na carreira e voltou a consagrar-se como o melhor jogador de futebol da atualidade – o camisa 10 do Barcelona “unificou”, assim, os prêmios concedidos ao maior craque da temporada, já que também foi laureado pelo Fifa The Best em 2019. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (2), em Paris, na França.

Messi ficou à frente do holandês Virgil Van Dijk, do Liverpool, e do português Cristiano Ronaldo, da Juventus – que ficaram em segundo e terceiro lugares, respectivamente -, no pódio da premiação.

O melhor brasileiro na lista masculina de 2019 foi Alisson. O goleiro do Liverpool e da seleção brasileira ficou em sétimo lugar na classificação geral e em primeiro entre os goleiros, vencendo o Troféu Yashin. O atacante Neymar, desta vez, sequer figurou entre os 30 jogadores mais bem colocados.

Entre as mulheres, a Bola de Ouro ficou com a norte-americana Megan Rapinoe. A atacante do Reign FC e da seleção dos Estados Unidos – que já havia sido eleita a melhor jogadora de 2019 pela Fifa, além de ter faturado a Bola de Ouro e a Chuteira de Ouro da Copa do Mundo deste ano – deixou para trás a britânica Lucy Bronze, do Lyon, e a também norte-americana Alex Morgan, do Orlando Pride.


Gugu Liberato é internado após acidente doméstico; estado seria grave


 
Gugu Liberato apresenta novo reality show de casais (Foto: Francisco Cepeda/AgNews)

Gugu Liberato, de 60 anos de idade, sofreu um acidente doméstico em sua casa em Orlando, nos Estados Unidos, e foi hospitalizado. O apresentador vai ficar internado por 48 horas por observação. A informação foi confirmada à Quem pela assessoria dele.

 “Informamos que nesta quarta-feira, 20, o apresentador Gugu Liberato sofreu um acidente em sua casa em Orlando e encontra-se internado em observação por 48 horas. Voltaremos informar assim que um boletim médico for emitido e contamos com todos os amigos da imprensa”, diz a nota oficial.

De acordo com o blog de Amaury Jr., no entanto, o estado de saúde do apresentador é grave. Segundo a publicação, Gugu caiu de uma altura de cerca de 4 metros, batendo a cabeça na quina de um móvel. As informações foram divulgadas em primeira mão pelo colunista Flavio Ricco.

Gugu viajou para os Estados Unidos na terça-feira (19). Ele é pai de três filhos, João Augusto, 18, e as gêmeas Sofia Marina,15. Os jovens moram com a mãe, Rose Miriam, no país.

Gugu Liberato com a esposa e os filhos (Foto: Reprodução/Instagram)

Evo Morales renuncia e golpe triunfa na Bolívia


Eleito para um quarto mandato, Evo Morales acaba de renunciar ao cargo, depois que militares bolivianos sugeriram sua saída do cargo

Governo de Evo Morales tem 56% de apoio
Governo de Evo Morales tem 56% de apoio

Da Telesur – El presidente de Bolivia, Evo Morales, anunció este domingo su dimisión del cargo tras oleada violenta perpetrada por grupos opositores que desconocen los resultados electorales efectuados el pasado 20 de octubre.

Tras fuertes oleadas violentas contra militantes y dirigentes del Movimiento Al Socialismo (MAS), amedrentamiento a periodistas, quema de residencias y traición de aliados políticos y miembros de la Policía Nacional, el país padece una crisis política.

En un comunicado, las Fuerzas Armadas (FF.AA.) indicaron que para recuperar la estabilidad de la nación, es necesario un cambio en la presidencia:

“Sugerimos al presidente que renuncie a su mandato permitiendo la pacificación y mantenimiento de la estabilidad de Bolivia”, dijo el comandante en jefe de las Fuerzas Armadas, William Kaiman.


Chile: a queda de um ícone do neoliberalismo


Uma desigualdade única em termos de riqueza e renda, combinada com a comercialização total de muitos de seus serviços sociais e aposentadorias que dependem dos caprichos do mercado de ações, permaneceu “oculta” aos olhos dos observadores internacionais

Não é comum em um país da OCDE várias pessoas sejam baleadas e mortas em dois dias de distúrbios de cunho social. (Talvez apenas a Turquia, com suas intermináveis ​​guerras contra os guerrilheiros curdos, se aproxime desse nível de violência). Mas foi o que o governo chileno, um ícone do neoliberalismo e da transição democrática, fez quando começaram os protestos que parecem não arrefecer, apesar das reformas cosméticas propostas pelo presidente Sebastián Piñera.

A desgraça do Chile é sintomática dos padrões globais que revelam os danos causados ​​pelas políticas neoliberais nos últimos trinta anos, que vão desde privatizações no Leste Europeu e na Rússia, até a crise financeira global, passando pela austeridade europeia. O Chile foi considerado, em especial graças ao tratamento favorável da imprensa, como um exemplo de sucesso. As duras políticas que foram implementadas após a derrubada de Salvador Allende em 1973, e a onda de assassinatos que vieram depois, foram suavizadas pela transição democrática, embora suas principais características tenham sido preservadas. É verdade que o Chile teve um excelente índice de crescimento e, embora nas décadas de 1960 e 1970 estivesse no meio da tabela da América Latina em termos de PIB per capita, atualmente é o país mais rico da América Latina nesse quesito. Naturalmente, os elevados preços de sua principal matéria-prima para exportação, o cobre, também ajudaram. Mesmo assim, o sucesso de seu crescimento é indiscutível. O Chile recebeu o “prêmio” de entrar na OCDE, um clube de países ricos, e se tornou o primeiro país da América do Sul a acessá-lo.

O aspecto em que o país fracassou foi em suas políticas sociais, que muitas pessoas consideraram bem-sucedidas, ainda que pareça estranho. Nas décadas de 1980 e 1990, o Banco Mundial aplaudiu as políticas de “flexibilidade” do mercado de trabalho chileno, que consistiam em dissolver sindicatos e impor um modelo de negociação por setores entre trabalhadores e empregadores, em vez de permitir uma organização sindical global que pudesse negociar em nome de todos os trabalhadores. Ainda mais estranho é que o Banco Mundial o usou como um modelo de transparência e boa governança, que os países em transição no Leste Europeu deveriam copiar. O irmão do atual presidente chileno, descendente de uma das famílias mais ricas do Chile, ficou famoso por implementar, quando ocupou o cargo de Ministro do Trabalho e Previdência Social com Pinochet, um sistema público de aposentadorias segundo o qual os trabalhadores obrigatoriamente contribuíam com seus salários para um dentre vários fundos de pensão e, após se aposentarem, recebiam pensões de acordo com o desempenho dos investimentos realizados por esses fundos. As aposentadorias tornaram-se parte do jogo de roleta do capitalismo. Enquanto isso, os fundos de pensão, que frequentemente cobravam comissões exorbitantes e seus gerentes, ficaram ricos. José Piñera tentou “vender” esse modelo para a Rússia de Yeltsin e os Estados Unidos de George Bush, mas, apesar do forte (e compreensível) apoio das comunidades financeiras de ambos os países, ele não teve sucesso. Hoje em dia, a maioria dos aposentados chilenos recebe de 200 a 300 dólares por mês em um país cujo nível de preços (de acordo com o International Comparison Project, um projeto mundial liderado pela ONU e pelo Banco Mundial que compara os níveis de preços de todo mundo) é de aproximadamente 80% da dos Estados Unidos.

(mais…)